VOLTAFLEX

EMS S/A

Atualizado em 09/12/2014

Composição de Voltaflex

COMPRIMIDOS LAQUEADOS ENTERICOS COM 50 MG DE DICLOFENACO SODICO. COMPRIMIDOS LAQUEADOS DE LIBERACAO GRADATIVA (AP-ACAO PROLONGADA) COM 100 MG DE DICLOFENACO SODICO. SUSPENSAO ORAL (GOTAS) CONTENDO DICLOFENACO RESINATO EQUIVALENTE A 15 MG/ML DE DICLOFENACO POTASSICO (APROXIMADAMENTE 0,5 MG/GOTA1). SOLUCAO INJETAVEL CONTENDO POR AMPOLA 75 MG DE DICLOFENACO SODICO. GEL TOPICO2 A 1% DE DICLOFENACO DIETILAMONIO.

Posologia e Administração de Voltaflex

COMPRIMIDOS LAQUEADOS ENTERICOS: ADULTOS: A DOSE INICIAL DE VOLTAFLEX DEVE SER DE 100 A 150 MG. EM CASOS MENOS SEVEROS, OU EM TERAPIA A LONGO PRAZO, A DOSE DE 75 A 100 MG/DIA E SUFICIENTE. GERALMENTE A DOSE DEVE SER PRESCRITA EM DUAS A TRES TOMADAS. EM CASOS DE DISMENORREIA3 PRIMARIA, GERALMENTE A DOSE DIARIA INICIAL DE VOLTAFLEX DEVE SER DE 50 A 150 MG. ESTA PODE SER ELEVADA NO DECORRER DE VARIOS CICLOS MENSTRUAIS ATE NO MAXIMO 200 MG/DIA. COMPRIMIDOS LAQUEADOS A.P. (ACAO PROLONGADA): ADULTOS: UM COMPRIMIDO DIARIAMENTE, DE PREFERENCIA A NOITE. GOTAS: (1 GOTA1 = 0,5 ML). AGITE ANTES DE USAR. E PARTICULARMENTE INDICADO PARA USO PEDIATRICO, POR POSSIBILITAR POSOLOGIA ADEQUADA PARA CADA CASO, DE ACORDO COM O PESO CORPOREO DA CRIANCA E DENTRO DO ESQUEMA POSOLOGICO. CRIANCAS COM 1 ANO OU MAIS: DOSE DIARIA DE 1 A 4 GOTAS (0,5 A 2 MG) POR QUILO DE PESO CORPORAL, DUAS A TRES VEZES POR DIA. SOLUCAO INJETAVEL: ADULTOS: GERALMENTE UMA AMPOLA DIARIA, INJETADA PROFUNDAMENTE NO QUADRANTE SUPERIOR DA REGIAO GLUTEA4. EXCEPCIONALMENTE, EM CASOS GRAVES (POR EX.: COLICA), DUAS INJECOES SEPARADAS, UMA EM CADA NADEGA, COM INTERVALO DE ALGUMAS HORAS. VOLTAFLEX INJETAVEL NAO E RECOMENDADO EM TRATAMENTOS QUE ULTRAPASSEM 2 DIAS. AS APRESENTACOES COMPRIMIDOS E INJETAVEL NAO SAO RECOMENDADAS PARA USO PEDIATRICO. GEL: APLICAR VOLTAFLEX GEL SOBRE A REGIAO AFETADA (CONFORME A EXTENSAO), 3 A 4 VEZES AO DIA, MASSAGEANDO SUAVEMENTE. - SUPERDOSAGEM: NAO HA QUADRO CLINICO TIPICO RESULTANTE DE SUPERDOSAGEM POR ANTIINFLAMATORIO NAO ESTEROIDE. CASO OCORRA INGESTAO DE DOSE EXCESSIVA, DEVE SER FEITA LAVAGEM GASTRICA5 E TRATAMENTO COM CARVAO ATIVADO LOGO QUE POSSIVEL, PARA EVITAR ABSORCAO. O TRATAMENTO E SINTOMATICO6 COM MEDIDAS GERAIS DE SUPORTE DANDO-SE ESPECIAL ATENCAO AS COMPLICACOES COMO: HIPOTENSAO7, INSUFICIENCIA RENAL8,CONVULSAO9, IRRITACOES GASTROINTESTINAL E DEPRESSAO RESPIRATORIA. NAO HA INDICACAO DE DIALISE10 EM VIRTUDE DE ALTO GRAU DE LIGACAO DO DICLOFENACO AS PROTEINAS11 PLASMATICAS.

