Entecavir Monoidratado (Comprimido 0,5 mg)

FUNDAÇÃO EZEQUIEL DIAS - FUNED

Atualizado em 09/09/2020

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

entecavir monoidratado
Comprimido 0,5 mg
Medicamento Genérico, Lei nº 9,787, de 1999.

FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO:

Comprimido revestido
Frascos contendo 30 comprimidos

USO ORAL
USO ADULTO E ADOLESCENTE ACIMA DE 16 ANOS

COMPOSIÇÃO:

Cada comprimido contém:

entecavir monoidratado (equivalente a 0,5 mg de entecavir) 0,5325 mg
excipiente q.s.p. 1 comprimido

Excipientes: lactose monoidratada, celulose microcristalina, crospovidona, povidona, estearato de magnésio, dióxido de titânio, hipromelose, macrogol.

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

Entecavir monoidratado é indicado para o tratamento de infecção crônica pelo vírus da hepatite B (VHB) em adultos com evidência da multiplicação do vírus e também com evidência de elevações persistentes das aminotransferases séricas ALT (alanina aminotransferase) e AST (aspartato aminotransferase sérico) - enzimas produzidas pelo fígado – ou doença histologicamente ativa (alteração na estrutura celular do fígado).

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

Entecavir monoidratado é um medicamento utilizado para o tratamento de adultos com infecção crônica pelo vírus da hepatite B (VHB). Esse medicamento pode diminuir a quantidade de VHB no corpo, podendo diminuir a habilidade do vírus para multiplicar-se e infectar novas células do fígado. A terapia com entecavir monoidratado também pode melhorar a condição do seu fígado.

É importante permanecer sob o cuidado do seu médico enquanto utiliza o medicamento.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Você não deve utilizar entecavir monoidratado se for alérgico ao entecavir ou a qualquer componente da formulação.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica.

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Atenção: o tratamento com entecavir monoidratado não diminui o risco de transmissão do VHB para outras pessoas por meio da relação sexual, compartilhamento de agulhas ou exposição ao sangue. Converse com seu médico sobre prática de relações sexuais seguras para proteger o (a) seu (ua) parceiro (a). Nunca compartilhe agulhas. Não divida itens pessoais que possam conter sangue ou fluidos corpóreos, como escovas de dente ou lâminas de barbear.

Exacerbações da hepatite após descontinuação do tratamento

Exacerbações agudas de hepatite foram relatadas em pacientes que descontinuaram o tratamento para hepatite B, incluindo a terapia com entecavir monoidratado. Pode ocorrer piora da condição hepática se você descontinuar a terapia com esse medicamento.

Pacientes coinfectados com HIV

Entecavir monoidratado não foi avaliado em pacientes coinfectados por HIV e VHB que não estivessem recebendo, simultaneamente, algum tipo de tratamento para HIV. Avise seu médico se você tem ou contraiu HIV. Se você estiver utilizando entecavir monoidratado para tratar hepatite B crônica e não está utilizando outros medicamentos para o HIV ao mesmo tempo, a atividade futura dos tratamentos para HIV pode ser reduzida. Aconselhamos que você realize um teste de HIV antes de começar o tratamento com entecavir monoidratado e a qualquer momento após você ter tido chance de estar exposto ao HIV. Entecavir monoidratado não lhe auxiliará na infecção por HIV.

Acidose láctica e hepatotoxicidade

Acidose láctica (distúrbio que leva a acidificação do sangue) e hepatomegalia (fígado com o tamanho aumentado) grave com esteatose (gordura no fígado), incluindo casos fatais, foram relatadas com o uso de nucleosídeos análogos isolados ou em combinação com antirretrovirais.

Alguns pacientes que utilizam medicamentos como o entecavir monoidratado podem apresentar uma condição séria chamada acidose láctica, que deve ser tratada no hospital. Procure o seu médico caso você apresente algum dos seguintes sinais de acidose láctica: fraqueza, cansaço, dor muscular incomum, problema respiratório, dor de estômago acompanhada de náusea e vômito, frio especialmente nos braços e pernas, tontura, batimento rápido ou irregular do coração. Alguns pacientes podem também desenvolver problemas sérios de fígado chamados de hepatotoxicidade com aumento do fígado (hepatomegalia) e gordura no fígado (esteatose). Procure o seu médico caso você apresente algum dos seguintes sinais de problemas no fígado: pele ou olhos amarelados (icterícia), urina escura, não sentir vontade de comer por alguns dias, sentir náusea e dor abdominal baixa.

