OPTACILIN

NYCOMED PHARMA

Atualizado em 09/12/2014

           Injetável Intramuscular


           Pediátrico 250 mg
Adulto 500 mg e 1000 mg

Apresentações de Optacilin

250 mg - caixa com 1 frasco-ampola e 1 ampola de diluente com 2,5 ml500 mg e 1000 mg - caixa com 1 frasco-ampola e 1 ampola de diluente com 5 ml

Uso Adulto ou Pediátrico

Composições de Optacilin

                        
Cada frasco-ampola contém:
            
Ampicilina benzatina  Pediátrico 250 mg        Adulto    500 mg     1000 mg
Ampicilina sódica  Pediátrico  50 mg    
Adulto       100 mg       100 mg

Cada ampola de diluente contém:
            Água bidestilada Pediátrico  2,5 ml          Adulto     5 ml            5 ml
           

Informação ao Paciente de Optacilin

Conserve o produto na embalagem original e ao abrigo do calor.Prazo de validade: 30 meses a partir da data da fabricação (vide cartucho). Não use medicamento com o prazo de validade vencido.
Informe seu médico a ocorrência de gravidez1 ou lactação2 na vigência do tratamento.
Cuidados de administração: O produto deve ser aplicado exclusivamente por via intramuscular na região glútea3 (nádega).
Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.
Caso apareçam reações desagradáveis como erupções na pele4, coceira pelo corpo, inflamação5 na língua6, na boca7, ou nos intestinos8, a medicação deve ser suspensa, procurando-se assistência médica imediata.
TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.
Informe seu médico caso esteja fazendo uso de outro medicamento.
Optacilin não deve ser usado nos 3 primeiros meses da gravidez1; em pacientes com hipersensibilidade às penicilinas e derivados e/ou cefalosporinas; e nas infecções9 não sensíveis.
Na presença de insuficiência renal10, o uso de antibióticos deve ser efetuado sob rígido controle clínico/laboratorial.
NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO. PODE SER PERIGOSO PARA A SUA SAÚDE11.

Informação Técnica de Optacilin

Optacilin  tem como substância ativa principal a ampicilina benzatina derivada da ampicilina; é um antibiótico bactericida12 de largo espectro sobre microorganismos Gram-positivos e Gram-negativos. A aplicação parenteral da ampicilina benzatina, em doses terapêuticas, promove um teor sangüíneo de dois e meio a nove vezes maior do que se consegue com o trihidrato de ampicilina em dose idêntica, considerado em base anidra. Devido à liberação protraída da benzatina, sua absorção é lenta, mantendo-se altas concentrações sangüíneas por tempo prolongado, evitando-se os incovenientes de injeções freqüentes. Por outro lado, a presença da ampicilina sódica, por sua rápida absorção, determina ataque imediato, que então será mantido pela ação prolongada da ampicilina benzatina.

Indicações de Optacilin

Infecções9 por germes sensíveis ao antibiótico, tais como: infecções9 das vias respiratórias (pneumonia13, bronco-pneumonia13, amigdalite, faringite14, laringite15, otite16, sinusite17), infecções9 gastrintestinais (enterite, gastrenterite, colecistite18, shigueloses, salmoneloses-febre tifóide19 e paratifóide, inclusive portadores crônicos), infecções9 genito-urinárias (cistite20, pielite, pielonefrite21, prostatite22, uretrite23, pelviperitonite, endometrite, anexite24, gonococcia), infecções9 dermatológicas (erisipela25, piodermite26, furunculoses, abscessos27), outras infecções9 (septicemia28, endocardite29 bacteriana, meningite30 bacteriana, linfangite31, tromboflebite32). Profilaxia anti-infecciosa no pré e pós-operatório.

-  Contra-Indicações:

Hipersensibilidade às penicilinas e derivados e/ou cefalosporinas; infecções9 por estafilococos penicilino-resistentes e nas produzidas por bacilo33 piociânico, ricketsias e vírus34; primeiro trimestre da gravidez1.

