COSOPT

Merck Sharp & Dohme

Atualizado em 08/12/2014

Composição de Cosopt

cada ml contém 20,00 mg de dorzolamida (22,26mg de cloridrato de dorzolamida) e 5,00 mg de timolol (6,83 mg de maleato de timolol). Componentes inativos: citrato de sódio diidratado, cloreto de benzalcônio, hidroxietilcelulose, hidróxido de sódio, manitol, água para injeção1.

Posologia e Administração de Cosopt

a dose é de uma gota2 de Cosopt no(s) olho3(s) afetado(s) duas vezes ao dia. Quando substituir Cosopt por outro(s) agente(s) oftálmico(s) antiglaucomatoso(s), descontinuar o outro agente após sua administração apropriada em um dia, começando a administrar Cosopt no outro dia. Se outro agente oftálmico tópico4 estiver sendo usado, Cosopt e o outro agente devem ser administrados com um intervalo de pelo menos 10 minutos. - Superdosagem: não há dados disponíveis a respeito da superdosagem em humanos por ingestão acidental ou proposital de Cosopt. Há relatos de superdosagem acidental com solução oftálmica de maleato de timolol, a qual resultou em efeitos sistêmicos5 semelhantes aos observados com bloqueadores b-adrenérgicos6 sistêmicos5, tais como, tontura7, cefaléia8, falta de ar, bradicardia9, broncospasmo e parada cardíaca. Os sinais10 e sintomas11 mais comuns que podem ocorrer com a superdosagem de dorzolamida são desequilíbrio eletrolítico, desenvolvimento de estado acidótico e, possivelmente, efeitos no sistema nervoso central12. O tratamento deve ser sintomático13 e de suporte. Níveis séricos de eletrólitos14 (particularmente potássio) e de pH sangüíneo devem ser monitorados. Estudos têm mostrado que o timolol não é dialisado prontamente.

