SPOROSTATIN

Mantecorp

Atualizado em 09/12/2014

          SPOROSTATIN*
GRISEOFULVINA

Comprimidos

         

Formas Farmacêuticas/Apresentação de Sporostatin

USO ADULTO E PEDIÁTRICO.

Estojo com 20 comprimidos sulcados, contendo 500 mg de microcristais de griseofulvina.

Informação ao Paciente de Sporostatin

SPOROSTATIN U/F atua impedindo o crescimento do fungo1, responsável pela infecção2.

Manter em lugar fresco, seco e protegido da luz.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DE CRIANÇAS.

NÃO TOME REMÉDIO SEM CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO, PODE SER PERIGOSO PARA A SAÚDE3.

Informe ao seu médico a ocorrência de gravidez4 na vingência do tratamento.

O prazo de validade encontra-se gravado na embalagem externa; Em caso de vencimento, inutilize o produto.

Siga corretamente as instruções do seu médico, quanto a utilização do medicamento.

Informe seu médico o aparecimento de reações desagradáveis como: dor de cabeça5, vertigens6, alterações menstruais, suor em abundância, urticárias, convulsões, retardo de cicatrização, fraqueza muscular, aumento da pressão arterial7, depressão, irritabilidade e stress.

Informações Técnicas de Sporostatin

A griseofulvina é um agente fungistático com atividade "in vitro" contra várias espécies de Microsporum, Epidermophyton e Trichophyton.

A griseofulvina se deposita nas células8 precursoras da queratina e apresenta maior afinidade para tecidos patológicos do que tecidos normais. A droga liga-se firmemente a queratina nova, que se torna altamente resistente a invasão de fungos.

Indicações de Sporostatin

SPOROSTATIN U/F comprimidos é indicado para o tratamento de infecções9 micóticas da pele10, pelos e unhas11, a saber: Tinea corporis, Tinea pedis, Tinea cruris, Tinea barbae, Tinea capitis12, Tinea unguium (onicomicose13), causadas por um ou mais dos seguintes gêneros de fungos: Trichophyton rubrum, Trichophyton tonsurans, Trichophyton mentagrophytes, Trichophyton interdigitale, Trichophyton verrucosum, Trichophyton megninii, Trichophyton gallinae, Trichophyton crateriforme, Trichophyton sulphureum, Trichophyton schoenleinii, Microsporum audouinii, Microsporum canis, Microsporum gypseum e Epidermophyton floccosum.

Contra-Indicações de Sporostatin

SPOROSTATIN U/F comprimidos não é indicado para infecções9 leves que responderão a agentes tópicos isoladamente.

A griseofulvina é contra-indicada para pacientes14 com porfiria15, insuficiência16 hepato-celular e em indivíduos com histórico de hipersensibilidade ao produto, para mulheres grávidas ou com intenção de engravidar.

Precauções de Sporostatin

Recomenda-se avaliação periódica das funções orgânicas sistêmicas (renal17, hepática18 e hematopoiética), especialmente em pacientes sob tratamento prolongado. Se ocorrer granulocitopenia, o tratamento deve ser suspenso.

Como a griseofulvina é derivada de uma espécie de Penicillium, existe a possibilidade de sensibilidade cruzada com a penicilina. Entretanto, pacientes comprovadamente sensíveis à penicilina têm sido tratados sem dificuldade com griseofulvina.

Reações de fotossensibilidade podem estar associadas ao tratamento com griseofulvina; os pacientes devem ser alertados para evitar exposição à luz solar natural ou artificial intensa.

Não estão estabelecidas a eficácia e segurança da griseofulvina como profilaxia de infecções9 micóticas.

Devido a indicações de que a griseofulvina tem demonstrado efeitos lesivos "in vitro" sobre os genomas de células8 bacterianas, vegetais, micóticas e células8 de mamíferos, os homens que completarem o tratamento, devem esperar um período de no mínimo seis meses para pensar em ter filhos. As mulheres devem evitar a gravidez4 enquanto estiverem recebendo o tratamento com griseofulvina.

Uso durante a gravidez4A segurança da griseofulvina antes ou durante a gravidez4 não está estabelecida, não devendo assim ser usada por mulheres no período de gestação ou que estejam planejando gravidez4. Raramente foram relatados nascimento de xifópagos em mulheres que utilizaram a griseofulvina no primeiro trimestre de gravidez4.

Interações Medicamentosas de Sporostatin

A griseofulvina diminui a ação de anticoagulantes19 do tipo warfarínicos; o ajuste posológico do anticoagulante20 poderá ser necessário durante e após o tratamento com griseofulvina.

Barbituratos em geral suprimem a ação da griseofulvina; a administração concomitante poderá requerer ajuste posológico do agente anti-fúngico21.

Os efeitos do álcool podem ser potencializados pela griseofulvina, produzindo taquicardia22 e rubor.

