TENSULAN

MARJAN

Atualizado em 09/12/2014

TENSULAN

Palmitato de retinol + cloridrato de piridoxina + acetato de tocoferol
Sistema Vitamínico-mineral

Forma Farmacêutica e Apresentação de Tensulan

Cápsulas - caixa com 30 cápsulas.

USO ADULTO / VIA ORAL

Composição de Tensulan

Cada cápsula de Tensulan contém:

 Palmitato de retinol (vitamina1 A)5.000 U.I.250%
 Cloridrato de piridoxina (vitamina1 B6)100 mg7.692%
  Acetato de tocoferol (vitamina1 E)300 mg3.000%


Excipientes: óleo mineral, óleo vegetal parcialmente hidrogenado, cera branca, lecitina de soja, glicerina, gelatina, dióxido de titânio, água purificada, corante amarelo e corante vermelho.

( * ) Teor percentual do componente na posologia máxima relativo à Ingestão Diária Recomendada.

Informações ao Paciente de Tensulan

Ação esperada do medicamentoSuprir as carências de vitaminas A, E e B6.

Cuidados de armazenamento
Conservar em temperatura ambiente (entre 15 e 30°C). Proteger da luz e umidade.

Prazo de validade
24 meses após data de fabricação impressa no cartucho.
Não utilize medicamentos com o prazo de validade vencido.

Gravidez2 e lactação3
Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas ou que possam ficar grávidas durante o tratamento.
A vitamina1 A, em doses superiores a 10.000 UI/dia, pode ocasionar deformações em fetos. Por isto, Tensulan não deve ser utilizado durante a gravidez2. Informe ao se médico a ocorrência de gravidez2 na vigência do tratamento ou após o seu término. Informar ao médico se está amamentando.

Se durante o tratamento a menstruação4 da mulher não aparecer, suspender Tensulan e avisar ao médico.

Cuidados de administração
Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. É recomendada a ingestão de uma a duas cápsulas de Tensulan ao dia por 2 a 3 meses.

Interrupção do tratamento
Não interromper o tratamento sem o conhecimento de seu médico.

Reações adversas
A vitamina1 B6 é hidrossolúvel e rapidamente excretada na urina5. Algumas reações adversas são observadas como parestesia6, sonolência e diminuição do nível de ácido fólico no soro7. Uma neuropatia8 sensorial tóxica tem sido observada em indivíduos que usam cronicamente 2g de piridoxina por dia. Foram relatados sintomas9 de dependência física após a supressão da droga em adultos que recebiam 200mg por dia. Outros efeitos adversos atribuíveis à piridoxina em doses de 150 a 200mg/dia são: queixas sobre acidez estomacal, indigestão, náuseas10, dores abdominais e falta de apetite. Em mulheres em fase de amamentação11, a piridoxina provoca a diminuição da produção de leite materno.

A vitamina1 A, em doses iguais ou superiores a 1.000.000 UI/dia, durante três dias, ou 50.000 UI/dia durante 12 ou mais meses, poderá causar intoxicações aguda ou crônica. Estas se manifestam por queda de cabelos, inchaço12, boca13 ressecada, dor de cabeça14, perda de apetite, enjôo, sonolência, cansaço, desânimo, aumento ou diminuição das regras, visão15 dupla, convulsões, dores articulares, sensibilidade aumentada à luz e sangramentos, inclusive debaixo da pele16. Nestes casos, interromper imediatamente o uso de Tensulan e procurar o médico assistente.

Informe ao médico a ocorrência de reações desagradáveis.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

Ingestão concomitante com outras substâncias
Informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início, ou durante o tratamento. Pacientes parkinsonianos, usando levodopa pura, não associada a inibidores de descarboxilase, não devem utilizar Tensulan já que a vitamina1 B6 inibe a ação terapêutica17 da levodopa pura.

Mulheres usando anticoncepcional devem utilizar doses menores de Tensulan devido ao aumento do nível sanguíneo de vitamina1 A causada por esta medicação.

A absorção de vitamina1 A está diminuída com o uso de doses elevadas de hidróxido de alumínio.

O uso concomitante com colestiramina, óleo mineral, neomicina oral, aumenta a necessidade de vitamina1 A.

Contra-indicações e precauções
Tensulan é contra-indicado na gravidez2, na hipervitaminose A e em caso de hipersensibilidade a quaisquer de seus componentes. Se durante o tratamento de mulheres, em idade fértil, a menstruação4 não aparecer, o uso de Tensulan deverá ser suspenso e comunicar o fato ao médico. Tensulan deve ser usado com cautela em pacientes com insuficiência renal18 crônica.

