EMAMA

EUROFARMA

Atualizado em 08/12/2014

Emama

acetato de DL-á-tocoferol

Cápsula Gelatinosa mole

Forma Farmacêutica e Apresentações da Emama

Cápsulas Gelatinosas Mole - Embalagem contendo 30 cápsulas gelatinosas.

USO ADULTO

Composição da Emama

Cada cápsula gelatinosa contém:
acetato de DL-á-tocoferol .................... 400 mg

Informações ao Paciente da Emama

Ação esperada do medicamentoA vitamina1 E não é produzida pelo organismo. Ela deve ser ingerida na alimentação e/ou através de suplementação2.
As vitaminas participam das reações químicas das células3 que transformam os alimentos em hidratos de carbono, gorduras e proteínas4, e são essenciais para a estruturação normal do organismo. Vitamina1 E, é muito importante para o correto funcionamento de diversos órgãos. Possui uma ação antioxidante, isto é, combate os radicais livres, protegendo as células3 dos efeitos nocivos da oxidação. A vitamina1 E contribui para reduzir a deposição de colesterol5 nas artérias6, pois combate os radicais livres, os quais, em excesso, prejudicam a eliminação do colesterol5 da corrente sangüínea ajudando a prevenir a ateroscIerose, reduzindo o risco de doenças cardiovasculares7. Também contribui para reduzir os riscos de doenças associadas ao
envelhecimento, como a catarata8, Alzheimer9, Parkinson, entre outras.

Cuidados de armazenamento
Conservar em temperatura ambiente (entre 15°C e 30°C).
Proteger da luz e umidade

Prazo de validade
Desde que observados os devidos cuidados de conservação o prazo de validade de Emama (acetato de DL-á-tocoferol) são de 24 meses.
Não tome medicamentos após a data de validade indicada na embalagem; pode ser prejudicial à saúde10.

Gravidez11 e lactação12
Informe seu médico a ocorrência de gravidez11 na vigência do tratamento ou após o seu término.
Informe ao médico se está amamentando.

Cuidados de administração
Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

Interrupção do tratamento
Não interromper o tratamento sem o conhecimento do seu médico. Não existem relatos sobre problemas na interrupção do tratamento.

Reações adversas
Informe o seu médico sobre o aparecimento de reações desagradáveis.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

Ingestão concomitante com outras substâncias
O uso concomitante com antiácidos13 contendo hidróxido de alumínio diminui a absorção das vitaminas lipossolúveis.
O uso simultâneo com anticoagulantes14 derivados da cumarina pode levar à hipoprotrombinemia.

Contra-indicações e precauções
Informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início ou durante o tratamento.
Não foram relatadas até o momento contra-indicações ao uso de vitamina1 E nas quantidades correspondentes ao nível máximo de segurança.

NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO, PODE SER PERIGOSO PARA A SAÚDE10.

