FLUTAMIDA

BIOSINTETICA

Atualizado em 08/12/2014

FLUTAMIDA  
250 mg Comprimidos
Biosintética

USO ADULTO

Formas Farmacêuticas e Apresentações da Flutamida

Comprimidos. Embalagem com 20 comprimidos.

Composição da Flutamida

Cada comprimido contém:
Flutamida .................... 250 mg
Excipiente q.s.p. .................... 1 comprimido
Excipientes: Lactose1 1 H2O, lauril sulfato de sódio, celulose microcristalina, amido de milho, dióxido de silício, estearato de magnésio

Informações ao Paciente da Flutamida

.Ação esperada do Medicamento: FLUTAMIDA Biosintética é indicada para o tratamento paliativo2 e/ou adjuvante das neoplasias3 da próstata4, em pacientes que não receberam ou não responderam à terapia hormonal.

.Cuidados de Armazenamento: Conservar o produto protegido do calor excessivo, da luz e umidade.

.Prazo de Validade: Flutamida Biosintética apresenta o prazo de validade de 36 meses. Não use o produto com prazo de validade vencido.Gravidez5 e Lactação6: O uso de Flutamida Biosintética esta indicado exclusivamente para pacientes7 do sexo masculino.
Cuidados de administração: Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e duração do tratamento.
Interrupção do tratamento: "Não interromper o tratamento sem o conhecimento de seu médico"
.Reações Adversas: Podem ocorrer reações desagradáveis como aumento das mamas8 no homem (ginecomastia9), diarréia10, náuseas11, vômitos12, aumento do apetite, insônia, cansaço, problemas de fígado13. Raramente podem-se observar diminuição da libido14, perda de apetite, dor de estômago15, azia16, prisão de ventre, inchaços, dor de cabeça17, coceiras, tontura18, fraqueza, mal-estar, visão19 turva, ansiedade e depressão.
                       
TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

Ingestão concomitante com outras substâncias: Informe seu médico a respeito do uso simultâneo de outros medicamentos.

.Precauções: Possíveis efeitos colaterais20, como tonturas21 e confusão mental, podem prejudicar a capacidade de dirigir carro e manejar máquinas.

Aviso aos diabéticos: contém hidratos de carbono, correspondendo a 0,032 BE por comprimido.

NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO. PODE SER PERIGOSO PARA A SUA SAÚDE22.

Informações Técnicas da Flutamida

 FLUTAMIDA Biosintética apresenta como princípio ativo a flutamida (uma acetanilida), um agente antiandrogênico puro, não esteróide, ativo por via oral. Este agente exerce sua ação androgênica através da inibição da captação e ou inibindo as ligações nucleares dos andróginos nos tecidos alvo. FLUTAMIDA Biosintética é rápida e completamente absorvida e metabolizada, sendo que o principal metabólito23 ativo é a ÿ-hidroxiflutamida que atinge sua concentração máxima em aproximadamente 2 horas após a administração. A meia-vida de eliminação é de cerca de 6 horas em indivíduos jovens, e de 8 horas em pacientes mais idosos. É excretada principalmente na urina24, sendo somente 4,2% excretada nas fezes, num período de 72 horas.

Indicações da Flutamida

    No tratamento de pacientes com tumor25 progressivo de próstata4, para os quais está indicada a supressão da ação do hormônio26 sexual masculino (testosterona).    Terapia inicial em combinação com um análogo LH-RH, ou em associação com a retirada dos testículos27 (bloqueio total do hormônio26 sexual masculino), bem como em pacientes já tratados com um análogo LH-RH como naqueles em que já foi feita a retirada cirúrgica do testículo28 (retirada da glândula29 masculina).

Contra-Indicações da Flutamida

 FLUTAMIDA Biosintética é contra-indicado em pacientes que apresentam hipersensibilidade à flutamida ou a qualquer outro componente da fórmula.
    No caso de insuficiência30 das funções hepáticas31, o tratamento a longo prazo com Flutamida, deve ser avaliado em cada caso, após consideração cuidadosa dos riscos e benefícios. O uso de flutamida deve ser interrompido quando os exames laboratoriais apresentem indicações de lesão32 hepática33 ou ictírícia cuja as origens não são metastáses, segundo os exames dos tecidos lesados.
 Flutamida pode elevar os níveis plasmáticos de testosterona e estradiol e com isso provocar retenção de líquidos, razão pela qual este medicamento deve ser usado com cuidado na vigência de uma doença cardiovascular.