Precauções de Voltaflex

E FUNDAMENTAL UMA OBSERVACAO RIGOROSA E EXATIDAO DE DIAGNOSTICO12 NOS PACIENTES COM SINTOMAS13 INDICATIVOS DE DISTURBIOS GASTRINTESTINAIS, HISTORIA QUE SUGIRA ULCERACAO14 GASTRINTESTINAL, COLITE15 ULCERATIVA OU DOENCA DE CROHN16, BEM COMO PACIENTES COM INSUFICIENCIA HEPATICA17 GRAVE. DEVIDO A IMPORTANCIA DAS PROSTAGLANDINAS18 NA MANUTENCAO DO FLUXO SANGUINEO RENAL19, DEVE SER DADA ATENCAO ESPECIAL AO SE ADMINISTRAR VOLTAFLEX EM CASO DE COMPROMETIMENTO NA FUNCAO CARDIACA OU RENAL19, EM PACIENTES TRATADOS COM DIURETICOS20 E AQUELES EM ESTADO DE RECUPERACAO DE GRANDES CIRURGIAS. A MEDICACAO DEVE SER DESCONTINUADA NAS RARAS SITUACOES EM QUE OCORREM ULCERACOES21 PEPTICAS OU SANGRAMENTO GASTRINTESTINAL RECOMENDA-SE CUIDADO COM O USO EM PACIENTES IDOSOS, DEVENDO-SE CONSIDERAR AS CONDICOES CLINICAS DESTES PACIENTES. O TRATAMENTO DEVE DURAR POUCOS DIAS, MAS DURANTE O TRATAMENTO PROLONGADO COM VOLTAFLEX E ACONSELHAVEL PROCEDER A CONTAGEM DE CELULAS SANGUINEAS22 E MONITORIZAR AS FUNCOES HEPATICA23 E RENAL19. PACIENTES QUE SENTIREM TONTURA24 OU OUTROS DISTURBIOS DO SISTEMA NERVOSO CENTRAL25 DEVEM ABSTER-SE DE DIRIGIR VEICULOS OU OPERAR MAQUINAS. - GRAVIDEZ26 E LACTACAO27: NAO E RECOMENDADO, E SO DEVE SER EMPREGADO DURANTE A GRAVIDEZ26 QUANDO HOUVER INDICACAO FORMAL, USANDO-SE A MENOR DOSE EFICAZ. COMO OUTROS INIBIDORES DA PROSTAGLANDINA28-SINTETASE ESSA ORIENTACAO E PARTICULARMENTE IMPORTANTE NOS 3 ULTIMOS MESES DE GRAVIDEZ26 (PELA POSSIBILIDDE DE OCORRER INERCIA UTERINA E/OU FECHAMENTO PRECOCE DO CANAL ARTERIAL29). APOS DOSE DE 50 MG A CADA 8 HORAS A SUBSTANCIA ATIVA PASSA PARA O LEITE MATERNO EM BAIXAS CONCENTRACOES, PODENDO PROVOCAR EFEITOS INDESEJAVELS SOBRE O LACTENTE30. QUANTO A FORMA INJETAVEL, NAO EXISTEM DADOS DISPONIVEIS SOBRE O SEU USO DURANTE A GRAVIDEZ26 E LACTACAO27 E PORTANTO, SEU USO NAO E RECOMENDADO NESSAS SITUACOES. - USO EM CRIANCAS: ESTA INDICADO EM CRIANCAS ACIMA DE 1 ANO DE IDADE NAS DOSES DE 0,5 A 2,0 MG/KG DE PESO CORPORAL POR DIA, FRACIONADA EM 2 A 3 TOMADAS. - INTERACOES MEDICAMENTOSAS: O DICLOFENACO, SUBSTANCIA ATIVA PODE CAUSAR ELEVACAO DAS CONCENTRACOES PLASMATICAS DO LITIO E DA DIGOXINA QUANDO ADMINISTRADO SIMULTANEAMENTE COM ESSAS DROGAS. ANTIINFLAMATORIO NAO ESTEROIDES SAO RESPONSAVEIS PELA INIBICAO DA ATIVIDADE DIURETICA. O TRATAMENTO CONCOMITANTE COM DIURETICOS20 POUPADORES DE POTASSIO PODE ESTAR ASSOCIADO A ELEVACAO DOS NIVEIS SERICOS DE POTASSIO, O QUE TORNA NECESSARIO O CONTROLE DESSE ION31. A ADMINISTRACAO CONCOMITANTE DE OUTROS AGENTES ANTIINFLAMATORIOS NAO ESTEROIDES SISTKMICOS PODE AUMENTAR A OCORRENCIA DE REACOES ADVERSAS. OS ESTUDOS CLINICOS NAO EVIDENCIARAM INFLUENCIA DO DICLOFENACO NO EFEITO DE ANTICOAGULANTES32. COMO PRECAUCAO, ENTRETANTO, RECOMENDA-SE QUE A ADMINISTRACAO CONCOMITANTE COM ANTICOAGULANTES32 SEJA ACOMPANHADA DE TESTES LABORATORIAIS PARA VERIFICAR SE A RESPOSTA AO ANTICOAGULANTE33 ESTA SENDO MANTIDA. COMO OCORRE COM OUTROS ANTIINFLAMATORIOS NAO ESTEROIDES, DOSES ALTAS DE DICLOFENACO (200 MG) PODEM INIBIR TEMPORARIAMENTE A AGRESSAO PLAQUETARIA. ESTUDOS CLINICOS MOSTRARAM QUE PODE SER ADMINISTRADO JUNTAMENTE COM ANTIDIABETICOS ORAIS34 SEM INFLUENCIAR SEUS EFEITOS CLINICOS. DEVE SER TOMADO CUIDADO COM O USO DE ANTIINFLAMATORIOS NAO ESTEROIDES COM MENOS DE 24 HORAS ANTES OU DEPOIS DO TRATAMENTO COM METOTREXATO, POIS A CONCENTRACAO SERICA DESTE PODE SE ELEVAR COM CONSEQUENTE AUMENTO DE SUA TOXICIDADE35. COMO REGRA, CONTEUDO DAS AMPOLAS NAO DEVE SER MISTURADO A OUTRAS SOLUCOES.

