CALSYNAR

Sanofi Aventis Farmacêutica Ltda

Atualizado em 03/06/2015

Composição do Calsynar

Intranasal: cada frasco contém 0,1 ml dasolução correspondente a uma dose de 100 UI de Calcitonina1 sintética de salmão. Cada dose contém: calcitonina1 sintética de salmão 100 UI. Excipientes q.s.p. 1 dose. Excipientes: citrato de sódio diidratado, ácido cítrico monoidratado, edetato de sódio, cloreto de benzalcônio, ácido clorídrico2, hidróxido de sódio e água para injetáveis. Solução injetável estéril: cada seringa3 com 0,5 ml de solução contém 50 UI de calcitonina1. Cada seringa3 com 1,0 ml de solução contém 100 UI de calcitonina1. Cada seringa3 de 50 UI contém: calcitonina1 sintética de salmão 50 UI. Excipientes q.s.p. 1 seringa3. Excipientes: acetato de sódio, cloreto de sódio, ácido acético, água para injeção4. Cada seringa3 de 100 UI contém: calcitonina1 sintética de salmão 100 UI. Excipientes q.s.p. 1 seringa3. Excipientes: acetato de sódio, cloreto de sódio, ácido acético, água para injeção4.

Posologia e Administração do Calsynar

(doses máximas e mínimas): doença de Paget: Calsynar Solução: são usados esquemas posológicos que vão de 50 unidades, 3 vezes por semana, a 100 unidades diariamente, em dose única ou fracionada. Recomenda-se a aplicação de injeções diárias de 50 a 100 unidades, durante 3 a 6 meses, em pacientes com dores ósseas ou com síndrome5 de compressão de nervos. A melhora clínica é geralmente observada dentro de 3 meses, podendo, em alguns casos, ocorrer somente em um ano. Quando se constatar a melhora clínica, deve ser tentada a redução das doses, ou da sua freqüência, considerando a manutenção da remissão. O tratamento poderá ser suspenso e restabelecido posteriormente, quando necessário. Calsynar Intranasal: são usados esquemas posológicos que vão de 100 unidades 3 vezes por semana, a 100 unidades diariamente em dose única. Osteoporose6 pós- menopausa7: 100 UI/dia, associadas a suplementação8 de cálcio (1 g a 1,5 g/dia) e vitamina9 D. Hipercalcemia de etiologias diversas: Calsynar Solução: dose inicial de 4 UI/kg de peso a cada 12 horas. Após 1 e 2 dias sem resposta satisfatória, pode-se aumentar para um máximo de 8 UI/kg de peso, a cada 12 horas. Nos casos mais graves, são recomendadas doses aproximadas de 8 UI/kg de peso a cada 6 ou 8 horas. Doses superiores a 8 UI/kg de peso não parecem trazer qualquer benefício. Calsynar Intranasal: 200 a 400 UI diariamente, em doses divididas. Dor óssea associada com osteoporose6: Calsynar Solução: 50-100 UI por dia, ou em dias alternados, administrado como injeção intramuscular10 ou subcutânea11. Calsynar Intranasal: 100 a 200 UI por dia ou em dias alternados. Em casos de não tolerância à calcitonina1 injetável, a posologia de 100 UI por via intranasal é melhor tolerada do que 100 UI por via injetável.

Precauções do Calsynar

o uso de calcitonina1 tem provocado novos distúrbios ósseos em crianças com doença de Paget, na adolescência (hiperfosfatasemia). A segurança e eficácia do produto, em crianças, ainda não foram estabelecidas. Se ocorrer gravidez12, durante o tratamento com Calsynar, este deverá ser suspenso e o médico avisado imediatamente. Calsynar Solução destina-se à aplicação intramuscular ou subcutânea11. Calsynar Intranasal destina-se, exclusivamente, à aplicação intranasal. O produto deverá ser usado sob prescrição médica. - Interações medicamentosas: nenhuma interação conhecida. Posologias muito elevadas de calcitonina1 foram, às vezes, utilizadas (10.000 UI/dia) sem que se tenha notado incidentes13 de superdosagem.

