Preço de Anestalcon em Fairfield/SP: R$ 9,40

Anestalcon

ALCON

Atualizado em 03/06/2015

Anestalcon®

Cloridrato de Proximetacaína 0,5%
Solução Oftálmica Estéril  

Forma Farmacêutica, Via de Administração e Apresentação de Anestalcon

Frasco plástico conta-gotas contendo 5 ml de Solução Oftálmica Estéril. Via tópica ocular

USO ADULTO E PEDIÁTRICO

Composição de Anestalcon

Cada ml (aproximadamente 30 gotas) de ANESTALCON® contém:
Cloridrato  proximetacaína 5,0 mg
Veículo constituído de glicerol, ácido clorídrico1 e/ou hidróxido de sódio, cloreto de benzalcônio como conservante e água purificada q.s.p 1 ml

 informações ao Paciente de Anestalcon

Ação de Anestalcon

ANESTALCON® Solução Oftálmica é um anestésico local de ação rápida para uso oftálmico.  O efeito anestésico tem início  em cerca de 30 segundos e persiste por 15 minutos ou mais.

Indicações de Anestalcon

ANESTALCON Solução Oftálmica é indicado como anestésico local em exames médicos dos olhos2 como: medição da pressão ocular, retirada de corpos estranhos e suturas3 da córnea4, raspagem do olho5 para fins diagnósticos e exames gonioscópicos.
É também indicado como anestésico local antes de cirurgias como a de catarata6.

Riscos de Anestalcon

CONTRA-INDICAÇÃO: Você não deve usar ANESTALCON se tiver alergia7 conhecida a qualquer ingrediente do medicamento. Você não deve utilizar este medicamento por conta própria. Somente o seu médico deve utilizar ANESTALCON para fazer os exames oculares.

ADVERTÊNCIAS: ANESTALCON Solução Oftálmica deve ser utilizado somente nos olhos2. Não toque a ponta do conta-gotas em qualquer superfície para evitar a contaminação da solução. O uso prolongado de anestésicos locais oculares pode causar perda da visão8.

PRECAUÇÕES: Você deve ter cuidado ao usar ANESTALCON Solução Oftálmica se tiver história de alergia7, doença cardíaca ou hipertireoidismo9. Não se conhece a toxicidade10 do uso da proximetacaína por longo prazo; é possível que seu uso prolongado possa retardar a cicatrização de feridas. Embora seja raro, podem ocorrer efeitos desagradáveis no organismo pelo uso de anestésicos locais oftálmicos. Você deve proteger os seu olhos2 e não tocá-los enquanto estiverem anestesiados.

INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS: Não há interações conhecidas de ANESTALCON Solução Oftálmica com outros medicamentos.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas ou que estejam amamentando sem orientação médica. Informe seu médico se ocorrer gravidez11 ou iniciar amamentação12 durante o uso deste medicamento.

Este medicamento deve ser utilizado em crianças somente a critério médico. Informe ao médico o aparecimento de reações indesejáveis.
Informe ao seu médico se você está fazendo uso de algum outro medicamento.
Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde13.

Modo de Uso de Anestalcon

ANESTALCON é uma solução incolor a levemente amarelada.
Seu médico vai pingar ANESTALCON nos seus olhos2 de acordo com o tipo de exame ocular:
Anestesias prolongadas como em cirurgia de catarata6: 1 gota14 a cada 5 a 10 minutos (de 5 a 7 doses).
Retirada de suturas3: 1 ou 2 gotas 2 ou 3 minutos antes do procedimento.
Retirada de corpos estranhos: 1 ou 2 gotas antes da intervenção.
Tonometria: 1 ou 2 gotas imediatamente antes do procedimento.

Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Não use medicamento com prazo de validade vencido. Antes de usar observe o aspecto do medicamento.