Precauções da Flutamida

      FUNÇÕES HEPÁTICAS31: Durante o uso crônico34 de FLUTAMIDA Biosintética, deve-se realizar um controle periódico das funções hepáticas31, pois foram identificadas alterações de TGO e TGP, icterícia35 colestásica, necrose36 hepática33 e encefalopatia37 hepática33 com uso da flutamida, reações estas reversíveis após a suspensão do medicamento. Pode ocorrer aumento do nitrogênio uréico e da  creatinina38 sérica. Se o paciente apresentar evidência clínica de icterícia35, sem confirmação da ausência de metástases39 no fígado13, a terapia com Flutamida Biosintética deve ser descontinuada. Em pacientes clinicamente assintomáticos, se as transaminases estiverem aumentadas de 2 a 3 vezes além do limite normal, o tratamento também deve ser descontinuado. Os danos hepáticos geralmente são reversíveis após a suspensão do tratamento ou em alguns pacientes após a diminuição da dose.
    FUNÇÃO RENAL40: A correlação entre o clearance da creatinina38 e o C (max) e o (AUC) da flutamida parece não existir. Problemas na função renal40 parece não afetar o AUC e o C(max) do metabólito23 ativo . Em estudos de Clearance de creatinina38 de 29 ml/min, a meia vida do metabólito23 ativo estava ligeiramente aumentada. Tanto a flutamida como o metabólito23 ativo não são filtrados na diálise41. Ajustes na dose em pacientes com insuficiência30 crônica não estão garantidos.
    Níveis de Metahemoglobina devem ser monitorados em pacientes suscetíveis á toxicidade42 da anilina, pessoas com deficiência de glicose43-6-fosfato- desidrogenase, hemoglobina44 M como também pacientes que fumam.
    Aviso aos diabéticos: contém hidratos de carbono, correspondendo a 0,032 BE por comprimido.

Gravidez5 e Lactação6 da Flutamida

    O uso de Flutamida Biosintética esta indicado exclusivamente para pacientes7 do sexo masculino.
           Não foram realizados estudos em mulheres grávidas ou lactantes45. Assim sendo, deve ser considerada a possibilidade da Flutamida causar dano fetal. Mulheres em idade fértil devem ser avisadas sobre o risco potencial da droga e evitar a gravidez5.
    Deve-se evitar a lactação6 durante o tratamento pois não se sabe se a flutamida é excretada no leite materno.

Interações Medicamentosas da Flutamida

               No tratamento concomitante com varfarina, observou-se aumento no tempo de protrombina46, sendo indicado, neste caso, acompanhamento com exames laboratoriais e reajustes das doses do anticoagulante47 se necessário.

Reações Adversas da Flutamida

 
    As reações adversas mais freqüentemente reportadas com o uso da flutamida foram: ginecomastia9 ou sensibilidade mamaria, galactorréia48, diarréia10, náuseas11, vômitos12, hiperfagia49, insônia, cansaço, disfunções hepáticas31 e hepatite50. Estas reações desaparecem com a interrupção do tratamento ou com a diminuição s da dosagem.
 Flutamida demonstra baixo potencial de interferência no sistema cardiovascular51, que é significativamente mais baixo quando comparado ao DES ( dietilestilbestrol).
    No tratamento com Flutamida, comprimidos de 250 mg, é possível ocorrer inicialmente um aumento passageiro da testosterona sérica (hormônio26 sexual masculino), podendo surgir, além disso, rubor cutâneo52 com sensação de calor, assim como uma alteração no tipo de cabelo53.
    As reações adversas menos freqüentes são: diminuição da libido14, impotência54, anorexia55, dor epigástrica, pirose56, obstipação57, edemas58, equimoses59, herpes zoster60, cefaléias61, pruridos, vertigens62, mal-estar indefinido, visão19 "borrada", dor torácica, ansiedade, nervosismo, depressão, linfedema e hipertensão63. Muito raramente foram relatados casos de anemia64, leucopenia65, trombocitopenia66, metehemoglobinemia, reações de fotosensibilidade, alterações na cor da urina24, icterícia35 colestática, necrose36 hepática33 e diminuição da contagem de espermatozóides67.
 Terapia combinada68: Não se deve esquecer a possibilidade de se manifestarem efeitos concomitantes causados por outro fármaco69, quando da associação de FLUTAMIDA Biosintética com antagonistas do LHRH. Os efeitos colaterais20 mais comumente observados na combinação com um agonista70 LHRH foram ondas de calor, diminuição da libido14, impotência54 diarréia10 e vômitos12.
    Com exceção da diarréia10, estes efeitos colaterais20 ocorrem na mesma freqüência com o uso do agonista70 LHRH isoladamente.

