Trifen

KLEY HERTZ S.A - Indústria e Comércio

Atualizado em 09/12/2014

Trifen®

Paracetamol

HERTZ®

Formas Farmacêuticas e Apresentações de Trifen

Comprimidos em embalagem com 12 comprimidos ou 120 comprimidos.

USO ORALUSO ADULTO

Composição de Trifen

Cada comprimido contém:
paracetamol .................... 750 mg
Excipientes q.s.p. .................... 1 comprimido
Excipientes: amido, crospovidona, povidona, ácido esteárico.

Informações ao Paciente de Trifen

Ação esperada do medicamento: Trifen reduz a febre1, atuando no centro regulador da temperatura no Sistema Nervoso Central2 (SNC3), e diminui a sensibilidade para a dor.Trifen é indicado para a redução da febre1 e o alívio temporário de dores leves a moderadas, tais como: dores associadas a gripes e resfriados comuns, dor de cabeça4, dor de dente5, dor nas costas6, dores musculares, dores associadas a artrites e cólicas7 menstruais.
Cuidados de armazenamento: conservar em temperatura ambiente (15 a 30ºC). Proteger da luz e umidade.
Prazo de validade: 24 meses a partir da data de fabricação indicada na embalagem. Não utilize o produto se o prazo de validade estiver vencido. Após este prazo, a eficácia e segurança deste medicamento não estão garantidas.
Gravidez8 e lactação9: este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica. Informe seu médico a ocorrência de gravidez8 na vigência do tratamento ou após seu término, ou se estiver amamentando.
Pacientes idosos: é recomendado o uso sob orientação médica.
Cuidados de administração: não administre mais do que a dose recomendada. Isto pode lhe causar sérios problemas de saúde10. Você não deve usar o medicamento para dor por mais de 10 dias, ou para febre1 por mais de 3 dias, exceto sob orientação médica. Se você é usuário crônico11 de álcool, principalmente se toma 3 ou mais doses de bebidas alcoólicas todos os dias, deve consultar seu médico antes de utilizar Trifen ou qualquer outro analgésico12 e antitérmico13.
Usuários crônicos de bebidas alcoólicas podem apresentar um risco aumentado de doenças do fígado14 e estômago15, principalmente se administrarem uma dose de paracetamol maior que a recomendada.

NÃO USE OUTRO PRODUTO QUE CONTENHA PARACETAMOL ENQUANTO ESTIVER UTILIZANDO TRIFEN.

No caso de ingestão acidental de dose excessiva, procure imediatamente um serviço médico de urgência16, levando a bula do produto. O apoio médico imediato é fundamental, mesmo se os sinais17 e sintomas18 de intoxicação não estiverem presentes.
Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.
Não interromper o tratamento sem o conhecimento do seu médico.
Em caso de persistência ou agravamento dos sintomas18 de dor ou febre1, ou de aparecimento de reações desagradáveis, consulte seu médico.

Reações adversas: Caso você sinta qualquer reação desagradável com o uso de Trifen, como, por exemplo, desconforto gástrico, alteração no funcionamento dos rins19 e do pulmão20, reações alérgicas cutâneas21, entre outras, suspenda o uso do medicamento e comunique seu médico. Informe seu médico o aparecimento de reações desagradáveis.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS

Interação com alimentos e bebidas: a absorção de Trifen é favorecida se você estiver de estômago15 vazio. Administre Trifen, preferencialmente, 1 hora antes ou 2 horas após as refeições. Os alimentos podem afetar a velocidade da absorção, mas não a quantidade absorvida do medicamento.
Usuários crônicos de bebidas alcoólicas podem apresentar um risco aumentado de doenças do fígado14 e estômago15, principalmente se administrarem uma dose de paracetamol maior que a recomendada.
Interação com outros medicamentos: há interação de alguns outros fármacos com o paracetamol, tais como acenocumarol, busulfano, carbamazepina, cloranfenicol, colestiramina, diflunisal, exenatida, fenoldopam, fenitoína e fosfenitoína, isoniazida, lamotrigina, metirapona, varfarina e zidovudina. Se você está utilizando um medicamento que contenha algum destes fármacos, consulte seu médico antes de utilizar paracetamol.
Contraindicações: este medicamento é contraindicado para pacientes22 com hipersensibilidade ao paracetamol ou a algum outro componente da fórmula. Trifen é contraindicado em crianças menores de 12 anos.
Precauções: pacientes alérgicos ao ácido acetilsalicílico devem ter cuidado ao usar o paracetamol.
Informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início, ou durante o tratamento.
Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas ou que estejam amamentando, sem orientação médica.
Não use outro produto que contenha paracetamol.

NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO, PODE SER PERIGOSO PARA A SAÚDE10.