Precauções de Optacilin

Certificar-se de que o paciente não teve reações anteriores ao emprego de penicilinas ou cefalosporinas ou se não é portador de asma35, rinite36 alérgica, etc. Praticar o teste rápido de sensibilização cutânea37.
No uso por tempo prolongado, há possibilidade de superinfecções38 por germes resistentes (incluindo fungos). Recomenda-se vigilância quanto a estes fenômenos. Na presença de insuficiência renal10, a antibioticoterapia deve ser acompanhada de exames sangüíneos, renais e hepáticos freqüentes. Desaconselha-se o uso do tratamento da mononucleose infecciosa39, visto o alto risco de provocar reações cutâneas40.
Nos casos de blenorragia41 com lesão42 suspeita de sífilis43 primária, proceder exames de câmara escura antes do tratamento. Em caso de suspeita de sífilis43 concomitante, são necessários testes sorológicos mensais durante 3 meses, no mínimo. As infecções9 por estreptococos hemolíticos requerem um mínimo de 10 dias de tratamento para evitar manifestação de febre reumática44 ou glomerulonefrite45. Nas infecções9 crônicas das vias genito-urinárias e gastrintestinais são necessárias freqüentes avaliações bacteriológicas e clínicas, como também exames pós-tratamento repetidos, para confirmação da cura bacteriológica. Em casos de prostatite22 ou epididimite, recomenda-se tratamento intensivo e prolongado.

Interações Medicamentosas de Optacilin

A administração concomitante dos seguintes medicamentos, pode causar:Alopurinol: aumento da possibilidade de erupções cutâneas40, particularmente em pacientes hiperuricêmicos.
Cloranfenicol, Eritromicina, Sulfamidas, Tetraciclinas: interferência na ação bactericida da ampicilina.
Probenecid: diminuição da excreção da ampicilina com conseqüente aumento dos seus níveis séricos e da meia-vida. O uso com anticoncepcionais diminui a segurança destes medicamentos.

- Reações Adversas:

Reações de hipersensibilidade (p.ex. dermatites eritematosas46 ou máculo-papulosas, urticária47, prurido48, conjuntivite49, rinite36, glossite50, estomatite51, enterocolite, colite52 pseudomembranosa, fenômenos anafilactóides), que ocorrem com maior probabilidade em pacientes com história de asma35, rinite36 alérgica, urticária47 e febre do feno53. Em casos de manifestação de uma ou mais destas reações, a antibioticoterapia deve ser suspensa, salvo seja - na opinião médica - de importância vital, controlando-se então os fenômenos de hipersensibilidade mediante anti-histamínicos e/ou corticosteróides de ação sistêmica.
Agranulocitose54, anemia55, eosinofilia56, leucopenia57, púrpura58 trombocitopênica, dermatite59 esfoliativa, sonolência e nefropatias60 são referidas na literatura, sendo reversíveis pela suspensão da droga.

Posologia de Optacilin

Aplicação por Via Intramuscular (Intraglútea):
Crianças (Pediátrico 250 mg): Na profilaxia anti-infecciosa pré e pós-operatória, 1 frasco-ampola (250 mg) cada 72 horas ou, conforme o caso e o critério médico, cada 48 horas. Na terapia anti-infecciosa, 1 frasco-ampola, cada 24 ou cada 12 horas, conforme a necessidade e critério médico.
Adultos: Na profilaxia anti-infecciosa pré e pós-operatória, 1 frasco-ampola (500 mg) cada 72 horas ou, conforme o caso e critério médico, cada 48 horas. Na terapia anti-infecciosa, 1 frasco-ampola de 500 mg ou de 1000 mg, cada 24 ou cada 12 horas, conforme necessidade e critério médico.

Observações:
Dissolver o conteúdo do frasco-ampola com o diluente no momento de usar. Utilizar uma agulha para o preparo da solução e outra para injetar Optacilin IM no paciente. Continuar o tratamento ao menos 48 a 72 horas após cessarem todos os sintomas61 ou se tornarem negativas as culturas.

TÉCNICAS DE APLICAÇÃO DA INJEÇÃO INTRAMUSCULAR62 INTRAGLÚTEA
A fim de prevenir possíveis reações irritantes locais, recomenda-se:

           
local de injeção63

           

           .    Usar agulha de comprimento e calibre suficientes (40 x 8 mm).
Injeção63 intraglútea, no quadrante superior externo, em direção perpendicular à asa ilíaca.
.    Injetar lentamente, pressionando suavemente o êmbolo64 da seringa65, após certificar-se de que não foi atingido vaso sangüíneo.
.    Massagear suavemente o local da aplicação por alguns minutos.
         

Conduta na Superdosagem de Optacilin

Na eventualidade da ingestão acidental de doses  muito acima das preconizadas, recomenda-se adotar as medidas habituais de controle das funções vitais. Nos casos de reações alérgicas graves (choque anafilático66 p.ex.), o uso de corticóides, adrenalina67 e manutenção das vias aéreas livres é indicado. Em casos graves a hemodiálise68 está indicada.