Reações Adversas de Anestalcon

Pode ocorrer, embora seja raro, dilatação da pupila ou visão8 sem foco. Você pode ocasionalmente ter uma reação alérgica15 local ou generalizada. Ao pingar a Solução Oftálmica de ANESTALCON na dose recomendada pode ocorrer ou não irritação inicial, ardência, queimação, vermelhidão, lacrimejamento ou aumento do piscar. Alguma irritação local e ardência podem ocorrer várias horas após a instilação.É raro, mas você pode ter uma inflamação16 aguda da córnea4 e inflamação16 da parte colorida do olho5. Você pode ter uma inflamação16 alérgica da pele17 por contato ocorrendo ressecamento e rachaduras nas pontas dos dedos. Você pode ter um amolecimento e desgaste da córnea4, congestão dos olhos2 e sangramento.

Conduta na Superdose de Anestalcon

Se você colocar uma grande quantidade de ANESTALCON Solução Oftálmica nos olhos2 de uma só vez, lave os olhos2 com água morna. Se você sentir algum efeito desagradável ou ingerir este medicamento acidentalmente, procure orientação médica.

Cuidados de Conservação e Uso de Anestalcon

Você deve conservar este medicamento em temperatura entre 2 e 8ºC (geladeira), antes e depois de aberto. Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

Informações Técnicas Aos Profissionais de Saúde13 de Anestalcon

Características Farmacológicas de Anestalcon

ANESTALCON® Solução Oftálmica é um anestésico local de ação rápida para uso oftálmico. Com uma única gota14, o efeito anestésico tem início em cerca de 30 segundos e persiste por 15 minutos ou mais. O principal local de ação anestésica é a membrana da célula18 nervosa onde a proximetacaína interfere com o grande aumento transitório na permeabilidade19 da membrana para íons20 de sódio, o qual é normalmente produzido por uma leve despolarização da membrana. Como a ação anestésica se desenvolve progressivamente num nervo, o limiar para a estimulação elétrica aumenta gradualmente e o fator de segurança para condução diminui. Quando esta ação é suficientemente bem desenvolvida, é produzido o bloqueio de condução.Desconhece-se o exato mecanismo por onde a proximetacaína e outros anestésicos locais influenciam a permeabilidade19 da membrana celular21. Entretanto, vários estudos, indicam que anestésicos locais podem limitar a permeabilidade19 do íon22 sódio através da camada lipídica da membrana de célula18 nervosa. Esta limitação evita a alteração fundamental necessária para gerar o potencial de ação.

Resultados de Eficácia de Anestalcon

Em um estudo clínico prospectivo23, randomizado24 e duplo-cego comparando colírios de proparacaína e tetracaína quanto a duração da atividade anestésica e dor na instilação, 20 dos 23 indivíduos estudados relataram que a proparacaína causa menos dor na instilação que a tetracaína. O efeito anestésico da proparacaína durou 1,3 minutos a mais que a tetracaína (1).

(1) BARTIFIELD JM, et al. Comparison of proparacaine and tetracaina eye anesthetics. Acad Emerg Med. 1(4): 364 â€"7, Jul-Aug 1994

Indicações de Anestalcon

ANESTALCON Solução Oftálmica é indicado como anestésico tópico25 em procedimentos oftalmológicos. Procedimentos oftalmológicos representativos nos quais a preparação fornece boa anestesia26 local incluem: tonometria, remoção de corpos estranhos e suturas3 da córnea4, raspagem conjuntival para fins diagnósticos e exames gonioscópicos.

É também indicado como anestésico tópico25 antes de cirurgias, como a de catarata6.

Contra-Indicações de Anestalcon

ANESTALCON é contra-indicado em pacientes com hipersensibilidade conhecida aos componentes da fórmula.  Este produto não deve ser prescrito para uso pelo próprio paciente.

Modo de Usar e Cuidados de Conservação Depois de Aberto de Anestalcon

Para evitar contaminação não tocar o conta-gotas. Conservar o produto em temperatura entre 2 e 8ºC (refrigerador).

