NASIVIN e NASIVIN Infantil

MERCK

Atualizado em 09/12/2014

Nasivin®

Cloridrato de oximetazolina

Formas Farmacêuticas e Apresentações de Nasivin e Nasivin Infantil

NASIVIN® gotas - frasco com 10ml.NASIVIN® para nebulização1 - frasco nebulizador com 10ml.

Para uso intranasal por adultos e crianças com mais de 6 anos.
                                                                                                                           

Composição de Nasivin e Nasivin Infantil

NASIVIN® gotas - cada ml contém 0,5mg de cloridrato de oximetazolina e excipientes (cloreto de benzalcônio, edetato dissódico, fosfato de sódio dibásico, fosfato de sódio monobásico e hidróxido de sódio)
NASIVIN® para nebulização1 - cada ml contém 0,5mg de cloridrato de oximetazolina e excipientes (cloreto de benzalcônio, edetato dissódico, fosfato de sódio dibásico, fosfato de sódio monobásico e hidróxido de sódio)

Indicações de Nasivin e Nasivin Infantil

NASIVIN® está indicado como vasoconstritor para reduzir o edema2 e a hipersecreção da mucosa3 nasal, conseqüentes à vasodilatação ocasionada por infecções4, processos alérgicos e alterações vasomotoras que acometem as vias aéreas superiores.

Contra-Indicações de Nasivin e Nasivin Infantil

NASIVIN® não deve ser administrado a pessoas com reconhecida hipersensibilidade ao cloridrato de oximetazolina ou a qualquer um dos excipientes.

Precauções de Nasivin e Nasivin Infantil

Por não estar ainda estabelecida a segurança do emprego do cloridrato de oximetazolina durante a gestação, recomenda-se não utilizar o produto em mulheres grávidas. Levando em consideração possíveis efeitos simpaticomiméticos sistêmicos5, os produtos devem ser empregados com muita cautela em pacientes coronariopatas, hipertensos, diabéticos e hipertireoidianos.
NASIVIN® gotas e NASIVIN® para nebulização1 devem ser usados por adultos e crianças com mais de 6 anos de idade.

Lnterações Medicamentosas de Nasivin e Nasivin Infantil

Por conter uma amina simpaticomimética, NASIVIN® não deve ser utilizado por pacientes em uso de inibidores da monoamino-oxidase, em virtude da possibilidade de ocorrência de crise hipertensiva.

Reações adversas
Embora, NASIVIN® seja normalmente bem tolerado, podem ocorrer irritação e ardor6 local, ressecamento da mucosa3 nasal, espirros, cefaléia7, tonteira, insônia e raramente palpitação8. Esses efeitos, pouco freqüentes, costumam ser leves e transitórios.
O uso prolongado ou excessivo dos produtos pode, eventualmente, ocasionar congestão de rebote.

Posologia e Modo de Usar de Nasivin e Nasivin Infantil

NASIVIN® gotaslnstilar duas ou três gotas em cada narina, de uma a três vezes ao dia, mantendo a cabeça9 bem inclinada para trás.
NASIVIN® para nebulização1
Conforme a necessidade, aplica-se uma nebulização1 em cada narina, de uma a três vezes ao dia, procedendo-se da seguinte maneira:
manter a cabeça9 levemente inclinada para a frente;
introduzir a ponta do frasco na narina, mantendo-o em posição vertical;
apertar o frasco fortemente, uma só vez, aspirando ao mesmo tempo;
retirar a ponta do frasco da narina, sem relaxar a pressão sobre o frasco.
NASIVIN® não deve ser usado por mais de quatro semanas.

Pacientes idosos
Não existem advertências ou recomendações especiais sobre o uso do produto por pacientes idosos.

Conduta na Superdosagern de Nasivin e Nasivin Infantil

O cloridrato de oximetazolina pode causar intoxicações em crianças pequenas em casos de superdosagem ou ingestão acidental. Há depressão do sistema nervoso10
central, com sedação11 ou mesmo coma12, e hipotermia13 acompanhada de hipotensão14 ou choque15.
O tratamento é feito com lavagem gástrica16 e carvão, infusão de plasma17 (ou substitutos plasmáticos), oxigênio, calor e, nos casos graves, intubação e respiração artificial18.

