ATINAC

DIFFUCAP CHEMOBRAS

Atualizado em 03/06/2015

ATINAC
Loratadina
Comprimidos e Xarope


- Formas Farmacêuticas e Apresentações:
Uso em ADULTO e CRIANÇAS acima de 2 anos.
Cada comprimido de ATINAC contém 10mg de Loratadina.
Excipientes: celulose microcristalina, lactose1, aerosil e estearato de magnésio.
Caixa com 6 e 12 comprimidos.
Cada 5ml de ATINAC Xarope contém 5mg de Loratadina e 3g de açúcar2.
Excipientes: Nipagin, sabor framboesa, álcool etílico e água deionizada.
Frasco com 100ml.

Informações ao Paciente de Atinac

A ação terapêutica3 de ATINAC  tem início logo após sua administração. Sua eficácia em crianças abaixo de 2 anos não está determinada.Deve ser guardado em temperatura  entre 2º e 30ºC. O prazo de validade encontra-se gravado  na embalagem externa; em caso de vencimento, inutilize o produto.
Informe ao seu médico a ocorrência de gravidez4, assim como amamentação5 durante ou após o término do tratamento.
Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.
Não interromper o tratamento sem o conhecimento do seu médico.
Este produto está contra-indicado em pacientes com alergia6 aos componentes de sua fórmula. Informe seu médico o aparecimento de reações desagradáveis.
TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.
Informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início ou durante o tratamento.
NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO.
PODE SER PERIGOSO PARA A SAÚDE7.

Informações Técnicas de Atinac

ATINAC é um anti-histamínico tricíclico potente, de ação prolongada, com atividade seletiva,
antagônica nos receptores H1 periféricos. ATINAC é rapidamente absorvido no tubo digestivo, após a ingestão oral. As concentrações plasmáticas máximas são atingidas em 1 hora, e sua meia vida é de 17 a 24 horas.
A Loratadina é metabolizada no fígado8, de forma intensa, em descarboetoxiloratadina, que é ativa. Sua ligação a proteínas9 plasmáticas é de 97 à 99%, e a do metabólito10 ativo é de 73 a 76%.
A insuficiência renal11 não modifica de forma significativa a farmacocinética de ATINAC.
Em caso de insuficiência hepática12, há modificação dos parâmetros farmacocinéticos, e a dose de ATINAC deve ser diminuída..

Indicações de Atinac

ATINAC está indicado para o alívio dos sintomas13 associados com rinite14 alérgica tais como: coriza15, espirros e prurido16 nasal, ardor17 e prurido16 ocular. Os sinais18 e sintomas13 oculares e nasais são rapidamente aliviados após administração oral do produto. ATINAC está também indicado para o alívio dos sinais18 e sintomas13 de urticária19 e outras afecções20 dermatológicas alérgicas.

Contra-Indicações de Atinac

ATINAC está contra-indicado em pacientes que tenham demonstrado hipersensibilidade ou idiossincrasia a seus componentes.

Precauções de Atinac

A segurança e eficácia de ATINAC em crianças abaixo de 2 anos ainda não foi estabelecida.Deve ser usado com cautela em pacientes com hepatopatia grave. Pacientes com hepatopatia grave devem iniciar o tratamento com doses baixas de ATINAC, uma vez que eles podem ter um clearance reduzido da loratadina. Uma dose inicial de 5mg ou 5ml diários ou de 10mg ou 10ml em dias alternados é recomendada.


USO DURANTE A GRAVIDEZ4 E LACTAÇÃO21.
Não está estabelecido se o uso de ATINAC pode acarretar riscos durante a gravidez4 ou lactação21. Portanto, o medicamento só deverá ser utilizado se os benefícios potenciais para a mãe justificarem o risco potencial para o feto22 ou lactente23.
As concentrações ativas medidas no leite materno são semelhante às encontradas no plasma24 em 48 horas, apenas 0,029% da dose ingerida por via oral é eliminada no leite como droga ativa.
Em estudos realizados em ratos, loratadina atravessou a barreira placentária.

Interações Medicamentosas de Atinac

Quando administrado concomitantemente com álcool, ATINAC não exerce efeitos potencializadores, como foi demonstrado através de avaliações em estudos de desempenho psicomotor25. Um aumento nas concentrações plasmáticas de loratadina tem sido reportado em estudos clínicos controlados, após o uso concomitante com cetoconazol, eritromicina ou cimetidina, porém sem mudanças clinicamente significativas (incluindo eletrocardiografia). Outros medicamentos conhecidamente inibidores do metabolismo26 hepático devem ser co-administrados com cautela, até que estudos definitivos de interação possam ser completados.

