Preço de SARIDON em Houston/SP: R$ 5,17

SARIDON

BAYER

Atualizado em 09/12/2014

Identificação do Produto de Saridon

Nome genérico

paracetamol, propifenazona, cafeína.

Forma Farmacêutica e Apresentação de Saridon

comprimidos - caixas com 400.

USO ADULTO E PEDIÁTRICO

Composição de Saridon

Comprimido: 250 mg de paracetamol, 150 mg de propifezanol e 50 mg de cafeína.

Informações ao Paciente de Saridon

O prazo de validade de Saridon® é de 36 meses a partir da data de fabricação (vide embalagem do produto).

O uso de remédios com prazo de validade vencido é perigoso, pois não se pode prever a reação do organismo.

Este remédio é útil no combate à febre1 e às manifestações dolorosas.

Em geral, o alívio dos sintomas2 (febre1 e dor) começam a aparecer 60 minutos após a ingestão do remédio.

O comprimido deve ser tomado junto com água (1 copo).

Azia3 e enjôo podem ocorrer após a ingestão do remédio.

Caso surjam reações alérgicas (alterações na pele4 com coceira), informar imediatamente a seu médico.

O Saridon®, como qualquer remédio contra dor e febre1, não deve ser tomado durante um período longo e em altas doses sem orientação médica.

Deve-se evitar a ingestão de bebidas alcoólicas.

Está formalmente contra-indicado nos 3 primeiros meses de gravidez5 e após este período só deve ser tomado sob orientação médica.

NÃO TOME REMÉDIO SEM CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO. PODE SER PERIGOSO PARA A SUA SAÚDE6.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

Informação Técnica de Saridon

Indicações de Saridon

Analgésico7 e antitérmico8.

Contra-Indicações de Saridon

É absolutamente contra-indicado nos 3 primeiros meses de gravidez5 e após este período só deverá ser administrado em casos de absoluta necessidade e sob controle médico.

Não utilizar em casos de reconhecida hipersensibilidade a um dos componentes da fórmula.

Precauções de Saridon

Deve ser administrado com cautela em pacientes com função renal9 ou hepática10 comprometidas. Embora haja poucos relatos de disfunção hepática10 nas doses habituais de medicamentos que contenham paracetamol, é aconselhável monitorar-se a função hepática10 nos casos de uso prolongado. Devido à ação de potencialização de anticoagulantes11 cumarínicos, não deve ser usado concomitantemente a estes medicamentos. Deve ser usado com cautela em pacientes que fazem uso regular de álcool ou barbitúricos devido ao risco de sobrecarga metabólica ou possível agravamento de comprometimento hepático já existente. Durante o tratamento, os pacientes devem abster-se de ingerir bebidas alcoólicas. Cautela ao administrar o medicamento a portadores de úlcera12. Como ocorre com outros medicamentos que atuam no SNC13 pode
ocorrer alteração na capacidade de dirigir veículos e comportamento no tráfego.

Interações Medicamentosas de Saridon

Possíveis interações podem ser observadas com os componentes da fórmula Saridon®.

Paracetamol: Potencializa o efeito de anticoagulantes11 orais e de certos anti-hipertensivos; seu índice de metabolização pode ser potencializado pelo sorbitol14 e polisorbato 80; potencializa efeito da vasopressina.

Propifenazona: Sua excreção urinária pode ser aumentada pelos agentes acidificantes e diminuída pelos agentes alcalinizantes; o Alopurinol inibe o seu metabolismo15 e dessa forma aumenta sua toxicidade16; altera a dose de anticoagulantes11 orais; seu metabolismo15 é estimulado pelos barbitúricos e pela fenilbutazona; seu efeito é potencializado por ácidos graxos por inibição de sua excreção urinária; pode ocasionar aumento de excreção urinária de vitamina17 C.

Cafeína: Antagoniza o efeito depressivo do álcool sobre o SNC13; combate o efeito depressivo sobre o SNC13 de altas doses de diazepam, a dose de medicamentos que contenham cafeína deve ser reduzida em pacientes em uso de IMAO18, sendo que o uso excessivo pode ocasionar reações hipertensivas; na superdosagem por propoxifeno a cafeína aumenta a estimulação do SNC13.