Precauções de Cosopt

reações cardiorrespiratórias: a exemplo do que ocorre com outros agentes oftálmicos aplicados topicamente, essa droga pode ser absorvida sistemicamente. O timolol é um b-bloqueador. Desse modo, os mesmos tipos de reações adversas observadas com a administração sistêmica dos b-bloqueadores podem ocorrer com a administração tópica. Devido à presença de maleato de timolol, insuficiência cardíaca15 deve ser adequadamente controlada antes de se iniciar a terapia com Cosopt. Em pacientes com histórico de doença cardíaca grave, sinais10 de insuficiência cardíaca15 devem ser pesquisados e a freqüência de pulso deve ser verificada. Reações respiratórias e cardíacas, incluindo morte por broncospasmo em pacientes com asma16 e raramente morte em associação com insuficiência cardíaca15, têm sido relatadas após administração de solução oftálmica de maleato de timolol. Disfunção renal17 e hepática18: Cosopt não foi estudado em pacientes com disfunção renal17 grave (ClCr < 30 ml/min). Uma vez que o cloridrato de dorzolamida e seus metabólitos19 são excretados predominantemente pelos rins20, Cosopt não é recomendado para pacientes21 com insuficiência renal22. Cosopt não foi estudado em pacientes com disfunção hepática18; portanto, deve ser usado com cautela por esses pacientes. Imunologia e hipersensibilidade: a exemplo do que ocorre com outros agentes oftálmicos aplicados topicamente, essa droga pode ser absorvida sistemicamente. A dorzolamida é uma sulfonamida; portanto, os mesmos tipos de reações adversas observadas com a administração sistêmica de sulfonamidas podem ocorrer com a administração tópica. Caso se manifestem sinais10 de reações graves ou hipersensibilidade, suspenda o uso da preparação. Em estudos clínicos, efeitos adversos oculares locais, principalmente conjuntivite23 e reações palpebrais, foram relatadas com a administração crônica de solução oftálmica de cloridrato de dorzolamida. Algumas dessas reações tiveram curso e aparência clínica de reações alérgicas típicas e desapareceram após a suspensão da terapia. Reações similares têm sido relatadas com Cosopt. Se tais reações forem observadas, deve ser considerada a suspensão do tratamento com Cosopt. Enquanto estiverem recebendo b-bloqueadores, pacientes com histórico de atopia ou reações anafiláticas24 graves a uma variedade de alérgenos25 podem ser mais reativos à estimulação repetida acidental, diagnóstica ou terapêutica26 com tais alérgenos25. Esses pacientes podem não apresentar resposta às doses usuais de epinefrina usadas para tratar reações anafiláticas24. Terapia concomitante: existe uma possibilidade da ocorrência de efeito aditivo nos efeitos sistêmicos5 conhecidos dos inibidores da anidrase carbônica em pacientes recebendo concomitantemente inibidores orais e tópicos da anidrase carbônica. A administração concomitante de Cosopt e inibidores orais da anidrase carbônica não foi estudada e não é recomendada. Em pacientes que já estão recebendo bloqueadores b-adrenérgicos6 sistêmicos5 e começam a utilizar Cosopt, devem ser observados os efeitos potenciais aditivos tanto na pressão intra-ocular quanto nos efeitos sistêmicos5 conhecidos de b-bloqueio. O uso de dois bloqueadores b-adrenérgicos6 tópicos não é recomendado. Outros: o controle de pacientes com glaucoma27 agudo28 de ângulo fechado requer intervenções terapêuticas em adição aos agentes oculares hipotensivos. Cosopt não foi estudado em pacientes com glaucoma27 agudo28 de ângulo fechado. Descolamento de coróide foi relatado com a administração de terapia supressora de humor aquoso29 (por exemplo, timolol, acetazolamida) após processos de filtração. Uso de lentes de contato: Cosopt contém o conservante cloreto de benzalcônio, que pode depositar-se nas lentes de contato gelatinosas; portanto, Cosopt não deve ser administrado durante o uso dessas lentes. As lentes devem ser removidas antes da aplicação das gotas e só devem ser recolocadas 15 minutos depois. Gravidez30: não há estudos adequados e bem controlados em mulheres grávidas. Cosopt deve ser usado durante a gravidez30 somente se os benefícios potenciais justificarem os riscos potenciais para o feto31. - Nutrizes32: não se sabe se o cloridrato de dorzolamida é excretado no leite humano. O maleato de timolol aparece no leite humano. Devido ao potencial de reações adversas graves em lactentes33, deve-se decidir entre descontinuar a terapia ou descontinuar a droga, levando em consideração a importância da droga para a mãe. - Uso pediátrico: a segurança e a eficácia em crianças não foram estabelecidas. - Interações medicamentosas: estudos de interações medicamentosas específicos não foram realizados com Cosopt. Em estudos clínicos, Cosopt foi usado concomitantemente com as seguintes medicações sistêmicas, sem evidência de interações adversas: inibidores da ECA, bloqueadores do canal de cálcio, diuréticos34, antiinflamatórios não esteroidais incluindo aspirina e hormônios (por exemplo, estrogênio, insulina35, tiroxina). Entretanto, existe a possibilidade de efeitos aditivos e hipotensão36 e/ou bradicardia9 acentuada quando a solução oftálmica de maleato de timolol for administrada concomitantemente com bloqueadores dos canais de cálcio, drogas depletoras de catecolamina e bloqueadores b-adrenérgicos6 por via oral. Potencialização de b-bloqueio (por exemplo, redução da freqüência cardíaca) tem sido relatada durante tratamento combinado com quinidina e timolol, possivelmente porque a quinidina inibe o metabolismo37 do timolol por meio da enzima38 P-450, CYP2D6. A dorzolamida constituinte de Cosopt é um inibidor da anidrase carbônica e, embora administrada topicamente, é absorvida sistemicamente. Em estudos clínicos, a solução oftálmica de cloridrato de dorzolamida não foi associada com distúrbios acidobásicos. Entretanto, esses distúrbios têm sido relatados com inibidores orais da anidrase carbônica e, algumas vezes, resultaram em interações medicamentosas (por exemplo, toxicidade39 associada à terapia com altas doses de salicilato). Portanto, o potencial de tais interações medicamentosas deve ser considerado em pacientes tratados com Cosopt.

