Preço de BISOLVON em Wilmington/SP: R$ 16,55

BISOLVON

Boehringer Ingelheim

Atualizado em 03/06/2015

Cloridrato de bromexina

Uso pediátrico e adulto

Formas Farmacêuticas e Apresentações de Bisolvon

Xarope expectorante: Frasco com 120 ml. Solução expectorante: Frasco com 50 ml.

Composição de Bisolvon

Xarope expectorante: Cada 10 ml (1 copo-medida) contém: Cloridrato de bromexina, 8 mg. Excipientes: Acido tartárico, ácido benzóico, carboximetilcelulose sódica, glicerina, sorbitol1 a 70%, aroma de frutas 52504 T, álcool etílico, água desionizada. Solução expectorante: Cada ml (15 gotas) contém: Cloridrato de bromexina, 2 mg. Excipientes: Acido tartárico, metilparabeno, água desionizada.

Informações ao Paciente de Bisolvon

Conservar o medicamento em lugar fresco e seco, ao abrigo da luz. O prazo de validade do xarope expectorante e da solução expectorante é de 48 meses. Não tome medicamentos com o prazo de validade vencido. BISOLVON é um expectorante que facilita a remoção das secreções mucosas2 dos brônquios3, aliviando consideravelmente a função respiratória. Com uso oral, o efeito inicia-se dentro de 5 horas. Com inalação, o efeito instala-se mais rapidamente, dentro de 15 a 20 minutos. Não usar o produto durante os primeiros três meses de gravidez4. Mulheres que estejam amamentando devem evitar o uso do produto. Não se conhece incompatibilidade com outros medicamentos. Como efeitos colaterais5, podem ocorrer manifestações gastrintestinais e reações alérgicas. Se ocorrerem reações desagradáveis graves, procure orientação médica.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

Informações Técnicas de Bisolvon

BISOLVON é um secretolítico broncopulmonar com características terapêuticas originais. Por um lado, promove ação secretomotora com aumento da quantidade de expectoração6. Por outro lado,  pela sua ação secretolítica, produz a fluidificação das secreções mucosas2 espessas contidas na árvore traqueobrônquica, por redução da viscosidade7 do muco, facilitando com isto a expectoração6 e aliviando a tosse. A ação terapêutica8 plena é alcançada ao cabo de alguns dias de administração, pelo que se aconselha não interromper a terapêutica8 precocemente. Nos casos crônicos é necessário instituir um tratamento prolongado.

Indicações de Bisolvon

Como terapêutica8 secretolítica e expectorante nas afecções9 broncopulmonares agudas e crônicas, associadas a secreção mucosa10 anormal e a transtornos do transporte mucoso.

Contra-Indicações de Bisolvon

Hipersensibilidade conhecida à bromexina e a outros componentes da fórmula.

Gravidez4 e Lactação11 de Bisolvon

Estudos pré-clínicos e a ampla experiência clínica disponível não evidenciaram efeitos prejudiciais durante a gravidez4. Mesmo assim, devem ser observadas as precauções habituais a respeito do uso de fármacos durante a gravidez4, sobretudo durante o primeiro trimestre. Bromexina ou seus metabólitos12 passam para o leite materno, pelo que deve ser evitado o uso do produto em mulheres que estejam amamentando.

Interações Medicamentosas de Bisolvon

Desconhecem-se interações prejudiciais. A administração de bromexina  juntamente com antibióticos (amoxicilina, cefuroxima, eritromicina, doxiciclina) produz concentrações antibióticas mais elevadas no tecido13 pulmonar.

Reações Adversas de Bisolvon

BISOLVON é geralmente bem-tolerado. Como efeitos colaterais5, foram relatadas manifestações gastrintestinais leves. Em raros casos podem ocorrer reações alérgicas, sobretudo erupções cutâneas14.

Observação de Bisolvon

Convém lembrar aos pacientes que durante o tratamento há de se esperar um aumento da secreção brônquica. Não existem restrições ou precauções especiais para o uso do produto em pacientes com idade acima de 65 anos.