Reações Adversas de Saridon

Podem ocorrer as seguintes reações adversas devidas aos componentes da fórmula Saridon® Roche:

Paracetamol: Nas doses usuais e principalmente no tratamento a longo prazo pode ocorrer disfunção hepática10 de intensidade variável mas raramente necrose19 hepática10; sob uso prolongado, podem surgir também discrasias sangüíneas20. A literatura a respeito relata casos de trombocitopenia21, pancitopenia22, agranulocitose23, anemia hemolítica24 e metahemoglobinemia25, já tendo sido relatados casos de aplasia medular; o uso prolongado pode provocar necrose19 papilar renal9; reações cutâneas26 tem sido relatadas e incluem principalmente eritema27 e urticária28.

Propifenazona: Erupções cutâneas26 em indivíduos sensíveis; uso prolongado pode originar agranulocitose23.

Cafeína: Náusea29, cefaléia30 e insônia.

Posologia de Saridon

Adultos: 1a 2 comprimidos.

Crianças: 1/2 a 1 comprimido.

Estas doses podem ser repetidas 2 a 3 vezes nas 24 horas.

Conduta na Superdosagem de Saridon

Nos casos de dose excessiva de paracetamol, os sintomas2 incluem: vômito31, hemorragia32 gastrintestinal, disfunção hepática10, disfunção renal9, edema33 cerebral e necrose19 tubular renal9. O órgão mais atingido é o fígado34, ocorrendo necrose19 hepática10 que pode ser fatal vários dias após a superdosagem. As evidências clínicas e laboratoriais da toxicidade16 podem ser aparentes até 40 a 72 horas após a ingestão.

A superdosagem de cafeína ocasiona distúrbios ligados ao SNC13 e ao sistema circulatório35: inquietação, excitação, tremor muscular, tinitus, escotomas36 cintilantes, taquicardia37 e extrassístoles.
Aumento da secreção gástrica e ulcerações38 podem ocorrer.

Devido à propifenazona podem ocorrer: náuseas39, sonolência, convulsões e coma40.

O tratamento deve ser iniciado o mais rápido possível: o estômago41 deve ser esvaziado imediatamente através de aspiração gástrica e lavagem ou por indução de emese42 com xarope Ipeca. A estimativa da quantidade ingerida, principalmente se fornecida pelo paciente, não é um
dado confiável. Portanto, a determinação da concentração sérica de paracetamol deve ser obtida o mais rápido possível, mas não antes de 4 horas após a ingestão. A determinação da função hepática10 deve ser obtida inicialmente e a seguir a cada 24 horas. O antídoto43 N-acetilcisteína44 (fluimicil a 20%) deve ser administrado com urgência45 e dentro das 16 primeiras horas após a ingestão para obter bons resultados.

O seguinte esquema pode ser utilizado, usando N-acetilcisteína44 injetável: dose inicial de 150 mg/Kg de peso, intravenosa por 15 minutos, seguida de infusão de 50 mg/Kg de peso em 500 ml de dextrose46 a 5% por 4 horas e a   seguir 100 mg/Kg de peso em 1 litro de dextrose46 a 5% nas
próximas 16 horas (totalizando 300 mg/Kg de peso em 20 horas).

Os sintomas2 centrais devidos à cafeína podem ser prontamente controlados com barbitúrico de ação curta.


SARIDON - Laboratório

BAYER
Rua Domingos Jorge, 1100
São Paulo/SP - CEP: 04779-900
Tel: 08007231010
Fax: 55 (011)548-0485
Site: http://www.bayer.com.br/