Acetato de tocoferol concomitantemente usado com anticoagulantes19, como por exemplo a varfarina, ou em pacientes portadores de deficiência de vitamina1 K pode causar sangramento e retardar a cicatrização.

Informe ao seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início ou durante o tratamento.

NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO, PODE SER PERIGOSO PARA A SUA SAÚDE20.

Informações Técnicas de Tensulan

Características químicas e farmacológicas
Tensulan contém em sua fórmula as vitaminas A, B6 e E.

Vitamina1 A (palmitato de retinol): a vitamina1 A é essencial para o bom funcionamento da retina21, já que conserva as células22 epiteliais de todo o organismo. Previne ou regride alterações caracterizadas por hiperplasia23 e menor diferenciação celular. A vitamina1 A antagoniza a produção de estrogênio pelo folículo24 ovariano. A deficiência de vitamina1 A reduz a capacidade secretora de epitélios25 produtores de muco, aumentando o surgimento de processos irritativos e infecciosos. Sua deficiência também aumenta a sensibilidade a carcinogênicos.

A deficiência de vitamina1 A é considerada uma das causas da Síndrome26 Pré-Menstrual, sendo que a oleosidade da pele16 e a acne27 poderão ser controladas por ela.

Vitamina1 B6 (cloridrato de piridoxina): atua como coenzima em vários processos metabólicos envolvendo aminoácidos e neurotransmissores. Interage com complexos esteróide-receptores e melhora o metabolismo28 hepático dos estrógenos. Inibe a produção de prolactina29 e estimula a síntese de dopamina30. Sua deficiência pode provocar dermatite31 seborréica, estomatite32, glossite33, anemia sideroblástica34, convulsões, neurites35, diminuição de Norepinefrina e 5-hidroxitriptamina. Aumenta a conversão de ácidos graxos essenciais em PGE1. Em virtude de sua participação na síntese de dopamina30 e serotonina, a deficiência da piridoxina tem sido relatada como possível fator associado à etiologia36 da Síndrome26 Pré-Menstrual.

Vitamina1 E (acetato de tocoferol): é uma vitamina1 essencial na nutrição37. Acredita-se que o tocoferol inibe a formação de radicais livres e seu efeito nocivo sobre os lipídios das membranas celulares. A vitamina1 E previne a esclerose38 do colágeno39 e facilita a absorção e a utilização de vitamina1 A, protegendo contra a hipervitaminose A. Além disso, inibe a oxidação e reduz o estradiol. Altera o nível de androgênios e gonadotrofinas, e modula o equilíbrio estrogênio/ progesterona. A vitamina1 E induz a ativação do sistema opióide endógeno, melhorando alguns sintomas9 presentes, por exemplo no período pré-menstrual.

Portanto, a vitamina1 A, vitamina1 B6 e vitamina1 E poderão ser usadas no tratamento das displasias mamárias, onde ocorre um desequilíbrio na relação estrogênio/ progesterona. Esta utilização é devido à ação destas 3 vitaminas sobre a diferenciação epitelial e preservação do tecido conjuntivo40, além de atuar nos hormônios.

Indicações de Tensulan

Suplemento vitamínico e/ou mineral em dietas restritivas e inadequadas.

Contra-Indicações de Tensulan

Tensulan está contra indicado na gravidez2, pois existem relatos de teratogenicidade e embriotoxidade quando do uso da vitamina1 A, em doses superiores a 10.000 UI/dia durante a gestação. Está também contra-indicado na hipervitaminose A e na hipersensibilidade a quaisquer de seus componentes.

Precauções e advertências
Se durante o tratamento de mulheres na fase fértil da vida a menstruação4 não surgir, o uso de Tensulan deverá ser imediatamente descontinuado. Usar com cuidado em pacientes com insuficiência renal18 crônica.

Tensulan pode ser usado por pessoas acima de 65 anos de idade, desde que observadas as precauções comuns ao produto.

Interações Medicamentosas de Tensulan

Produtos à base de levodopa isolada têm sua eficácia terapêutica17 reduzida pela vitamina1 B6 , o mesmo não ocorrendo com aqueles produtos em que a levodopa é associada a um inibidor da descarboxilase. Os anticoncepcionais orais podem determinar níveis sangüíneos mais altos de vitamina1 A. O uso concomitante com colestiramina, óleo mineral, neomicina oral, aumenta a necessidade de vitamina1 A. Hidróxido de alumínio em doses elevadas diminui a absorção de vitamina1 A.

