Preço de Lexapro em Fairfield/SP: R$ 67,08

Lexapro

LUNDBECK

Atualizado em 09/12/2014

Lexapro®

Escitalopram

Composição do Lexapro

Cada comprimido contém: Oxalato de escitalopram, equivalente a 10 mg de escitalopram base. Excipientes: Celulose microcristalina, sílica coloidal, talco, croscarmelose sódica, estearato de magnésio, hipromelose (revestimento), macrogol 400 (revestimento) e dióxido de titânio (coloração).

Indicações do Lexapro

É indicado no tratamento e prevenção da recaída ou recorrência1 da depressão. Tratamento do transtorno do pânico, com ou sem agorafobia2. Tratamento do transtorno de ansiedade generalizada (TAG). Tratamento do transtorno de ansiedade social (fobia3 social).

Contra-Indicações do Lexapro

Este medicamento é contra-indicado em crianças. É contra-indicado em pacientes que apresentam hipersensibilidade ao escitalopram ou a qualquer um de seus componentes. O tratamento concomitante com IMAOs (inibidores da monoaminoxidase4) é contra-indicado.

Modo de Uso do Lexapro

Os comprimidos do LEXAPRO® são administrados por via oral, uma única vez ao dia. Os comprimidos podem ser tomados em qualquer momento do dia, com ou sem alimentos. Engolir os comprimidos com água, sem mastigá-los.

Posologia do Lexapro

Tratamento da depressão e prevenção de recaídas: A dose usual é de 10 mg por dia. Dependendo da resposta individual do paciente, aumentar a dose até um máximo de 20 mg por dia. Geralmente são necessárias 2 a 4 semanas para se obter uma resposta antidepressiva. O tratamento de episódios de depressão exige, além da fase inicial, onde se objetiva a melhora sintomatológica, um tratamento de manutenção. Após o desaparecimento dos sintomas5 durante o tratamento inicial, é necessário o estabelecimento de um período de manutenção com duração de vários meses para a consolidação da resposta. Tratamento do transtorno do pânico com ou sem agorafobia2: Recomenda-se uma dose inicial de 5 mg/dia na primeira semana de tratamento, antes de aumentar a dose para 10 mg/dia, para evitar a ansiedade paradoxal6 que pode ocorrer nessa  população. Aumentar a dose, até um máximo de 20 mg/dia, dependendo da resposta individual do paciente. A eficácia máxima é atingida após aproximadamente 3 meses. O tratamento é de longa duração. Tratamento do transtorno de ansiedade generalizada (TAG): A dose usual é de 10 mg/dia. Dependendo da resposta individual, aumentar até um máximo de 20 mg/dia. Recomenda-se um tratamento pelo período de 3 meses para a consolidação da resposta. O tratamento de respondedores por um período de 6 meses pode ser utilizado para a prevenção de recaídas e deverá ser considerado como uma opção para alguns pacientes; os benefícios do tratamento com LEXAPROÒ devem ser reavaliados periodicamente. Tratamento do transtorno de ansiedade social (fobia3 social): A dose usual é de 10 mg/dia. Dependendo da resposta individual, decrescer a dose para 5 mg/dia ou aumentar até um máximo de 20 mg/dia. Para o alívio dos sintomas5 são necessárias de 2 a 4 semanas de tratamento, geralmente. Recomenda-se tratar por um período de 3 meses para a consolidação da resposta. Um tratamento de longo prazo para os respondedores deve ser considerado para a prevenção de recaída. Pacientes idosos (> 65 anos de idade): Considerar um tratamento inicial com metade da dose normalmente recomendada e uma dose máxima mais baixa. Crianças e adolescentes (< 18 anos): O tratamento não é recomendado, pois a segurança e a eficácia não foram estabelecidas nesta população. Função renal7 reduzida: Não é necessário o ajuste da dose em pacientes com disfunção renal7 leve ou moderada. Não existem dados em pacientes com a função renal7 gravemente reduzida (clearance de creatinina8 < 30 ml/min), recomenda-se cautela nesses casos. Função hepática9 reduzida: Recomenda-se uma dose inicial de 5 mg/dia durante as duas primeiras semanas de tratamento. Dependendo da resposta individual de cada paciente, aumentar para 10 mg/dia. Pacientes com problemas na metabolização pela CYP2C19: Para os pacientes com conhecidos problemas de metabolização pela isoenzima CYP2C19 recomenda-se uma dose inicial de 5 mg/dia durante as duas primeiras semanas de tratamento. Dependendo da resposta individual de cada paciente, aumentar a dose para 10 mg/dia. Duração do tratamento: A duração do tratamento varia de indivíduo para indivíduo, mas geralmente tem duração mínima de aproximadamente 6 meses. Pode ser necessário um tratamento mais prolongado. A doença latente pode persistir por um longo período de tempo; portanto, ao interromper o tratamento precocemente os sintomas5 podem voltar. Descontinuação: Ao interromper o tratamento com LEXAPRO® reduzir gradualmente a dose durante um período de uma ou duas semanas, para evitar possíveis sintomas5 de descontinuação. Esquecimento da dose: A meia-vida de LEXAPRO® é de aproximadamente 30 horas, fato que associado a obtenção da concentração de estado de equilíbrio após o período de 5 meias-vidas permite que o esquecimento da ingestão da dose diária possa ser contornado com a simples supressão daquela dose, retomando no dia seguinte a prescrição usual.