Informações Técnicas da Emama

Características da Emama

A vitamina1 E participa da formação de todos os tecidos de origem mesodérmica (fibras colágenas e elásticas do tecido conjuntivo15, musculatura lisa e estriada, vasos, etc.),e da manutenção de suas funções. Na célula16, a vitamina1 E participa do metabolismo17 dos ácidos nucléicos, bem como da cadeia respiratória.A vitamina1 E é o principal antioxidante biológico do organismo e combate os radicais livres. Devido às suas propriedades lipofílicas, a vitamina1 E acumula-se nas membranas celulares, protegendo-as sob o aspecto funcional, principalmente quanto à inibição que exerce na peroxidação dos lipídios. A vitamina1 E contribui, de forma especial, para a estabilização das membranas lisossomiais, mitocondriais e dos capilares18 e, consequentemente, para a manutenção da resistência normal dos eritrócitos19. Ainda baseada nessa ação, a vitamina1 E promove um aumento da atividade fagocitária.
A vitamina1 E intervém em diferentes fases da síntese do ácido araquidônico e, portanto, atua no metabolismo17 das prostaglandinas20.
Estudos demonstram que a incorporação plaquetária de vitamina1 E obtida através de suplementação2 oral está associada a uma inibição da agregação plaquetária.
Alguns estudos demonstram que, após a administração de vitamina1 E, ocorre uma redistribuição dos lipídios sangüíneos, possivelmente devido à estimulação da hidrólise do colesterol5 esterificado21. O LDL22 transporta aproximadamente 75% do colesterol5 circulante. De maneira similar ao encaixe chave-fechadura, a fração LDL22 se liga a sítios específicos da célula16 e nela penetram. No seu interior, o LDL22 é degradado e o colesterol5 é liberado. Visto que o LDL22 está carregado com o colesterol5, ele tem um potente efeito negativo, pois está envolvido na deposição de colesterol5 nas paredes das artérias6, favorecendo a aterosclerose23. A fração HDL24 combate a ação do LDL22 transportando o colesterol5 dos vasos para o fígado25 para uma subseqüente excreção, prevenindo assim o acúmulo de colesterol5 e, conseqüentemente, a aterosclerose23. Uma diminuição na quantidade de HDL24 não é desejável. Altos níveis de LDL22 levam à doença cardiovascular, enquanto que altos níveis de HDL24 indicam proteção. As lipoproteínas  contém ácidos graxos poliinsaturados e colesterol5 e ambos são susceptíveis à oxidação que é causada por moléculas de oxigênio altamente reativas. Estas moléculas são chamadas de "radicais livres" e, por definição, têm um elétron não pareado em sua órbita. Os radicais livres são produzidos no organismo como parte do metabolismo17 natural e sua produção está aumentada em processos como tabagismo, stress e doenças crônicas.
Numa dieta rica em colesterol5 ou gordura26 animal, o sangue27 se satura de LDL22-colesterol5 e, consequentemente, prejudica a eliminação normal de colesterol5 pelo fígado25.
Quando o LDL22 é atacado por radicais livres ocorre a oxidação dos lipídios e induz a uma mudança na sua estrutura. Dessa forma o LDL22 oxidado é estruturalmente modificado, sendo altamente tóxico e alterando a função das células3 de revestimento arterial, conduzindo à lesão28 endotelial. Além disso, o fígado25 não é capaz de reconhecer a estrutura do LDL22, uma vez que sua parte protéica foi modificada através da oxidação. O sistema imunológico29 é acionado e os glóbulos brancos englobam as lipoproteínas oxidadas no interior do endotélio30. Deste processo, resulta a formação das "células3 espumosas" que darão origem à estria gordurosa no espaço subendotelial.
Isto marca o inicio da aterosclerose23 pois, neste ponto, ocorre o desenvolvimento da placa31 que, posteriormente, pode evoluir para a obstrução e constricção da artéria32. A vitamina1 E protege os lipídios da peroxidação.
O uso da vitamina1 C otimiza os efeitos antioxidantes da vitamina1 E.
O acetato de DL-á-tocoferol, administrado por via oral, é absorvido nas porções intermediárias do intestino delgado33.
A melhor absorção só é possível na presença de sucos biliares pancreáticos. No sangue27, a maior parte da vitamina1 E liga-se à fração das beta-lipoproteínas. Sua eliminação se faz essencialmente pelas fezes.

Indicações da Emama

- Como adjuvante na prevenção de doenças cardiovasculares7.
- Como antioxidante biológico.
- Nas dislipoproteinemia com índices baixos de HDL24 e altos de LDL22.
- Nas doenças associadas ao envelhecimento (Alzheimer9, Parkinson).
Na carência de vitamina1 E, devido a distúrbios da absorção (insuficiência34 pancreática exócrina, afecções35 hepatobiliares36 com colestase37, atresia38 das vias biliares39; redução da superfície de absorção intestinal).
Nas doenças hematológicas hereditárias (deficiência da glicose40-6-fosfato-desidrogenase)

Contra- Indicações da Emama

Não foram relatadas até o momento contra-indicações ao uso de vitamina1 E nas quantidades correspondentes ao nível máximo de segurança.

Precauções e Advertências da Emama

Na hipoprotrombinemia por deficiência de vitamina1 K e anemia41 por deficiência de ferro.

Interações Medicamentosas da Emama

O uso concomitante com antiácidos13 contendo hidróxido de alumínio diminui a absorção das vitaminas lipossolúveis.O uso simultâneo com anticoagulantes14 derivados da cumarina pode levar à hipoprotrombinemia.

Reações Adversas da Emama

Até o momento, não foram observadas quaisquer reações adversas decorrentes do uso da vitamina1 E dentro das quantidades correspondentes ao nível máximo de segurança.