    Outras reações adversas - anemia hemolítica71, anemia64 macrocítica, reações de fotosensibilidade incluindo eritema72 ulcerações73, erupções vesiculares e necrólise epidérmica, além da mudança da cor da urina24 para âmbar ou aparência verde-amarela que pode ser atribuída a flutamida e ou a seus metabólitos74. Também foram observadas icterícia35 colestática, encefalopatia37 hepática33 e necrose36 hepática33. As alterações hepáticas31 foram usualmente reversíveis após a interrupção da terapia; entretanto, houve casos fatais posteriores a severa injúria hepática33 associada ao uso de flutamida.
    Alterações Laboratoriais incluem modificações na função hepática33, apresentando elevação nos valores da creatinina38 sérica, SGOT, SGPT, SGGT, BUN e bilirrubina75 . Foram relatados dois casos de neoplasia76 maligna de mama77 em pacientes do sexo masculino que faziam uso de flutamida. Um deles consistiu na piora de um nódulo78 preexistente que foi detectado três a quatro meses antes do início da monoterapia com flutamida em paciente com hipeplasia prostática begnina. Após a extirpação foi diagnosticado como carcinoma79 ductal pouco diferenciado. O outro caso apresentou ginecomastia9 e um nódulço detectado dois a seis meses, respectivamente, após o inicio com a monoterapia com flutamida para o tratamento do cancer80 avançado da próstata4. Nove meses após o ínicio da terapia, o nódulo78 foi extirpado e diagnosticadocomo tumor25 ductal invasivo moderadamente diferenciado, estágio T4nomo, G3, sem metástases39.
    Avaliação regular do título de PSA (Prostate Specifc Antigen) é útil na monitoração da resposta do paciente . Se os níveis de PSA aumentarem significativamente durante a terapia com Flutamida Biosintética deve-se avaliar a progressão clínica . Para pacientes7 que não tiveram objetivamente a progressão da doença acompanhada de um elevado PSA, pode ser considerado um período livre do antiandrogênico enquanto continua-se um análago de LHRH.
    Os valores de estradiol e testosterona foram observados após a administração de flutamida.
           Diminuição na contagem de espermatozóides67 foi observada durante um estudo de 6 semanas de monoterapia com flutamida em voluntários normais.

Posologia da Flutamida

Indicações para terapia de combinação:

    Durante uma terapia inicial com um análogo LH-RH, e com um tratamento por meio de Flutamida há redução da ocorrência e intensidade de um fenômeno de aumento do tumor25 (Tumor25-Flare Phänomens)(ativação passageira da doença tumoral).    Por isso é recomendado começar com a ingestão de 1 comprimido de 250 mg de Flutamida 3 vezes ao dia, no mínimo 3 dias antes da primeira administração do análogo LH-RH, mantendo essa dosagem a seguir.
    Os comprimidos devem ser ingeridos com um pouco de líquido, de preferência após as refeições.
           A duração do tratamento é de competência do médico responsável. Ele se orienta pelo tipo, gravidade e evolução da doença.

Conduta na Superdose da Flutamida

    Até agora não foi determinada a dose de Flutamida considerada como causadora de sintomas81  clínicos de superdoseo ou lesiva ao fígado13. Um paciente sobreviveu à ingestão de mais de 5 g em dose única, não tendo sido constatados quaisquer efeitos colaterais20.
    Como Flutamida é um derivado da anilin, teoricamente existe a possibilidade de que provoque metemoglobinemia. Em conseqüência, um paciente com intoxicação aguda pode ficar cianótico82 Os sinais83 de superdosagem são hipoatividade, respiração lenta, ataxia84 e/ou lacrimejamento, anorexia55, emese85 e metemoglobinemia. Desde que a flutamida é altamente acoplada às proteínas86 plasmáticas, uma diálise41 não seria de utilidade em caso de superdosagem. Pode-se induzir o paciente ao vômito87, se a intoxicação se deu pouco tempo antes da intervenção, ou fazer-se lavagem gástrica88. A terapêutica89 deve ser sintomática90, não se conhecendo antídoto91 para a flutamida.
    São indicados cuidados de suporte em geral, inclusive checagem dos sinais vitais92 e observação minunciosa do paciente.