Reações Adversas de Voltaflex

OCASIONALMENTE PODEM OCORRER EPIGASTRALGIA36, NAUSEAS37, VOMITOS38, DIARREIA39, BEM COMO CEFALEIA40, TONTURA24, VERTIGENS41, REACOES EXANTEMATICAS E ERUPCOES CUTANEAS42; RARAMENTE OCORREM FENOMENOS COMO SANGRAMENTO GASTRINTESTINAL, ULCERA PEPTICA43, SONOLENCIA, URTICARIA44, DISTURBIOS DA FUNCAO HEPATICA23, INCLUINDO HEPATITE45 COM OU SEM ICTERICIA46, EDEMA47 E REACOES DE BRONCOESPASMO48, REACOES SISTEMICAS ANAFILATICAS OU ANAFILACTOIDES E HIPOTENSAO7. FORAM OBSERVADOS CASOS ISOLADOS DE ULCERA PEPTICA43 COM PERFURACAO, DISTURBIOS COLORRETAIS (COLITE15 HEMORRAGICA49 E EXACERBACAO DE COLITE15 ULCERATIVA), DISTURBIOS SENSORIAIS OU VISUAIS (VISAO50 BORRADA, DIPLOPIA51), TINIDO, INSONIA, IRRITABILIDADE E CONVULSOES. TAMBEM EM CASOS ISOLADOS, ERUPCAO52 BOLHOSA, ERITEMA MULTIFORME53, SINDROME DE STEVENS-JOHNSON54 E LYELL, QUEDA DE CABELO55, FOTOSSENSIBILIDADE, INSUFICIENCIA RENAL8 AGUDA, HEMATURIA56, NEFRITE57 INTERSTICIAL58, SINDROME NEFROTICA59, HEPATITE45 GRAVE, LEUCOPENIA60, AGRANULOCITOSE61, ANEMIA62 APLASTICA E ANEMIA HEMOLITICA63.