Posologia de Bisolvon

Xarope expectorante: Adultos e crianças acima de 12 anos: 1 copo-medida (10 ml), 3 vezes ao dia.
Crianças de 6 a 12 anos: 1/2 copo-medida (5 ml), 3 vezes ao dia. Crianças de 2 a 6 anos: 1/4 copo-medida (2,5 ml), 3 vezes ao dia. Crianças menores de 2 anos: 1/8 copo-medida (1,25 ml), 3 vezes ao dia.
Solução expectorante: O novo frasco de BISOLVON vem acompanhado de um moderno tipo de gotejador, de fácil manuseio: basta colocar o frasco em posição vertical deixar escorrer a quantidade desejada de gotas.
Adultos e crianças acima de 12 anos: 4 ml (60 gotas), 3 vezes ao dia.
Crianças de 6 a 12 anos: 2 ml (30 gotas), 3 vezes ao dia.
Crianças de 2 a 6 anos: 20 gotas, 3 vezes ao dia.
Crianças menores de 2 anos: 10 gotas, 3 vezes ao dia.

1.Romper o lacre da tampa.

2.Virar o frasco.

3. Deixar o frasco na posição vertical. Para começar o gotejamento, bater levemente com o dedo no fundo do frasco.

Inalação de Bisolvon

Adultos: 4 ml (60 gotas), 2 vezes ao dia. Crianças acima de 12 anos: 2 ml (30 gotas) , 2 vezes ao dia. Crianças de 6 a 12 anos: 1 ml (15 gotas), 2 vezes ao dia. Crianças de 2 a 6 anos: 10 gotas, 2 vezes ao dia. Crianças menores de 2 anos: 5 gotas, 2 vezes ao dia. É aconselhável aquecer a solução inalatória à temperatura corporal antes de se iniciar a inalação. Aos pacientes com asma15 brônquica recomenda-se iniciar a inalação após a administração da medicação broncoespasmolítica habitual. As gotas podem ser diluídas em uma solução salina fisiológica16, numa proporção de 1:1. Para evitar uma precipitação, a solução deve ser inalada imediatamente após a mistura. A aplicação combinada de inalação com uso oral do produto intensifica o efeito e é particularmente útil para os casos em que se deseja obter um efeito rápido.

Siga corretamente o modo de usar. Não desaparecendo os sintomas17, procure orientação médica.

Superdosagem de Bisolvon

Desconhecem-se casos de superdosagem e reações adversas graves. Entretanto, se ocorrerem, recomenda-se um tratamento sintomático18.

Para sua segurança, mantenha esta embalagem até o uso total do medicamento.

BOEHRINGER INGELHEIM do Brasil Química e Farmacêutica Ltda.

BISOLVON - Laboratório

Boehringer Ingelheim
Av. Maria Coelho Aguiar,215-Bl. F - 3ºand
São Paulo/SP - CEP: 05804-970
Tel: 55 (011) 3741-2181
Fax: 55 (011) 3741-1648
Site: http://www.boehringer-ingelheim.com/

Ver outros medicamentos do laboratório "Boehringer Ingelheim"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Sorbitol: Adoçante com quatro calorias por grama. Substância produzida pelo organismo em pessoas com diabetes e que pode causar danos aos olhos e nervos.
2 Mucosas: Tipo de membranas, umidificadas por secreções glandulares, que recobrem cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
3 Brônquios: A maior passagem que leva ar aos pulmões originando-se na bifurcação terminal da traquéia. Sinônimos: Bronquíolos
4 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
5 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
6 Expectoração: Ato ou efeito de expectorar. Em patologia, é a expulsão, por meio da tosse, de secreções provenientes da traqueia, brônquios e pulmões; escarro.
7 Viscosidade: 1. Atributo ou condição do que é viscoso; viscidez. 2. Resistência que um fluido oferece ao escoamento e que se deve ao movimento relativo entre suas partes; atrito interno de um fluido.
8 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
9 Afecções: Quaisquer alterações patológicas do corpo. Em psicologia, estado de morbidez, de anormalidade psíquica.
10 Mucosa: Tipo de membrana, umidificada por secreções glandulares, que recobre cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
11 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
12 Metabólitos: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
13 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
14 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
15 Asma: Doença das vias aéreas inferiores (brônquios), caracterizada por uma diminuição aguda do calibre bronquial em resposta a um estímulo ambiental. Isto produz obstrução e dificuldade respiratória que pode ser revertida de forma espontânea ou com tratamento médico.
16 Fisiológica: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
17 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
18 Sintomático: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.

Tem alguma dúvida sobre BISOLVON?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.