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA

OPTACILIN - Laboratório

NYCOMED PHARMA
Rua do Estilo Barroco, 721
Santo Amaro/SP - CEP: 04709-011
Tel: 11 5188 4400
Site: http://www.nycomed.com.br/

Ver outros medicamentos do laboratório "NYCOMED PHARMA"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
2 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
3 Região Glútea:
4 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
5 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
6 Língua:
7 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
8 Intestinos: Seção do canal alimentar que vai do ESTÔMAGO até o CANAL ANAL. Inclui o INTESTINO GROSSO e o INTESTINO DELGADO.
9 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
10 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
11 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
12 Antibiótico bactericida: Destrói a parede bacteriana, eliminando a bactéria.
13 Pneumonia: Inflamação do parênquima pulmonar. Sua causa mais freqüente é a infecção bacteriana, apesar de que pode ser produzida por outros microorganismos. Manifesta-se por febre, tosse, expectoração e dor torácica. Em pacientes idosos ou imunodeprimidos pode ser uma doença fatal.
14 Faringite: Inflamação da mucosa faríngea em geral de causa bacteriana ou viral. Caracteriza-se por dor, dificuldade para engolir e vermelhidão da mucosa, acompanhada de exsudatos ou não.
15 Laringite: Inflamação da mucosa que recobre a laringe. É muito freqüente durante os meses frios, e é produzida por uma infecção viral. Apresenta-se com dor, alterações da fonação (disfonia), tosse e febre.
16 Otite: Toda infecção do ouvido é chamada de otite.
17 Sinusite: Infecção aguda ou crônica dos seios paranasais. Podem complicar o curso normal de um resfriado comum, acompanhando-se de febre e dor retro-ocular.
18 Colecistite: Inflamação aguda da vesícula biliar. Os sintomas mais freqüentes são febre, dor na região abdominal superior direita (hipocôndrio direito), náuseas, vômitos, etc. Seu tratamento é cirúrgico.
19 Febre tifóide: Infecção produzida por uma bactéria chamada Salmonella tiphy, adquirida através de alimentos contaminados e caracterizada por febre persistente, aumento do tamanho dos tecidos linfáticos (baço, gânglios linfáticos, etc.) e erupções cutâneas. Sem tratamento adequado pode ser muito grave.
20 Cistite: Inflamação ou infecção da bexiga. É uma das infecções mais freqüentes em mulheres, e manifesta-se por ardor ao urinar, urina escura ou com traços de sangue, aumento na freqüência miccional, etc.
21 Pielonefrite: Infecção dos rins produzida em geral por bactérias. A forma de aquisição mais comum é por ascensão de bactérias através dos ureteres, como complicação de uma infecção prévia de bexiga. Seus sintomas são febre, dor lombar, calafrios, eliminação de urina turva ou com traços de sangue, etc. Deve ser tratada cuidadosamente com antibióticos pelo risco de lesão permanente dos rins, com perda de função renal.
22 Prostatite: Quadro de inflamação da próstata.
23 Uretrite: Inflamação da uretra de causa geralmente infecciosa. Manifesta-se por ardor ao urinar e secreção amarelada drenada pela mesma. Em mulheres esta secreção pode não ser evidente.
24 Anexite: Inflamação dos ovários e/ou das trompas de Falópio (tubas uterinas), também denominados anexos uterinos.
25 Erisipela: Infecção cutânea que afeta a derme e o tecido celular subcutâneo, produzida por uma bactéria denominada estreptococo e que se manifesta por febre, aumento da temperatura local, dor e espessamento da pele afetada.
26 Piodermite: Infecção bacteriana da pele caracterizada pela presença de pústulas (vesículas cheias de pus) na superfície da mesma.
27 Abscessos: Acumulação de pus em uma cavidade formada acidentalmente nos tecidos orgânicos, ou mesmo em órgão cavitário, em consequência de inflamação seguida de infecção.
28 Septicemia: Septicemia ou sepse é uma infecção generalizada grave que ocorre devido à presença de micro-organismos patogênicos e suas toxinas na corrente sanguínea. Geralmente ela ocorre a partir de outra infecção já existente.
29 Endocardite: Inflamação aguda ou crônica do endocárdio. Ela pode estar preferencialmente localizada nas válvulas cardíacas (endocardite valvular) ou nas paredes cardíacas (endocardite parietal). Pode ter causa infecciosa ou não infecciosa.
30 Meningite: Inflamação das meninges, aguda ou crônica, quase sempre de origem infecciosa, com ou sem reação purulenta do líquido cefalorraquidiano. As meninges são três membranas superpostas (dura-máter, aracnoide e pia-máter) que envolvem o encéfalo e a medula espinhal.