Posologia e Administração da Emama

1 a 2 cápsulas ao dia, ou a critério médico.Ingerir com um pouco de líquido, sem mastigá-las, durante ou após a principal refeição do dia.

Pacientes Idosos da Emama

Devem-se seguir as orientações gerais descritas anteriormente.

SIGA CORRETAMENTE O MODO DE USAR, NÃO DESAPARECENDO OS SINTOMAS42 PROCURE ORIENTAÇÃO MÉDICA.

N.º de lote, data de fabricação e prazo de validade: VIDE CARTUCHO.
Para sua segurança mantenha esta embalagem até o uso total do medicamento.

MS - 1.0043.0923
Farm. Resp.:
Dra. Sônia Albano Badaró - CRF-SP 19.258

Fabricado por:
Catalent Brasil Ltda
Av. Jerome Case 1277 - Sorocaba - SP

EUROFARMA LABORATÓRIOS LTDA.
Av. Ver. José Diniz, 3.465
São Paulo - SP
CNPJ: 61.190.096/0001-92
Indústria Brasileira

Central de Atendimento Eurofarma
0800-704-3876
euroatende@eurofarma.com.br
www.eurofarma.com.br

EMAMA - Laboratório

EUROFARMA
Av. Ver. José Diniz, 3465 - Campo Belo
São Paulo/SP - CEP: 04603-003
Tel: 0800-704-3876
Email: euroatende@eurofarma.com.br
Site: http://www.eurofarma.com.br/

