SALSEP

LIBBS

Atualizado em 09/12/2014

SALSEP®

Cloreto de sódio
9 mg/mL
Solução nasal

USO INTRANASAL
USO ADULTO E PEDIÁTRICO

Formas Farmacêuticas e Apresentações de Salsep

Solução nasal com 9 mg/mL de cloreto de sódio. Embalagem contendo 1 frasco spray nasal com50 mL.

Composição de Salsep

Cada 1mL de SALSEP® contém:
cloreto de sódio....................9,0 mg
água purificada q.sp....................1,0 mL
Cada nebulização1 ("puff") libera 0,05 mL de solução.

Informações ao Paciente de Salsep

AÇÃO ESPERADA DO MEDICAMENTOSALSEP® é uma solução estéril de cloreto de sódio que não possui conservante em sua
formulação. SALSEP® age fluidificando a secreção da mucosa2 nasal, facilitando assim sua
eliminação.
A embalagem de SALSEP® foi especialmente desenvolvida para evitar sua contaminação,
permitindo sua conservação sem a presença de conservantes, os quais podem irritar a via
respiratória. Além disso, por promover uma micronebulização, não provoca a sensação de
gafogamento" presente no uso de conta-gotas comuns.

CUIDADOS DE ARMAZENAMENTO: Conservar o medicamento em sua embalagem original em
temperatura ambiente (entre 15°C e 30°C). Proteger da luz e umidade.

PRAZO DE VALIDADE
Desde que respeitados os cuidados de armazenamento, o medicamento apresenta uma validade
de 24 meses a contar da data de sua fabricação. Não devem ser utilizados medicamentos fora do
prazo de validade, pois podem trazer prejuízos à saúde3.

GRAVIDEZ4 E LACTAÇÃO5
Apesar de não existirem estudos clínicos específicos, SALSEP® é considerado seguro para
uso durante a gravidez4 e lactação5.

CUIDADOS DE ADMINISTRAÇÃO: Antes de utilizar SALSEP®, leia as instruções abaixo:

1. Destampe o frasco;
2. Coloque o frasco sobre o dedo polegar e o aplicador entre o dedo indicador e o médio
(apoiados nas laterais do atuador);
3. Coloque o frasco na narina e empurre o fundo do frasco, usando o polegar contra os dedos
indicador e médio, de forma rápida e firme;
4. Repita a operação, conforme necessário;
5. Limpe o aplicador com um lenço de papel, tampe o frasco e guarde-o na embalagem original.
6. Se necessário, assoar o nariz6 para retirar as secreções já fluidificadas.

OBS: Na primeira utilização do produto, acione o mecanismo 2 a 3 vezes até que o sistema
inicie a liberação do medicamento.

Medidas de higiene recomendam o uso individual desse produto. O frasco não deve ser
reaproveitado.

Reações Adversas de Salsep

Informe seu médico o aparecimento de reações desagradáveis.
Ainda não são conhecidas a intensidade e freqüência das reações adversas específicas a este
medicamento devido à ausência de relatos científicos sobre os mesmos.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

INGESTÃO CONCOMITANTE COM OUTRAS SUBSTÂNCIAS
Informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início, ou durante o
tratamento.

CONTRA-INDICAÇÕES E PRECAUÇÕES
Não são conhecidas contra-indicações específicas para esta apresentação terapêutica7 do cloreto
de sódio.

NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO, PODE SER PERIGOSO
PARA A SAÚDE3.

Informações Técnicas de Salsep

Características de Salsep

SALSEP® é uma solução isotônica8 de cloreto de sódio, estéril e livre de conservantes,minimizando com isso a possibilidade de agressão da mucosa2 nasal.

Propriedades Farmacológicas de Salsep

SALSEP® diminui a viscosidade9 do muco, promove a fluidificação e facilita sua eliminação. Pode
ser usado como fluidificante das secreções nasais nos resfriados, rinites, sinusites e em quaisquer
outras condições relacionadas ao ressecamento da mucosa2 nasal, como baixa umidade do ar,
exposição ao ar condicionado e poluição. Pode ser utilizado também para uma limpeza delicada
das secreções em pós-operatórios nasossinusais.
SALSEP® não contém vasoconstritores nem conservantes e, por isso, não causa rinites
medicamentosas, dependência ou hiperemia10 reacional.