Populações especiais

Pacientes com insuficiência renal: Fale para o seu médico se você tem insuficiência renal. Você pode precisar de um ajuste da dose de entecavir monoidratado.

Pacientes que receberam transplante de fígado: Antes de iniciar a terapia com entecavir monoidratado e durante a terapia, o paciente que recebeu transplante de fígado e está sob tratamento com ciclosporina ou tacrolimo deve ter a função renal cuidadosamente avaliada.

Uso pediátrico: A segurança e a eficácia de entecavir em pacientes com menos de 16 anos de idade não foram estabelecidas.

Gravidez e Lactação

Não se sabe se o uso de entecavir monoidratado é seguro durante a gravidez.

Entecavir monoidratado deve ser utilizado durante a gravidez apenas se o benefício justificar o risco em potencial ao feto.

Não há dados em relação ao efeito que entecavir pode causar na transmissão de VHB da mãe à criança. Portanto, devem-se fazer as intervenções apropriadas para prevenir a infecção do bebê pelo VHB.

Não é conhecido se entecavir é excretado no leite humano. A amamentação não é recomendada em pacientes em tratamento com entecavir monoidratado.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica.

Informações importantes sobre um dos componentes do medicamento

Este medicamento contém LACTOSE.

Interações medicamentosas

Medicamentos: Como entecavir é predominantemente eliminado pelos rins, o uso de medicamentos que reduzem a função renal ou que competem por secreção tubular ativa, juntamente com entecavir monoidratado, pode aumentar as concentrações desses medicamentos no sangue. A coadministração do entecavir monoidratado com lamivudina, adefovir dipivoxila ou fumarato de tenofovir desoproxila não resultou em significante interação medicamentosa. Os efeitos que estas associações podem resultar não foram avaliados. Os pacientes que estiverem utilizando associações desses medicamentos devem ser cuidadosamente acompanhados.

Alimentos: A presença de alimentos diminui a absorção de entecavir.

Informe ao seu médico se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Cuidados de conservação

Conservar o medicamento em temperatura ambiente (15°C a 30°C), proteger da umidade.

Após aberto, mantenha o frasco bem fechado.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Características físicas e organolépticas

Comprimido revestido, de cor branca, circular, biconvexo,isento de material estranho.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Entecavir monoidratado deve ser administrado oralmente, com estômago vazio (ou seja, pelo menos duas horas após as refeições ou duas horas antes da próxima refeição).

Para segurança e eficácia desta apresentação, o entecavir monoidratado não deve ser administrado por vias não recomendadas. A administração deve ser somente pela via oral.

POSOLOGIA

Doença hepática compensada: 

A dose recomendada de entecavir monoidratado para infecção crônica pelo vírus da hepatite B em pacientes adultos e adolescentes de 16 anos ou mais, virgens de tratamento por nucleosídeos, é de 0,5 mg (1 comprimido de 0,5 mg), uma vez ao dia.
A dose recomendada de entecavir monoidratado para pacientes adultos e adolescentes de 16 anos ou mais, com história de viremia durante a terapia com lamivudina ou com presença de mutações de resistência à lamivudina ou telbivudina, é de 1 mg, uma vez ao dia.

Doença hepática descompensada

A dose recomendada de entecavir monoidratado para infecção crônica pelo vírus da hepatite B em adultos e adolescentes de 16 anos ou mais, com doença hepática descompensada, é de 1 mg, uma vez ao dia.

Populações especiais

Pacientes com insuficiência renal: Se você apresentar insuficiência renal (depuração de creatinina menor que 50 mL/min), seumédico pode indicar um ajuste de dose. Seu médico também pode indicar ajuste de dose se você estiver fazendo hemodiálise ou diálise peritoneal ambulatorial contínua (DPAC). O ajuste de dose deve ser realizado de acordo com o resultado do seu exame de depuração de creatinina.

Pacientes com insuficiência hepática: Não é necessário nenhum ajuste de dose para pacientes com insuficiência hepática.

Pacientes pediátricos e adolescentes: A segurança e a eficácia de entecavir em pacientes com menos de 16 anos de idade não foram estabelecidas.

Pacientes geriátricos: Nenhum ajuste de dose é necessário em função da idade.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Este medicamento não deve ser partido, aberto ou mastigado.

