REBONE

ACHÈ

Atualizado em 09/12/2014

Identificação do Produto de Rebone

IPRIFLAVONA 300 mg

REBONE

Cápsulas gelatinosas moles em blíster de 30

USO ADULTO

Composição Completa de Rebone

                                                       
Cada cápsula gelatinosa mole contém:

Ipriflavona         300 mg

Informação ao Paciente de Rebone

O produto, quando conservado em locais frescos e bem ventilados, sob temperatura não superior a 25°C, ao abrigo da luz, calor e umidade, apresenta um prazo de validade de 24 meses a contar da data de sua fabricação. NUNCA USE MEDICAMENTO COM O PRAZO DE VALIDADE VENCIDO. ALÉM DE NÃO OBTER O EFEITO DESEJADO, PODE PREJUDICAR A SUA SAÚDE1.

IPRIFLAVONA apresenta atividade na prevenção e tratamento da osteoporose2 sendo que sua atividade terapêutica3 verifica-se somente após algumas semanas ou meses de tratamento.

Espera-se que a ação do produto venha a ser observada progressivamente, de acordo com o uso prolongado do medicamento.

Recomenda-se não administrar o medicamento para as gestantes e no período de amamentação4. Caso a paciente engravidar durante o tratamento com IPRIFLAVONA, o médico deve ser informado imediatamente. Em geral, não são necessários cuidados especiais para a interrupção do tratamento.

Raramente podem ocorrer reações adversas ao medicamento. No entanto, a administração do produto poderá ocasionar erupção5 da pele6, coceira, alterações gastrintestinais (do tipo náuseas7, vômitos8, dor de estômago9, diarréia10), vertigens11 ou tonturas12.

Ocasionalmente podem observar-se reduções de eritrócitos13 e leucócitos14, aumento das transaminases, bilirrubinemia e aumento dos níveis de nitrogênio no sangue15.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS

IPRIFLAVONA não deve ser usado por pacientes sensíveis ao medicamento ou que apresentam gastrite16, úlcera17 do estômago9 ou duodeno18, doenças graves do fígado19, rins20, pressão sanguínea elevada, insuficiência cardíaca21, tendência a sangramento e reações alérgicas a antiinflamatórios.

Informe ao médico, quais os medicamentos que está utilizando.

NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO.PODE SER PERIGOSO PARA SUA SAÚDE1.

Informação Técnica de Rebone

IPRIFLAVONA é um derivado isoflavônico que de acordo com os dados demonstrados em diversos modelos de osteoporose2 experimental pode inibir a perda da massa óssea (osteólise) e de favorecer tanto a diferenciação quanto a estimulação dos osteoblastos com uma consequente deposição de tecido ósseo22 recém formado (osteosíntese).
Esse efeito verifica-se através de um mecanismo direto e outro indireto através da potencialização dos efeitos dos estrógenos endógenos sobre o metabolismo23 ósseo.

Além disso, verificou-se que IPRIFLAVONA não exerce qualquer efeito estrogênico direto nos diversos modelos experimentais. Foi demonstrado in vitro que IPRIFLAVONA reduz a liberação do cálcio marcado (radioativo24) de culturas de tecido ósseo22 fetal de rato, efeito evidente mesmo na presença da ação estimulante sobre a liberação de cálcio exercida pelo paratohormônio ou pela prostaglandina25 PGE2.

IPRIFLAVONA aumenta o efeito inibidor da calcitonina26 e do estriol sobre a reabsorção óssea provocada pelo paratohormônio. Nos estudos in vivo, na osteopatia experimental por dieta pobre em cálcio e vitamina27 D no rato, IPRIFLAVONA apresenta um efeito sobre a densidade e o peso da estrutura óssea e sobre o conteúdo do cálcio. Na osteoporose2 induzida pelos glicocorticóides no rato, a administração da IPRIFLAVONA aumenta, com relação aos grupos de controle, a densidade das metáfises distais28 e tende a aumentar a densidade das diáfises29 femurais. Na rata ovariectomizada, IPRIFLAVONA administrada contemporaneamente aos estrógenos aumenta os níveis séricos de calcitonina26 e inibe a reabsorção óssea, com efeito mais evidente comparativamente ao efeito dos estrógenos administrados isoladamente. No rato recém-nascido, IPRIFLAVONA inibe a desmineralização óssea provocada pelo calcitriol. No diabete provocado pela estreptozocina em ratos, IPRIFLAVONA inibe a redução da densidade óssea e do conteúdo de cálcio e fosfato ósseo, sem influenciar o nível de diabetes30.

Na clínica, IPRIFLAVONA demonstrou-se eficaz na prevenção e no tratamento da osteoporose2 pós-menopáusica e senil. Os sintomas31 característicos da doença, regridem durante as primeiras semanas do tratamento, tais como dor em repouso, dor à locomoção, aos movimentos de rotação e de flexão e outros. Os parâmetros indicativos da massa óssea melhoram e estabilizam-se após os primeiros meses de tratamento como por exemplo o aumento da densidade óssea e a parada de sua redução, a diminuição do número de desabamentos vertebrais de fraturas vertebrais por compressão e das fraturas espontâneas ou traumáticas dos ossos longos32. A atividade anti-osteoporótica e a tolerabilidade da IPRIFLAVONA permanecem constantes durante o tratamento a longo prazo.