31 Linfangite: Inflamação de um ou mais vasos linfáticos.
32 Tromboflebite: Processo inflamatório de um segmento de uma veia, geralmente de localização superficial (veia superficial), juntamente com formação de coágulos na zona afetada. Pode surgir posteriormente a uma lesão pequena numa veia (como após uma injeção ou um soro intravenoso) e é particularmente frequente nos toxico-dependentes que se injetam. A tromboflebite pode desenvolver-se como complicação de varizes. Existe uma tumefação e vermelhidão (sinais do processo inflamatório) ao longo do segmento de veia atingido, que é extremamante doloroso à palpação. Ocorrem muitas vezes febre e mal-estar.
33 Bacilo: 1. Bactéria em forma de bastonete. 2. Designação comum às bactérias do gênero Bacillus, cujas espécies são saprófitas ou patogênicas para os seres humanos e para os mamíferos.
34 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
35 Asma: Doença das vias aéreas inferiores (brônquios), caracterizada por uma diminuição aguda do calibre bronquial em resposta a um estímulo ambiental. Isto produz obstrução e dificuldade respiratória que pode ser revertida de forma espontânea ou com tratamento médico.
36 Rinite: Inflamação da mucosa nasal, produzida por uma infecção viral ou reação alérgica. Manifesta-se por secreção aquosa e obstrução das fossas nasais.
37 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
38 Superinfecções: Geralmente ocorrem quando os antibióticos alteram o equilíbrio do organismo, permitindo o crescimento de agentes oportunistas, como os enterococos. As superinfecções podem ser muito difícil de tratar, porque é necessário optar por antibióticos eficazes contra todos os agentes que podem causá-las.
39 Mononucleose infecciosa: Doença de progressão benigna, muito comum, causada pela infecção pelo vírus Epstein-Barr e transmitida pelo contato com saliva contaminada. Seus sintomas incluem: mal-estar, dor de cabeça, febre, dor de garganta, ínguas principalmente no pescoço, inflamação do fígado. Acomete mais freqüentemente adolescentes e adultos jovens.
40 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
41 Blenorragia: Infecção transmitida sexualmente, produzida por uma bactéria chamada Neisseria gonorreae, que se manifesta por secreção purulenta drenada através da uretra. Se não tratada adequadamente pode produzir problemas mais sérios, como infecção crônica e esterilidade.
42 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
43 Sífilis: Doença transmitida pelo contato sexual, causada por uma bactéria de forma espiralada chamada Treponema pallidum. Produz diferentes sintomas de acordo com a etapa da doença. Primeiro surge uma úlcera na zona de contato com inflamação dos gânglios linfáticos regionais. Após um período a lesão inicial cura-se espontaneamente e aparecem lesões secundárias (rash cutâneo, goma sifilítica, etc.). Em suas fases tardias pode causar transtorno neurológico sério e irreversível, que felizmente após o advento do tratamento com antibióticos tem se tornado de ocorrência rara. Pode ser causa de infertilidade e abortos espontâneos repetidos.
44 Febre reumática: Doença inflamatória produzida como efeito inflamatório anormal secundário a infecções repetidas por uma bactéria chamada estreptococo beta-hemolítico do grupo A. Caracteriza-se por inflamação das articulações, febre, inflamação de uma ou mais de uma estrutura cardíaca, alterações neurológicas, eritema cutâneo. Com o tratamento mais intensivo da faringite estreptocócica, a freqüência desta doença foi consideravelmente reduzida.
45 Glomerulonefrite: Inflamação do glomérulo renal, produzida por diferentes mecanismos imunológicos. Pode produzir uma lesão irreversível do funcionamento renal, causando insuficiência renal crônica.
46 Eritematosas: Relativas a ou próprias de eritema. Que apresentam eritema. Eritema é uma vermelhidão da pele, devido à vasodilatação dos capilares cutâneos.
47 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
48 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
49 Conjuntivite: Inflamação da conjuntiva ocular. Pode ser produzida por alergias, infecções virais, bacterianas, etc. Produz vermelhidão ocular, aumento da secreção e ardor.
50 Glossite: Inflamação da mucosa que reveste a língua, produzida por infecção viral, radiação, carências nutricionais, etc.
51 Estomatite: Inflamação da mucosa oral produzida por infecção viral, bacteriana, micótica ou por doença auto-imune. É caracterizada por dor, ardor e vermelhidão da mucosa, podendo depositar-se sobre a mesma uma membrana brancacenta (leucoplasia), ou ser acompanhada de bolhas e vesículas.