Reações Adversas do Lexapro

Os efeitos adversos são mais freqüentes durante a primeira ou segunda semana de tratamento e, geralmente, diminuem de intensidade e freqüência durante a sua continuação. Após um período de administração prolongada, a interrupção abrupta do tratamento com ISRSs pode causar sintomas5 de descontinuação em alguns pacientes. Embora os sintomas5 de descontinuação possam ocorrer com a interrupção do tratamento, as evidências clínicas e pré-clínicas disponíveis sugerem que os ISRSs não causam dependência. Efeitos adversos possíveis: náusea10, sinusite11  congestão nasal, coriza12, inapetência13, insônia inicial, sonolência, tonturas14, bocejos, diarréia15, constipação16 intestinal, sudorese17 aumentada, disfunções sexuais (retardo ejaculatório, disfunção erétil, diminuição da libido18 e anorgasmina em  mulheres), cansaço, febre19, insônia e alteração no paladar20. As seguintes reações ocorreram com mais freqüência com LEXAPRO®, comparado ao placebo21, em estudos controlados (as freqüências listadas não estão corrigidas pelo placebo21): Distúrbios do metabolismo22 e da nutrição23: Freqüência > 1% e < 10%: Diminuição do apetite. Distúrbios psiquiátricos: Freqüência > 1% e < 10%: Diminuição da libido18, anorgasmia24. Distúrbios do sistema nervoso25: Freqüência > 1% e < 10%: Insônia, sonolência, tontura26; freqüência > 0,1% e < 1%: alterações do paladar20 e do sono. Distúrbios respiratórios, torácicos e do mediastino27: Freqüência > 1% e < 10%: Sinusite11, bocejo. Distúrbios gastrintestinais: Freqüência > 10%: Náuseas28; freqüência > 1% e < 10%: diarréia15, constipação16 intestinal. Distúrbios dermatológicos e do tecido subcutâneo29: Freqüência > 1% e < 10%: Aumento da sudorese17. Distúrbios do sistema reprodutor e mamário: Freqüência > 1% e < 10%: Distúrbio de ejaculação30, impotência31. Distúrbios gerais e problemas no local da administração: Freqüência > 1% e < 10%: Fadiga32, febre19. As seguintes reações adversas aplicam-se à classe terapêutica33 dos ISRSs: Distúrbios cardiovasculares: Hipotensão34 postural. Distúrbios do metabolismo22 e da nutrição23: Hiponatremia35, secreção inadequada de ADH. Distúrbios oculares: Visão36 anormal. Distúrbios gastrintestinais: Náusea10, vômito37, boca38 seca, diarréia15, anorexia39. Reações anafiláticas40; distúrbios hepatobiliares41: Testes anormais da função hepática9. Distúrbios musculoesqueléticos: Artralgia42, mialgia43. Distúrbios neurológicos: Convulsões, tremores, distúrbios motores, tontura26, síndrome serotoninérgica44. Distúrbios psiquiátricos: Alucinações45, mania, confusão, agitação, ansiedade, despersonalização, ataques de pânico, nervosismo, insônia, fadiga32, sonolência. Distúrbios do aparelho reprodutor: Galactorréia46, disfunções sexuais. Distúrbios da pele47: Rash48 cutâneo49, equimose50, prurido51, angioedema52, sudorese17.

Apresentação do Lexapro

Comprimidos revestidos: Caixa de cartolina contendo 1 ou 2 cartelas com 14 comprimidos cada.


Venda Sob Prescrição Médica.

Só pode ser vendido com retenção da receita.

Fabricado e embalado por: H. Lundbeck A/S - Copenhague, Dinamarca.

Central de Atendimento: 0800-2824445.

Registro no M.S. 1.0475.0044.005-2.