Reações Adversas de Tensulan

O uso de doses de vitamina1 A iguais ou superiores a 1.000.000 UI/dia, por três ou mais dias, pode provocar hipervitaminose aguda e a utilização de doses iguais ou superiores a 50.000 UI/dia por 12 ou mais meses, hipervitaminose crônica. A intoxicação pela vitamina1 A manifesta-se por alterações cutâneo41-mucosas42, perda de cabelo43, cefaléia44, pertubações neurológicas (insônia, irritabilidade, diplopia45), náuseas10, vômitos46, anorexia47, fenômenos hemorrágicos48, hipo ou hipermenorréia49, crises convulsivas, aumento da fotossensibilidade e dores articulares.

Posologia de Tensulan

1 cápsula ao dia, ingerida durante ou após as refeições. O tempo de tratamento é de dois a três meses.

Superdosagem de Tensulan

As reações adversas dependem fundamentalmente da superdosagem da vitamina1 A. Nesse caso suspender imediatamente a ingestão do medicamento. Como não existe tratamento específico, utilizar medidas sintomáticas. Alguns sinais50 e sintomas9 desaparecem em uma semana, outros podem persistir durante várias semanas ou meses.

Pacientes Idosos de Tensulan

Não existem recomendações específicas para pacientes51 acima de 65 anos de idade, desde que observadas as precauções e contra-indicações comuns ao produto.

M.S. 1.0155.0204 •  Farm. Resp.: Regina H. V. S. Marques / CRF-SP nº 6394
Marjan Indústria e Comércio Ltda •  Rua Gibraltar,165 •  Santo Amaro - São Paulo / SP •  CEP: 04755-070
TEL: (11) 5642-9888 •  CNPJ nº 60.726.692/0001-81

Siga corretamente o modo de usar, não desaparecendo os sintomas9, procure orientação médica.