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA

FLUTAMIDA - Laboratório

BIOSINTETICA
Rua Periquito, 236 - Vl. Uberabinha
São Paulo/SP - CEP: 04514-050
Tel: 55 (011) 5561-2614
Fax: 55 (011)5561-2072
Site: http://www.biosintetica.com.br/

Ver outros medicamentos do laboratório "BIOSINTETICA"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Lactose: Tipo de glicídio que possui ligação glicosídica. É o açúcar encontrado no leite e seus derivados. A lactose é formada por dois carboidratos menores, chamados monossacarídeos, a glicose e a galactose, sendo, portanto, um dissacarídeo.
2 Paliativo: 1. Que ou o que tem a qualidade de acalmar, de abrandar temporariamente um mal (diz-se de medicamento ou tratamento); anódino. 2. Que serve para atenuar um mal ou protelar uma crise (diz-se de meio, iniciativa etc.).
3 Neoplasias: Termo que denomina um conjunto de doenças caracterizadas pelo crescimento anormal e em certas situações pela invasão de órgãos à distância (metástases). As neoplasias mais frequentes são as de mama, cólon, pele e pulmões.
4 Próstata: Glândula que (nos machos) circunda o colo da BEXIGA e da URETRA. Secreta uma substância que liquefaz o sêmem coagulado. Está situada na cavidade pélvica (atrás da parte inferior da SÍNFISE PÚBICA, acima da camada profunda do ligamento triangular) e está assentada sobre o RETO.
5 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
6 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
7 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
8 Mamas: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
9 Ginecomastia: Aumento anormal de uma ou ambas as glândulas mamárias no homem. Associa-se a diferentes enfermidades como cirrose, tumores testiculares, etc. Em certas ocasiões ocorrem de forma idiopática.
10 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
11 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
12 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
13 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
14 Libido: Desejo. Procura instintiva do prazer sexual.
15 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
16 Azia: Pirose. Sensação de dor epigástrica semelhante a uma queimadura, geralmente acompanhada de regurgitação de suco gástrico para dentro do esôfago.
17 Cabeça:
18 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
19 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
20 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
21 Tonturas: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
22 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
23 Metabólito: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
24 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
25 Tumor: Termo que literalmente significa massa ou formação de tecido. É utilizado em geral para referir-se a uma formação neoplásica.
26 Hormônio: Substância química produzida por uma parte do corpo e liberada no sangue para desencadear ou regular funções particulares do organismo. Por exemplo, a insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas que diz a outras células quando usar a glicose para energia. Hormônios sintéticos, usados como medicamentos, podem ser semelhantes ou diferentes daqueles produzidos pelo organismo.
27 Testículos: Os testículos são as gônadas sexuais masculinas que produzem as células de fecundação ou espermatozóides. Nos mamíferos ocorrem aos pares e são protegidos fora do corpo por uma bolsa chamada escroto. Têm função de glândula produzindo hormônios masculinos.
28 Testículo: A gônada masculina contendo duas partes funcionais Sinônimos: Testículos
29 Glândula: Estrutura do organismo especializada na produção de substâncias que podem ser lançadas na corrente sangüínea (glândulas endócrinas) ou em uma superfície mucosa ou cutânea (glândulas exócrinas). A saliva, o suor, o muco, são exemplos de produtos de glândulas exócrinas. Os hormônios da tireóide, a insulina e os estrógenos são de secreção endócrina.
30 Insuficiência: Incapacidade de um órgão ou sistema para realizar adequadamente suas funções.Manifesta-se de diferentes formas segundo o órgão comprometido. Exemplos: insuficiência renal, hepática, cardíaca, respiratória.
31 Hepáticas: Relativas a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
32 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
33 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
34 Crônico: Descreve algo que existe por longo período de tempo. O oposto de agudo.
35 Icterícia: Coloração amarelada da pele e mucosas devido a uma acumulação de bilirrubina no organismo. Existem dois tipos de icterícia que têm etiologias e sintomas distintos: icterícia por acumulação de bilirrubina conjugada ou direta e icterícia por acumulação de bilirrubina não conjugada ou indireta.