Posologia de Anestalcon

Anestesias prolongadas como em extração de catarata6: Instilar 1 gota14 a cada 5 a 10 minutos (de 5 a 7 doses).
Remoção de suturas3: Instilar 1 ou 2 gotas 2 ou 3 minutos antes do procedimento.
Remoção de corpos estranhos: Instilar 1 ou 2 gotas antes da intervenção.
Tonometria: Instilar 1 ou 2 gotas imediatamente antes do procedimento.

Advertências de Anestalcon

NÃO DEVE SER INJETADO. EXCLUSIVAMENTE PARA USO TÓPICO25 OFTÁLMICO.   O uso prolongado de um anestésico tópico25 ocular pode causar opacificação corneana permanente com perda da visão8.

Precauções de Anestalcon

Gerais: O cloridrato de proximetacaína deve ser usado com cautela e moderação em pacientes com história de alergia7, doença cardíaca ou hipertireoidismo9. A toxicidade10 a longo prazo da proximetacaína não é conhecida; é possível que seu uso prolongado possa retardar a cicatrização de feridas. Embora de ocorrência muitíssimo rara em aplicações de anestésicos tópicos oftálmicos, deve-se ter em mente que uma toxicidade10 sistêmica (manifestada pela estimulação do sistema nervoso central27 seguida por depressão) pode ocorrer. É muito importante proteger o olho5 de substâncias químicas irritantes, corpos estranhos e fricção durante o período de anestesia26. Os tonômetros conservados em soluções detergentes ou esterilizantes devem ser completamente enxaguados com água destilada estéril antes do uso. Os pacientes devem ser orientados para não tocar o olho5 até que o efeito anestésico tenha passado.

Carcinogênese, mutagênese, diminuição da fertilidade: Não foram realizados estudos de longo prazo em animais para avaliar o potencial carcinogênico ou mutagênico do produto ou possível diminuição da fertilidade em machos e fêmeas.

Gravidez11 categoria C: Não foram realizados estudos de reprodução28 em animais com ANESTALCON Solução Oftálmica. Não se sabe se o cloridrato de proximetacaína pode causar dano ao feto29 quando administrado a mulheres grávidas ou se pode afetar a capacidade reprodutiva. O cloridrato de proximetacaína deve ser administrado a mulheres grávidas somente se for estritamente necessário.

Uso em Idosos, Crianças e Outros Grupos de Risco de Anestalcon

Idosos: Não foram observadas diferenças na eficácia e segurança entre pacientes idosos e outros pacientes.

Crianças: Não foram realizados estudos clínicos controlados com ANESTALCON Solução Oftálmica para estabelecer a segurança e eficácia do uso em crianças. A literatura, porém, cita o uso de cloridrato de proximetacaína como um agente anestésico oftálmico para uso tópico25 em crianças.

Lactantes30: Não se sabe se a droga é excretada no leite materno. Como muitas drogas são excretadas no leite humano, deve-se ter cautela quando o cloridrato de proximetacaína for administrado a mulheres lactantes30.

Interações Medicamentosas de Anestalcon

Não há interações conhecidas de ANESTALCON Solução Oftálmica com outros medicamentos.

Reações Adversas de Anestalcon

Dilatação pupilar ou efeitos cicloplégicos com o uso de cloridrato de proximetacaína têm sido raramente observados. O produto parece seguro para uso em pacientes sensíveis a outros anestésicos locais, porém uma sensibilidade local ou sistêmica pode ocorrer ocasionalmente. A instilação da proximetacaína no olho5 na concentração e dose recomendadas pode ou não causar irritação inicial, ardência, queimação, vermelhidão conjuntival, lacrimejamento ou aumento do piscar, não obstante alguma irritação local e ardência possam ocorrer várias horas após a instilação.Raramente, uma reação corneana, aparentemente hiperalérgica do tipo imediata, pode ocorrer, a qual inclui uma ceratite epitelial aguda intensa e difusa; um aspecto cinzento e de vidro moído; desprendimento de grandes áreas de tecido epitelial31 necrótico; filamentos corneanos e, algumas vezes, irite32 com descemetite.
Foi relatada dermatite33 de contato alérgica com as pontas dos dedos ressecadas e rachadas.
Amolecimento e erosão do epitélio34 corneano, congestão conjuntival e hemorragia35 têm sido relatados.