Ver outros medicamentos do laboratório "EUROFARMA"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
2 Suplementação: Que serve de suplemento para suprir o que falta, que completa ou amplia.
3 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
4 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
5 Colesterol: Tipo de gordura produzida pelo fígado e encontrada no sangue, músculos, fígado e outros tecidos. O colesterol é usado pelo corpo para a produção de hormônios esteróides (testosterona, estrógeno, cortisol e progesterona). O excesso de colesterol pode causar depósito de gordura nos vasos sangüíneos. Seus componentes são: HDL-Colesterol: tem efeito protetor para as artérias, é considerado o bom colesterol. LDL-Colesterol: relacionado às doenças cardiovasculares, é o mau colesterol. VLDL-Colesterol: representa os triglicérides (um quinto destes).
6 Artérias: Os vasos que transportam sangue para fora do coração.
7 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
8 Catarata: Opacificação das lentes dos olhos (opacificação do cristalino).
9 Alzheimer: Doença degenerativa crônica que produz uma deterioração insidiosa e progressiva das funções intelectuais superiores. É uma das causas mais freqüentes de demência. Geralmente começa a partir dos 50 anos de idade e tem incidência similar entre homens e mulheres.
10 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
11 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
12 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
13 Antiácidos: É uma substância que neutraliza o excesso de ácido, contrariando o seu efeito. É uma base que aumenta os valores de pH de uma solução ácida.
14 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
15 Tecido conjuntivo: Tecido que sustenta e conecta outros tecidos. Consiste de CÉLULAS DO TECIDO CONJUNTIVO inseridas em uma grande quantidade de MATRIZ EXTRACELULAR.
16 Célula: Unidade funcional básica de todo tecido, capaz de se duplicar (porém algumas células muito especializadas, como os neurônios, não conseguem se duplicar), trocar substâncias com o meio externo à célula, etc. Possui subestruturas (organelas) distintas como núcleo, parede celular, membrana celular, mitocôndrias, etc. que são as responsáveis pela sobrevivência da mesma.
17 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
18 Capilares: Minúsculos vasos que conectam as arteríolas e vênulas.
19 Eritrócitos: Células vermelhas do sangue. Os eritrócitos maduros são anucleados, têm forma de disco bicôncavo e contêm HEMOGLOBINA, cuja função é transportar OXIGÊNIO. Sinônimos: Corpúsculos Sanguíneos Vermelhos; Corpúsculos Vermelhos Sanguíneos; Corpúsculos Vermelhos do Sangue; Glóbulos Vermelhos; Hemácias
20 Prostaglandinas: É qualquer uma das várias moléculas estruturalmente relacionadas, lipossolúveis, derivadas do ácido araquidônico. Ela tem função reguladora de diversas vias metabólicas.
21 Esterificado: Aquilo que passou pelo processo químico de esterificação. A esterificação é uma reação química reversível na qual um ácido carboxílico reage com um álcool produzindo éster e água.
22 LDL: Lipoproteína de baixa densidade, encarregada de transportar colesterol através do sangue. Devido à sua tendência em depositar o colesterol nas paredes arteriais e a produzir aterosclerose, tem sido denominada “mau colesterol“.
23 Aterosclerose: Tipo de arteriosclerose caracterizado pela formação de placas de ateroma sobre a parede das artérias.
24 HDL: Abreviatura utilizada para denominar um tipo de proteína encarregada de transportar o colesterol sanguíneo, que se relaciona com menor risco cardiovascular. Também é conhecido como “Bom Colesterol”. Seus valores normais são de 35-50mg/dl.
25 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
26 Gordura: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Os alimentos que fornecem gordura são: manteiga, margarina, óleos, nozes, carnes vermelhas, peixes, frango e alguns derivados do leite. O excesso de calorias é estocado no organismo na forma de gordura, fornecendo uma reserva de energia ao organismo.
27 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
28 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
29 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
30 Endotélio: Camada de células que reveste interiormente os vasos sanguíneos e os vasos linfáticos.
31 Placa: 1. Lesão achatada, semelhante à pápula, mas com diâmetro superior a um centímetro. 2. Folha de material resistente (metal, vidro, plástico etc.), mais ou menos espessa. 3. Objeto com formato de tabuleta, geralmente de bronze, mármore ou granito, com inscrição comemorativa ou indicativa. 4. Chapa que serve de suporte a um aparelho de iluminação que se fixa em uma superfície vertical ou sobre uma peça de mobiliário, etc. 5. Placa de metal que, colocada na dianteira e na traseira de um veículo automotor, registra o número de licenciamento do veículo. 6. Chapa que, emitida pela administração pública, representa sinal oficial de concessão de certas licenças e autorizações. 7. Lâmina metálica, polida, usualmente como forma em processos de gravura. 8. Área ou zona que difere do resto de uma superfície, ordinariamente pela cor. 9. Mancha mais ou menos espessa na pele, como resultado de doença, escoriação, etc. 10. Em anatomia geral, estrutura ou órgão chato e em forma de placa, como uma escama ou lamela. 11. Em informática, suporte plano, retangular, de fibra de vidro, em que se gravam chips e outros componentes eletrônicos do computador. 12. Em odontologia, camada aderente de bactérias que se forma nos dentes.
32 Artéria: Vaso sangüíneo de grande calibre que leva sangue oxigenado do coração a todas as partes do corpo.
33 Intestino delgado: O intestino delgado é constituído por três partes: duodeno, jejuno e íleo. A partir do intestino delgado, o bolo alimentar é transformado em um líquido pastoso chamado quimo. Com os movimentos desta porção do intestino e com a ação dos sucos pancreático e intestinal, o quimo é transformado em quilo, que é o produto final da digestão. Depois do alimento estar transformado em quilo, os produtos úteis para o nosso organismo são absorvidos pelas vilosidades intestinais, passando para os vasos sanguíneos.
34 Insuficiência: Incapacidade de um órgão ou sistema para realizar adequadamente suas funções.Manifesta-se de diferentes formas segundo o órgão comprometido. Exemplos: insuficiência renal, hepática, cardíaca, respiratória.
35 Afecções: Quaisquer alterações patológicas do corpo. Em psicologia, estado de morbidez, de anormalidade psíquica.
36 Hepatobiliares: Diz-se do que se refere ao fígado e às vias biliares.
37 Colestase: Retardamento ou interrupção do fluxo nos canais biliares.
38 Atresia: 1. Estreitamento de qualquer canal do corpo. 2. Imperfuração ou oclusão de uma abertura ou canal normal do organismo, como das vias biliares, do meato urinário, da pupila, etc.
39 Vias biliares: Conjunto de condutos orgânicos que conectam o fígado e a vesícula biliar ao duodeno. Sua função é conduzir a bile produzida no fígado, para ser armazenada na vesícula biliar e posteriormente ser liberada no duodeno.
40 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
41 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
42 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.

Tem alguma dúvida sobre EMAMA?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.