Informações Técnicas de Trifen

Características: O paracetamol é um antiinflamatório nãoesteroidal com atividade analgésica e antitérmica por ser um potente inibidor da enzima23 cicloxigenase no sistema nervoso central2. A inibição desta enzima23 interrompe a rota de síntese das prostaglandinas24, mediadores envolvidos nos processos inflamatórios. A ação analgésica ocorre, predominantemente, no Sistema Nervoso Central2 e, em menor nível, através de ação periférica por bloqueio da geração de impulsos dolorosos. A ação antitérmica, por sua vez, ocorre diretamente na parte do cérebro25 que regula a temperatura.

Indicações de Trifen

Trifen é indicado para a redução da febre1 e para o alívio temporário de dores leves a moderadas, tais como: dores associadas a gripes e resfriados comuns, dor de cabeça4, dor de dente5, dor nas costas6, dores musculares, dores associadas a artrites e cólicas7 menstruais.

Contraindicações de Trifen

Este medicamento é contraindicado para pacientes22 com hipersensibilidade ao paracetamol ou a algum outro componente da fórmula. Trifen é contraindicado em crianças menores de 12 anos.

Precauções de Trifen

Indivíduos alérgicos ao ácido acetilsalicílico devem utilizar paracetamol com cautela. Paracetamol deve ser utilizado com precaução também em indivíduos com deficiência na enzima23 Glicose26-6-Fosfato desidrogenase, pelo aumento no risco de ocorrência de anemia hemolítica27.Usuários crônicos de bebidas alcoólicas podem apresentar um risco aumentado de doenças do fígado14 ou hemorragia28 gástrica, principalmente os que consomem 3 ou mais doses de bebidas alcoólicas todos os dias.

Gravidez8 e Lactação9 de Trifen

Em casos de uso por mulheres grávidas ou que estejam amamentando, a administração deve ser feita por um curto período, e com rigoroso acompanhamento.

Interação com Alimentos e Bebidas de Trifen

A absorção do paracetamol é mais rápida se não houver interação com alimentos, sendo indicado, portanto, que seja administrado 1 hora antes ou 2 horas após as refeições. Os alimentos podem afetar a velocidade da absorção, mas não a quantidade absorvida do medicamento. Usuários crônicos de bebidas alcoólicas podem apresentar um risco aumentado de doenças do fígado14 e estômago15, principalmente se administrarem uma dose de paracetamol maior que a recomendada.

Interação com Outros Medicamentos de Trifen

Há interação de alguns outros fármacos com o paracetamol, tais como acenocumarol (potencialização do efeito anticoagulante29), busulfano (redução da metabolização do busulfano), carbamazepina (aumento do risco de hepatotoxicidade30 por paracetamol), cloranfenicol (aumento da toxicidade31 do cloranfenicol, podendo resultar em vômitos32, hipotensão33 e hipotermia34), colestiramina (diminuição da eficácia do paracatemol), diflunisal (aumento do risco de hepatotoxicidade30 por paracetamol), exenatida (diminuição da biodisponibilidade do paracetamol), fenoldopam (aumento na concentração sanguínea do fenoldopam), fenitoína e fosfenitoína (diminuição da eficácia do paracetmol e aumento do risco de hepatotoxicidade30), isoniazida (aumento do risco de hepatotoxicidade30), lamotrigina (diminuição da eficácia da lamotrigina), metirapona (aumento do risco de toxicidade31 do paracetamol), varfarina (aumento do risco de sangramento) e zidovudina (risco de neutropenia35 e hepatotoxicidade30).

Reações Adversas de Trifen

Alguns efeitos adversos que podem surgir com o uso do paracetamol são as reações de hipersensibilidade, como urticária36, vermelhidão, edema37 e erupções cutâneas21, hipotermia34, fraqueza, reações mais sérias como hepatotoxicidade30, nefrotoxicidade38, pneumonite39, incluindo também as mais raras, como, por exemplo, anemia hemolítica27, postulose exantematosa, necrose40 epidérmica tóxica, Síndrome41 da secreção inapropriada de hormônio42 antidiurético (SIADH), nefropatia43, falência renal44 e hemorragia28 gastrointestinal. Caso apresente alguma reação desagradável, suspenda o uso do medicamento.

Posologia de Trifen

Adultos e crianças de 12 anos ou mais: as doses de paracetamol para adultos e crianças de 12 anos ou mais variam de 500 a 1000 mg/dose, com intervalos de 4 a 6 horas entre cada administração. Não exceda o total de 4g em 24 horas. Administre 1 comprimido, 3 a 4 vezes ao dia.
Não exceda 5 comprimidos, em doses fracionadas, em um período de 24 horas.

