PIPORTIL L4

Sanofi Aventis Farmacêutica Ltda

Atualizado em 09/12/2014

Composição de Piportil L4

pipotiazina.

Posologia e Administração de Piportil L4

adultos: a dose inicial é de 100 mg, administrada por via intramuscular. Crianças: de 2 a 6 anos: dose média inicial de 12,5 mg (0,5 ml) por via intramuscular. De 6 a 12 anos: dose média inicial de 25 mg (1 ml) por via intramuscular. Acima de 12 anos: dose média inicial entre 75 e 100 mg (entre 3 e 4 ml) por via intramuscular. - Observação: o intervalo médio entre as injeções, tanto para adultos como para crianças é de 30 dias. As doses acima descritas serão ajustadas de acordo com a resposta individual, podendo ser aumentadas ou diminuídas. As injeções são de uso unicamente por via intramuscular. - Superdosagem: pode ocorrer síndrome1 parkinsoniana de gravidade variável e até coma2. O tratamento é sintomático3 e deve ser realizado em meio especializado.

Precauções de Piportil L4

é desaconselhável o uso de bebidas alcoólicas, durante o tratamento com Piportil L4. Pacientes condutores de veículos ou máquinas devem ser acompanhados com atenção, pois o medicamento pode provocar sonolência. Uma vigilância clínica e eventualmente eletroencefalográfica deve ser reforçada em pacientes epilépticos, em razão da possibilidade de diminuição do limiar epileptógeno. Piportil L4 pode ser utilizado, mas com prudência, em pacientes portadores do Mal de Parkinson que necessitarem de tratamento neuroléptico4. Impõe-se também prudência nos indivíduos idosos (sedação5 e hipotensão6); nas afecções7 cardiovasculares graves (hipotensão6); nos portadores de insuficiência renal8 ou hepática9, em razão do risco de superdosagem. É preferível não administrar Piportil L4 a pacientes grávidas ou no período de aleitamento; embora a administração em animais não tenha acusado malformação10 fetal, a inocuidade11 do tratamento nestas condições ainda não está estabelecida; portanto, antes de administrá-la à paciente, deve-se fazer um balanço das vantagens e eventuais riscos da terapêutica12. Recomenda-se não utilizar este medicamento em crianças com menos de 2 anos de idade. - Interações medicamentosas: Piportil L4 potencializa os hipotensores, os anti-hipertensivos e os depressores do sistema nervoso central13 (hipnóticos, tranqüilizantes, anestésicos e analgésicos14). Evitar o uso com levodopa; diminui o efeito desta droga. O uso com quinidina pode dar lugar a efeitos cardíacos aditivos.

Reações Adversas de Piportil L4

Piportil L4, de modo geral, tem uma boa tolerabilidade. As reações adversas que podem eventualmente ocorrer são: sonolência ou sedação5. Discinesias. Síndrome1 extrapiramidal. Hipotensão6 ortostática. Secura na boca15, constipação16, retenção urinária17. Impotência18, frigidez, amenorréia19, galactorréia20, ginecomastia21, hiperprolactinemia. Fotossensibilização, icterícia22 colestática (raros).

Contra-Indicações de Piportil L4

doenças orgânicas graves. Antecedentes de agranulocitose23 tóxica. Porfiria24, glaucoma25. Risco de retenção urinária17, relacionada a distúrbios uretroprostáticos.

Indicações de Piportil L4

psicoses crônicas. Psiquiatria infantil. Manifestações de agressividade.

Apresentação de Piportil L4

estojo com 1 ampola a 4 ml dosada a 100 mg de éster palmítico de pipotiazina (cada ml contém 25 mg de éster palmítico de pipotiazina). Estojo com 3 ampolas de 1 ml a 25 mg de éster palmítico de pipotiazina.