Contra-Indicações de Voltaflex

ULCERA PEPTICA43. HIPERSENSIBILIDADE A SUBSTANCIA ATIVA. PACIENTES QUE APRESENTAM CRISES DE ASMA64, RINITE65 AGUDA OU URTICARIA44 PROVOCADAS PELO ACIDO ACETILSALICILICO OU POR OUTRAS DROGAS INIBIDORAS DA PROSTAGLANDINA28-SINTETASE.

Indicações de Voltaflex

ESTA INDICADO NOS PROCESSOS REUMATICOS INFLAMATORIOS E DEGENERATIVOS66, ARTRITE REUMATOIDE67, INCLUSIVE FORMAS JUVENIS, ESPONDILITE ANCILOSANTE, OSTEOARTROSE68 E ESPONDILARTRITE. AFECCOES69 DOLOROSAS DA COLUNA VERTEBRAL70. REUMATISMO71 EXTRA-ARTICULAR, CRISES AGUDAS DE GOTA1, DOR E INFLAMACAO72 POS-TRAUMATISMO73, POS-CIRURGIAS DENTARIAS. CONDICOES DOLOROSAS E INFLAMACOES74 GINECOLOGICAS. TRATAMENTO SINTOMATICO6 DA DISMENORREIA3 PRIMARIA.

Apresentação de Voltaflex

COMPRIMIDOS LAQUEADOS ENTERICOS: CAIXAS COM 10 E 20 COMPRIMIDOS. COMPRIMIDOS LAQUEADOS A.P. (ACAO PROLONGADA): CAIXA COM 1 BLISTER DE 10 COMPRIMIDOS. SUSPENSAO ORAL (GOTAS): FRASCO CONTA-GOTAS COM 10 ML. SOLUCAO INJETAVEL: CAIXAS COM 3 E 50 AMPOLAS DE 3 ML. GEL TOPICO2: BISNAGA COM 30 G.

VOLTAFLEX - Laboratório

EMS S/A
Rod. Jornalista F. A. Proença, km 08. Bairro Chácara Assay.
Hortolândia/SP - CEP: 13186-901
Site: http://www.ems.com.br

