Preço de Arpadol em Fairfield/SP: R$ 80,46

Arpadol

APSEN

Atualizado em 03/06/2015

Arpadol

Harpagophytum procumbens 400 mg
Extrato seco 5%

Formas Farmacêuticas e Apresentações de Arpadol

USO ORALComprimidos revestidos gastro-resistentes de 400 mg.
Caixas com 30 comprimidos
USO ADULTO

Composição de Arpadol

Cada comprimido revestido gastro-resistente contém:
400 mg
Harpagophytum procumbens extrato seco 5%.. 400 mg
Excipientes* qsp 1 cpr
* E x c i p i e n t e s : C e l u l o s e mi c r o c r i s t a l i n a ,
polivinilpirrolidona, croscarmelose sódica, estearato de
ma g n é s i o , d i ó x i d o d e s i l í c i o c o l o i d a l ,
hidroxipropilmetilcelulose, polietilenoglicol, óxido de ferro
amarelo e dióxido de titânio.

Correspondência em marcador:
400 mg de Harpagophytum procumbens extrato seco 5% corresponde a 20 mg de harpagosídeo.

Parte da planta utilizada: Raiz.

Informações ao Paciente de Arpadol

AÇÃO DO MEDICAMENTO:ARPADOL, cujo princípio ativo é o extrato seco de   Harpagophytum procumbens, é uma planta originária do deserto de Kalaari e estepes da Namíbia, no sudoeste da
África, tem atividade antiinflamatória, demonstrada em animais e em estudos clínicos.
O maior constituinte químico contido nos tubérculos secundários é o harpagosídeo, que mostrou ter ação na inibição da síntese de leucotrienos1 e parece estar relacionado com a inibição da lipoxigenase. Alguns estudos sugerem que vários compostos podem agir
sinergicamente para produzir os resultados clínicos e que um extrato que contenha outros constituintes de tubérculos secundários podem ser mais efetivos que
extratos com harpagosídeo e harpagídeo isolados. Os efeitos antiinflamatórios parecem ser mais consistentes com o uso crônico2 do que com o uso agudo3

INDICAÇÕES DO MEDICAMENTO
O medicamento Arpadol, extrato seco de Harpagophytum   procumbens, está indicado como antiinflamatório e analgésico4 para quadros reumáticos tais como artrites e
artroses, assim como lombalgias, mialgias5 e demais quadros ósteo-mio-articulares.

RISCOS DO MEDICAMENTO
Contra-indicações

Nos casos de hipersensibilidade ao Harpagophytum   procumbens ou aos componentes da formulação do produto.
O medicamento não deve ser usado em pacientes que apresentam úlceras6 gástricas e duodenais, intestino irritável e litíase7 vesicular.
Precauções e advertências
Pacientes portadores de doenças cardíacas e que fazem   uso de terapias  h ipo/hipertensivas devem ter cuidado com a ingestão de doses excessivas devido a possível cardioatividade.
Pacientes com obstrução nas vias biliares8 devem ter aconselhamento médico.
Pacientes diabéticos, apesar de não haver relatos específicos na literatura científica, devem evitar o seu uso devido a uma possível ação hipoglicemiante9.
Portanto, doses excessivas podem interferir com terapias cardíacas ou antidiabéticas.

Gravidez10
Devido a evidências de atividade ocitóxica em animais, o   medicamento não deve ser utilizado durante a gravidez10 e lactação11 sem acompanhamento médico.
Também está contra indicado para gestantes, visto que pode estimular as contrações uterinas.

Amamentação12
O médico deve avaliar o risco/benefício do uso de   ARPADOL. Não se sabe se a droga é excretada no leite materno.
ARPADOL não deve ser utilizado durante a gravidez10 e a amamentação12, exceto sob orientação médica. Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se ocorrer gravidez10
ou iniciar amamentação12 durante o uso deste medicamento.

Geriatria
As doses e cuidados para pacientes13 idosos são as   mesmas recomendadas para os adultos, devendo ter o acompanhamento médico.

Interferência em exames laboratoriais
Não há relato de interferência do Harpagophytum   procumbens em exames laboratoriais.
Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista o aparecimento de reações indesejáveis.
Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.
Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde14.