A griseofulvina pode potencializar um aumento das enzimas hepáticas23, que metabolizam estrógenos a uma taxa maior que a normal, incluído o estrógeno24 dos contraceptivos orais, causando portanto, uma possível diminuição dos efeitos contraceptivos e irregularidade menstrual.

Reações Adversas de Sporostatin

Podem ocorrer efeitos colaterais25 de hipersensibilidade, tais como: rash26 cutâneo27, urticária28 e, raramente, edema angioneurótico29 e necrose30 epidérmica (Síndrome de Lyell31). Essas reações podem exigir a interrupção do tratamento, devendo-se tomar as medidas adequadas.

Em raras ocasiões após tratamentos prolongados tem-se comunicado parestesia32 das mãos33 e pés. Outros efeitos secundários comunicados ocasionalmente, incluem candídiase oral, náuseas34, vômitos35, transtornos epigástricos, diarréia36, cefaléia37, fadiga38, tonteira, insônia, confusão mental e redução do desempenho em atividades rotineiras.

Dosagem e Administração de Sporostatin

A identificação do microorganismo infectante deve ser realizada através de exame por microscopia direta ou cultura. A medicação deve ser prolongada até que o microorganismo infectante esteja totalmente erradicado. Períodos recomendados de tratamento para Tinea capitis12 são de 4 a 6 semanas; para Tinea corporis, 2 a 4 semanas; para Tinea pedis, 4 a 8 semanas; para a Tinea unguium, dependendo da velocidade de crescimento das unhas11 dos dedos da mão39 (pelo menos 4 meses) e unhas11 dos artelhos40 (pelo menos 6 meses).

Medidas higiênicas gerais devem ser observadas para controlar as fontes de infecção2 ou reinfecção. O uso concomitante de agentes tópicos adequados em geral é necessário, especialmente no caso de Tinea pedis. Leveduras e bactérias também podem ser os causadores de algumas formas de pé de atleta.

Posologia de Sporostatin

          Adultos
Administração diária de 500 mg, como dose única ou em quantidades fracionadas, fornecerá uma resposta satisfatória para a maioria dos pacientes com Tinea corporis, Tinea cruris e Tinea capitis12.
Para as infecções9 fúngicas41 de erradicação mais difícil, tais como Tinea pedis e Tinea unguium, recomenda-se uma dose diária de 1g.

Crianças
A dose pediátrica eficaz é de 11 mg/kg/dia. Segundo esta base, recomenda-se o seguinte esquema posológico pediátrico.

Crianças com peso entre 14 e 23kg - 125 a 250mg diários.

Crianças com peso acima de 23kg - 250 a 500mg diários.

Não está estabelecida uma posologia para crianças até 2 anos.
A experiência clínica em crianças com Tinea capitis12 indica que uma única dose diária de griseofulvina é eficaz.


Duração do tratamento

Em geral quatro semanas de tratamento são necessárias para infecções9 da pele10 ou couro cabeludo, e pelo menos quatro a seis meses para infecções9 das unhas11 dos dedos da mão39 e dos pés respectivamente. Recomenda-se continuar o tratamento por no mínimo duas semanas após o desaparecimento de todos os sinais42 de infecção2. Se a administração do medicamento for interrompida antes da erradicação dos microorganismos infectantes, ocorreram recidivas43.

SPOROSTATIN - Laboratório

Mantecorp
Caixa Postal: 18388 - CEP: 04699-970 - São Paulo - SP
Tel: 08000-117788
Email: atendimento@mantecorp.com
Site: http://www.mantecorp.com