Propriedades Farmacocinéticas de Salsep

SALSEP® é um medicamento de pequena ação local e sua absorção para a circulação11 sistêmicaé isenta de efeitos adversos.

Indicações de Salsep

Fluidificante, descongestionante, umidificante e anti-séptico nasal. Auxiliar no tratamento das
manifestações nasais comuns a gripes e resfriados e auxiliar no tratamento de outras patologias
respiratórias como rinites e sinusites. Pode ser também indicado em pós operatórios de cirurgias
nasossinusais.
A embalagem de SALSEP® foi especialmente desenvolvida para evitar sua contaminação,
permitindo sua conservação sem a presença de conservantes, os quais podem irritar a via
respiratória. Além disso, por promover uma micronebulização, não provoca a sensação de
gafogamento" presente no uso de conta-gotas comuns, o que pode constituir uma grande
vantagem no tratamento de crianças.

Contra-Indicações de Salsep

Não são conhecidas contra-indicações específicas nesta formulação e uso de cloreto de sódio.

Precauções e Advertências de Salsep

Não apresenta.

Gravidez4 e Lactação5 de Salsep

Apesar de não existirem estudos clínicos durante a gestação e amamentação12, o uso de SALSEP®é considerado seguro, não existindo contra-indicações ao seu uso nestas situações.

Interações Medicamentosas de Salsep

Não são conhecidas interações medicamentosas específicas.

Reações Adversas e Alterações de Exames Laboratoriais de Salsep

Ainda não são conhecidas a intensidade e freqüência de reações adversas específicas a estemedicamento devido à ausência de relatos científicos sobre os mesmos.

Posologia de Salsep

Aplicação nasal, várias vezes ao dia, conforme a necessidade.

Superdosagem de Salsep

Não foram descritos casos de superdosagem.

Pacientes Idosos de Salsep

Não há restrições nem recomendações especiais com relação ao uso de SALSEP® em pacientes
com idade acima de 65 anos.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.
SIGA CORRETAMENTE O MODO DE USAR. NÃO DESAPARECENDO OS

SINTOMAS13, PROCURE ORIENTAÇÃO MÉDICA.

MS n°: 1.0033.0105.
Farmacêutica Responsável:
Cíntia Delphino de Andrade - CRF-SP n° 25.125

LIBBS FARMACÊUTICA LTDA.
Rua Alberto Correia Francfort, 88 Embu - SP
CNPJ nº 61.230.314/0001-75
INDÚSTRIA BRASILEIRA
www.libbs.com.br

Lote, Fabricação e Validade: vide cartucho.

SALSEP - Laboratório

LIBBS
Rua Raul Pompéia, 1103
São Paulo/SP - CEP: 05025-011
Tel: (11 3)676-0655
Fax: (11 )864-6150
Email: libbs@libbs.com.br
Site: http://www.libbs.com.br/
08000-135044

Ver outros medicamentos do laboratório "LIBBS"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Nebulização: Método utilizado para administração de fármacos ou fluidificação de secreções respiratórias. Utiliza um mecanismo vaporizador através do qual se favorece a penetração de água ou medicamentos na atmosfera bronquial.
2 Mucosa: Tipo de membrana, umidificada por secreções glandulares, que recobre cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
3 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
4 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
5 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
6 Nariz: Estrutura especializada que funciona como um órgão do sentido do olfato e que também pertence ao sistema respiratório; o termo inclui tanto o nariz externo como a cavidade nasal.
7 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
8 Isotônica: Relativo à ou pertencente à ação muscular que ocorre com uma contração normal. Em química, significa a igualdade de pressão entre duas soluções.
9 Viscosidade: 1. Atributo ou condição do que é viscoso; viscidez. 2. Resistência que um fluido oferece ao escoamento e que se deve ao movimento relativo entre suas partes; atrito interno de um fluido.
10 Hiperemia: Congestão sanguínea em qualquer órgão ou parte do corpo.
11 Circulação: 1. Ato ou efeito de circular. 2. Facilidade de se mover usando as vias de comunicação; giro, curso, trânsito. 3. Movimento do sangue, fluxo de sangue através dos vasos sanguíneos do corpo e do coração.
12 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
13 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.

Tem alguma dúvida sobre SALSEP?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.