Interações medicamentosas
Possíveis interações com drogas antiarrítmicas e antihipertensivas   não devem ser excluídas. Podem ocorrer também interações com drogas antidiabéticas, por
causa do seu efeito hipoglicemiante9.
Devido à citação de que o Harpagophytum procumbens pode aumentar a acidez estomacal, existe a possibilidade da diminuição da efetividade de antiácidos15, inibidores da bomba de prótons e bloqueadores H2; púrpura16 foi relatada em um paciente
com administração conjunta de warfarina e Ha r p a g o p h y t um p r o c umb e n s , s u g e r i n d o potencialização do efeito anticoagulante17 e remetendo a avaliação cuidadosa dessa associação e mesmo ajuste de dose da warfarina.

MODO DE USAR
O produto ARPADOL é apresentado na forma de   comprimidos revestidos gastro-resistentes de 400 mg.
ARPADOL deve ser ingerido depois das refeições e a via de administração proposta é a via oral, com o auxílio de quantidade suficiente de líquido.
Adultos: A posologia recomendada é de um comprimido três vezes ao dia.
Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.
Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.
Não use o medicamento com o prazo de validade   vencido. Antes de usar observe o aspecto do medicamento.
Este medicamento não pode ser partido ou mastigado.

REAÇÕES ADVERSAS
Riscos a saúde14 e efeitos colaterais18 nas doses   terapêuticas não têm sido relatados com freqüência.
Efeitos adversos como diarréia19, dores abdominais,   vômito20, flatulência, perda do paladar21, dor de cabeça22 frontal, dispepsia23 e zumbidos foram relatados em poucos casos.
Um estudo demonstrou que o efeito adverso mais comum foi a diarréia19, que diminui espontaneamente após o 2-3º dia de tratamento.

ATENÇÃO: Este produto é um novo medicamento e, embora as pesquisas tenham indicado eficácia e segurança aceitáveis para comercialização, podem ocorrer efeitos indesejáveis não conhecidos. Se isto ocorrer, o médico responsável deve ser comunicado.

CONDUTA EM CASOS DE SUPERDOSE
Uma sobredosagem pode produzir transtornos hepáticos.
Em caso de ingestão acidental de uma grande quantidade deste medicamento de uma só vez, o médico deverá ser contatado urgentemente ou o paciente deverá ser
encaminhado ao pronto atendimento mais próximo para procura de socorro médico.

CUIDADOS DE CONSERVAÇÃO
ARPADOL, extrato seco de Harpagophytum procumbens,   deve ser armazenado em temperatura ambiente (entre   15ºC e 30ºC), protegido da luz e umidade.

TODO O MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA   DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