Registro no M.S. 1.0475.0044.006-0.

Importado e distribuído por:

LUNDBECK Brasil Ltda.

Lexapro - Laboratório

LUNDBECK
RUA LAURO MULLER, 116, 22º ANDAR, SALA 2202 - BOTAFOGO
RIO DE JANEIRO/RJ - CEP: 22290-160
Tel: 0800 282 44 45
Fax: 21 2543-0397
Email: smp@lundbeck.com
Site: http://www.lundbeck.com

Ver outros medicamentos do laboratório "LUNDBECK"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Recorrência: 1. Retorno, repetição. 2. Em medicina, é o reaparecimento dos sintomas característicos de uma doença, após a sua completa remissão. 3. Em informática, é a repetição continuada da mesma operação ou grupo de operações. 4. Em psicologia, é a volta à memória.
2 Agorafobia: Estado de medo mórbido de se achar sozinho em grandes espaços abertos ou de atravessar lugares públicos. Também conhecida como cenofobia.
3 Fobia: Medo exagerado, falta de tolerância, aversão.
4 Inibidores da monoaminoxidase: Tipo de antidepressivo que inibe a enzima monoaminoxidase (ou MAO), hoje usado geralmente como droga de terceira linha para a depressão devido às restrições dietéticas e ao uso de certos medicamentos que seu uso impõe. Deve ser considerada droga de primeira escolha no tratamento da depressão atípica (com sensibilidade à rejeição) ou agente útil no distúrbio do pânico e na depressão refratária. Pode causar hipotensão ortostática e efeitos simpaticomiméticos tais como taquicardia, suores e tremores. Náusea, insônia (associada à intensa sonolência à tarde) e disfunção sexual são comuns. Os efeitos sobre o sistema nervoso central incluem agitação e psicoses tóxicas. O término da terapia com inibidores da MAO pode estar associado à ansiedade, agitação, desaceleração cognitiva e dor de cabeça, por isso sua retirada deve ser muito gradual e orientada por um médico psiquiatra.
5 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
6 Paradoxal: Que contém ou se baseia em paradoxo(s), que aprecia paradoxo(s). Paradoxo é o pensamento, proposição ou argumento que contraria os princípios básicos e gerais que costumam orientar o pensamento humano, ou desafia a opinião consabida, a crença ordinária e compartilhada pela maioria. É a aparente falta de nexo ou de lógica; contradição.
7 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
8 Creatinina: Produto residual das proteínas da dieta e dos músculos do corpo. É excretada do organismo pelos rins. Uma vez que as doenças renais progridem, o nível de creatinina aumenta no sangue.
9 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
10 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
11 Sinusite: Infecção aguda ou crônica dos seios paranasais. Podem complicar o curso normal de um resfriado comum, acompanhando-se de febre e dor retro-ocular.
12 Coriza: Inflamação da mucosa das fossas nasais; rinite, defluxo.
13 Inapetência: Ausência de apetite, de vontade de comer; anorexia. Por extensão de sentido, é a falta de desejo ou de vontade.
14 Tonturas: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
15 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
16 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
17 Sudorese: Suor excessivo
18 Libido: Desejo. Procura instintiva do prazer sexual.
19 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
20 Paladar: Paladar ou sabor. Em fisiologia, é a função sensorial que permite a percepção dos sabores pela língua e sua transmissão, através do nervo gustativo ao cérebro, onde são recebidos e analisados.
21 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
22 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
23 Nutrição: Incorporação de vitaminas, minerais, proteínas, lipídios, carboidratos, oligoelementos, etc. indispensáveis para o desenvolvimento e manutenção de um indivíduo normal.
24 Anorgasmia: Ausência de orgasmo ou incapacidade para obtê-lo.
25 Sistema nervoso: O sistema nervoso é dividido em sistema nervoso central (SNC) e o sistema nervoso periférico (SNP). O SNC é formado pelo encéfalo e pela medula espinhal e a porção periférica está constituída pelos nervos cranianos e espinhais, pelos gânglios e pelas terminações nervosas.
26 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
27 Mediastino: Região anatômica do tórax onde se localizam diversas estruturas, dentre elas o coração.
28 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
29 Tecido Subcutâneo: Tecido conectivo frouxo (localizado sob a DERME), que liga a PELE fracamente aos tecidos subjacentes. Pode conter uma camada (pad) de ADIPÓCITOS, que varia em número e tamanho, conforme a área do corpo e o estado nutricional, respectivamente.