Ver outros medicamentos do laboratório "EMS S/A"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Gota: 1. Distúrbio metabólico produzido pelo aumento na concentração de ácido úrico no sangue. Manifesta-se pela formação de cálculos renais, inflamação articular e depósito de cristais de ácido úrico no tecido celular subcutâneo. A inflamação articular é muito dolorosa e ataca em crises. 2. Pingo de qualquer líquido.
2 Tópico: Referente a uma área delimitada. De ação limitada à mesma. Diz-se dos medicamentos de uso local, como pomadas, loções, pós, soluções, etc.
3 Dismenorréia: Dor associada à menstruação. Em uma porcentagem importante de mulheres é um sintoma normal. Em alguns casos está associada a doenças ginecológicas (endometriose, etc.).
4 Região Glútea:
5 Lavagem gástrica: É a introdução, através de sonda nasogástrica, de líquido na cavidade gástrica, seguida de sua remoção.
6 Sintomático: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.
7 Hipotensão: Pressão sanguínea baixa ou queda repentina na pressão sanguínea. A hipotensão pode ocorrer quando uma pessoa muda rapidamente de uma posição sentada ou deitada para a posição de pé, causando vertigem ou desmaio.
8 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
9 Convulsão: Episódio agudo caracterizado pela presença de contrações musculares espasmódicas permanentes e/ou repetitivas (tônicas, clônicas ou tônico-clônicas). Em geral está associada à perda de consciência e relaxamento dos esfíncteres. Pode ser devida a medicamentos ou doenças.
10 Diálise: Quando os rins estão muito doentes, eles deixam de realizar suas funções, o que pode levar a risco de vida. Nesta situação, é preciso substituir as funções dos rins de alguma maneira, o que pode ser feito realizando-se um transplante renal, ou através da diálise. A diálise é um tipo de tratamento que visa repor as funções dos rins, retirando as substâncias tóxicas e o excesso de água e sais minerais do organismo, estabelecendo assim uma nova situação de equilíbrio. Existem dois tipos de diálise: a hemodiálise e a diálise peritoneal.
11 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
12 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
13 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
14 Ulceração: 1. Processo patológico de formação de uma úlcera. 2. A úlcera ou um grupo de úlceras.
15 Colite: Inflamação da porção terminal do cólon (intestino grosso). Pode ser devido a infecções intestinais (a causa mais freqüente), ou a processos inflamatórios diversos (colite ulcerativa, colite isquêmica, colite por radiação, etc.).
16 Doença de Crohn: Doença inflamatória crônica do intestino que acomete geralmente o íleo e o cólon, embora possa afetar qualquer outra parte do intestino. A doença cursa com períodos de remissão sintomática e outros de agravamento. Na maioria dos casos, a doença de Crohn é de intensidade moderada e se torna bem controlada pela medicação, tornando possível uma vida razoavelmente normal para seu portador. A causa da doença de Crohn ainda não é totalmente conhecida. Os sintomas mais comuns são: dor abdominal, diarreia, perda de peso, febre moderada, sensação de distensão abdominal, perda de apetite e de peso.
17 Insuficiência hepática: Deterioração grave da função hepática. Pode ser decorrente de hepatite viral, cirrose e hepatopatia alcoólica (lesão hepática devido ao consumo de álcool) ou medicamentosa (causada por medicamentos como, por exemplo, o acetaminofeno). Para que uma insuficiência hepática ocorra, deve haver uma lesão de grande porção do fígado.
18 Prostaglandinas: É qualquer uma das várias moléculas estruturalmente relacionadas, lipossolúveis, derivadas do ácido araquidônico. Ela tem função reguladora de diversas vias metabólicas.
19 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
20 Diuréticos: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.
21 Ulcerações: 1. Processo patológico de formação de uma úlcera. 2. A úlcera ou um grupo de úlceras.
22 Células Sanguíneas: Células encontradas no líquido corpóreo circulando por toda parte do SISTEMA CARDIOVASCULAR.
23 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
24 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
25 Sistema Nervoso Central: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
26 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
27 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