Informações Técnicas Aos Profissionais de Saúde14 de Arpadol

Características Farmacológicas de Arpadol

Modo de Ação:A planta Harpagophytum procumbens, uma planta   originária do deserto de Kalaari e estepes da Namíbia, no sudoeste da África, tem atividade antiinflamatória,
demonstrada em animais e em estudos clínicos.
Grupos indígenas africanos San, Khoi e Bantu há muito tempo utilizam o Harpagophytum procumbens para inúmeras condições clínicas, como analgésico4, antiinflamatório, anti-reumático, para o tratamento de artrite24, osteoartrite25 e outras doenças. Embora a descrição das primeiras coletas da planta tenha sido por europeus   em 1820, as propriedades medicinais do Harpagophytum procumbens foram descritas somente em 1907, por G.H. Mehnert, que havia aprendido o seu uso com a população indígena. Hoje o Harpagophytum procumbens consta na European Pharmacopoeia indicado para o tratamento de reumatismo26 e artrites.
Em 2005, Stewart, do Instituto de Etnobotânica Aplicada (Pompano Beach, Flórida, EUA) e Cole, do Centro para Pesquisa de Informações e Ação na África   para
Consultoria e Desenvolvimento da África, publicaram uma revisão sobre o Harpagophytum proccumbens. Os autores relatam que os produtos a base de Harpagophytum tem sido utilizados como alternativa ao uso dos AINEs, por seu
perfil extremamente favorável, com poucos efeitos adversos, especialmente em uso prolongado.
O maior constituinte químico contido nos tubérculos secundários é o harpagosídeo, que mostrou ter ação na inibição da síntese de leucotrienos1 e parece estar relacionado com a inibição da lipoxigenase. Alguns estudos sugerem que vários compostos podem agir
sinergicamente para produzir os resultados clínicos e que um extrato que contenha outros constituintes de tubérculos secundários podem ser mais efetivos que
extratos com harpagosídeo e harpagídeo isolados. Os efeitos antiinflamatórios parecem ser mais consistentes com o uso crônico2 do que com o uso agudo3.
Prostanóides são produtos da via cicloxigenase do ácido araquidônico sendo, então, mediadores da inflamação27 aguda; e parecem, ainda, estar envolvidos na patogênese28
da artrite reumatóide29. Por outro lado, prostanóides (principalmente PG E2), são reportados como tendo   propriedades antiinflamatórias em algumas formas de
inflamação27 experimentais. Leucotrienos1, produtos do metabolismo30 da via 5-lipoxigenase do ácido araquidônico, também atuam como mediadores em doenças inflamatórias como a artrite reumatóide29.
É aceito que o harpagosídeo é o constituinte mais efetivo e pode ser possível que a glicose31 na molécula do harpagosídeo seja a responsável pela absorção, pois
quando há a clivagem da molécula, a aglicona (harpagogenina) é liberada e exerce o efeito terapêutico; já outros pesquisadores afirmam que o harpagosídeo, ao
entrar em contato com o suco gástrico, perde a eficácia.
Outros mecanismos alternativos são relatados, como por exemplo, a ação do -sitosterol que possui capacidade de inibir a enzima32 prostaglandina33 sintetase - esta participa do
processo inflamatório, ou o fitocomplexo provocando alguma modificação na permeabilidade34 aos íons35.
Farmacocinética:
a) Propriedades físico-químicas e farmacocinética   Comprimidos revestidos contendo 200 mg de um extrato padronizado (WS 1531) com no mínimo de 5% de harpagosídeo foi testado em dissolução em fluido de simulação gástrica (FSG) e intestinal (FSI). O
harpagosídeo apresentou tempo de meia vida de 13,5 minutos no FSG; após 2,5 horas no mesmo fluido o harpagosídeo apresentou degradação de 20%, mas não
foi afetado na presença do fluido artificial intestinal, sugerindo a necessidade de um revestimento entérico para as formulações.
Um estudo de farmacocinética com voluntários, determinaram que a meia vida do harpagosídeo situa-se entre 3,7 e 6,4 horas, com um clearance renal36 de 15L/ min
e atingindo nível máximo no plasma37 depois de 1,5 a 3 horas. Um segundo pico foi observado depois de 7 horas sugerindo um ciclo entero-hepático, embora reconheça
que tais resultados precisam ser confirmados.

Resultados de Eficácia de Arpadol

Estudos clínicos mostraram que Harpagophytum procumbens é eficaz no tratamento dos quadros reumáticos como antiinflamatório e analgésico4 para quadros reumáticos tais como artrites e artroses, assim como lombalgias, mialgias5 e demais quadros ósteo-mioarticulares.
Estudos clínicos sobre a eficácia antiinflamatória   do Harpagophytum procumbens
Num estudo piloto, 100 pacientes sofrendo de várias   dores reumáticas receberam aleatoriamente 2460 mg (30 mg de harpagosídeo) de extrato de Harpagophytum
procumbens 3 vezes ao dia (grupo HP) ou placebo38 (grupo P). Depois de 30 dias de tratamento, somente 6 pacientes tinham dores moderadas no grupo HP e 32 no grupo P.
Somente 1 paciente do grupo HP sofria dores severas enquanto 9 sofriam este tipo de dor no grupo P. Os efeitos adversos foram diarréia19 (1 paciente no grupo HP) e leve
gastrite39 (1 paciente no grupo P). (CHRUBASIK, S. & EISENBERG, E. Treatment of rheumatic pain with kampo medicine in Europe. Part 1. Harpagophytum procumbens.
Pain clinic, 11(3): 171-178, 1999)
Em outro estudo duplo cego40, 50 voluntários sofrendo de artrose41 foram tratados por 3 semanas com 400 mg de extrato hidroetanólico de Harpagophytum procumbens
(1,5% de iridóides), sendo tomadas 2 cápsulas 3 vezes ao dia. Depois de 10 dias, o extrato diminuiu significativamente a intensidade da dor. O progresso foi mais freqüente em casos moderados do que em casos severos. ( LONG. L.; SOEKEN, K. & ERNST, E..Herbal medicines for the treatment of osteoarthritis: a systematic review. Rheumatology, 40: 779-793, 2001) Um estudo duplo cego40 com 118 pacientes sofrendo a mais de 6 meses de dor lombar crônica com causas não identificadas e sofrendo dores agudas, receberam 2400mg de extrato de Harpagophytum (2 comprimidos de
400 mg três vezes ao dia, que corresponde a 50 mg de harpagosídeo) por dia ou placebo38. Depois de 4 semanas de tratamento, o índice médio de dor lombar de Arhus foi
de 20% no grupo com Harpagophytum e de 8% no grupo placebo38. Nove dos 54 pacientes que receberam o extrato (num total de 16,7%) ficaram durante as 4 semanas de tratamento completamente sem dor quando comparado com 1 paciente (2%) no grupo placebo38. (CHRUBASIK, S.; SPORER, F. & WINK, M.; Zum wirkstoffgehalt in Arzneimitteln aus Harpagophytum procumbens.
Forschende Komplementärmedizin, 3: 116-119. 1996) e (CHRUBASIK, S.; ZIMPFER, CH.; SCHÜTT, U. & ZIEGLER, R. Effectiveness of Harpagophytum procumbens in
treatment of acute low back pain. Phytomedicine, 3(1): 1- 10, 1996)
Um estudo compreendendo 102 pacientes que sofriam de dores lombares por pelo menos 6 meses receberam 1800 mg (30 mg de harpagosídeo) de extrato de
Harpagophytum procumbens diários (2 cápsulas 3 vezes ao dia) foi comparado com um grupo que recebeu tratamento convencional (antiinflamatórios não esteroidais, exercícios físicos e injeções paravertebrais).
Quatro semanas depois do tratamento o índice de Arhus aumentou em ambos os grupos em torno de 20%. O índice de dor diminuiu significativamente no decorrer da
4ª para a 6ª semana de tratamento demonstrando um progresso de mais de 30%; o número de pacientes semdores depois da 4ª e 6ª semanas foi de 16 e 20 pacientes
para o grupo do Harpagophytum e 12 e 23 para o grupo com tratamento convencional, respectivamente. O custo relativo do tratamento com extrato de Harpagophytum
foi 2/3 (dois terços) mais barato que o tratamento convencional. Os pacientes que receberam tratamento com Harpagophytum eram mais velhos, multimórbidos e
sofriam a mais tempo de dor lombar do que os pacientes que receberam tratamento convencional; no entanto a duração da dor local e o índice de Arhus não foram
diferentes para os grupos antes do tratamento.
(CHRUBASIK, S. & EISENBERG, E. Treatment of rheumatic pain with kampo medicine in Europe. Part 1. Harpagophytum procumbens. Pain clinic, 11(3): 171- 178, 1999)