36 Necrose: Conjunto de processos irreversíveis através dos quais se produz a degeneração celular seguida de morte da célula.
37 Encefalopatia: Qualquer patologia do encéfalo. O encéfalo é um conjunto que engloba o tronco cerebral, o cerebelo e o cérebro.
38 Creatinina: Produto residual das proteínas da dieta e dos músculos do corpo. É excretada do organismo pelos rins. Uma vez que as doenças renais progridem, o nível de creatinina aumenta no sangue.
39 Metástases: Formação de tecido tumoral, localizada em um lugar distante do sítio de origem. Por exemplo, pode se formar uma metástase no cérebro originário de um câncer no pulmão. Sua gravidade depende da localização e da resposta ao tratamento instaurado.
40 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
41 Diálise: Quando os rins estão muito doentes, eles deixam de realizar suas funções, o que pode levar a risco de vida. Nesta situação, é preciso substituir as funções dos rins de alguma maneira, o que pode ser feito realizando-se um transplante renal, ou através da diálise. A diálise é um tipo de tratamento que visa repor as funções dos rins, retirando as substâncias tóxicas e o excesso de água e sais minerais do organismo, estabelecendo assim uma nova situação de equilíbrio. Existem dois tipos de diálise: a hemodiálise e a diálise peritoneal.
42 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
43 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
44 Hemoglobina: Proteína encarregada de transportar o oxigênio desde os pulmões até os tecidos do corpo. Encontra-se em altas concentrações nos glóbulos vermelhos.
45 Lactantes: Que produzem leite; que aleitam.
46 Protrombina: Proteína plasmática inativa, é a precursora da trombina e essencial para a coagulação sanguínea.
47 Anticoagulante: Substância ou medicamento que evita a coagulação, especialmente do sangue.
48 Galactorréia: Secreção mamária anormal de leite fora do período de amamentação. Pode ser produzida por distúrbios hormonais ou pela ação de medicamentos.
49 Hiperfagia: Aumento anormal do apetite ou ingestão excessiva de alimentos, geralmente associada a lesão do hipotálamo.
50 Hepatite: Inflamação do fígado, caracterizada por coloração amarela da pele e mucosas (icterícia), dor na região superior direita do abdome, cansaço generalizado, aumento do tamanho do fígado, etc. Pode ser produzida por múltiplas causas como infecções virais, toxicidade por drogas, doenças imunológicas, etc.
51 Sistema cardiovascular: O sistema cardiovascular ou sistema circulatório sanguíneo é formado por um circuito fechado de tubos (artérias, veias e capilares) dentro dos quais circula o sangue e por um órgão central, o coração, que atua como bomba. Ele move o sangue através dos vasos sanguíneos e distribui substâncias por todo o organismo.
52 Cutâneo: Que diz respeito à pele, à cútis.
53 Cabelo: Estrutura filamentosa formada por uma haste que se projeta para a superfície da PELE a partir de uma raiz (mais macia que a haste) e se aloja na cavidade de um FOLÍCULO PILOSO. É encontrado em muitas áreas do corpo.
54 Impotência: Incapacidade para ter ou manter a ereção para atividades sexuais. Também chamada de disfunção erétil.
55 Anorexia: Perda do apetite ou do desejo de ingerir alimentos.
56 Pirose: Sensação de dor epigástrica semelhante a uma queimadura, ela pode ser acompanhada de regurgitação de suco gástrico para dentro do esôfago; azia.
57 Obstipação: Prisão de ventre ou constipação rebelde.
58 Edemas: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
59 Equimoses: Manchas escuras ou azuladas devido à infiltração difusa de sangue no tecido subcutâneo. A maioria aparece após um traumatismo, mas pode surgir espontaneamente em pessoas que apresentam fragilidade capilar ou alguma coagulopatia. Após um período de tempo variável, as equimoses desaparecem passando por diferentes gradações: violácea, acastanhada, esverdeada e amarelada.
60 Zoster: Doença produzida pelo mesmo vírus que causa a varicela (Varicela-Zóster). Em pessoas que já tenham tido varicela, o vírus se encontra em forma latente e pode ser reativado produzindo as características manchas avermelhadas, vesículas e crostas no território de distribuição de um determinado nervo. Como seqüela pode deixar neurite, com dores importantes.
61 Cefaléias: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaléia ou dor de cabeça tensional, cefaléia cervicogênica, cefaléia em pontada, cefaléia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaléias ou dores de cabeça. A cefaléia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
