FARLAC

FARMASA

Atualizado em 08/12/2014

farlac

Lactulose

- Composição e apresentação

Cada ml contém 667mg de lactulose. Fracos com 120ml.

Indicações de Farlac

Tratamento sintomático1 da constipação2 intestinal; profilaxia e tratamento da encefalopatia3 portossistêmica, incluindo as etapas de pré-coma4 e coma4 hepático.

Contra-Indicações de Farlac

Intolerância á lactulose, galactosemia5, apendicite6 e obstrução intestinal.

Precauções de Farlac

O medicamento, além da lactulose (substância não-absorvível e assim desprovida de valor calórico), contém quantidades pequenas de galactose7, lactose8 e outros açúcares. Este fato deve ser levado em consideração quando se utilizam doses elevadas em pacientes diabéticos ou portadores de encefalopatia3 portossistêmica, pois esses açúcares são absorvíveis. Pacientes idosos e debilitados em uso de medicamento por mais de 6 meses devem fazer controle regular de eletrólitos9 (K, Cl e C03). Deve-se evitar o uso concomitante de outros laxativos10, especialmente na fase inicial do tratamento da encefelopatia portossistêmica. pois as fezes soltas resultantes podem mascarar uma dosagem inadequada de lactulose.

Advertências de Farlac

Pacientes em uso de lactulose e nos quais seja necessário eletrocauterização durante proctoscopia e (ou) colonoscopia11 devem previamente ser submetidos à lavagem colônica com uma solução não-fermentável, devido à presença de hidrogênio produzido pela ação da lactulose.

Uso na Gravidez12 de Farlac

Embora a experimentação animal não tenha revelado qualquer efeito teratogênico13 e mesmo sendo a lactulose absorvida discretamente, não se recomenda o seu uso na gravidez12 devendo o médico avaliar as benefícios contra os possíveis riscos, pois não existem estudos da lactulose em mulheres grávidas.

Interações Medicamentosas de Farlac

O uso concomitante de neomicina por via oral é discutível. É possível que a neomicina elimine certas bactérias colônicas, interferindo dessa forma com a degradação da lactulose. Pacientes em uso concomitante de neomicina devem ser monitorados. Estudos preliminares sugerem que o uso concomitante de antiácidos14 não-absorvíveis pode inibir a ação acidificante do meio intestinal induzida pela lactulose, diminuindo dessa forma o seu efeito.

Reações Adversas de Farlac

Flatulência e meteorismo15 transitório podem ocorrer no início do tratamento da constipação2 intestinal. Doses elevadas, necessárias no tratamento da encefalopatia3 portossistêmica, podem causar distensão abdominal, flatulência, meteorismo15, desconforto ou espasma abdominal em 20% dos pacientes. Náuseas16 e vômitos17 são pouco freqüentes. Doses excessivas podem ocasionar diarréia18.

Posologia de Farlac

Constipação2 intestinal crônica: Lactentes19: 5 ml/dia. Crianças até 5 anos: 5 a 10 ml/dia. Crianças de 6 a 12 anos: 10 a 15 ml/dia. Adultos: 15 a 30 ml/dia. Pode-se proceder a ajustes posológicos diários a fim de se conseguir 2 a 3 evacuações moles ao dia, Encefalopatia3 portossistêmica, pré-coma4 e coma4 hepático: Dose inicial de 60 ml/dia, podendo chegar nos casos graves a 150 ml/dia. O medicamento deve ser administrado de preferência em dose única, pela manhã ou à noite, puro ou junto com alimentos ou ainda misturado com suco de frutas, leite, iogurte, etc.

Superdosagem de Farlac

Em caso de superdosagem pode-se prever intensificação das reações adversas e surgimento de diarréia18. O tratamento consiste em interromper a medicação.

Maiores informações mediante solicitação.


FARMASA  Laboratório Americano de Farmacoterapia S/A.

FARLAC - Laboratório

FARMASA
Rua Nova York, 245 - Brooklin
São Paulo/SP - CEP: 04560-908
Tel: 11 5049 6200
Site: http://www.farmasa.com.br
0800 0114033

Ver outros medicamentos do laboratório "FARMASA"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Sintomático: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.
2 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
3 Encefalopatia: Qualquer patologia do encéfalo. O encéfalo é um conjunto que engloba o tronco cerebral, o cerebelo e o cérebro.
4 Coma: 1. Alteração do estado normal de consciência caracterizado pela falta de abertura ocular e diminuição ou ausência de resposta a estímulos externos. Pode ser reversível ou evoluir para a morte. 2. Presente do subjuntivo ou imperativo do verbo “comer.“
5 Galactosemia: Doença hereditária que afeta o metabolismo da galactose (“produção”).
6 Apendicite: Inflamação do apêndice cecal. Manifesta-se por abdome agudo, e requer tratamento cirúrgico. Sua complicação mais freqüente é a peritonite aguda.
7 Galactose: 1. Produção de leite pela glândula mamária. 2. Monossacarídeo usualmente encontrado em oligossacarídeos de origem vegetal e animal e em polissacarídeos, usado em síntese orgânica e, em medicina, no auxílio ao diagnóstico da função hepática.
8 Lactose: Tipo de glicídio que possui ligação glicosídica. É o açúcar encontrado no leite e seus derivados. A lactose é formada por dois carboidratos menores, chamados monossacarídeos, a glicose e a galactose, sendo, portanto, um dissacarídeo.
9 Eletrólitos: Em eletricidade, é um condutor elétrico de natureza líquida ou sólida, no qual cargas são transportadas por meio de íons. Em química, é uma substância que dissolvida em água se torna condutora de corrente elétrica.
10 Laxativos: Mesmo que laxantes. Que laxa, afrouxa, dilata. Medicamentos que tratam da constipação intestinal; purgantes, purgativos, solutivos.
11 Colonoscopia: Estudo endoscópico do intestino grosso, no qual o colonoscópio é introduzido pelo ânus. A colonoscopia permite o estudo de todo o intestino grosso e porção distal do intestino delgado. É um exame realizado na investigação de sangramentos retais, pesquisa de diarreias, alterações do hábito intestinal, dores abdominais e na detecção e remoção de neoplasias.
12 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
13 Teratogênico: Agente teratogênico ou teratógeno é tudo aquilo capaz de produzir dano ao embrião ou feto durante a gravidez. Estes danos podem se refletir como perda da gestação, malformações ou alterações funcionais ou ainda distúrbios neurocomportamentais, como retardo mental.
14 Antiácidos: É uma substância que neutraliza o excesso de ácido, contrariando o seu efeito. É uma base que aumenta os valores de pH de uma solução ácida.
15 Meteorismo: Acúmulo de gás no tubo digestivo. Pode produzir distensão abdominal, dor persistente, flatulência, etc.
16 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
17 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
18 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
19 Lactentes: Que ou aqueles que mamam, bebês. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
Artigos relacionados

Tem alguma dúvida sobre FARLAC?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.