Indicações de Arpadol

O medicamento Arpadol, extrato seco de Harpagophytum procumbens, está indicado como antiinflamatório e analgésico4 para quadros reumáticos tais como artrites e artroses, assim como lombalgias, mialgias5 e demais quadros ósteo-mio-articulares.

Contra-Indicações de Arpadol

Nos casos de hipersensibilidade ao Harpagophytum procumbens ou aos componentes da formulação do produto.
O medicamento não deve ser usado em pacientes que apresentam úlceras6 gástricas e duodenais, intestino irritável e litíase7 vesicular.

Modo de Usar e Cuidados de Conservação de Arpadol

depois de aberto:

O produto ARPADOL é de uso oral.Os comprimidos revestidos devem ser mantidos em sua embalagem original, na temperatura ambiente (entre 15 e 30ºC), protegidos da luz e umidade.

Posologia de Arpadol

O produto ARPADOL é apresentado na forma de comprimidos revestidos gastro-resistentes de 400 mg.
ARPADOL deve ser ingerido depois das refeições e a via de administração proposta é a via oral, com o auxílio de quantidade suficiente de líquido.
Adultos: A posologia recomendada de extrato seco de Harpagophytum procumbens 400 mg (com 5% de harpagosídeo) é de um comprimido três vezes ao dia.

Advertências de Arpadol

Pacientes portadores de doenças cardíacas e que fazem uso de terapias hipo/hipertensivas devem ter cuidado com a ingestão de doses excessivas devido a possível cardioatividade.Pacientes com obstrução nas vias biliares8 devem ter aconselhamento médico.
Pacientes diabéticos, apesar de não haver relatos específicos na literatura científica, devem evitar o seu uso devido a uma possível ação hipoglicemiante9.
Portanto, doses excessivas podem interferir com terapias cardíacas ou antidiabéticas.

Gravidez10
Devido a evidências de atividade ocitóxica em animais, o   medicamento não deve ser utilizado durante a gravidez10 e lactação11 sem acompanhamento médico.
Também está contra indicado para gestantes, visto que pode estimular as contrações uterinas.

Amamentação12
O médico deve avaliar o risco/benefício do uso de   ARPADOL. Não se sabe se a droga é excretada no leite materno.

Interferência em exames laboratoriais
Não há relato de interferência do Harpagophytum   procumbens em exames laboratoriais.