52 Colite: Inflamação da porção terminal do cólon (intestino grosso). Pode ser devido a infecções intestinais (a causa mais freqüente), ou a processos inflamatórios diversos (colite ulcerativa, colite isquêmica, colite por radiação, etc.).
53 Febre do Feno: Doença polínica, polinose, rinite alérgica estacional ou febre do feno. Deve-se à sensibilização aos componentes de polens, sendo que os alérgenos de pólen provocam sintomas clínicos quando em contato com a mucosa do aparelho respiratório e a conjuntiva de indivíduos previamente sensibilizados.
54 Agranulocitose: Doença causada pela falta ou número insuficiente de leucócitos granulócitos (neutrófilos, basófilos e eosinófilos), que se manifesta como ulcerações na garganta e outras mucosas, seguidas por infecções graves.
55 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
56 Eosinofilia: Propriedade de se corar facilmente pela eosina. Em patologia, é o aumento anormal de eosinófilos no sangue, característico de alergias e infestações por parasitas. Em patologia, é o acúmulo de eosinófilos em um tecido ou exsudato.
57 Leucopenia: Redução no número de leucócitos no sangue. Os leucócitos são responsáveis pelas defesas do organismo, são os glóbulos brancos. Quando a quantidade de leucócitos no sangue é inferior a 6000 leucócitos por milímetro cúbico, diz-se que o indivíduo apresenta leucopenia.
58 Púrpura: Lesão hemorrágica de cor vinhosa, que não desaparece à pressão, com diâmetro superior a um centímetro.
59 Dermatite: Inflamação das camadas superficiais da pele, que pode apresentar-se de formas variadas (dermatite seborreica, dermatite de contato...) e é produzida pela agressão direta de microorganismos, substância tóxica ou por uma resposta imunológica inadequada (alergias, doenças auto-imunes).
60 Nefropatias: Lesões ou doenças dos rins.
61 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
62 Injeção intramuscular: Injetar medicamento em forma líquida no músculo através do uso de uma agulha e seringa.
63 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
64 Êmbolo: 1. Cilindro ou disco que se move em vaivém no interior de seringas, bombas, etc. 2. Na engenharia mecânica, é um cilindro metálico deslizante que recebe um movimento de vaivém no interior de um cilindro de motor de combustão interna. 3. Em artes gráficas, é uma haste de ferro com um cilindro, articulada para comprimir e lançar o chumbo ao molde. 4. Em patologia, é um coágulo ou outro tampão trazido pela corrente sanguínea a partir de um vaso distante, que obstrui a circulação ao ser forçado contra um vaso menor. 5. Na anatomia zoológica, nas aranhas, é um prolongamento delgado no ápice do aparelho copulador masculino.
65 Seringa: Dispositivo usado para injetar medicações ou outros líquidos nos tecidos do corpo. A seringa de insulina é formada por um tubo plástico com um êmbolo e uma agulha pequena na ponta.
66 Choque anafilático: Reação alérgica grave, caracterizada pela diminuição da pressão arterial, taquicardia e distúrbios gerais da circulação, acompanhado ou não de edema de glote. Necessita de tratamento urgente. Pode surgir por exposição aos mais diversos alérgenos.
67 Adrenalina: 1. Hormônio secretado pela medula das glândulas suprarrenais. Atua no mecanismo da elevação da pressão sanguínea, é importante na produção de respostas fisiológicas rápidas do organismo aos estímulos externos. Usualmente utilizado como estimulante cardíaco, como vasoconstritor nas hemorragias da pele, para prolongar os efeitos de anestésicos locais e como relaxante muscular na asma brônquica. 2. No sentido informal significa disposição física, emocional e mental na realização de tarefas, projetos, etc. Energia, força, vigor.
68 Hemodiálise: Tipo de diálise que vai promover a retirada das substâncias tóxicas, água e sais minerais do organismo através da passagem do sangue por um filtro. A hemodiálise, em geral, é realizada 3 vezes por semana, em sessões com duração média de 3 a 4 horas, com o auxílio de uma máquina, dentro de clínicas especializadas neste tratamento. Para que o sangue passe pela máquina, é necessária a colocação de um catéter ou a confecção de uma fístula, que é um procedimento realizado mais comumente nas veias do braço, para permitir que estas fiquem mais calibrosas e, desta forma, forneçam o fluxo de sangue adequado para ser filtrado.

Tem alguma dúvida sobre OPTACILIN?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.