TENSODIN

ATIVUS

Atualizado em 09/12/2014

        Tensodin  Amlodipina                             
- FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÕES  Comprimidos de 5 mg - caixa com 20 comprimidos.  Comprimidos de 10 mg - caixa com 20 comprimidos.  USO ADULTO  

Composição   de Tensodin

Comprimidos de 5 mg - cada comprimido contém:  Amlodipina (como Besilato de Amlodipina) 5mg  Excipiente: Estearato de Magnésio, Gluconato Amido Sódico, Fosfato Bicálcio.  Comprimidos de 10 mg - cada comprimido contém:  Amlodipina (como Besilato de Amlodipina) 10 mg  Excipiente: Estearato de Magnésio, Microcelulose, Gluconato Amido Sódico, Fosfato Bicálcio.

- INFORMAÇÕES AO PACIENTE  
TENSODIN
(Amlodipina) está indicado no tratamento da hipertensão arterial1 e da insuficiência2 coronariana por promover uma dilatação dos vasos sangüíneos3 coronários e periféricos.  Cuidados na Conservação:  O medicamento deve ser conservado ao abrigo do calor excessivo, da umidade, da luz e em temperatura ambiente (entre 15 e 30ºC).  Prazo de validade: 24 meses após a data de fabricação  Verifique a data de fabricação no cartucho  Não utilize medicamentos com o prazo de validade vencido  Gravidez4 e lactação5: O uso de Amlodipina na gravidez4 e lactação5 deve ter a prescrição feita criteriosamente pelo médico, considerando o risco/benefício, pois, não existem estudos que estabeleçam a segurança do uso destas drogas nestas situações.  Informe ao seu médico a ocorrência de gravidez4 na vigência do tratamento ou após o seu término. Informar ao médico se estiver amamentando.  Cuidados na administração: Deve-se realizar a monitoração periódica quanto à pressão arterial6, eletrocardiograma7 e avaliação cardíaca. A higiene bucal deve ser mantida, para evitar a hiperplasia8 gengival.  A hipertensão arterial1 é uma doença de evolução e a suspensão da medicação pode levar a retomada dos níveis altos de pressão. Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento de seu médico.  
- Reações adversas: As reações adversas mais comuns são: edema9 periférico, rubor e dores de cabeça10. Reações ocasionais, tais como: tontura11, palpitação12, fadiga13, náusea14 podem ocorrer, embora com menor freqüência. Informar a seu médico o aparecimento de reações desagradáveis.  TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS  