Uso em Idosos de Arpadol

Geriatria
As doses e cuidados para pacientes13 idosos são as mesmas recomendadas para os adultos, devendo ter o acompanhamento médico.

Interações Medicamentosas de Arpadol

Possíveis interações com drogas antiarrítmicas e antihipertensivas não devem ser excluídas. Podem ocorrer também interações com drogas antidiabéticas, porcausa do seu efeito hipoglicemiante9.
Devido à citação de que o Harpagophytum procumbens pode aumentar a acidez estomacal, existe a possibilidade da diminuição da efetividade de antiácidos15,
inibidores da bomba de prótons e bloqueadores H2; púrpura16 foi relatada em um paciente com administração conjunta de warfarina e Harpagophytum procumbens,
sugerindo potencialização do efeito anticoagulante17 e remetendo a avaliação cuidadosa dessa associação e mesmo ajuste de dose da warfarina.

Reações Adversas de Arpadol

Riscos a saúde14 e efeitos colaterais18 nas doses terapêuticas não têm sido relatados com freqüência.
Efeitos adversos como diarréia19, dores abdominais, vômito20, flatulência, perda do paladar21, dor de cabeça22 frontal, dispepsia23 e zumbidos foram relatados em poucos casos.
Um estudo demonstrou que o efeito adverso mais comum foi a diarréia19, que diminui espontaneamente após o 2-3º dia de tratamento.

ATENÇÃO: Este produto é um novo medicamento e, embora as pesquisas tenham indicado eficácia e segurança aceitáveis para comercialização, podem   ocorrer efeitos indesejáveis não conhecidos. Se isto ocorrer, o médico responsável deve ser comunicado.

Superdose de Arpadol

Uma sobredosagem pode produzir transtornos hepáticos.Em caso de ingestão acidental de uma grande quantidade deste medicamento de uma só vez, o médico deverá ser contatado urgentemente ou o paciente deverá ser
encaminhado ao pronto atendimento mais próximo para procura de socorro médico, para promover a evacuação do fármaco42 e a lavagem gástrica43.

Armazenagem de Arpadol

ARPADOL, extrato seco de Harpagophytum procumbens, deve ser armazenado em temperatura ambiente (entre 15ºC e 30ºC), protegido da luz e umidade.

Reg. MS nº 1.0118.0606

Farmacêutico Responsável: Dr. Eduardo Sérgio Medeiros
Magliano
CRF SP nº 7179

APSEN FARMACÊUTICA S/A
Rua La Paz, nº 37/67
São Paulo   SP
CNPJ 62.462.015/0001-29
INDÚSTRIA BRASILEIRA

Centro de Atendimento ao Consumidor
0800 16 5678

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA

Arpadol - Laboratório

APSEN
RUA LA PAZ, 37/67. Santo Amaro.
São Paulo/SP - CEP: 04755020
Tel: 0800 165678
Email: infomed@apsen.com.br
Site: http://www.apsen.com.br/