Reações Adversas do Calsynar

a calcitonina1, em casos raros e de maneira transitória, pode causar náuseas14, vômitos15, rubor facial, formigamento das mãos16 e paladar17 desagradável. Esses sintomas18 melhoram com a continuação do tratamento, não requerendo a sua suspensão. Podem surgir, ocasionalmente, hipertensão arterial19, aumento da freqüência urinária, poliúria20, mal-estar e astenia21. Há relato de casos isolados de sintomas18 de tetania22 ou hipocalcemia23 transitória sem importância clínica. Podem ocorrer reações de hipersensibilidade com o uso da calcitonina1, como reação no local da aplicação, erupções da pele24, urticária25, prurido26, febre27, calafrios28 e arrepios. Existe o risco de reações alérgicas anafilactóides, incluindo choque29, angioedema30 e dispnéia31. Têm sido relatados, embora raramente, casos de reação no local da injeção4.

Contra-Indicações do Calsynar

o emprego de Calsynar é contra-indicado em paciente com hipersensibilidade ao uso de calcitonina1. Não foram realizadas pesquisas com Calsynar em mulheres grávidas. Por esse motivo, recomenda-se não usar o produto em qualquer das fases da gravidez12, bem como nas mulheres que estiverem amamentando.

Indicações do Calsynar

osteoporose6 pós-menopausa7: estudos baseados na determinação do cálcio orgânico total indicaram ser o Calsynar eficiente na prevenção da perda progressiva da massa óssea; no tratamento da osteoporose6 pós-menopausa7, associado a uma ingestão adequada de vitamina9 D e suplementação8 de cálcio. Doença de Paget: demonstrou-se que o tratamento é útil tanto para dor óssea, quanto para as síndromes de compressão nervosa devidas à doença da coluna vertebral32 e/ou crânio33, e também para as hipercalcemias de imobilização. Hipercalcemia: Calsynar, associado a outros agentes é indicado no tratamento precoce das emergências hipercalcêmicas, enquanto não se estabelece a terapia específica da doença básica. A ação hipocalcemiante da calcitonina1 é usualmente rápida, sendo maior na hipercalcemia devida a uma reciclagem óssea aumentada, como a da doença de Paget e da tireotoxicose. O tratamento é útil também na hipercalcemia da neoplasia34 maligna, intoxicações por Vitamina9 D, imobilização e hiperparatireoidismo. A calcitonina1 é particularmente útil em pacientes hipercalcêmicos com insuficiência renal35 ou cardíaca concomitante.

Apresentação do Calsynar

caixa com 7 frascos de 0,1 ml de solução nasal a 100 UI/ml. Caixa com 5 seringas preenchidas de 0,5 ml e 1,0 ml (prontas para uso).


CALSYNAR - Laboratório

Sanofi Aventis Farmacêutica Ltda
Rua Conde Domingos Papais, 413
Suzano/SP - CEP: 08613-010
Site: http://www.sanofi-aventis.com.br
C.N.P.J. 02.685.377/0008-23 - Indústria Brasileira

Ou

Sanofi Aventis Farmacêutica Ltda
Av Brasil, 22.155- Rio de Janeiro - RJ
CNPJ 02.685.377/0019-86 - Indústria Brasileira
Atendimento ao Consumidor 0800-703-0014
www.sanofi-aventis.com.br