TENSULAN - Laboratório

MARJAN
Rua Gibraltar, 165
São Paulo/SP - CEP: 04755-070
Tel: (11) 5642-9888

Ver outros medicamentos do laboratório "MARJAN"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
2 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
3 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
4 Menstruação: Sangramento cíclico através da vagina, que é produzido após um ciclo ovulatório normal e que corresponde à perda da camada mais superficial do endométrio uterino.
5 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
6 Parestesia: Sensação cutânea subjetiva (ex.: frio, calor, formigamento, pressão, etc.) vivenciada espontaneamente na ausência de estimulação.
7 Soro: Chama-se assim qualquer líquido de características cristalinas e incolor.
8 Neuropatia: Doença do sistema nervoso. As três principais formas de neuropatia em pessoas diabéticas são a neuropatia periférica, neuropatia autonômica e mononeuropatia. A forma mais comum é a neuropatia periférica, que afeta principalmente pernas e pés.
9 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
10 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
11 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
12 Inchaço: Inchação, edema.
13 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
14 Cabeça:
15 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
16 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
17 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
18 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
19 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
20 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
21 Retina: Parte do olho responsável pela formação de imagens. É como uma tela onde se projetam as imagens: retém as imagens e as traduz para o cérebro através de impulsos elétricos enviados pelo nervo óptico. Possui duas partes: a retina periférica e a mácula.
22 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
23 Hiperplasia: Aumento do número de células de um tecido. Pode ser conseqüência de um estímulo hormonal fisiológico ou não, anomalias genéticas no tecido de origem, etc.
24 Folículo: 1. Bolsa, cavidade em forma de saco. 2. Fruto simples, seco e unicarpelar, cuja deiscência se dá pela sutura que pode conter uma ou mais sementes (Ex.: fruto da magnólia).
25 Epitélios: Uma ou mais camadas de CÉLULAS EPITELIAIS, sustentadas pela lâmina basal, que recobrem as superfícies internas e externas do corpo.
26 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
27 Acne: Doença de predisposição genética cujas manifestações dependem da presença dos hormônios sexuais. As lesões começam a surgir na puberdade, atingindo a maioria dos jovens de ambos os sexos. Os cravos e espinhas ocorrem devido ao aumento da secreção sebácea associada ao estreitamento e obstrução da abertura do folículo pilosebáceo, dando origem aos comedões abertos (cravos pretos) e fechados (cravos brancos). Estas condições favorecem a proliferação de microorganismos que provocam a inflamação característica das espinhas, sendo o Propionibacterium acnes o agente infeccioso mais comumente envolvido.
28 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
29 Prolactina: Hormônio secretado pela adeno-hipófise. Estimula a produção de leite pelas glândulas mamárias. O aumento de produção da prolactina provoca a hiperprolactinemia, podendo causar alteração menstrual e infertilidade nas mulheres. No homem, gera impotência sexual (por prejudicar a produção de testosterona) e ginecomastia (aumento das mamas).
30 Dopamina: É um mediador químico presente nas glândulas suprarrenais, indispensável para a atividade normal do cérebro.
31 Dermatite: Inflamação das camadas superficiais da pele, que pode apresentar-se de formas variadas (dermatite seborreica, dermatite de contato...) e é produzida pela agressão direta de microorganismos, substância tóxica ou por uma resposta imunológica inadequada (alergias, doenças auto-imunes).
32 Estomatite: Inflamação da mucosa oral produzida por infecção viral, bacteriana, micótica ou por doença auto-imune. É caracterizada por dor, ardor e vermelhidão da mucosa, podendo depositar-se sobre a mesma uma membrana brancacenta (leucoplasia), ou ser acompanhada de bolhas e vesículas.
33 Glossite: Inflamação da mucosa que reveste a língua, produzida por infecção viral, radiação, carências nutricionais, etc.
34 Anemia sideroblástica: Anemia que ocorre quando há incapacidade de maturação das hemácias, apesar de número aumentado de precursores na medula óssea. A produção de hemoglobina está reduzida pela incapacidade de incorporação do heme à protoporfirina para formar hemoglobina, ocorrendo acúmulo de ferro. A avaliação da medula óssea mostra hiperplasia eritróide, aumento do ferro medular e sideroblastos (células com acúmulo de ferro nas mitocôndrias circundando o núcleo).
35 Neurites: Inflamação de um nervo. Pode manifestar-se por neuralgia, déficit sensitivo, formigamentos e/ou diminuição da força muscular, dependendo das características do nervo afetado (sensitivo ou motor). Esta inflamação pode ter causas infecciosas, traumáticas ou metabólicas.
36 Etiologia: 1. Ramo do conhecimento cujo objeto é a pesquisa e a determinação das causas e origens de um determinado fenômeno. 2. Estudo das causas das doenças.
37 Nutrição: Incorporação de vitaminas, minerais, proteínas, lipídios, carboidratos, oligoelementos, etc. indispensáveis para o desenvolvimento e manutenção de um indivíduo normal.
38 Esclerose: 1. Em geriatria e reumatologia, é o aumento patológico de tecido conjuntivo em um órgão, que ocorre em várias estruturas como nervos, pulmões etc., devido à inflamação crônica ou por razões desconhecidas. 2. Em anatomia botânica, é o enrijecimento das paredes celulares das plantas, por espessamento e/ou pela deposição de lignina. 3. Em fitopatologia, é o endurecimento anormal de um tecido vegetal, especialemnte da polpa dos frutos.
39 Colágeno: Principal proteína fibrilar, de função estrutural, presente no tecido conjuntivo de animais.
40 Tecido conjuntivo: Tecido que sustenta e conecta outros tecidos. Consiste de CÉLULAS DO TECIDO CONJUNTIVO inseridas em uma grande quantidade de MATRIZ EXTRACELULAR.
41 Cutâneo: Que diz respeito à pele, à cútis.
42 Mucosas: Tipo de membranas, umidificadas por secreções glandulares, que recobrem cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
43 Cabelo: Estrutura filamentosa formada por uma haste que se projeta para a superfície da PELE a partir de uma raiz (mais macia que a haste) e se aloja na cavidade de um FOLÍCULO PILOSO. É encontrado em muitas áreas do corpo.
44 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
45 Diplopia: Visão dupla.
46 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
47 Anorexia: Perda do apetite ou do desejo de ingerir alimentos.
48 Hemorrágicos: Relativo à hemorragia, ou seja, ao escoamento de sangue para fora dos vasos sanguíneos.
49 Hipermenorréia: Também chamada de menorragia, é a menstruação anormalmente longa e intensa em intervalos regulares. As causas podem ser: coagulação sangüínea anormal, desregulação hormonal do ciclo menstrual ou desordens do revestimento endometrial do útero. Dependendo da causa, a hipermenorréia pode estar associada à menstruação dolorosa (dismenorréia).
50 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
51 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
Artigos relacionados

Tem alguma dúvida sobre TENSULAN?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.