Venda sob prescrição médica.

NASIVIN e NASIVIN Infantil - Laboratório

MERCK
Estrada dos Bandeirantes, 1099
Rio de Janeiro/RJ - CEP: 22170-571
Tel: 55 (021) 445-1661
Fax: 55 (021) 444-2124
Site: http://www.merck.com.br/

Ver outros medicamentos do laboratório "MERCK"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Nebulização: Método utilizado para administração de fármacos ou fluidificação de secreções respiratórias. Utiliza um mecanismo vaporizador através do qual se favorece a penetração de água ou medicamentos na atmosfera bronquial.
2 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
3 Mucosa: Tipo de membrana, umidificada por secreções glandulares, que recobre cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
4 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
5 Sistêmicos: 1. Relativo a sistema ou a sistemática. 2. Relativo à visão conspectiva, estrutural de um sistema; que se refere ou segue um sistema em seu conjunto. 3. Disposto de modo ordenado, metódico, coerente. 4. Em medicina, é o que envolve o organismo como um todo ou em grande parte.
6 Ardor: 1. Calor forte, intenso. 2. Mesmo que ardência. 3. Qualidade daquilo que fulge, que brilha. 4. Amor intenso, desejo concupiscente, paixão.
7 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
8 Palpitação: Designa a sensação de consciência do batimento do coração, que habitualmente não se sente. As palpitações são detectadas usualmente após um exercício violento, em situações de tensão ou depois de um grande susto, quando o coração bate com mais força e/ou mais rapidez que o normal.
9 Cabeça:
10 Sistema nervoso: O sistema nervoso é dividido em sistema nervoso central (SNC) e o sistema nervoso periférico (SNP). O SNC é formado pelo encéfalo e pela medula espinhal e a porção periférica está constituída pelos nervos cranianos e espinhais, pelos gânglios e pelas terminações nervosas.
11 Sedação: 1. Ato ou efeito de sedar. 2. Aplicação de sedativo visando aliviar sensação física, por exemplo, de dor. 3. Diminuição de irritabilidade, de nervosismo, como efeito de sedativo. 4. Moderação de hiperatividade orgânica.
12 Coma: 1. Alteração do estado normal de consciência caracterizado pela falta de abertura ocular e diminuição ou ausência de resposta a estímulos externos. Pode ser reversível ou evoluir para a morte. 2. Presente do subjuntivo ou imperativo do verbo “comer.“
13 Hipotermia: Diminuição da temperatura corporal abaixo de 35ºC.Pode ser produzida por choque, infecção grave ou em estados de congelamento.
14 Hipotensão: Pressão sanguínea baixa ou queda repentina na pressão sanguínea. A hipotensão pode ocorrer quando uma pessoa muda rapidamente de uma posição sentada ou deitada para a posição de pé, causando vertigem ou desmaio.
15 Choque: 1. Estado de insuficiência circulatória a nível celular, produzido por hemorragias graves, sepse, reações alérgicas graves, etc. Pode ocasionar lesão celular irreversível se a hipóxia persistir por tempo suficiente. 2. Encontro violento, com impacto ou abalo brusco, entre dois corpos. Colisão ou concussão. 3. Perturbação brusca no equilíbrio mental ou emocional. Abalo psíquico devido a uma causa externa.
16 Lavagem gástrica: É a introdução, através de sonda nasogástrica, de líquido na cavidade gástrica, seguida de sua remoção.
17 Plasma: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).
18 Respiração artificial: Tipo de apoio à função respiratória que utiliza um instrumento eletromecânico (respirador artificial), capaz de insuflar de forma cíclica volumes pré-determinados de ar com alta concentração de oxigênio através dos brônquios.
Artigos relacionados

Tem alguma dúvida sobre NASIVIN e NASIVIN Infantil?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.