Modo de Usar de Trifen

(Comprimidos ovalados de cor branca) Você deve ingerir os comprimidos com líquido.

Siga corretamente a posologia. Não desaparecendo os sintomas18, procure orientação médica ou de seu cirurgião- dentista.Não use o medicamento com o prazo de validade vencido. Antes de usar, observe o aspecto do medicamento.

Superdosagem de Trifen

Os principais efeitos relacionados à sobredosagem por paracetamol incluem náuseas45, vômitos32, e hepatoxicidade, sendo que, neste último caso, a sintomatologia não ocorre rapidamente. Por isso, o apoio médico imediato é fundamental para adultos e crianças, mesmo se os sinais17 e sintomas18 de intoxicação não estiverem presentes. Terapia com N-acetilcisteína46, principalmente se nas primeiras 16 horas após a ingestão da sobredosagem, diminui os efeitos de hepatoxicidade. Outros possíveis efeitos, principalmente em casos de intoxicação severa, são acidose metabólica47, alteração da função renal44 e cardíaca, pancreatite48, trombocitopenia49, e até coma50.

Pacientes Idosos de Trifen

A metabolização do paracetamol em idosos demonstrou ser mais lenta, mas ajuste de dosagem, a princípio, não faz-se necessário. Recomenda-se, no entanto, rigoroso acompanhamento durante o uso de paracetamol por estes pacientes, principalmente os que apresentam fatores de risco, como uso crônico11 de álcool ou doenças no fígado14.

Conservar o produto em temperatura ambiente (15 a 30ºC). Proteger da luz e umidade. O produto é válido por 24 meses a partir da data de fabricação indicada na embalagem, não devendo ser utilizado com o prazo de validade vencido.

Data de fabricação, data de vencimento e lote
Vide cartucho.

VENDA SEM PRESCRIÇÃO MÉDICA

SAC 0800 704 9001

KLEY HERTZ S.A. - Indústria e Comércio
Rua Comendador Azevedo, 224 - Porto Alegre - RS
Farm. Resp.: Paula Carniel Antonio - CRF-RS 4228
Reg. M.S. 1.0689.0072 - C.N.P.J. nº 92.695.691/0001-03
INDÚSTRIA BRASILEIRA

Trifen - Laboratório

KLEY HERTZ S.A - Indústria e Comércio
Rua Comendador Azevedo, 224
Porto Alegre/RS
Tel: 0800512517
Site: http://www.grupohertz.com/