Indicações de Rebone

Osteoporose2 pós-menopáusica e senil.

Contra-Indicações de Rebone

HIPERSENSIBILIDADE A QUALQUER UM DOS COMPONENTES DA FÓRMULA. ÚLCERA GÁSTRICA33 OU DUODENAL EM ATIVIDADE.

Precauções de Rebone

IPRIFLAVONA DEVERÁ SER ADMINISTRADA COM CAUTELA EM PACIENTES COM ALTERAÇÕES HEPÁTICAS34 OU RENAIS GRAVES E ALTERAÇÕES HEMATOLÓGICAS.NOS CASOS DE TRATAMENTO A LONGO PRAZO, É ACONSELHÁVEL EFETUAR CONTROLES PERIÓDICOS DOS PARÂMETROS HEMATOLÓGICOS E DA FUNÇÃO HEPÁTICA35 E RENAL36. NÃO EXISTEM INFORMAÇÕES SOBRE A SEGURANÇA DO PRODUTO NA INFÂNCIA.

IPRIFLAVONA APRESENTA A POSSIBILIDADE DE ULTRAPASSAR A BARREIRA PLACENTÁRIA, PORTANTO, COMO MEDIDA PREVENTIVA ACONSELHA-SE NÃO ADMINISTRAR O PRODUTO EM CASOS DE GRAVIDEZ37 SUSPEITA OU CONFIRMADA. O PRODUTO DEVERÁ SER ADMINISTRADO COM CAUTELA DURANTE A AMAMENTAÇÃO4, UMA VEZ QUE EM ESTUDOS COM ANIMAIS FOI DEMONSTRADO A PASSAGEM DO PRODUTO PELO LEITE MATERNO.

NÃO FORAM ESTABELECIDAS A SEGURANÇA E A EFICÁCIA EM CRIANÇAS.

Interações Medicamentosas de Rebone

No caso de administração a pacientes que estejam em tratamento com anticoagulantes38 cumarínicos, a ipriflavona determina um aumento da atividade dessas substâncias; aconselha-se desta forma monitoragem dos parâmetros da coagulação39 e, se necessário, ajustar a dosagem do fármaco40 anticoagulante41. Não foram observadas interações com hipoglicemiantes orais42 (sulfoniluréias43) em pacientes diabéticos.

Reações Adversas de Rebone

OCASIONALMENTE PODEM MANIFESTAR-SE REAÇÕES DE HIPERSENSIBILIDADE (ERUPÇÃO5 CUTÂNEA44 E PRURIDO45), DISTÚRBIOS GASTRINTESTINAIS (NÁUSEA46, VÔMITO47, GASTRALGIA48 E DIARRÉIA10), VERTIGENS11 OU TONTURAS12 DURANTE O TRATAMENTO COM O PRODUTO. EVENTUALMENTE PODEM SER OBSERVADAS REDUÇÕES DE ERITRÓCITOS13 E LEUCÓCITOS14, AUMENTO DAS TRANSAMINASES (TGO E TGP) E DA BILIRRUBINEMIA, AUMENTO DOS NÍVEIS DE NITROGÊNIO SANGUÍNEO.

Posologia de Rebone

Uma cápsula de 300 mg, duas vezes ao dia, de 12 em 12 horas.

Conduta na Superdosagem de Rebone

Não há relatos de superdosagem com IPRIFLAVONA.

Se ocorrer, aconselha-se realizar lavagem gástrica49 e adotar o tratamento sintomático50 de apoio.

"ATENÇÃO: ESTE PRODUTO É UM NOVO MEDICAMENTO E EMBORA AS PESQUISAS REALIZADAS TENHAM INDICADO EFICÁCIA E SEGURANÇA QUANDO CORRETAMENTE INDICADO, PODEM OCORRER REAÇÕES ADVERSAS IMPREVISÍVEIS AINDA NÃO DESCRITAS OU CONHECIDAS. EM CASO DE SUSPEITA DE REAÇÃO ADVERSA O MÉDICO RESPONSÁVEL DEVE SER NOTIFICADO.