- Contra-indicações e Precauções:
Situações clínicas como estenose15 aórtica, insuficiência cardíaca congestiva16, comprometimento da função hepática17 devem ter o uso da Amlodipina avaliado pelo médico. Informe o médico responsável à respeito do aparecimento de quaisquer reações, da utilização de outros medicamentos durante o tratamento e/ou em caso de gravidez4 e lactação5.  TENSODIN (Amlodipina) está contra-indicado em pacientes com hipotensão18 acentuada e/ou apresentando hipersensibilidade as dihidropiridinas ou a quaisquer componentes da formulação.  
NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO, PODE SER PERIGOSO PARA SUA SAÚDE19.  
- INFORMAÇÕES TÉCNICAS  
A Amlodipina é uma dihidropiridina. Inibe seletivamente o influxo de cálcio nas membranas da musculatura lisa dos vasos, bloqueando os canais lentos de cálcio e inibindo o fluxo transmembrana.  Possui ação vasodilatadora arterial periférica, levando a uma redução dos níveis pressóricos20 além de reduzir a pós-carga cardíaca. Sua ação vasodilatadora também se observa na própria artéria21 coronariana. Talvez estes dois efeitos justifiquem o alívio da angina22.  
- FARMACOCINÉTICA:
A absorção por via oral é completa, não sendo alterada pela administração concomitante de alimentos. A Amlodipina é transformada em metabólitos23 inativos, à nível hepático. Cerca de 10% da droga inalterada e 60% dos metabólitos23 são excretados na urina24. A sua biodisponibilidade é de aproximadamente de 64 a 80%. O volume de distribuição é de 21 l/kg. A sua taxa de ligação protéica é alta, de cerca de 95 à 98%. Apresenta biotransformação hepática17 lenta. Os níveis plasmáticos estáveis são obtidos após 7 - 8 dias de doses consecutivas. A duração do efeito é de 24 horas. A meia-vida de eliminação terminal plasmática é de cerca de 35 a 50 horas, em dose única diária.  
- Indicações:  
TENSODIN
(Amlodipina) está indicado como primeira escolha em casos de hipertensão25, atuando como agente único ou combinado com outros agentes anti-hipertensivos. Está indicado, também, no tratamento da isquemia26 miocárdica devido à obstrução fixa (angina22 estável) ou nas isquemias27 por vasoespasmo/vasoconstrição28 coronariana ( Angina22 de Prinzmetal ou Angina22 Variante ).  TENSODIN (Amlodipina) pode ser administrado em pacientes com angina22 refratária, como monoterapia ou em combinação com outras drogas anti-anginosas.  
- Contra-indicações:  
TENSODIN
(Amlodipina) está contra-indicado em pacientes com hipotensão18 acentuada e/ou apresentando hipersensibilidade as dihidropiridinas ou a quaisquer componentes da formulação.  
- Precauções:  
TENSODIN
(Amlodipina) deve ser prescrito com cautela em pacientes com hipotensão18.  Conduta na gravidez4 e lactação5: Até o momento, não existem confirmações sobre a atuação de Amlodipina durante os processos de gravidez4 e lactação5. Assim sendo, o uso de Amlodipina na gravidez4 é recomendado quando não existir alternativa mais segura e quando a relação risco/benefício indicar tal atitude. Hepatopatas: Devido a um possível aumento da meia-vida plasmática, que ocorre nos bloqueadores de cálcio, o uso de TENSODIN (Amlodipina) deve ser feito com cautela, pois os parâmetros nestes pacientes ainda não estão estabelecidos. Nefropatas: Não há necessidade da correção da dose em pacientes nefropatas.  
- Interações medicamentosas:
O uso concomitante de nitroglicerina sub-lingual ou nitratos com ação prolongada pode produzir um efeito antiangina aditivo. Recomenda-se a diminuição gradual da posologia com supervisão médica, embora ainda não se tenha evidenciado nenhum "efeito rebote" devido a suspensão da Amlodipina. O uso concomitante com anestésicos inalatórios causa hipotensão18 adicional; com AINEs, especialmente a indometacina, há redução do efeito anti-hipertensivo da Amlodipina. Devido à semelhança da Amlodipina com nifedipina, o uso associado com beta-bloqueadores pode produzir hipotensão18 excessiva ou, mais raramente, aumentar a possibilidade de insuficiência cardíaca congestiva16; com estrógenos pode aumentar a pressão arterial6; pode aumentar as concentrações plasmáticas de anticoagulantes29 cumarínicos ou indandiônicos, anticonvulsivos indantóicos, AINEs, quinina, salicilatos e sulfimipirazona devido ao deslocamento do complexo protéico. Com medicamentos hipotensores pode haver potencialização dos efeitos anti-hipertensivos; com lítio resulta em neurotoxicidade (náusea14, vômito30, diarréia31, ataxia32, tremores e zumbidos), já com os simpatomiméticos há redução da eficácia da Amlodipina. Estudos "in vitro" com plasma33 humano indicaram que a Amlodipina não afeta a ligação a proteínas34 das drogas testadas (digoxina, fenitoína, varfarina ou indometacina ). Testes em seres humanos do sexo masculino, utilizando Amlodipina juntamente com varfarina, não resultaram em alteração significante do tempo de resposta à protrombina35.  Não se faz necessário o ajuste da dose de TENSODIN (Amlodipina), na administração concomitante com diuréicos tiazídicos, beta-bloqueadores e inibidores da enzima36 da angiotensina.  
- Reações adversas:
As reações adversas mais freqüentes são : edema9 periférico (inchaço37 nos quadris e pés), rubor e cefaléia38. As reações ocasionais relatadas são : tontura11, palpitação12, fadiga13 e náusea14. Reações, tais como : angina22, bradicardia39, hipotensão18, hipotensão18 ortostática, prurido40, "rush" cutâneo41, dispnéia42, astenia43, cãibras musculares e dispepsia44 foram relatadas com rara freqüência. Assim como com outros bloqueadores do canal de cálcio, raramente foram relatados casos de infarto do miocárdio45 e dor toráxica, sendo que estes não devem ser distinguidos da história natural da doença de base. Em testes laboratoriais, não foram observados quaisquer tipos de anormalidades clinicamente significantes, referentes à Amlodipina.  
- Posologia:  
A dose recomendada é de 1 comprimido de 5 mg ao dia. Em alguns casos, esta dose deve ser aumentada para até 10 mg ao dia, isso dependendo da resposta terapêutica46.  
- SUPERDOSE:
Devido a falta de estatísticas, em humanos, de doses elevadas de Amlodipina, a conduta ainda não está estabelecida. Estudos realizados nos dão a idéia de que uma superdose resultaria em excessiva vasodilatação periférica, levando, então a uma acentuada e provavelmente prolongada hipotensão18 sistêmica. Deve-se levar o paciente a um centro de intoxicação onde aconselha-se o esvaziamento gástrico através de vômitos47 ou lavagem gástrica48 quando o nível de consciência do paciente estiver prejudicado. Monitorização freqüente das funções cardíaca e respiratória, elevação das extremidades, atenção para o volume de fluído circulante e eliminação urinária são necessárias.  A utilização de um medicamento vasoconstritor torna-se eficaz, desde que sua administração não seja contra-indicada. A fim de reverter os efeitos dos bloqueadores de Cálcio, pode-se administrar Gluconato de Cálcio intravenoso. Medidas de diálise49 não são efetivas.  Advertências e recomendações para pacientes50 com idade superior a 65 anos: Não há necessidade da correção da dose de TENSODIN (Amlodipina) em pacientes idosos desde que sua função hepato-renal51 esteja preservada, porém, deve ficar claro que estes pacientes são mais sensíveis as alterações pressóricas.  VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA                             