28 Prostaglandina: É qualquer uma das várias moléculas estruturalmente relacionadas, lipossolúveis, derivadas do ácido araquidônico. Ela tem função reguladora de diversas vias metabólicas.
29 Canal Arterial: Vaso sangüíneo fetal que conecta a artéria pulmonar à aorta descendente.
30 Lactente: Que ou aquele que mama, bebê. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
31 Íon: Átomo ou grupo atômico eletricamente carregado.
32 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
33 Anticoagulante: Substância ou medicamento que evita a coagulação, especialmente do sangue.
34 Antidiabéticos orais: Quaisquer medicamentos que, administrados por via oral, contribuem para manter a glicose sangüínea dentro dos limites normais. Eles podem ser um hipoglicemiante, se forem capazes de diminuir níveis de glicose previamente elevados, ou um anti-hiperglicemiante, se agirem impedindo a elevação da glicemia após uma refeição.
35 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
36 Epigastralgia: Dor na região epigástrica, ou seja, na parte mediana superior da parede abdominal, que corresponde em profundidade, aproximadamente, ao estômago e ao lobo esquerdo do fígado.
37 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
38 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
39 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
40 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
41 Vertigens: O termo vem do latim “vertere” e quer dizer rodar. A definição clássica de vertigem é alucinação do movimento. O indivíduo vê os objetos do ambiente rodarem ao seu redor ou seu corpo rodar em relação ao ambiente.
42 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
43 Úlcera péptica: Lesão na mucosa do esôfago, estômago ou duodeno. Também chamada de úlcera gástrica ou duodenal. Pode ser provocada por excesso de ácido clorídrico produzido pelo próprio estômago ou por medicamentos como antiinflamatórios ou aspirina. É uma doença infecciosa, causada pela bactéria Helicobacter pylori em quase 100% dos casos. Os principais sintomas são: dor, má digestão, enjôo, queimação (azia), sensação de estômago vazio.
44 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
45 Hepatite: Inflamação do fígado, caracterizada por coloração amarela da pele e mucosas (icterícia), dor na região superior direita do abdome, cansaço generalizado, aumento do tamanho do fígado, etc. Pode ser produzida por múltiplas causas como infecções virais, toxicidade por drogas, doenças imunológicas, etc.
46 Icterícia: Coloração amarelada da pele e mucosas devido a uma acumulação de bilirrubina no organismo. Existem dois tipos de icterícia que têm etiologias e sintomas distintos: icterícia por acumulação de bilirrubina conjugada ou direta e icterícia por acumulação de bilirrubina não conjugada ou indireta.
47 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
48 Broncoespasmo: Contração do músculo liso bronquial, capaz de produzir estreitamento das vias aéreas, manifestado por sibilos no tórax e falta de ar. É uma contração vista com freqüência na asma.
49 Hemorrágica: Relativo à hemorragia, ou seja, ao escoamento de sangue para fora dos vasos sanguíneos.
50 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
51 Diplopia: Visão dupla.
52 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
53 Eritema multiforme: Condição aguda, auto-limitada, caracterizada pelo início abrupto de pápulas vermelhas fixas simétricas, algumas evoluindo em lesões em forma de “alvo”. A lesão alvo são zonas concêntricas de alterações de coloração com a área central púrpura ou escura e a externa vermelha. Elas irão desenvolver vesícula ou crosta na zona central após vários dias. Vinte porcento de todos os casos ocorrem na infância.O eritema multiforme geralmente é precipitado pelo vírus do herpes simples, Mycoplasma pneumoniae ou histoplasmose.
54 Síndrome de Stevens-Johnson: Forma grave, às vezes fatal, de eritema bolhoso, que acomete a pele e as mucosas oral, genital, anal e ocular. O início é geralmente abrupto, com febre, mal-estar, dores musculares e artralgia. Pode evoluir para um quadro toxêmico com alterações do sistema gastrointestinal, sistema nervoso central, rins e coração (arritmias e pericardite). O prognóstico torna-se grave principalmente em pessoas idosas e quando ocorre infecção secundária. Pode ser desencadeado por: sulfas, analgésicos, barbitúricos, hidantoínas, penicilinas, infecções virais e bacterianas.
55 Cabelo: Estrutura filamentosa formada por uma haste que se projeta para a superfície da PELE a partir de uma raiz (mais macia que a haste) e se aloja na cavidade de um FOLÍCULO PILOSO. É encontrado em muitas áreas do corpo.
