Preço de ANESTÉSICO em Fairfield/SP: R$ 9,97

ANESTÉSICO

ALLERGAN

Atualizado em 03/06/2015

Composição do Anestésico

cloridrato de tetracaína 100 mg, cloridrato defenilefrina 1 mg, ácido bórico 15 mg, veículo q.s.p. 1 ml. Veículo basicamente constituído de edetato dissódico, cloreto de benzalcônio e água destilada.

Posologia e Administração do Anestésico

instilar 1 gota1 no saco conjuntival inferior, a critério médico. - Superdosagem: em caso de superdosagem deve-se instituir sem demora o tratamento sintómatico adequado.

Precauções do Anestésico

o uso prolongado pode resultar em opacificação corneana, seguida de perda da visão2 ou perfuração corneana. O paciente deve ser avisado a não tocar os olhos3 enquanto estiver sob efeito da anestesia4. Proteger os olhos3 de substâncias químicas irritantes e corpos estranhos. Usar com cautela nos pacientes com problemas cardíacos, hepáticos ou respiratórios, epilepsia5, miastenia6 grave e pacientes com baixa concentração de colinesterase plasmática. A fenilefrina pode causar midríase7 em pacientes sensíveis. Recomenda-se cautela em pacientes com câmara anterior8 rasa, devido à possibilidade de ocorrer precipitação de um ataque de glaucoma9 de ângulo fechado.

Reações Adversas do Anestésico

ocasionalmente podem ocorrer reações alérgicas locais. O uso prolongado pode danificar a córnea10 e retardar a cicatrização ocular.

Contra-Indicações do Anestésico

hipersensibilidade aos componentes da fórmula. O produto não deve ser prescrito para uso pelo paciente sem supervisão médica. A tetracaína inibe o efeito bacteriostático das sulfamidas, não sendo recomendável o emprego simultâneo. Não utilizar na ceratomia radial, pois o efeito midriático da fenilefrina provoca distorção nos parâmetros de corte.

Indicações do Anestésico

anestesia4 do globo ocular11 em cirurgias, retirada de corpos estranhos corneanos e conjuntivais e procedimentos diagnósticos.

Apresentação do Anestésico

frasco plástico conta-gotas, hermeticamente fechado e estéril, com 10 ml.


ANESTÉSICO - Laboratório

ALLERGAN
Av. Dr. Cardoso de Melo, 1855
São Paulo/SP - CEP: 04548-005
Tel: (11) 829-4575
Site: http://www.allergan.com/

Ver outros medicamentos do laboratório "ALLERGAN"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Gota: 1. Distúrbio metabólico produzido pelo aumento na concentração de ácido úrico no sangue. Manifesta-se pela formação de cálculos renais, inflamação articular e depósito de cristais de ácido úrico no tecido celular subcutâneo. A inflamação articular é muito dolorosa e ataca em crises. 2. Pingo de qualquer líquido.
2 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
3 Olhos:
4 Anestesia: Diminuição parcial ou total da sensibilidade dolorosa. Pode ser induzida por diferentes medicamentos ou ser parte de uma doença neurológica.
5 Epilepsia: Alteração temporária e reversível do funcionamento cerebral, que não tenha sido causada por febre, drogas ou distúrbios metabólicos. Durante alguns segundos ou minutos, uma parte do cérebro emite sinais incorretos, que podem ficar restritos a esse local ou espalhar-se. Quando restritos, a crise será chamada crise epiléptica parcial; quando envolverem os dois hemisférios cerebrais, será uma crise epiléptica generalizada. O paciente pode ter distorções de percepção, movimentos descontrolados de uma parte do corpo, medo repentino, desconforto no estômago, ver ou ouvir de maneira diferente e até perder a consciência - neste caso é chamada de crise complexa. Depois do episódio, enquanto se recupera, a pessoa pode sentir-se confusa e ter déficits de memória. Existem outros tipos de crises epilépticas.
6 Miastenia: Perda das forças musculares ocasionada por doenças musculares inflamatórias. Por ex. Miastenia Gravis. A debilidade pode predominar em diferentes grupos musculares segundo o tipo de afecção (debilidade nos músculos extrínsecos do olho, da pelve, ou dos ombros, etc.).
7 Midríase: Dilatação da pupila. Ela pode ser fisiológica, patológica ou terapêutica.
8 Câmara Anterior: Espaço localizado no olho, preenchido com humor aquoso, limitado anteriormente pela córnea e uma pequena porção da esclera, e posteriormente por uma pequena porção do corpo ciliar, pela íris e pela parte do cristalino que se apresenta através da pupila.
9 Glaucoma: É quando há aumento da pressão intra-ocular e danos ao nervo óptico decorrentes desse aumento de pressão. Esses danos se expressam no exame de fundo de olho e por alterações no campo de visão.
10 Córnea: Membrana fibrosa e transparente presa à esclera, constituindo a parte anterior do olho.
11 Globo ocular: O globo ocular recebe este nome por ter a forma de um globo, que por sua vez fica acondicionado dentro de uma cavidade óssea e protegido pelas pálpebras. Ele possui em seu exterior seis músculos, que são responsáveis pelos movimentos oculares, e por três camadas concêntricas aderidas entre si com a função de visão, nutrição e proteção. A camada externa (protetora) é constituída pela córnea e a esclera. A camada média (vascular) é formada pela íris, a coroide e o corpo ciliar. A camada interna (nervosa) é constituída pela retina.

Tem alguma dúvida sobre ANESTÉSICO?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.