Ver outros medicamentos do laboratório "APSEN"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Leucotrienos: É qualquer um dos metabólitos dos ácidos graxos poli-insaturados, especialmente o ácido araquidônico, que atua como mediador em processos alérgicos e inflamatórios.
2 Crônico: Descreve algo que existe por longo período de tempo. O oposto de agudo.
3 Agudo: Descreve algo que acontece repentinamente e por curto período de tempo. O oposto de crônico.
4 Analgésico: Medicamento usado para aliviar a dor. As drogas analgésicas incluem os antiinflamatórios não-esteróides (AINE), tais como os salicilatos, drogas narcóticas como a morfina e drogas sintéticas com propriedades narcóticas, como o tramadol.
5 Mialgias: Dor que se origina nos músculos. Pode acompanhar outros sintomas como queda no estado geral, febre e dor de cabeça nas doenças infecciosas. Também pode estar associada a diferentes doenças imunológicas.
6 Úlceras: Feridas superficiais em tecido cutâneo ou mucoso que podem ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
7 Litíase: Estado caracterizado pela formação de cálculos em diferentes regiões do organismo. A composição destes cálculos e os sintomas que provocam variam de acordo com sua localização no organismo (vesícula biliar, ureter, etc.).
8 Vias biliares: Conjunto de condutos orgânicos que conectam o fígado e a vesícula biliar ao duodeno. Sua função é conduzir a bile produzida no fígado, para ser armazenada na vesícula biliar e posteriormente ser liberada no duodeno.
9 Hipoglicemiante: Medicamento que contribui para manter a glicose sangüínea dentro dos limites normais, sendo capaz de diminuir níveis de glicose previamente elevados.
10 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
11 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
12 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
13 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
14 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
15 Antiácidos: É uma substância que neutraliza o excesso de ácido, contrariando o seu efeito. É uma base que aumenta os valores de pH de uma solução ácida.
16 Púrpura: Lesão hemorrágica de cor vinhosa, que não desaparece à pressão, com diâmetro superior a um centímetro.
17 Anticoagulante: Substância ou medicamento que evita a coagulação, especialmente do sangue.
18 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
19 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
20 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
21 Paladar: Paladar ou sabor. Em fisiologia, é a função sensorial que permite a percepção dos sabores pela língua e sua transmissão, através do nervo gustativo ao cérebro, onde são recebidos e analisados.
22 Cabeça:
23 Dispepsia: Dor ou mal-estar localizado no abdome superior. O mal-estar pode caracterizar-se por saciedade precoce, sensação de plenitude, distensão ou náuseas. A dispepsia pode ser intermitente ou contínua, podendo estar relacionada com os alimentos.
24 Artrite: Inflamação de uma articulação, caracterizada por dor, aumento da temperatura, dificuldade de movimentação, inchaço e vermelhidão da área afetada.
25 Osteoartrite: Termo geral que se emprega para referir-se ao processo degenerativo da cartilagem articular, manifestado por dor ao movimento, derrame articular, etc. Também denominado artrose.
26 Reumatismo: Termo que é utilizado em geral para se referir ao conjunto de doenças inflamatórias e degenerativas que afetam as articulações e estruturas vizinhas.
27 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
28 Patogênese: Modo de origem ou de evolução de qualquer processo mórbido; nosogenia, patogênese, patogenesia.
29 Artrite reumatóide: Doença auto-imune de etiologia desconhecida, caracterizada por poliartrite periférica, simétrica, que leva à deformidade e à destruição das articulações por erosão do osso e cartilagem. Afeta mulheres duas vezes mais do que os homens e sua incidência aumenta com a idade. Em geral, acomete grandes e pequenas articulações em associação com manifestações sistêmicas como rigidez matinal, fadiga e perda de peso. Quando envolve outros órgãos, a morbidade e a gravidade da doença são maiores, podendo diminuir a expectativa de vida em cinco a dez anos.
30 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
31 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
32 Enzima: Proteína produzida pelo organismo que gera uma reação química. Por exemplo, as enzimas produzidas pelo intestino que ajudam no processo digestivo.
33 Prostaglandina: É qualquer uma das várias moléculas estruturalmente relacionadas, lipossolúveis, derivadas do ácido araquidônico. Ela tem função reguladora de diversas vias metabólicas.
34 Permeabilidade: Qualidade dos corpos que deixam passar através de seus poros outros corpos (fluidos, líquidos, gases, etc.).
35 Íons: Átomos ou grupos atômicos eletricamente carregados.
36 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
37 Plasma: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).
38 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
39 Gastrite: Inflamação aguda ou crônica da mucosa do estômago. Manifesta-se por dor na região superior do abdome, acidez, ardor, náuseas, vômitos, etc. Pode ser produzida por infecções, consumo de medicamentos (aspirina), estresse, etc.
40 Estudo duplo cego: Denominamos um estudo clínico “duplo cego” quando tanto voluntários quanto pesquisadores desconhecem a qual grupo de tratamento do estudo os voluntários foram designados. Denominamos um estudo clínico de “simples cego” quando apenas os voluntários desconhecem o grupo ao qual pertencem no estudo.
41 Artrose: Também chamada de osteoartrose ou processo degenerativo articular, resulta de um processo anormal entre a destruição cartilaginosa e a reparação da mesma. Entende-se por cartilagem articular, um tipo especial de tecido que reveste a extremidade de dois ossos justapostos que possuem algum grau de movimentação entre eles, sua função básica é a de diminuir o atrito entre duas superfícies ósseas quando estas executam qualquer tipo de movimento, funcionando como mecanismo de absorção de choque. O estado de hidratação da cartilagem e a integridade da mesma, é fator preponderante para o não desenvolvimento da artrose.
42 Fármaco: Qualquer produto ou preparado farmacêutico; medicamento.
43 Lavagem gástrica: É a introdução, através de sonda nasogástrica, de líquido na cavidade gástrica, seguida de sua remoção.

Tem alguma dúvida sobre Arpadol?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.