30 Ejaculação: 1. Ato de ejacular. Expulsão vigorosa; forte derramamento (de líquido); jato. 2. Em fisiologia, emissão de esperma pela uretra no momento do orgasmo. 3. Por extensão de sentido, qualquer emissão. 4. No sentido figurado, fartura de palavras; arrazoado.
31 Impotência: Incapacidade para ter ou manter a ereção para atividades sexuais. Também chamada de disfunção erétil.
32 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
33 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
34 Hipotensão: Pressão sanguínea baixa ou queda repentina na pressão sanguínea. A hipotensão pode ocorrer quando uma pessoa muda rapidamente de uma posição sentada ou deitada para a posição de pé, causando vertigem ou desmaio.
35 Hiponatremia: Concentração de sódio sérico abaixo do limite inferior da normalidade; na maioria dos laboratórios, isto significa [Na+] < 135 meq/L, mas o ponto de corte [Na+] < 136 meq/L também é muito utilizado.
36 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
37 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
38 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
39 Anorexia: Perda do apetite ou do desejo de ingerir alimentos.
40 Reações anafiláticas: É um tipo de reação alérgica sistêmica aguda. Esta reação ocorre quando a pessoa foi sensibilizada (ou seja, quando o sistema imune foi condicionado a reconhecer uma substância como uma ameaça ao organismo). Na segunda exposição ou nas exposições subseqüentes, ocorre uma reação alérgica. Essa reação é repentina, grave e abrange o corpo todo. O sistema imune libera anticorpos. Os tecidos liberam histamina e outras substâncias. Esse mecanismo causa contrações musculares, constrição das vias respiratórias, dificuldade respiratória, dor abdominal, cãimbras, vômitos e diarréia. A histamina leva à dilatação dos vasos sangüíneos (que abaixa a pressão sangüínea) e o vazamento de líquidos da corrente sangüínea para os tecidos (que reduzem o volume de sangue) o que provoca o choque. Ocorrem com freqüência a urticária e o angioedema - este angioedema pode resultar na obstrução das vias respiratórias. Uma anafilaxia prolongada pode causar arritmia cardíaca.
41 Hepatobiliares: Diz-se do que se refere ao fígado e às vias biliares.
42 Artralgia: Dor em uma articulação.
43 Mialgia: Dor que se origina nos músculos. Pode acompanhar outros sintomas como queda no estado geral, febre e dor de cabeça nas doenças infecciosas. Também pode estar associada a diferentes doenças imunológicas.
44 Síndrome serotoninérgica: Síndrome serotoninérgica ou síndrome da serotonina é caracterizada por uma tríade de alterações do estado mental (ansiedade, agitação, confusão mental, hipomania, alucinações e coma), das funções motoras (englobando tremores, mioclonias, hipertonia, hiperreflexia e incoordenação) e do sistema nervoso autônomo (febre, sudorese, náuseas, vômitos, diarreia e hipertensão). Ela pode ter causas diversas, mas na maioria das vezes ocorre por uma má interação medicamentosa, quando dois ou mais medicamentos que elevam a neurotransmissão serotoninérgica por meio de distintos mecanismos são utilizados concomitantemente ou em overdose.
45 Alucinações: Perturbações mentais que se caracterizam pelo aparecimento de sensações (visuais, auditivas, etc.) atribuídas a causas objetivas que, na realidade, inexistem; sensações sem objeto. Impressões ou noções falsas, sem fundamento na realidade; devaneios, delírios, enganos, ilusões.
46 Galactorréia: Secreção mamária anormal de leite fora do período de amamentação. Pode ser produzida por distúrbios hormonais ou pela ação de medicamentos.
47 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
48 Rash: Coloração avermelhada da pele como conseqüência de uma reação alérgica ou infecção.
49 Cutâneo: Que diz respeito à pele, à cútis.
50 Equimose: Mancha escura ou azulada devido à infiltração difusa de sangue no tecido subcutâneo. A maioria aparece após um traumatismo, mas pode surgir espontaneamente em pessoas que apresentam fragilidade capilar ou alguma coagulopatia. Após um período de tempo variável, a equimose desaparece passando por diferentes gradações: violácea, acastanhada, esverdeada e amarelada.
51 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
52 Angioedema: Caracteriza-se por áreas circunscritas de edema indolor e não-pruriginoso decorrente de aumento da permeabilidade vascular. Os locais mais acometidos são a cabeça e o pescoço, incluindo os lábios, assoalho da boca, língua e laringe, mas o edema pode acometer qualquer parte do corpo. Nos casos mais avançados, o angioedema pode causar obstrução das vias aéreas. A complicação mais grave é o inchaço na garganta (edema de glote).

Tem alguma dúvida sobre Lexapro?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.