Preço de BENERVA em Cambridge/SP: R$ 25,70

BENERVA

BAYER

Atualizado em 03/06/2015

Cloridrato de Tiamina

                              VITAMINA1 B1

Identificação do Produto da Benerva

Nomes genéricos

Vitamina1 B1, Tiamina ou Aneurina.

Forma Farmacêutica e Apresentação da Benerva

Comprimidos: caixa com 30 comprimidos

USO ADULTO E PEDIÁTRICO

Composição da Benerva

Cada comprimido contém 300 mg de Vitamina1 B1 (tiamina ou aneurina).

Informação ao Paciente da Benerva

Este medicamento é útil para prevenir e tratar a carência (deficiência) de vitamina1 B1 no organismo. No entanto, você deve considerar como princípio básico que todo medicamento só  deve ser tomado mediante receita médica. Não tome, não doe e nem recomende este ou outros  remédios, sem o conhecimento de seu médico.

Os comprimidos de Benerva® devem ser tomados com um pouco de líquido. Não devem fazer  uso de Benerva® pacientes sensíveis à vitamina1 B1.

Benerva® em geral é bem tolerado, porém podem ocorrer eventualmente reações imprevisíveis e  dependentes da tolerância individual ao medicamento. Caso ocorram reações com o uso do  Benerva®, suspenda a medicação e informe imediatamente seu médico.

Prazo de validade

Benerva® tem prazo de validade a partir da data de sua fabricação (impressa na parte externa da  embalagem). Não é recomendável o uso de qualquer remédio com prazo de validade vencido.

Cuidados de Conservação da Benerva

Mantenha as embalagens fechadas e em local seco e fresco.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS  CRIANÇAS.

NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DE SEU MÉDICO. PODE SER  PERIGOSO PARA A SUA SAÚDE2.

SIGA CORRETAMENTE O MODO DE USAR; NÃO DESAPARECENDO OS  SINTOMAS3, PROCURE ORIENTAÇÃO MÉDICA.

Informação Técnica da Benerva

Propriedades e Efeitos da Benerva

Como constituinte da carboxilase, a vitamina1 B1 participa ativamente do metabolismo4 de glicídios,  lipídios e proteínas5. É também indispensável ao metabolismo4 do tecido nervoso6 e muscular,  devido à sua intervenção, em vários estágios, nas fases energéticas e hormonais da função  neuromuscular.

Os primeiros sinais7 de carência de vitamina1 B1 são de natureza psíquica, tais como alterações do  humor e da capacidade intelectual, podendo seguir-se os sintomas3 de um estado depressivo,  anorexia8, astenia9, debilidade neuromuscular, distúrbios digestivos, cardiovasculares e outros. Em  estágio mais avançado, ocorre processo inflamatório e degenerativo10 dos nervos motores e  sensitivos (polineurite). A forma mais grave de carência da vitamina1 B1 é o beribéri e podem  surgir também paralisias, ataxia11, degenerescência muscular, dispnéia12 e insuficiência13 e dilatação do  coração14 direito.

Farmacocinética da Benerva

Após ter sido absorvida, principalmente na porção superior do duodeno15, a vitamina1 B1 é
transformada em pirofosfato de tiamina (ou cocarboxilase), que é a sua forma ativa.

A vitamina1 B1 é indispensável para a descarboxilação oxidativa do ácido pirúvico16 e do ácido  2-oxoglutárico e também, tanto quanto o grupo prostético da transcetolase, age na degradação  dos glicídios através do intermediário do ciclo das pentoses-fosfato.

O tempo de meia-eliminação do organismo é de 10 a 20 horas. É excretada sob a forma de  metabólitos17 (uma pequena fração inalterada), a maior parte através dos rins18. A taxa sangüínea  normal de vitamina1 B1 está compreendida entre 2 a 4 mcg/100 ml.

A carência em tiamina está diretamente relacionada ao aporte de glicídios (0,4 mg/1000 kcal). Em  caso de alimentação rica em glicídios, o aporte de vitamina1 B1 deve ser adaptado.

O teste de ativação da transcetolase permite reconhecer um déficit de vitamina1 B1 em estágio  inicial.

Indicações da Benerva

Carência em vitamina1 B1 provocada pelo menor aporte ou alterações na absorção (p.ex., no  caso de alcoolismo) e que estão relacionadas a uma redução da eliminação urinária da tiamina,  elevação da taxa sangüínea de piruvato19 e 2-oxoglutarato, bem como uma queda da concentração  de pirofosfato de tiamina nos eritrócitos20. Sintomas3 clínicos: polineurites, bradicardia21, alterações  do psiquismo.