Ver outros medicamentos do laboratório "KLEY HERTZ S.A - Indústria e Comércio"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
2 Sistema Nervoso Central: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
3 SNC: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
4 Cabeça:
5 Dente: Uma das estruturas cônicas duras situadas nos alvéolos da maxila e mandíbula, utilizadas na mastigação e que auxiliam a articulação. O dente é uma estrutura dérmica composta de dentina e revestida por cemento na raiz anatômica e por esmalte na coroa anatômica. Consiste numa raiz mergulhada no alvéolo, um colo recoberto pela gengiva e uma coroa, a parte exposta. No centro encontra-se a cavidade bulbar preenchida com retículo de tecido conjuntivo contendo uma substância gelatinosa (polpa do dente) e vasos sangüíneos e nervos que penetram através de uma abertura ou aberturas no ápice da raiz. Os 20 dentes decíduos ou dentes primários surgem entre o sexto e o nono e o vigésimo quarto mês de vida; sofrem esfoliação e são substituídos pelos 32 dentes permanentes, que aparecem entre o quinto e sétimo e entre o décimo sétimo e vigésimo terceiro anos. Existem quatro tipos de dentes
6 Costas:
7 Cólicas: Dor aguda, produzida pela dilatação ou contração de uma víscera oca (intestino, vesícula biliar, ureter, etc.). Pode ser de início súbito, com exacerbações e períodos de melhora parcial ou total, nos quais o paciente pode estar sentindo-se bem ou apresentar dor leve.
8 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
9 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
10 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
11 Crônico: Descreve algo que existe por longo período de tempo. O oposto de agudo.
12 Analgésico: Medicamento usado para aliviar a dor. As drogas analgésicas incluem os antiinflamatórios não-esteróides (AINE), tais como os salicilatos, drogas narcóticas como a morfina e drogas sintéticas com propriedades narcóticas, como o tramadol.
13 Antitérmico: Medicamento que combate a febre. Também pode ser chamado de febrífugo, antifebril e antipirético.
14 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
15 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
16 Urgência: 1. Necessidade que requer solução imediata; pressa. 2. Situação crítica ou muito grave que tem prioridade sobre outras; emergência.
17 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
18 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
19 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
20 Pulmão: Cada um dos órgãos pareados que ocupam a cavidade torácica que tem como função a oxigenação do sangue.
21 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
22 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
23 Enzima: Proteína produzida pelo organismo que gera uma reação química. Por exemplo, as enzimas produzidas pelo intestino que ajudam no processo digestivo.
24 Prostaglandinas: É qualquer uma das várias moléculas estruturalmente relacionadas, lipossolúveis, derivadas do ácido araquidônico. Ela tem função reguladora de diversas vias metabólicas.
25 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
26 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
27 Anemia hemolítica: Doença hereditária que faz com que os glóbulos vermelhos do sangue se desintegrem no interior dos veios sangüíneos (hemólise intravascular) ou em outro lugar do organismo (hemólise extravascular). Pode ter várias causas e ser congênita ou adquirida. O tratamento depende da causa.
28 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
29 Anticoagulante: Substância ou medicamento que evita a coagulação, especialmente do sangue.
30 Hepatotoxicidade: É um dano no fígado causado por substâncias químicas chamadas hepatotoxinas.
31 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
32 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
33 Hipotensão: Pressão sanguínea baixa ou queda repentina na pressão sanguínea. A hipotensão pode ocorrer quando uma pessoa muda rapidamente de uma posição sentada ou deitada para a posição de pé, causando vertigem ou desmaio.
34 Hipotermia: Diminuição da temperatura corporal abaixo de 35ºC.Pode ser produzida por choque, infecção grave ou em estados de congelamento.
35 Neutropenia: Queda no número de neutrófilos no sangue abaixo de 1000 por milímetro cúbico. Esta é a cifra considerada mínima para manter um sistema imunológico funcionando adequadamente contra os agentes infecciosos mais freqüentes. Quando uma pessoa neutropênica apresenta febre, constitui-se uma situação de “emergência infecciosa”.
36 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
37 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
38 Nefrotoxicidade: É um dano nos rins causado por substâncias químicas chamadas nefrotoxinas.
39 Pneumonite: Inflamação dos pulmões que compromete principalmente o espaço que separa um alvéolo de outro (interstício pulmonar). Pode ser produzida por uma infecção viral ou lesão causada por radiação ou exposição a diferentes agentes químicos.
40 Necrose: Conjunto de processos irreversíveis através dos quais se produz a degeneração celular seguida de morte da célula.
41 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
42 Hormônio: Substância química produzida por uma parte do corpo e liberada no sangue para desencadear ou regular funções particulares do organismo. Por exemplo, a insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas que diz a outras células quando usar a glicose para energia. Hormônios sintéticos, usados como medicamentos, podem ser semelhantes ou diferentes daqueles produzidos pelo organismo.
43 Nefropatia: Lesão ou doença do rim.
44 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
45 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
46 Acetilcisteína: Derivado N-acetil da cisteína. É usado como um agente mucolítico para reduzir a viscosidade das secreções mucosas.
47 Acidose metabólica: A acidose metabólica é uma acidez excessiva do sangue caracterizada por uma concentração anormalmente baixa de bicarbonato no sangue. Quando um aumento do ácido ultrapassa o sistema tampão de amortecimento do pH do organismo, o sangue pode acidificar-se. Quando o pH do sangue diminui, a respiração torna-se mais profunda e mais rápida, porque o corpo tenta liberar o excesso de ácido diminuindo o volume do anidrido carbônico. Os rins também tentam compensá-lo por meio da excreção de uma maior quantidade de ácido na urina. Contudo, ambos os mecanismos podem ser ultrapassados se o corpo continuar a produzir excesso de ácido, o que conduz a uma acidose grave e ao coma. A gasometria arterial é essencial para o seu diagnóstico. O pH está baixo (menor que 7,35) e os níveis de bicarbonato estão diminuídos (<24 mmol/l). Devido à compensação respiratória (hiperventilação), o dióxido de carbono está diminuído e o oxigênio está aumentado.
48 Pancreatite: Inflamação do pâncreas. A pancreatite aguda pode ser produzida por cálculos biliares, alcoolismo, drogas, etc. Pode ser uma doença grave e fatal. Os primeiros sintomas consistem em dor abdominal, vômitos e distensão abdominal.
49 Trombocitopenia: É a redução do número de plaquetas no sangue. Contrário de trombocitose. Quando a quantidade de plaquetas no sangue é inferior a 150.000/mm³, diz-se que o indivíduo apresenta trombocitopenia (ou plaquetopenia). As pessoas com trombocitopenia apresentam tendência de sofrer hemorragias.
50 Coma: 1. Alteração do estado normal de consciência caracterizado pela falta de abertura ocular e diminuição ou ausência de resposta a estímulos externos. Pode ser reversível ou evoluir para a morte. 2. Presente do subjuntivo ou imperativo do verbo “comer.“

Tem alguma dúvida sobre Trifen?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.