FLUVERT

MEDLEY

Atualizado em 08/12/2014

FLUVERT
Flunarizina, cloridrato


- Forma farmacêutica e apresentação:

Comprimidos: caixa com 30 comprimidos.

USO ADULTO

Composição de Fluvert

Cada comprimido contém:
Flunarizina (na forma de dicloridrato)    10 mg
Excipiente (lactose1, amido, fosfato de cálcio dibásico dihidratado, glicolato de amido sódico, estearato de magnésio) q.s.p.    1 comprimido

Informações ao Paciente de Fluvert


·    Ação esperada do medicamento: FLUVERT é utilizado no tratamento dos distúrbios circulatórios centrais e periféricos e dos distúrbios labirínticos. A melhora dos sintomas2 é observada progressivamente com o decorrer do tratamento com FLUVERT.
·    Cuidados de armazenamento: Conservar em temperatura ambiente, ao abrigo da luz e umidade.
·    Prazo de validade: FLUVERT não deve ser utilizado se  o prazo de validade estiver vencido, o que pode ser verificado na embalagem externa do produto.
·    Gravidez3 e amamentação4: Não se recomenda o uso de FLUVERT durante a gravidez3 e amamentação4. Informe seu médico a ocorrência de gravidez3 durante o tratamento ou após seu término, e se estiver amamentando.
·    Cuidados de administração: Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.
·    Interrupção do tratamento: Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.
·    Reações adversas: No início do tratamento poderá surgir leve sensação de cansaço ou sonolência. Informe seu médico o aparecimento de reações desagradáveis.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

·    Ingestão concomitante com outras substâncias: Evite a ingestão de bebidas alcoólicas durante o tratamento com FLUVERT.
·    Contra-indicações e precauções: Cuidado ao dirigir veículos ou operar máquinas, devido a possível ocorrência de sensação de cansaço ou sonolência, no início do tratamento com FLUVERT. Informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início, ou durante o tratamento.
NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DE SEU MÉDICO. PODE SER PERIGOSO PARA SUA SAÚDE5.

Informações Técnicas de Fluvert

A flunarizina, derivado difluorado de piperazina, bloqueia de maneira seletiva o aumento do influxo de Ca++ transmembrana e a sobrecarga intracelular deste íon6, em diferentes tecidos. Esta sobrecarga ocorre quando as membranas das células7 da musculatura lisa da parede vascular8 se despolarizam espontaneamente ou, quando substâncias endógenas vasoconstritoras são liberadas produzindo um aumento de influxo de Ca++ transmembrana e, conseqüentemente, vasoconstrição9. Em ambas as circunstâncias, o acúmulo de cálcio no intracelular é inibido pela flunarizina que atua, por um lado, diretamente como um antivasoconstritor e, por outro, atua inibindo a reação à estímulos vasoconstritores evitando desta forma, vasoespasmos. Na presença de distúrbios circulatórios, com comprometimento da parede vascular8, tais substâncias tornam-se nocivas, provocando vasoespasmos sustentados, que por sua vez, comprometem ainda mais o fluxo sangüíneo local e, conseqüentemente, a perfusão tecidual.
A flunarizina através do bloqueio seletivo da entrada de Ca++ para o interior da célula10, quando este é estimulado a entrar em excesso, inibe o vasoespasmo induzido pelo Ca++ e previne as conseqüências deletérias em nível celular desta  sobrecarga. Desta forma, a flunarizina influencia favoravelmente os sintomas2 relacionados aos distúrbios vasculares11 nos territórios cerebral e periférico, proporcionando um maior fluxo sangüíneo e uma melhor perfusão tecidual. Entretanto, este efeito somente ocorre em situações onde é estimulado um influxo excessivo de Ca++ transmembrana, tendo em condições normais pouca influência em sua homeostasia12 e nenhuma ação no tônus vascular8 normal. A flunarizina revelou ainda, ser dotada de propriedade depressora vestibular13 e atividade antivertiginosa, cuja ação parece residir na redução do influxo de íons14 cálcio para o interior da célula10 neurossensorial vestibular13.  

Indicações de Fluvert


1. Tratamento dos distúrbios circulatórios centrais;
2. Tratamento dos distúrbios circulatórios periféricos;
3. Distúrbios labirínticos: Síndrome15 de Ménière, vertigem16, náuseas17, nistagmo18.

Contra-Indicações de Fluvert

A flunarizina não deve ser utilizada na fase aguda de um acidente vascular cerebral19 e durante o período de amamentação4. Em pacientes portadores de cardiopatias descompensadas, insuficiência hepática20 ou renal21, doenças infecciosas graves e depressões severas, não é recomendado a administração deste tipo de medicamento.
Fluvert é contra-indicado a pacientes com hipersensibilidade conhecida à flunarizina.

Precauções de Fluvert


Não são perfeitamente conhecidos os riscos da administração de flunarizina durante a gravidez3. Embora não tenha sido constatado qualquer efeito teratogênico22 em estudos com animais, desaconselha-se o seu uso em gestantes. Principalmente no início da terapia e mesmo quando corretamente utilizado, os pacientes devem ter cuidado na manipulação de máquinas e na condução de veículos. Deve-se evitar a ingestão de bebidas alcoólicas pela possibilidade de potencialização dos efeitos da flunarizina pelo álcool.

Interações Medicamentosas de Fluvert

Evitar o uso concomitante com substâncias contendo atropina e depressores do S.N.C.