Superdose de Anestalcon

Em caso de superdose lavar os olhos2 com água morna. O tratamento sintomático36 é recomendado em caso de efeitos sistêmicos37.

Armazenagem de Anestalcon

Conservar o produto em temperatura entre 2 e 8ºC (refrigerador).

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA - SÓ PODE SER VENDIDO COM RETENÇÃO DA RECEITA.         


Anestalcon - Laboratório

ALCON
AV. N. SRA. DA ASSUNCAO, 736
SAO PAULO/SP - CEP: 05359001
Tel: (011 )268-7433
Fax: (011 )819-2171

Ver outros medicamentos do laboratório "ALCON"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Ácido clorídrico: Ácido clorídrico ou ácido muriático é uma solução aquosa, ácida e queimativa, normalmente utilizado como reagente químico. É um dos ácidos que se ioniza completamente em solução aquosa.
2 Olhos:
3 Suturas: 1. Ato ou efeito de suturar. 2. Costura que une ou junta partes de um objeto. 3. Na anatomia geral, é um tipo de articulação fibrosa, em que os ossos são mantidos juntos por várias camadas de tecido conjuntivo denso; comissura (ocorre apenas entre os ossos do crânio). 4. Na anatomia botânica, é uma linha de espessura variável que se forma na região de fusão dos bordos de um carpelo (ou de dois ou mais carpelos concrescentes). 5. Em cirurgia, ato ou efeito de unir os bordos de um corte, uma ferida, uma incisão, com agulha e linha especial, para promover a cicatrização. 6. Na morfologia zoológica, nos insetos, qualquer sulco externo semelhante a uma linha.
4 Córnea: Membrana fibrosa e transparente presa à esclera, constituindo a parte anterior do olho.
5 Olho: s. m. (fr. oeil; ing. eye). Órgão da visão, constituído pelo globo ocular (V. este termo) e pelos diversos meios que este encerra. Está situado na órbita e ligado ao cérebro pelo nervo óptico. V. ocular, oftalm-. Sinônimos: Olhos
6 Catarata: Opacificação das lentes dos olhos (opacificação do cristalino).
7 Alergia: Reação inflamatória anormal, perante substâncias (alérgenos) que habitualmente não deveriam produzi-la. Entre estas substâncias encontram-se poeiras ambientais, medicamentos, alimentos etc.
8 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
9 Hipertireoidismo: Doença caracterizada por um aumento anormal da atividade dos hormônios tireoidianos. Pode ser produzido pela administração externa de hormônios tireoidianos (hipertireoidismo iatrogênico) ou pelo aumento de uma produção destes nas glândulas tireóideas. Seus sintomas, entre outros, são taquicardia, tremores finos, perda de peso, hiperatividade, exoftalmia.
10 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
11 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
12 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
13 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
14 Gota: 1. Distúrbio metabólico produzido pelo aumento na concentração de ácido úrico no sangue. Manifesta-se pela formação de cálculos renais, inflamação articular e depósito de cristais de ácido úrico no tecido celular subcutâneo. A inflamação articular é muito dolorosa e ataca em crises. 2. Pingo de qualquer líquido.
15 Reação alérgica: Sensibilidade a uma substância específica, chamada de alérgeno, com a qual se entra em contato por meio da pele, pulmões, deglutição ou injeções.
16 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
17 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
18 Célula: Unidade funcional básica de todo tecido, capaz de se duplicar (porém algumas células muito especializadas, como os neurônios, não conseguem se duplicar), trocar substâncias com o meio externo à célula, etc. Possui subestruturas (organelas) distintas como núcleo, parede celular, membrana celular, mitocôndrias, etc. que são as responsáveis pela sobrevivência da mesma.
19 Permeabilidade: Qualidade dos corpos que deixam passar através de seus poros outros corpos (fluidos, líquidos, gases, etc.).
20 Íons: Átomos ou grupos atômicos eletricamente carregados.