Ver outros medicamentos do laboratório "Sanofi Aventis Farmacêutica Ltda"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Calcitonina: Hormônio secretado pela glândula tireoide que inibe a perda de cálcio dos ossos.
2 Ácido clorídrico: Ácido clorídrico ou ácido muriático é uma solução aquosa, ácida e queimativa, normalmente utilizado como reagente químico. É um dos ácidos que se ioniza completamente em solução aquosa.
3 Seringa: Dispositivo usado para injetar medicações ou outros líquidos nos tecidos do corpo. A seringa de insulina é formada por um tubo plástico com um êmbolo e uma agulha pequena na ponta.
4 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
5 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
6 Osteoporose: Doença óssea caracterizada pela diminuição da formação de matriz óssea que predispõe a pessoa a sofrer fraturas com traumatismos mínimos ou mesmo na ausência deles. É influenciada por hormônios, sendo comum nas mulheres pós-menopausa. A terapia de reposição hormonal, que administra estrógenos a mulheres que não mais o produzem, tem como um dos seus objetivos minimizar esta doença.
7 Menopausa: Estado fisiológico caracterizado pela interrupção dos ciclos menstruais normais, acompanhada de alterações hormonais em mulheres após os 45 anos.
8 Suplementação: Que serve de suplemento para suprir o que falta, que completa ou amplia.
9 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
10 Injeção intramuscular: Injetar medicamento em forma líquida no músculo através do uso de uma agulha e seringa.
11 Subcutânea: Feita ou situada sob a pele; hipodérmica.
12 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
13 Incidentes: 1. Que incide, que sobrevém ou que tem caráter secundário; incidental. 2. Acontecimento imprevisível que modifica o desenrolar normal de uma ação. 3. Dificuldade passageira que não modifica o desenrolar de uma operação, de uma linha de conduta.
14 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
15 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
16 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
17 Paladar: Paladar ou sabor. Em fisiologia, é a função sensorial que permite a percepção dos sabores pela língua e sua transmissão, através do nervo gustativo ao cérebro, onde são recebidos e analisados.
18 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
19 Hipertensão arterial: Aumento dos valores de pressão arterial acima dos valores considerados normais, que no adulto são de 140 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 85 milímetros de pressão diastólica.
20 Poliúria: Diurese excessiva, pode ser um sinal de diabetes.
21 Astenia: Sensação de fraqueza, sem perda real da capacidade muscular.
22 Tetania: Espasmos e contraturas dos músculos das mãos e pés, e menos freqüentemente dos músculos da face, da laringe (cordas vocais) e da coluna vertebral. Inicialmente, são indolores; mas tendem a tornar-se cada vez mais dolorosos. É um sintoma de alterações bioquímicas do corpo humano e não deve ser confundida com o tétano, que é uma infecção. A causa mais comum é a hipocalcemia (nível baixo de cálcio no sangue). Outras causas incluem hipocalemia (nível baixo de potássio no sangue), hiperpnéia (frequência respiratória anormalmente profunda e rápida, levando a baixos níveis de dióxido de carbono), ou mais raramente de hipoparatiroidismo (atividade diminuída das glândulas paratiróides). Recentemente, considera-se que a hipomagnesemia (nível baixo de magnésio no sangue) é também um dos fatores causais desta situação clínica.
23 Hipocalcemia: É a existência de uma fraca concentração de cálcio no sangue. A manifestação clínica característica da hipocalcemia aguda é a crise de tetania.
24 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
25 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
26 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
27 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
28 Calafrios: 1. Conjunto de pequenas contrações da pele e dos músculos cutâneos ao longo do corpo, muitas vezes com tremores fortes e palidez, que acompanham uma sensação de frio provocada por baixa temperatura, má condição orgânica ou ainda por medo, horror, nojo, etc. 2. Sensação de frio e tremores fortes, às vezes com bater de dentes, que precedem ou acompanham acessos de febre.
29 Choque: 1. Estado de insuficiência circulatória a nível celular, produzido por hemorragias graves, sepse, reações alérgicas graves, etc. Pode ocasionar lesão celular irreversível se a hipóxia persistir por tempo suficiente. 2. Encontro violento, com impacto ou abalo brusco, entre dois corpos. Colisão ou concussão. 3. Perturbação brusca no equilíbrio mental ou emocional. Abalo psíquico devido a uma causa externa.
30 Angioedema: Caracteriza-se por áreas circunscritas de edema indolor e não-pruriginoso decorrente de aumento da permeabilidade vascular. Os locais mais acometidos são a cabeça e o pescoço, incluindo os lábios, assoalho da boca, língua e laringe, mas o edema pode acometer qualquer parte do corpo. Nos casos mais avançados, o angioedema pode causar obstrução das vias aéreas. A complicação mais grave é o inchaço na garganta (edema de glote).
31 Dispnéia: Falta de ar ou dificuldade para respirar caracterizada por respiração rápida e curta, geralmente está associada a alguma doença cardíaca ou pulmonar.
32 Coluna vertebral:
33 Crânio: O ESQUELETO da CABEÇA; compreende também os OSSOS FACIAIS e os que recobrem o CÉREBRO. Sinônimos: Calvaria; Calota Craniana
34 Neoplasia: Termo que denomina um conjunto de doenças caracterizadas pelo crescimento anormal e em certas situações pela invasão de órgãos à distância (metástases). As neoplasias mais frequentes são as de mama, cólon, pele e pulmões.
35 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.

Tem alguma dúvida sobre CALSYNAR?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.