Reações Adversas de Fluvert


Leve sensação de cansaço ou sonolência, geralmente reversíveis, podem surgir nos primeiros dias de administração. Nestes casos, aconselha-se a redução da dose, não havendo necessidade de se interromper a terapia medicamentosa. Em pacientes sensíveis, poderão ocorrer distúrbios gastrintestinais recomendando-se administrar o medicamento com um pouco de líquido (de forma alguma álcool), após as refeições. Foi relatado, em pequeno contingente de casos, depressão leve e moderada, reversível com a evolução do tratamento ou redução da dose.

Posologia de Fluvert

1 a 3 comprimidos ao dia, a critério médico.
Recomenda-se iniciar o tratamento com a dose mais alta, adotando-se o esquema posológico de 1 ou 1/2 comprimido para o tratamento de manutenção.

Superdose de Fluvert


Sintomas2: Com base nas propriedades farmacológicas do medicamento, podem ocorrer sedação23 e astenia24. Poucos casos de superdose aguda (mais de 600 mg em uma só tomada) foram relatados e os sintomas2 observados foram: sedação23, agitação e taquicardia25.
Tratamento: Por não haver antídoto26 específico, o tratamento da superdose consiste em medidas de suporte como lavagem gástrica27, provocação de vômito28 e administração de carvão ativado.


VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA

FLUVERT - Laboratório

MEDLEY
Rua Macedo Costa, 55
Campinas/SP - CEP: 13080-180
Tel: (19 )744-8324
Fax: (019) 744-8227
Site: http://www.medley.com.br/

Ver outros medicamentos do laboratório "MEDLEY"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Lactose: Tipo de glicídio que possui ligação glicosídica. É o açúcar encontrado no leite e seus derivados. A lactose é formada por dois carboidratos menores, chamados monossacarídeos, a glicose e a galactose, sendo, portanto, um dissacarídeo.
2 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
3 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
4 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
5 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
6 Íon: Átomo ou grupo atômico eletricamente carregado.
7 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
8 Vascular: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
9 Vasoconstrição: Diminuição do diâmetro dos vasos sanguíneos.
10 Célula: Unidade funcional básica de todo tecido, capaz de se duplicar (porém algumas células muito especializadas, como os neurônios, não conseguem se duplicar), trocar substâncias com o meio externo à célula, etc. Possui subestruturas (organelas) distintas como núcleo, parede celular, membrana celular, mitocôndrias, etc. que são as responsáveis pela sobrevivência da mesma.
11 Vasculares: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
12 Homeostasia: Processo de regulação pelo qual um organismo mantém constante o seu equilíbrio. Em fisiologia, é o estado de equilíbrio das diversas funções e composições químicas do corpo (por exemplo, temperatura, pulso, pressão arterial, taxa de açúcar no sangue, etc.).
13 Vestibular: 1. O sistema vestibular é um dos sistemas que participam do equilíbrio do corpo. Ele contribui para três funções principais: controle do equilíbrio, orientação espacial e estabilização da imagem. Sintomas vestibulares são aqueles que mostram alterações neste sistema. 2. Exame que aprova e classifica os estudantes a serem admitidos nos cursos superiores.
14 Íons: Átomos ou grupos atômicos eletricamente carregados.
15 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
16 Vertigem: Alucinação de movimento. Pode ser devido à doença do sistema de equilíbrio, reação a drogas, etc.
17 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
18 Nistagmo: Movimento involuntário, rápido e repetitivo do globo ocular. É normal dentro de certos limites diante da mudança de direção do olhar horizontal. Porém, pode expressar doenças neurológicas ou do sistema de equilíbrio.
19 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
20 Insuficiência hepática: Deterioração grave da função hepática. Pode ser decorrente de hepatite viral, cirrose e hepatopatia alcoólica (lesão hepática devido ao consumo de álcool) ou medicamentosa (causada por medicamentos como, por exemplo, o acetaminofeno). Para que uma insuficiência hepática ocorra, deve haver uma lesão de grande porção do fígado.
21 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
22 Teratogênico: Agente teratogênico ou teratógeno é tudo aquilo capaz de produzir dano ao embrião ou feto durante a gravidez. Estes danos podem se refletir como perda da gestação, malformações ou alterações funcionais ou ainda distúrbios neurocomportamentais, como retardo mental.
23 Sedação: 1. Ato ou efeito de sedar. 2. Aplicação de sedativo visando aliviar sensação física, por exemplo, de dor. 3. Diminuição de irritabilidade, de nervosismo, como efeito de sedativo. 4. Moderação de hiperatividade orgânica.
24 Astenia: Sensação de fraqueza, sem perda real da capacidade muscular.
25 Taquicardia: Aumento da frequência cardíaca. Pode ser devido a causas fisiológicas (durante o exercício físico ou gravidez) ou por diversas doenças como sepse, hipertireoidismo e anemia. Pode ser assintomática ou provocar palpitações.
26 Antídoto: Substância ou mistura que neutraliza os efeitos de um veneno. Esta ação pode reagir diretamente com o veneno ou amenizar/reverter a ação biológica causada por ele.
27 Lavagem gástrica: É a introdução, através de sonda nasogástrica, de líquido na cavidade gástrica, seguida de sua remoção.
28 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.

Tem alguma dúvida sobre FLUVERT?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.