Reações Adversas de Cosopt

em estudos clínicos, Cosopt foi geralmente bem tolerado; não foi observada nenhuma reação adversa peculiar a essa combinação. As experiências adversas têm sido limitadas àquelas relatadas anteriormente com cloridrato de dorzolamida e/ou maleato de timolol. Em geral, as experiências adversas comuns foram transitórias e não requereram a descontinuação da terapia. As reações adversas relacionadas à droga mais freqüentes foram: ardor40 e dor aguda oculares, alteração do paladar41, erosão corneana, congestão conjuntival, visão42 embaçada, lacrimejamento e prurido43 ocular. Urolitíase foi raramente relatada.

Contra-Indicações de Cosopt

asma16 brônquica ou histórico de asma16 brônquica ou doença pulmonar obstrutiva crônica grave; bradicardia9 sinusal, bloqueio atrioventricular de segundo ou terceiro graus, insuficiência cardíaca15 manifesta, choque44 cardiogênico; hipersensibilidade a qualquer componente do produto. Essas contra-indicações são baseadas nos componentes e não são específicas da associação.

Indicações de Cosopt

tratamento da pressão intra-ocular elevada em pacientes com hipertensão45 ocular, glaucoma27 de ângulo aberto, glaucoma27 pseudo-esfoliativo e outros glaucomas secundários de ângulo aberto quando a terapia concomitante for apropriada.

Apresentação de Cosopt

frascos contendo 5 ml de solução oftálmica estéril de cloridrato de dorzolamida a 2% e maleato de timolol a 0,5%.


COSOPT - Laboratório

Merck Sharp & Dohme
Rua 13 de Maio, 815
Sousas, Campinas/SP
Tel: 0800-122232
Site: http://www.msdonline.com.br