PIPORTIL L4 - Laboratório

Sanofi Aventis Farmacêutica Ltda
Rua Conde Domingos Papais, 413
Suzano/SP - CEP: 08613-010
Site: http://www.sanofi-aventis.com.br
C.N.P.J. 02.685.377/0008-23 - Indústria Brasileira

Ou

Sanofi Aventis Farmacêutica Ltda
Av Brasil, 22.155- Rio de Janeiro - RJ
CNPJ 02.685.377/0019-86 - Indústria Brasileira
Atendimento ao Consumidor 0800-703-0014
www.sanofi-aventis.com.br

Ver outros medicamentos do laboratório "Sanofi Aventis Farmacêutica Ltda"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
2 Coma: 1. Alteração do estado normal de consciência caracterizado pela falta de abertura ocular e diminuição ou ausência de resposta a estímulos externos. Pode ser reversível ou evoluir para a morte. 2. Presente do subjuntivo ou imperativo do verbo “comer.“
3 Sintomático: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.
4 Neuroléptico: Medicamento que exerce ação calmante sobre o sistema nervoso, tranquilizante, psicoléptico.
5 Sedação: 1. Ato ou efeito de sedar. 2. Aplicação de sedativo visando aliviar sensação física, por exemplo, de dor. 3. Diminuição de irritabilidade, de nervosismo, como efeito de sedativo. 4. Moderação de hiperatividade orgânica.
6 Hipotensão: Pressão sanguínea baixa ou queda repentina na pressão sanguínea. A hipotensão pode ocorrer quando uma pessoa muda rapidamente de uma posição sentada ou deitada para a posição de pé, causando vertigem ou desmaio.
7 Afecções: Quaisquer alterações patológicas do corpo. Em psicologia, estado de morbidez, de anormalidade psíquica.
8 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
9 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
10 Malformação: 1. Defeito na forma ou na formação; anomalia, aberração, deformação. 2. Em patologia, é vício de conformação de uma parte do corpo, de origem congênita ou hereditária, geralmente curável por cirurgia. Ela é diferente da deformação (que é adquirida) e da monstruosidade (que é incurável).
11 Inocuidade: Qualidade, caráter de uma coisa inócua/inofensiva.
12 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
13 Sistema Nervoso Central: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
14 Analgésicos: Grupo de medicamentos usados para aliviar a dor. As drogas analgésicas incluem os antiinflamatórios não-esteróides (AINE), tais como os salicilatos, drogas narcóticas como a morfina e drogas sintéticas com propriedades narcóticas, como o tramadol.
15 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
16 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
17 Retenção urinária: É um problema de esvaziamento da bexiga causado por diferentes condições. Normalmente, o ato miccional pode ser iniciado voluntariamente e a bexiga se esvazia por completo. Retenção urinária é a retenção anormal de urina na bexiga.
18 Impotência: Incapacidade para ter ou manter a ereção para atividades sexuais. Também chamada de disfunção erétil.
19 Amenorréia: É a ausência de menstruação pelo período equivalente a 3 ciclos menstruais ou 6 meses (o que ocorrer primeiro). Para períodos inferiores, utiliza-se o termo atraso menstrual.
20 Galactorréia: Secreção mamária anormal de leite fora do período de amamentação. Pode ser produzida por distúrbios hormonais ou pela ação de medicamentos.
21 Ginecomastia: Aumento anormal de uma ou ambas as glândulas mamárias no homem. Associa-se a diferentes enfermidades como cirrose, tumores testiculares, etc. Em certas ocasiões ocorrem de forma idiopática.
22 Icterícia: Coloração amarelada da pele e mucosas devido a uma acumulação de bilirrubina no organismo. Existem dois tipos de icterícia que têm etiologias e sintomas distintos: icterícia por acumulação de bilirrubina conjugada ou direta e icterícia por acumulação de bilirrubina não conjugada ou indireta.
23 Agranulocitose: Doença causada pela falta ou número insuficiente de leucócitos granulócitos (neutrófilos, basófilos e eosinófilos), que se manifesta como ulcerações na garganta e outras mucosas, seguidas por infecções graves.
24 Porfiria: Constituem um grupo de pelo menos oito doenças genéticas distintas, além de formas adquiridas, decorrentes de deficiências enzimáticas específicas na via de biossíntese do heme, que levam à superprodução e acumulação de precursores metabólicos, para cada qual correspondendo um tipo particular de porfiria. Fatores ambientais, tais como: medicamentos, álcool, hormônios, dieta, estresse, exposição solar e outros desempenham um papel importante no desencadeamento e curso destas doenças.
25 Glaucoma: É quando há aumento da pressão intra-ocular e danos ao nervo óptico decorrentes desse aumento de pressão. Esses danos se expressam no exame de fundo de olho e por alterações no campo de visão.

Tem alguma dúvida sobre PIPORTIL L4?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.