O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Caso você se esqueça de tomar entecavir monoidratado, tome assim que lembrar e a próxima dose deve ser tomada no horário habitual. Caso esteja perto do horário da próxima dose, pule a dose que foi esquecida. Não tome duas doses ao mesmo tempo.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou do seu médico.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

Em dois estudos clínicos, entre os pacientes tratados com entecavir monoidratado que nunca receberam terapia com nucleosídeos (entecavir monoidratado também pertence a esta classe de medicamento) os eventos adversos mais comuns para qualquer severidade com, pelo menos, uma relação possível com entecavir monoidratado estão listados a seguir.

As reações podem ser classificadas em:

Categoria Frequência
Muito comum ≥ 10%
Comum ≥ 1% e < 10%
Incomum ≥ 0,1% e < 1%
Raro ≥ 0,01% e < 0,1%
Muito raro < 0,01%
Desconhecida Não pode ser estimada pelos dados disponíveis

Distúrbios psiquiátricos:

  • Incomum: insônia.

Distúrbios do sistema nervoso:

  • Comum: cefaleia (dor de cabeça).
  • Incomum: tontura, sonolência.

Distúrbios gastrointestinais:

  • Incomum: náusea, diarreia, dispepsia (indigestão), vômito.

Geral:

  • Comum: fadiga.

Populações especiais

Reações adversas adicionais nos estudos, em pacientes com hepatite B crônica e doença hepática descompensada, incluem diminuição de bicarbonato sanguíneo (2%) e falência renal (< 1%).

No estudo, a taxa de morte cumulativa foi 23% e as causas de óbito foram geralmente relacionadas ao fígado, como esperado nesta população. E a taxa cumulativa de carcinoma de fígado foi 12%.

Experiência pós-comercialização

As reações adversas a seguir foram reportadas, voluntariamente, por uma população de tamanho desconhecido, não se sabe a possibilidade real estimada da frequência ou estabelecer uma relação causal ao uso de entecavir monoidratado.

  • Distúrbios do sistema imune: reação anafilactoide (reação alérgica grave).
  • Distúrbios do metabolismo e alimentares: acidose láctica (distúrbio que leva a acidificação do sangue) tem sido relatada, muitas vezes em associação com descompensação hepática, outras condições médicas graves ou exposição a medicamentos. Pacientes com cirrose descompensada podem ter maior risco para acidose láctica.
  • Distúrbios hepatobiliares: aumento de transaminases (aumento de enzimas do fígado). Distúrbios da pele e tecidos subcutâneos: alopecía (queda dos cabelos) e erupção da pele.

Testes laboratoriais

Em alguns pacientes, os resultados de testes sanguíneos que verificam como fígado e pâncreas estão trabalhando, podem piorar.

Informe ao seu médico ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

Em dois estudos clínicos, em pacientes resistentes à lamivudina, os eventos adversos mais comuns para qualquer seriedade com, pelo menos, uma relação possível com entecavir monoidratado estão listados a seguir.

Distúrbios do sistema nervoso:

  • Comum: cefaleia.

Distúrbios gastrointestinais:

  • Comum: diarreia, dispepsia.

Geral:

  • Comum: fadiga.

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

Existe um número limitado de relatos de superdose com entecavir monoidratado. Voluntários sadios que receberam doses únicas de até 40 mg ou doses múltiplas de até 20 mg/dia, por até 14 dias, não apresentaram aumento ou eventos adversos inesperados. Se ocorrer superdose, procure o médico imediatamente, a fim de ser cuidadosamente monitorado em relação à evidência de toxicidade e receber tratamento de suporte padrão, se necessário.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

DIZERES LEGAIS


VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
PROIBIDA A VENDA AO COMÉRCIO
 

MS 1.1209.0141
Farm. Resp.: Juliana Souki Diniz CRF/MG nº 11.713

Registrado e Embalado por:
FUNED – Fundação Ezequiel Dias
Rua Conde Pereira Carneiro, 80 – Gameleira
Belo Horizonte/MG – CEP 30.510-010
CNPJ 17.503.475/0001-01
Indústria Brasileira

Fabricado por:
Instituto de Tecnologia em Fármacos – Farmanguinhos
Avenida Comandante Guaranys, 447 – Jacarepaguá
Rio de Janeiro/RJ – CEP 22.775-903
CNPJ 33.781.055/0049-80
Indústria Brasilieira


SAC 0800 2831980

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

Tem alguma dúvida sobre Entecavir Monoidratado (Comprimido 0,5 mg)?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.