TENSODIN - Laboratório

ATIVUS
Rua Fonte Mécia, 2050 - São Pedro
Valinhos/SP - CEP: 13270-000
Tel: (19) 3849 8600
Site: http://www.ativus.com.br/

Ver outros medicamentos do laboratório "ATIVUS"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Hipertensão arterial: Aumento dos valores de pressão arterial acima dos valores considerados normais, que no adulto são de 140 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 85 milímetros de pressão diastólica.
2 Insuficiência: Incapacidade de um órgão ou sistema para realizar adequadamente suas funções.Manifesta-se de diferentes formas segundo o órgão comprometido. Exemplos: insuficiência renal, hepática, cardíaca, respiratória.
3 Vasos sangüíneos: Órgãos em forma de tubos que se ramificam por todo o organismo. Existem três tipos principais de vasos sangüíneos que são as artérias, veias e capilares.
4 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
5 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
6 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
7 Eletrocardiograma: Registro da atividade elétrica produzida pelo coração através da captação e amplificação dos pequenos potenciais gerados por este durante o ciclo cardíaco.
8 Hiperplasia: Aumento do número de células de um tecido. Pode ser conseqüência de um estímulo hormonal fisiológico ou não, anomalias genéticas no tecido de origem, etc.
9 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
10 Cabeça:
11 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
12 Palpitação: Designa a sensação de consciência do batimento do coração, que habitualmente não se sente. As palpitações são detectadas usualmente após um exercício violento, em situações de tensão ou depois de um grande susto, quando o coração bate com mais força e/ou mais rapidez que o normal.
13 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
14 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
15 Estenose: Estreitamento patológico de um conduto, canal ou orifício.
16 Insuficiência Cardíaca Congestiva: É uma incapacidade do coração para efetuar as suas funções de forma adequada como conseqüência de enfermidades do próprio coração ou de outros órgãos. O músculo cardíaco vai diminuindo sua força para bombear o sangue para todo o organismo.
17 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
18 Hipotensão: Pressão sanguínea baixa ou queda repentina na pressão sanguínea. A hipotensão pode ocorrer quando uma pessoa muda rapidamente de uma posição sentada ou deitada para a posição de pé, causando vertigem ou desmaio.
19 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
20 Níveis pressóricos: Em cardiologia, níveis pressóricos são os níveis de pressão arterial.
21 Artéria: Vaso sangüíneo de grande calibre que leva sangue oxigenado do coração a todas as partes do corpo.
22 Angina: Inflamação dos elementos linfáticos da garganta (amígdalas, úvula). Também é um termo utilizado para se referir à sensação opressiva que decorre da isquemia (falta de oxigênio) do músculo cardíaco (angina do peito).
23 Metabólitos: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
24 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
25 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
26 Isquemia: Insuficiência absoluta ou relativa de aporte sanguíneo a um ou vários tecidos. Suas manifestações dependem do tecido comprometido, sendo a mais frequente a isquemia cardíaca, capaz de produzir infartos, isquemia cerebral, produtora de acidentes vasculares cerebrais, etc.
27 Isquemias: Insuficiência absoluta ou relativa de aporte sanguíneo a um ou vários tecidos. Suas manifestações dependem do tecido comprometido, sendo a mais frequente a isquemia cardíaca, capaz de produzir infartos, isquemia cerebral, produtora de acidentes vasculares cerebrais, etc.
28 Vasoconstrição: Diminuição do diâmetro dos vasos sanguíneos.
29 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
30 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
31 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
32 Ataxia: Reflete uma condição de falta de coordenação dos movimentos musculares voluntários podendo afetar a força muscular e o equilíbrio de uma pessoa. É normalmente associada a uma degeneração ou bloqueio de áreas específicas do cérebro e cerebelo. É um sintoma, não uma doença específica ou um diagnóstico.
33 Plasma: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).
34 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
35 Protrombina: Proteína plasmática inativa, é a precursora da trombina e essencial para a coagulação sanguínea.
36 Enzima: Proteína produzida pelo organismo que gera uma reação química. Por exemplo, as enzimas produzidas pelo intestino que ajudam no processo digestivo.
37 Inchaço: Inchação, edema.
38 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
39 Bradicardia: Diminuição da freqüência cardíaca a menos de 60 batimentos por minuto. Pode estar associada a distúrbios da condução cardíaca, ao efeito de alguns medicamentos ou a causas fisiológicas (bradicardia do desportista).
40 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
41 Cutâneo: Que diz respeito à pele, à cútis.
42 Dispnéia: Falta de ar ou dificuldade para respirar caracterizada por respiração rápida e curta, geralmente está associada a alguma doença cardíaca ou pulmonar.
43 Astenia: Sensação de fraqueza, sem perda real da capacidade muscular.
44 Dispepsia: Dor ou mal-estar localizado no abdome superior. O mal-estar pode caracterizar-se por saciedade precoce, sensação de plenitude, distensão ou náuseas. A dispepsia pode ser intermitente ou contínua, podendo estar relacionada com os alimentos.
45 Infarto do miocárdio: Interrupção do suprimento sangüíneo para o coração por estreitamento dos vasos ou bloqueio do fluxo. Também conhecido por ataque cardíaco.
46 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
47 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
48 Lavagem gástrica: É a introdução, através de sonda nasogástrica, de líquido na cavidade gástrica, seguida de sua remoção.
49 Diálise: Quando os rins estão muito doentes, eles deixam de realizar suas funções, o que pode levar a risco de vida. Nesta situação, é preciso substituir as funções dos rins de alguma maneira, o que pode ser feito realizando-se um transplante renal, ou através da diálise. A diálise é um tipo de tratamento que visa repor as funções dos rins, retirando as substâncias tóxicas e o excesso de água e sais minerais do organismo, estabelecendo assim uma nova situação de equilíbrio. Existem dois tipos de diálise: a hemodiálise e a diálise peritoneal.
50 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
51 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.

Tem alguma dúvida sobre TENSODIN?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.