56 Hematúria: Eliminação de sangue juntamente com a urina. Sempre é anormal e relaciona-se com infecção do trato urinário, litíase renal, tumores ou doença inflamatória dos rins.
57 Nefrite: Termo que significa “inflamação do rim” e que agrupa doenças caracterizadas por lesões imunológicas ou infecciosas do tecido renal. Alguns exemplos são a nefrite intersticial por drogas, a glomerulonefrite pós-estreptocócica, etc. Podem manifestar-se por hipertensão arterial, hematúria e dor lombar.
58 Intersticial: Relativo a ou situado em interstícios, que são pequenos espaços entre as partes de um todo ou entre duas coisas contíguas (por exemplo, entre moléculas, células, etc.). Na anatomia geral, diz-se de tecido de sustentação localizado nos interstícios de um órgão, especialmente de vasos sanguíneos e tecido conjuntivo.
59 Síndrome nefrótica: Doença que afeta os rins. Caracteriza-se pela eliminação de proteínas através da urina, com diminuição nos níveis de albumina do plasma. As pessoas com síndrome nefrótica apresentam edema, eliminação de urina espumosa, aumento dos lipídeos do sangue, etc.
60 Leucopenia: Redução no número de leucócitos no sangue. Os leucócitos são responsáveis pelas defesas do organismo, são os glóbulos brancos. Quando a quantidade de leucócitos no sangue é inferior a 6000 leucócitos por milímetro cúbico, diz-se que o indivíduo apresenta leucopenia.
61 Agranulocitose: Doença causada pela falta ou número insuficiente de leucócitos granulócitos (neutrófilos, basófilos e eosinófilos), que se manifesta como ulcerações na garganta e outras mucosas, seguidas por infecções graves.
62 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
63 Anemia hemolítica: Doença hereditária que faz com que os glóbulos vermelhos do sangue se desintegrem no interior dos veios sangüíneos (hemólise intravascular) ou em outro lugar do organismo (hemólise extravascular). Pode ter várias causas e ser congênita ou adquirida. O tratamento depende da causa.
64 Asma: Doença das vias aéreas inferiores (brônquios), caracterizada por uma diminuição aguda do calibre bronquial em resposta a um estímulo ambiental. Isto produz obstrução e dificuldade respiratória que pode ser revertida de forma espontânea ou com tratamento médico.
65 Rinite: Inflamação da mucosa nasal, produzida por uma infecção viral ou reação alérgica. Manifesta-se por secreção aquosa e obstrução das fossas nasais.
66 Degenerativos: Relativos a ou que provocam degeneração.
67 Artrite reumatóide: Doença auto-imune de etiologia desconhecida, caracterizada por poliartrite periférica, simétrica, que leva à deformidade e à destruição das articulações por erosão do osso e cartilagem. Afeta mulheres duas vezes mais do que os homens e sua incidência aumenta com a idade. Em geral, acomete grandes e pequenas articulações em associação com manifestações sistêmicas como rigidez matinal, fadiga e perda de peso. Quando envolve outros órgãos, a morbidade e a gravidade da doença são maiores, podendo diminuir a expectativa de vida em cinco a dez anos.
68 Osteoartrose: Também chamada de artrose ou processo degenerativo articular, resulta de um processo anormal entre a destruição cartilaginosa e a reparação da mesma. Entende-se por cartilagem articular, um tipo especial de tecido que reveste a extremidade de dois ossos justapostos (unidos) que possuem algum grau de movimentação entre eles, sua função básica é a de diminuir o atrito entre duas superfícies ósseas quando estas executam qualquer tipo de movimento, funcionando como mecanismo de absorção de choque. O estado de hidratação da cartilagem e a integridade da mesma, é fator preponderante para o não desenvolvimento da osteoartrose.
69 Afecções: Quaisquer alterações patológicas do corpo. Em psicologia, estado de morbidez, de anormalidade psíquica.
70 Coluna vertebral:
71 Reumatismo: Termo que é utilizado em geral para se referir ao conjunto de doenças inflamatórias e degenerativas que afetam as articulações e estruturas vizinhas.
72 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
73 Traumatismo: Lesão produzida pela ação de um agente vulnerante físico, químico ou biológico e etc. sobre uma ou várias partes do organismo.
74 Inflamações: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc. Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).

Tem alguma dúvida sobre VOLTAFLEX?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.