Necessidades aumentadas de vitamina1 B1 durante a gravidez22 e amamentação23.

Terapêutica24 do beribéri (avitaminose B1) que se apresenta sob as formas seca ou úmida e se  traduz por fraqueza muscular, parestesias25 e paralisias.

Cardiomiopatia alcoólica

Doença de Wernicke

Como adjuvante no tratamento das neurites26 e polineurites.

Restrições de Uso da Benerva

Benerva® está contra-indicado a pacientes sensíveis à vitamina1 B1 (tiamina).

Interações Medicamentosas da Benerva

Não existe registro de interação da vitamina1 B1 (oral) com outras drogas.

Reações Adversas da Benerva

Não existem informações disponíveis sobre efeitos adversos provocados pela vitamina1 B1
administrada por via oral. No entanto, dependendo da sensibilidade individual, podem ocorrer  reações imprevisíveis. Neste caso, suspenda o uso de Benerva® e informe imediata mente seu médico.

Posologia Padrão da Benerva

Em geral, um comprimido, uma a 2 vezes ao dia, ou a critério médico.

Sintomas3 e Tratamento de Superdosagem da Benerva

Não foram descritos, até o momento, sintomas3 de superdosagem com o uso de Benerva®. No  entanto, caso este fato venha a ocorrer, deverão ser adotadas as medidas padronizadas para o  tratamento de intoxicações.


BENERVA - Laboratório

BAYER
Rua Domingos Jorge, 1100
São Paulo/SP - CEP: 04779-900
Tel: 08007231010
Fax: 55 (011)548-0485
Site: http://www.bayer.com.br/

Ver outros medicamentos do laboratório "BAYER"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
2 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
3 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
4 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
5 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
6 Tecido Nervoso:
7 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
8 Anorexia: Perda do apetite ou do desejo de ingerir alimentos.
9 Astenia: Sensação de fraqueza, sem perda real da capacidade muscular.
10 Degenerativo: Relativo a ou que provoca degeneração.
11 Ataxia: Reflete uma condição de falta de coordenação dos movimentos musculares voluntários podendo afetar a força muscular e o equilíbrio de uma pessoa. É normalmente associada a uma degeneração ou bloqueio de áreas específicas do cérebro e cerebelo. É um sintoma, não uma doença específica ou um diagnóstico.
12 Dispnéia: Falta de ar ou dificuldade para respirar caracterizada por respiração rápida e curta, geralmente está associada a alguma doença cardíaca ou pulmonar.
13 Insuficiência: Incapacidade de um órgão ou sistema para realizar adequadamente suas funções.Manifesta-se de diferentes formas segundo o órgão comprometido. Exemplos: insuficiência renal, hepática, cardíaca, respiratória.
14 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
15 Duodeno: Parte inicial do intestino delgado que se estende do piloro até o jejuno.
16 Ácido pirúvico: Piruvato ou ácido pirúvico é um composto orgânico contendo três átomos de carbono (C3H4O3), originado ao fim da glicólise. Em meio aquoso, ele dissocia-se formando o ânion piruvato, que é a forma sob a qual participa de processos metabólicos.
17 Metabólitos: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
18 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
19 Piruvato: Ácido pirúvico ou piruvato é um composto orgânico contendo três átomos de carbono (C3H4O3), originado ao fim da glicólise. Em meio aquoso, ele dissocia-se formando o ânion piruvato, que é a forma sob a qual participa de processos metabólicos.
20 Eritrócitos: Células vermelhas do sangue. Os eritrócitos maduros são anucleados, têm forma de disco bicôncavo e contêm HEMOGLOBINA, cuja função é transportar OXIGÊNIO. Sinônimos: Corpúsculos Sanguíneos Vermelhos; Corpúsculos Vermelhos Sanguíneos; Corpúsculos Vermelhos do Sangue; Glóbulos Vermelhos; Hemácias
21 Bradicardia: Diminuição da freqüência cardíaca a menos de 60 batimentos por minuto. Pode estar associada a distúrbios da condução cardíaca, ao efeito de alguns medicamentos ou a causas fisiológicas (bradicardia do desportista).
22 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
23 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
24 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
25 Parestesias: São sensações cutâneas subjetivas (ex.: frio, calor, formigamento, pressão, etc.) que são vivenciadas espontaneamente na ausência de estimulação.
26 Neurites: Inflamação de um nervo. Pode manifestar-se por neuralgia, déficit sensitivo, formigamentos e/ou diminuição da força muscular, dependendo das características do nervo afetado (sensitivo ou motor). Esta inflamação pode ter causas infecciosas, traumáticas ou metabólicas.

Tem alguma dúvida sobre BENERVA?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.