62 Vertigens: O termo vem do latim “vertere” e quer dizer rodar. A definição clássica de vertigem é alucinação do movimento. O indivíduo vê os objetos do ambiente rodarem ao seu redor ou seu corpo rodar em relação ao ambiente.
63 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
64 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
65 Leucopenia: Redução no número de leucócitos no sangue. Os leucócitos são responsáveis pelas defesas do organismo, são os glóbulos brancos. Quando a quantidade de leucócitos no sangue é inferior a 6000 leucócitos por milímetro cúbico, diz-se que o indivíduo apresenta leucopenia.
66 Trombocitopenia: É a redução do número de plaquetas no sangue. Contrário de trombocitose. Quando a quantidade de plaquetas no sangue é inferior a 150.000/mm³, diz-se que o indivíduo apresenta trombocitopenia (ou plaquetopenia). As pessoas com trombocitopenia apresentam tendência de sofrer hemorragias.
67 Espermatozóides: Células reprodutivas masculinas.
68 Terapia combinada: Uso de medicações diferentes ao mesmo tempo (agentes hipoglicemiantes orais ou um agente hipoglicemiante oral e insulina, por exemplo) para administrar os níveis de glicose sangüínea em pessoas com diabetes tipo 2.
69 Fármaco: Qualquer produto ou preparado farmacêutico; medicamento.
70 Agonista: 1. Em farmacologia, agonista refere-se às ações ou aos estímulos provocados por uma resposta, referente ao aumento (ativação) ou diminuição (inibição) da atividade celular. Sendo uma droga receptiva. 2. Lutador. Na Grécia antiga, pessoa que se dedicava à ginástica para fortalecer o físico ou como preparação para o serviço militar.
71 Anemia hemolítica: Doença hereditária que faz com que os glóbulos vermelhos do sangue se desintegrem no interior dos veios sangüíneos (hemólise intravascular) ou em outro lugar do organismo (hemólise extravascular). Pode ter várias causas e ser congênita ou adquirida. O tratamento depende da causa.
72 Eritema: Vermelhidão da pele, difusa ou salpicada, que desaparece à pressão.
73 Ulcerações: 1. Processo patológico de formação de uma úlcera. 2. A úlcera ou um grupo de úlceras.
74 Metabólitos: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
75 Bilirrubina: Pigmento amarelo que é produto da degradação da hemoglobina. Quando aumenta no sangue, acima de seus valores normais, pode produzir uma coloração amarelada da pele e mucosas, denominada icterícia. Pode estar aumentado no sangue devido a aumento da produção do mesmo (excesso de degradação de hemoglobina) ou por dificuldade de escoamento normal (por exemplo, cálculos biliares, hepatite).
76 Neoplasia: Termo que denomina um conjunto de doenças caracterizadas pelo crescimento anormal e em certas situações pela invasão de órgãos à distância (metástases). As neoplasias mais frequentes são as de mama, cólon, pele e pulmões.
77 Mama: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
78 Nódulo: Lesão de consistência sólida, maior do que 0,5cm de diâmetro, saliente na hipoderme. Em geral não produz alteração na epiderme que a recobre.
79 Carcinoma: Tumor maligno ou câncer, derivado do tecido epitelial.
80 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
81 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
82 Cianótico: Relativo à cianose, ou seja, à coloração azul violácea da pele e das mucosas devida à oxigenação insuficiente do sangue e ligada a várias causas (distúrbio de hematose, insuficiência cardíaca etc.).
83 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
84 Ataxia: Reflete uma condição de falta de coordenação dos movimentos musculares voluntários podendo afetar a força muscular e o equilíbrio de uma pessoa. É normalmente associada a uma degeneração ou bloqueio de áreas específicas do cérebro e cerebelo. É um sintoma, não uma doença específica ou um diagnóstico.
85 Êmese: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Sinônimo de vômito. Pode ser classificada como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
86 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
87 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
88 Lavagem gástrica: É a introdução, através de sonda nasogástrica, de líquido na cavidade gástrica, seguida de sua remoção.
89 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
90 Sintomática: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.
91 Antídoto: Substância ou mistura que neutraliza os efeitos de um veneno. Esta ação pode reagir diretamente com o veneno ou amenizar/reverter a ação biológica causada por ele.
92 Sinais vitais: Conjunto de variáveis fisiológicas que são pressão arterial, freqüência cardíaca, freqüência respiratória e temperatura corporal.
Artigos relacionados

Tem alguma dúvida sobre FLUTAMIDA?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.