Ver outros medicamentos do laboratório "Merck Sharp & Dohme"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
2 Gota: 1. Distúrbio metabólico produzido pelo aumento na concentração de ácido úrico no sangue. Manifesta-se pela formação de cálculos renais, inflamação articular e depósito de cristais de ácido úrico no tecido celular subcutâneo. A inflamação articular é muito dolorosa e ataca em crises. 2. Pingo de qualquer líquido.
3 Olho: s. m. (fr. oeil; ing. eye). Órgão da visão, constituído pelo globo ocular (V. este termo) e pelos diversos meios que este encerra. Está situado na órbita e ligado ao cérebro pelo nervo óptico. V. ocular, oftalm-. Sinônimos: Olhos
4 Tópico: Referente a uma área delimitada. De ação limitada à mesma. Diz-se dos medicamentos de uso local, como pomadas, loções, pós, soluções, etc.
5 Sistêmicos: 1. Relativo a sistema ou a sistemática. 2. Relativo à visão conspectiva, estrutural de um sistema; que se refere ou segue um sistema em seu conjunto. 3. Disposto de modo ordenado, metódico, coerente. 4. Em medicina, é o que envolve o organismo como um todo ou em grande parte.
6 Adrenérgicos: Que agem sobre certos receptores específicos do sistema simpático, como o faz a adrenalina.
7 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
8 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
9 Bradicardia: Diminuição da freqüência cardíaca a menos de 60 batimentos por minuto. Pode estar associada a distúrbios da condução cardíaca, ao efeito de alguns medicamentos ou a causas fisiológicas (bradicardia do desportista).
10 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
11 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
12 Sistema Nervoso Central: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
13 Sintomático: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.
14 Eletrólitos: Em eletricidade, é um condutor elétrico de natureza líquida ou sólida, no qual cargas são transportadas por meio de íons. Em química, é uma substância que dissolvida em água se torna condutora de corrente elétrica.
15 Insuficiência Cardíaca: É uma condição na qual a quantidade de sangue bombeada pelo coração a cada minuto (débito cardíaco) é insuficiente para suprir as demandas normais de oxigênio e de nutrientes do organismo. Refere-se à diminuição da capacidade do coração suportar a carga de trabalho.
16 Asma: Doença das vias aéreas inferiores (brônquios), caracterizada por uma diminuição aguda do calibre bronquial em resposta a um estímulo ambiental. Isto produz obstrução e dificuldade respiratória que pode ser revertida de forma espontânea ou com tratamento médico.
17 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
18 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
19 Metabólitos: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
20 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
21 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
22 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
23 Conjuntivite: Inflamação da conjuntiva ocular. Pode ser produzida por alergias, infecções virais, bacterianas, etc. Produz vermelhidão ocular, aumento da secreção e ardor.
24 Reações anafiláticas: É um tipo de reação alérgica sistêmica aguda. Esta reação ocorre quando a pessoa foi sensibilizada (ou seja, quando o sistema imune foi condicionado a reconhecer uma substância como uma ameaça ao organismo). Na segunda exposição ou nas exposições subseqüentes, ocorre uma reação alérgica. Essa reação é repentina, grave e abrange o corpo todo. O sistema imune libera anticorpos. Os tecidos liberam histamina e outras substâncias. Esse mecanismo causa contrações musculares, constrição das vias respiratórias, dificuldade respiratória, dor abdominal, cãimbras, vômitos e diarréia. A histamina leva à dilatação dos vasos sangüíneos (que abaixa a pressão sangüínea) e o vazamento de líquidos da corrente sangüínea para os tecidos (que reduzem o volume de sangue) o que provoca o choque. Ocorrem com freqüência a urticária e o angioedema - este angioedema pode resultar na obstrução das vias respiratórias. Uma anafilaxia prolongada pode causar arritmia cardíaca.
25 Alérgenos: Substância capaz de provocar reação alérgica em certos indivíduos.
26 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
27 Glaucoma: É quando há aumento da pressão intra-ocular e danos ao nervo óptico decorrentes desse aumento de pressão. Esses danos se expressam no exame de fundo de olho e por alterações no campo de visão.
28 Agudo: Descreve algo que acontece repentinamente e por curto período de tempo. O oposto de crônico.
29 Humor aquoso: Fluido aquosa e claro que preenche as câmaras anterior e posterior do olho. Apresenta um índice de refração menor que o cristalino, o qual está envolvido pelo humor aquoso, e está relacionado com o metabolismo da córnea e do cristalino.
30 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
31 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
32 Nutrizes: Mulheres que amamentam; amas de leite; que alimentam.
33 Lactentes: Que ou aqueles que mamam, bebês. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
34 Diuréticos: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.
35 Insulina: Hormônio que ajuda o organismo a usar glicose como energia. As células-beta do pâncreas produzem insulina. Quando o organismo não pode produzir insulna em quantidade suficiente, ela é usada por injeções ou bomba de insulina.
36 Hipotensão: Pressão sanguínea baixa ou queda repentina na pressão sanguínea. A hipotensão pode ocorrer quando uma pessoa muda rapidamente de uma posição sentada ou deitada para a posição de pé, causando vertigem ou desmaio.
37 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
38 Enzima: Proteína produzida pelo organismo que gera uma reação química. Por exemplo, as enzimas produzidas pelo intestino que ajudam no processo digestivo.
39 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
40 Ardor: 1. Calor forte, intenso. 2. Mesmo que ardência. 3. Qualidade daquilo que fulge, que brilha. 4. Amor intenso, desejo concupiscente, paixão.
41 Paladar: Paladar ou sabor. Em fisiologia, é a função sensorial que permite a percepção dos sabores pela língua e sua transmissão, através do nervo gustativo ao cérebro, onde são recebidos e analisados.
42 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
43 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
44 Choque: 1. Estado de insuficiência circulatória a nível celular, produzido por hemorragias graves, sepse, reações alérgicas graves, etc. Pode ocasionar lesão celular irreversível se a hipóxia persistir por tempo suficiente. 2. Encontro violento, com impacto ou abalo brusco, entre dois corpos. Colisão ou concussão. 3. Perturbação brusca no equilíbrio mental ou emocional. Abalo psíquico devido a uma causa externa.
45 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.

Tem alguma dúvida sobre COSOPT?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.