Ver outros medicamentos do laboratório "BAYER"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
2 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
3 Azia: Pirose. Sensação de dor epigástrica semelhante a uma queimadura, geralmente acompanhada de regurgitação de suco gástrico para dentro do esôfago.
4 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
5 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
6 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
7 Analgésico: Medicamento usado para aliviar a dor. As drogas analgésicas incluem os antiinflamatórios não-esteróides (AINE), tais como os salicilatos, drogas narcóticas como a morfina e drogas sintéticas com propriedades narcóticas, como o tramadol.
8 Antitérmico: Medicamento que combate a febre. Também pode ser chamado de febrífugo, antifebril e antipirético.
9 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
10 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
11 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
12 Úlcera: Ferida superficial em tecido cutâneo ou mucoso que pode ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
13 SNC: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
14 Sorbitol: Adoçante com quatro calorias por grama. Substância produzida pelo organismo em pessoas com diabetes e que pode causar danos aos olhos e nervos.
15 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
16 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
17 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
18 IMAO: Tipo de antidepressivo que inibe a enzima monoaminoxidase (ou MAO), hoje usado geralmente como droga de terceira linha para a depressão devido às restrições dietéticas e ao uso de certos medicamentos que seu uso impõe. Deve ser considerada droga de primeira escolha no tratamento da depressão atípica (com sensibilidade à rejeição) ou agente útil no distúrbio do pânico e na depressão refratária. Pode causar hipotensão ortostática e efeitos simpaticomiméticos tais como taquicardia, suores e tremores. Náusea, insônia (associada à intensa sonolência à tarde) e disfunção sexual são comuns. Os efeitos sobre o sistema nervoso central incluem agitação e psicoses tóxicas. O término da terapia com inibidores da MAO pode estar associado à ansiedade, agitação, desaceleração cognitiva e dor de cabeça, por isso sua retirada deve ser muito gradual e orientada por um médico psiquiatra.
19 Necrose: Conjunto de processos irreversíveis através dos quais se produz a degeneração celular seguida de morte da célula.
20 Discrasias sangüíneas: Qualquer alteração envolvendo os elementos celulares do sangue, glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas.
21 Trombocitopenia: É a redução do número de plaquetas no sangue. Contrário de trombocitose. Quando a quantidade de plaquetas no sangue é inferior a 150.000/mm³, diz-se que o indivíduo apresenta trombocitopenia (ou plaquetopenia). As pessoas com trombocitopenia apresentam tendência de sofrer hemorragias.
22 Pancitopenia: É a diminuição global de elementos celulares do sangue (glóbulos brancos, vermelhos e plaquetas).
23 Agranulocitose: Doença causada pela falta ou número insuficiente de leucócitos granulócitos (neutrófilos, basófilos e eosinófilos), que se manifesta como ulcerações na garganta e outras mucosas, seguidas por infecções graves.
24 Anemia hemolítica: Doença hereditária que faz com que os glóbulos vermelhos do sangue se desintegrem no interior dos veios sangüíneos (hemólise intravascular) ou em outro lugar do organismo (hemólise extravascular). Pode ter várias causas e ser congênita ou adquirida. O tratamento depende da causa.
25 Metahemoglobinemia: Condição caracterizada pela presença de um nível mais alto do que o normal de metahemoglobina no sangue. A metahemoglobina é uma forma de hemoglobina que não se liga ao oxigênio. Quando sua concentração está elevada nas hemácias, pode ocorrer uma anemia funcional e uma falta de oxigênio aos tecidos.
26 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
27 Eritema: Vermelhidão da pele, difusa ou salpicada, que desaparece à pressão.
28 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
29 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
30 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
31 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
32 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
33 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
34 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
35 Sistema circulatório: O sistema circulatório ou cardiovascular é formado por um circuito fechado de tubos (artérias, veias e capilares) dentro dos quais circula o sangue e por um órgão central, o coração, que atua como bomba. Ele move o sangue através dos vasos sanguíneos e distribui substâncias por todo o organismo.
36 Escotomas: Regiões da retina em que há perda ou ausência da acuidade visual devido a patologias oculares.
37 Taquicardia: Aumento da frequência cardíaca. Pode ser devido a causas fisiológicas (durante o exercício físico ou gravidez) ou por diversas doenças como sepse, hipertireoidismo e anemia. Pode ser assintomática ou provocar palpitações.
38 Ulcerações: 1. Processo patológico de formação de uma úlcera. 2. A úlcera ou um grupo de úlceras.
39 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
40 Coma: 1. Alteração do estado normal de consciência caracterizado pela falta de abertura ocular e diminuição ou ausência de resposta a estímulos externos. Pode ser reversível ou evoluir para a morte. 2. Presente do subjuntivo ou imperativo do verbo “comer.“
41 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
42 Êmese: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Sinônimo de vômito. Pode ser classificada como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
43 Antídoto: Substância ou mistura que neutraliza os efeitos de um veneno. Esta ação pode reagir diretamente com o veneno ou amenizar/reverter a ação biológica causada por ele.
44 Acetilcisteína: Derivado N-acetil da cisteína. É usado como um agente mucolítico para reduzir a viscosidade das secreções mucosas.
45 Urgência: 1. Necessidade que requer solução imediata; pressa. 2. Situação crítica ou muito grave que tem prioridade sobre outras; emergência.
46 Dextrose: Também chamada de glicose. Açúcar encontrado no sangue que serve como principal fonte de energia do organismo.

Tem alguma dúvida sobre SARIDON?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.