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA



REBONE - Laboratório

ACHÈ
RODOVIA PRES DUTRA KM 222, 2
GUARULHOS/SP - CEP: 07034-904
Tel: 11 6440-8418
Email: ache@ache.com.br
Site: http://www.ache.com.br

Ver outros medicamentos do laboratório "ACHÈ"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
2 Osteoporose: Doença óssea caracterizada pela diminuição da formação de matriz óssea que predispõe a pessoa a sofrer fraturas com traumatismos mínimos ou mesmo na ausência deles. É influenciada por hormônios, sendo comum nas mulheres pós-menopausa. A terapia de reposição hormonal, que administra estrógenos a mulheres que não mais o produzem, tem como um dos seus objetivos minimizar esta doença.
3 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
4 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
5 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
6 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
7 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
8 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
9 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
10 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
11 Vertigens: O termo vem do latim “vertere” e quer dizer rodar. A definição clássica de vertigem é alucinação do movimento. O indivíduo vê os objetos do ambiente rodarem ao seu redor ou seu corpo rodar em relação ao ambiente.
12 Tonturas: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
13 Eritrócitos: Células vermelhas do sangue. Os eritrócitos maduros são anucleados, têm forma de disco bicôncavo e contêm HEMOGLOBINA, cuja função é transportar OXIGÊNIO. Sinônimos: Corpúsculos Sanguíneos Vermelhos; Corpúsculos Vermelhos Sanguíneos; Corpúsculos Vermelhos do Sangue; Glóbulos Vermelhos; Hemácias
14 Leucócitos: Células sangüíneas brancas. Compreendem tanto os leucócitos granulócitos (BASÓFILOS, EOSINÓFILOS e NEUTRÓFILOS) como os não granulócitos (LINFÓCITOS e MONÓCITOS). Sinônimos: Células Brancas do Sangue; Corpúsculos Sanguíneos Brancos; Corpúsculos Brancos Sanguíneos; Corpúsculos Brancos do Sangue; Células Sanguíneas Brancas
15 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
16 Gastrite: Inflamação aguda ou crônica da mucosa do estômago. Manifesta-se por dor na região superior do abdome, acidez, ardor, náuseas, vômitos, etc. Pode ser produzida por infecções, consumo de medicamentos (aspirina), estresse, etc.
17 Úlcera: Ferida superficial em tecido cutâneo ou mucoso que pode ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
18 Duodeno: Parte inicial do intestino delgado que se estende do piloro até o jejuno.
19 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
20 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
21 Insuficiência Cardíaca: É uma condição na qual a quantidade de sangue bombeada pelo coração a cada minuto (débito cardíaco) é insuficiente para suprir as demandas normais de oxigênio e de nutrientes do organismo. Refere-se à diminuição da capacidade do coração suportar a carga de trabalho.
22 Tecido Ósseo: TECIDO CONJUNTIVO especializado, principal constituinte do ESQUELETO. O componente celular básico (principle) do osso é constituído por OSTEOBLASTOS, OSTEÓCITOS e OSTEOCLASTOS, enquanto COLÁGENOS FIBRILARES e cristais de hidroxiapatita formam a MATRIZ ÓSSEA.
23 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
24 Radioativo: Que irradia ou emite radiação, que contém radioatividade.
25 Prostaglandina: É qualquer uma das várias moléculas estruturalmente relacionadas, lipossolúveis, derivadas do ácido araquidônico. Ela tem função reguladora de diversas vias metabólicas.
26 Calcitonina: Hormônio secretado pela glândula tireoide que inibe a perda de cálcio dos ossos.
27 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
28 Distais: 1. Que se localiza longe do centro, do ponto de origem ou do ponto de união. 2. Espacialmente distante; remoto. 3. Em anatomia geral, é o mais afastado do tronco (diz-se de membro) ou do ponto de origem (diz-se de vasos ou nervos). Ou também o que é voltado para a direção oposta à cabeça. 4. Em odontologia, é o mais distante do ponto médio do arco dental.
29 Diáfises: O eixo dos ossos longos.
30 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
31 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
32 Ossos longos: Exemplo: Fêmur
33 Úlcera gástrica: Lesão na mucosa do estômago. Pode ser provocada por excesso de ácido clorídrico produzido pelo próprio estômago ou por medicamentos como antiinflamatórios ou aspirina. É uma doença infecciosa, causada pela bactéria Helicobacter pylori em quase 100 % dos casos.
34 Hepáticas: Relativas a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
35 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
36 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
37 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
38 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
39 Coagulação: Ato ou efeito de coagular(-se), passando do estado líquido ao sólido.
40 Fármaco: Qualquer produto ou preparado farmacêutico; medicamento.
41 Anticoagulante: Substância ou medicamento que evita a coagulação, especialmente do sangue.
42 Hipoglicemiantes orais: Medicamentos usados por via oral em pessoas com diabetes tipo 2 para manter os níves de glicose próximos ao normal. As classes de hipoglicemiantes são: inibidores da alfaglicosidase, biguanidas, derivados da fenilalanina, meglitinides, sulfoniluréias e thiazolidinediones.
43 Sulfoniluréias: Classe de medicamentos orais para tratar o diabetes tipo 2 que reduz a glicemia por ajudar o pâncreas a fabricar mais insulina e o organismo a usar melhor a insulina produzida.
44 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
45 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
46 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
47 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
48 Gastralgia: Dor no estômago; cólica gástrica, gastrodinia.
49 Lavagem gástrica: É a introdução, através de sonda nasogástrica, de líquido na cavidade gástrica, seguida de sua remoção.
50 Sintomático: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.
Artigos relacionados

Tem alguma dúvida sobre REBONE?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.