Ver outros medicamentos do laboratório "Mantecorp"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Fungo: Microorganismo muito simples de distribuição universal que pode colonizar uma superfície corporal e, em certas ocasiões, produzir doenças no ser humano. Como exemplos de fungos temos a Candida albicans, que pode produzir infecções superficiais e profundas, os fungos do grupo dos dermatófitos que causam lesões de pele e unhas, o Aspergillus flavus, que coloniza em alimentos como o amendoim e secreta uma toxina cancerígena, entre outros.
2 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
3 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
4 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
5 Cabeça:
6 Vertigens: O termo vem do latim “vertere” e quer dizer rodar. A definição clássica de vertigem é alucinação do movimento. O indivíduo vê os objetos do ambiente rodarem ao seu redor ou seu corpo rodar em relação ao ambiente.
7 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
8 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
9 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
10 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
11 Unhas: São anexos cutâneos formados por células corneificadas (queratina) que formam lâminas de consistência endurecida. Esta consistência dura, confere proteção à extremidade dos dedos das mãos e dos pés. As unhas têm também função estética. Apresentam crescimento contínuo e recebem estímulos hormonais e nutricionais diversos.
12 Tinea capitis: Também conhecida como tinha da cabeça, Tinea tonsurans ou Querión de Celso é uma infecção fúngica cutânea dos cabelos e dos pelos da cabeça causada pelos fungos dermatófitos Trichophyton, Microsporum ou Favus. Ela é mais frequente em crianças, principalmente nos meninos entre 3 e 7 anos de idaide.
13 Onicomicose: Micose de unha. Apresenta-se com descolamento da borda livre da unha, espessamento, manchas brancas na superfície ou deformação da unha. Quando a micose atinge a pele ao redor da unha, causa a paroníquia (“unheiro“). O contorno ungueal fica inflamado, dolorido, inchado e avermelhado e, por consequência, altera a formação da unha, que cresce ondulada.
14 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
15 Porfiria: Constituem um grupo de pelo menos oito doenças genéticas distintas, além de formas adquiridas, decorrentes de deficiências enzimáticas específicas na via de biossíntese do heme, que levam à superprodução e acumulação de precursores metabólicos, para cada qual correspondendo um tipo particular de porfiria. Fatores ambientais, tais como: medicamentos, álcool, hormônios, dieta, estresse, exposição solar e outros desempenham um papel importante no desencadeamento e curso destas doenças.
16 Insuficiência: Incapacidade de um órgão ou sistema para realizar adequadamente suas funções.Manifesta-se de diferentes formas segundo o órgão comprometido. Exemplos: insuficiência renal, hepática, cardíaca, respiratória.
17 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
18 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
19 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
20 Anticoagulante: Substância ou medicamento que evita a coagulação, especialmente do sangue.
21 Fúngico: Relativo à ou produzido por fungo.
22 Taquicardia: Aumento da frequência cardíaca. Pode ser devido a causas fisiológicas (durante o exercício físico ou gravidez) ou por diversas doenças como sepse, hipertireoidismo e anemia. Pode ser assintomática ou provocar palpitações.
23 Enzimas hepáticas: São duas categorias principais de enzimas hepáticas. A primeira inclui as enzimas transaminasas alaninoaminotransferase (ALT ou TGP) e a aspartato aminotransferase (AST ou TOG). Estas são enzimas indicadoras do dano às células hepáticas. A segunda categoria inclui certas enzimas hepáticas como a fosfatase alcalina (FA) e a gamaglutamiltranspeptidase (GGT) as quais indicam obstrução do sistema biliar, quer seja no fígado ou nos canais maiores da bile que se encontram fora deste órgão.
24 Estrógeno: Grupo hormonal produzido principalmente pelos ovários e responsáveis por numerosas ações no organismo feminino (indução da primeira fase do ciclo menstrual, desenvolvimento dos ductos mamários, distribuição corporal do tecido adiposo em um padrão feminino, etc.).
25 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
26 Rash: Coloração avermelhada da pele como conseqüência de uma reação alérgica ou infecção.
27 Cutâneo: Que diz respeito à pele, à cútis.
28 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
29 Edema angioneurótico: Ataques recidivantes de edema transitório que aparecem subitamente em áreas da pele, membranas mucosas e ocasionalmente nas vísceras, geralmente associadas com dermatografismo, urticária, eritema e púrpura.
30 Necrose: Conjunto de processos irreversíveis através dos quais se produz a degeneração celular seguida de morte da célula.
31 Síndrome de Lyell: Sinônimo de Necrólise Epidérmica Tóxica. Caracterizada por necrólise da epiderme. Tem como características iniciais sintomas inespecíficos, influenza-símile, tais como febre, dor de garganta, tosse e queimação ocular, considerados manifestações prodrômicas que precedem o acometimento cutâneo-mucoso. Erupção eritematosa surge simetricamente na face e na parte superior do tronco, provocando sintomas de queimação ou dolorimento da pele. Progressivamente envolvem o tórax anterior e o dorso. O ápice do processo é constituído pela característica denudação da epiderme necrótica, a qual é destacada em verdadeiras lamelas ou retalhos, dentro das áreas acometidas pelo eritema de base. O paciente tem o aspecto de grande queimado, com a derme desnuda, sangrante, eritêmato-purpúrica e com contínua eliminação de serosidade, contribuindo para o desequilíbrio hidroeletrolítico e acentuada perda protéica. Graves seqüelas oculares e esofágicas têm sido relatadas.Constitui uma reação adversa a medicamentos rara. As drogas que mais comumente a causam são as sulfas, o fenobarbital, a carbamazepina, a dipirona, piroxicam, fenilbutazona, aminopenicilinas e o alopurinol.
32 Parestesia: Sensação cutânea subjetiva (ex.: frio, calor, formigamento, pressão, etc.) vivenciada espontaneamente na ausência de estimulação.
33 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
34 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
35 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
36 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
37 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
38 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
39 Mão: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
40 Artelhos: Cada um dos dez dedos dos pés. Mesmo que pododáctilo.
41 Fúngicas: Relativas à ou produzidas por fungo.
42 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
43 Recidivas: 1. Em medicina, é o reaparecimento de uma doença ou de um sintoma, após período de cura mais ou menos longo; recorrência. 2. Em direito penal, significa recaída na mesma falta, no mesmo crime; reincidência.
Artigos relacionados

Tem alguma dúvida sobre SPOROSTATIN?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.