21 Membrana Celular: Membrana seletivamente permeável (contendo lipídeos e proteínas) que envolve o citoplasma em células procarióticas e eucarióticas.
22 Íon: Átomo ou grupo atômico eletricamente carregado.
23 Prospectivo: 1. Relativo ao futuro. 2. Suposto, possível; esperado. 3. Relativo à preparação e/ou à previsão do futuro quanto à economia, à tecnologia, ao plano social etc. 4. Em geologia, é relativo à prospecção.
24 Randomizado: Ensaios clínicos comparativos randomizados são considerados o melhor delineamento experimental para avaliar questões relacionadas a tratamento e prevenção. Classicamente, são definidos como experimentos médicos projetados para determinar qual de duas ou mais intervenções é a mais eficaz mediante a alocação aleatória, isto é, randomizada, dos pacientes aos diferentes grupos de estudo. Em geral, um dos grupos é considerado controle – o que algumas vezes pode ser ausência de tratamento, placebo, ou mais frequentemente, um tratamento de eficácia reconhecida. Recursos estatísticos são disponíveis para validar conclusões e maximizar a chance de identificar o melhor tratamento. Esses modelos são chamados de estudos de superioridade, cujo objetivo é determinar se um tratamento em investigação é superior ao agente comparativo.
25 Tópico: Referente a uma área delimitada. De ação limitada à mesma. Diz-se dos medicamentos de uso local, como pomadas, loções, pós, soluções, etc.
26 Anestesia: Diminuição parcial ou total da sensibilidade dolorosa. Pode ser induzida por diferentes medicamentos ou ser parte de uma doença neurológica.
27 Sistema Nervoso Central: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
28 Reprodução: 1. Função pela qual se perpetua a espécie dos seres vivos. 2. Ato ou efeito de reproduzir (-se). 3. Imitação de quadro, fotografia, gravura, etc.
29 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
30 Lactantes: Que produzem leite; que aleitam.
31 Tecido epitelial: Tecido epitelial ou epitélio é um tecido constituído por células justapostas, ou seja, intimamente unidas entre si. Sua principal função é revestir a superfície externa do corpo, os órgãos e as cavidades corporais internas. Os epitélios são eficientes barreiras contra a entrada de agentes invasores e a perda de líquidos corporais. Eles têm também funções secretoras, sensoriais e de absorção. O tecido epitelial é um dos quatro tipos de tecidos básicos do nosso organismo, juntamente com os tecidos conjuntivo, muscular e nervoso.
32 Irite: Inflamação da íris, iridite.
33 Dermatite: Inflamação das camadas superficiais da pele, que pode apresentar-se de formas variadas (dermatite seborreica, dermatite de contato...) e é produzida pela agressão direta de microorganismos, substância tóxica ou por uma resposta imunológica inadequada (alergias, doenças auto-imunes).
34 Epitélio: Epitélio ou tecido epitelial é um tecido constituído por células justapostas, ou seja, intimamente unidas entre si. Sua principal função é revestir a superfície externa do corpo, os órgãos e as cavidades corporais internas. Os epitélios são eficientes barreiras contra a entrada de agentes invasores e a perda de líquidos corporais. Eles têm também funções secretoras, sensoriais e de absorção. O tecido epitelial é um dos quatro tipos de tecidos básicos do nosso organismo, juntamente com os tecidos conjuntivo, muscular e nervoso.
35 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
36 Sintomático: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.
37 Sistêmicos: 1. Relativo a sistema ou a sistemática. 2. Relativo à visão conspectiva, estrutural de um sistema; que se refere ou segue um sistema em seu conjunto. 3. Disposto de modo ordenado, metódico, coerente. 4. Em medicina, é o que envolve o organismo como um todo ou em grande parte.
Artigos relacionados

Tem alguma dúvida sobre Anestalcon?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.