Reações Adversas de Atinac

ATINAC não apresenta propriedades sedativas clinicamente significantes quando utilizado na dose recomendada de 10mg diárias. As reações adversas reportadas comumente incluem fadiga27, cefaléia28, sonolência, boca29 seca, transtornos gastrointestinais, tais como náusea30 e gastrite31 e também sintomas13 alérgicos semelhantes a exantema32. Reações adversas como alopécia33, anafilaxia34 e função hepática35 anormal foram reportadas raramente com a utilização de ATINAC comprimidos.Da mesma forma, a incidência36 de reações adversas com ATINAC xarope, tem sido comparada a do placebo37. Em estudos clínicos pediátricos controlados, a incidência36 de cefaléia28, sedação38, nervosismo, relacionadas ao tratamento, foi similar a do placebo37, além do que tais eventos foram raramente reportados.

Alterações de Exames Laboratoriais de Atinac

O tratamento com anti-histamínicos deverá ser suspenso aproximadamente 48 horas antes de se efetuar qualquer tipo de prova cutânea39, já que os anti-histamínicos podem impedir ou diminuir as reações que, de outro modo, seriam positivas aos indicadores de reatividade dérmica.


Posologia e Administração de Atinac

Adultos e crianças acima de 12 anos  um comprimido ou 10ml de ATINAC, uma vez ao dia.Crianças de 2 a 12 anos.
- Peso corporal abaixo de 30Kg: 5 ml uma vez ao dia.
- Peso corporal acima de 30Kg: 10ml ou um comprimido, uma vez ao dia.

Superdosagem de Atinac

Sonolência, taquicardia40 e cefaléia28 têm sido reportadas com dosagem excessivas. Uma única ingestão de 160mg de loratadina não produz efeitos adversos. Em caso de superdosagem, o tratamento, que deverá ser imediatamente iniciado, é sintomático41 e coadjuvante42.
Tratamento: O paciente deverá ser induzido ao vômito43, ainda que tenha ocorrido emese44 espontânea. O vômito43 induzido farmacologicamente, através da administração de xarope de ipecacuanha, é o método preferido. Entretanto, não deverão ser induzidos ao vômito43 pacientes com diminuição do nível de consciência. A ação da ipecacuanha é facilitada com atividade  física e administração de 240 a 360 mililitros de água. Caso não ocorra emese44 nos 15 minutos seguintes à administração de ipecacuanha, a dose deverá ser repetida. Deverão ser tomadas precauções contra a aspiração, principalmente em crianças. Após a emese44, pode-se tentar a adsorção do restante da droga que ainda estiver no estômago45, com a ajuda de carvão ativado administrado sob a forma de suspensão em água. Caso o vômito43 não tenha sido obtido, ou esteja o mesmo contra-indicado, deverá realizar-se lavagem gástrica46. O agente preferido para a lavagem gástrica46 em crianças é a solução salina fisiológica47. Em adultos, poderá ser usada água corrente; entretanto, antes de proceder-se à instilação seguinte, deverá ser retirado o maior volume possível do líquido já  administrado. Os agentes catárticos salinos atraem água para os intestinos48 por  osmose49 e, portanto, podem ser valiosos por sua ação diluente rápida do conteúdo intestinal50. A loratadina não é significativamente depurada por hemodiálise51. Após administrar-se tratamento de emergência52, o paciente deve permanecer sob observação clínica.
Nos pacientes idosos, não há necessidade de alteração da dose, pois os parâmetros farmacocinéticos não se modificam de forma significativa.

ATINAC - Laboratório

DIFFUCAP CHEMOBRAS
Rua Goiás, nºs 1232 e 1236. Quintino Bocaiúva
Rio de Janeiro/RJ
Tel: +55 (21) 2593-4223

Ver outros medicamentos do laboratório "DIFFUCAP CHEMOBRAS"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Lactose: Tipo de glicídio que possui ligação glicosídica. É o açúcar encontrado no leite e seus derivados. A lactose é formada por dois carboidratos menores, chamados monossacarídeos, a glicose e a galactose, sendo, portanto, um dissacarídeo.
2 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
3 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
4 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
5 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
6 Alergia: Reação inflamatória anormal, perante substâncias (alérgenos) que habitualmente não deveriam produzi-la. Entre estas substâncias encontram-se poeiras ambientais, medicamentos, alimentos etc.
7 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
8 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
9 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
10 Metabólito: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
11 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
12 Insuficiência hepática: Deterioração grave da função hepática. Pode ser decorrente de hepatite viral, cirrose e hepatopatia alcoólica (lesão hepática devido ao consumo de álcool) ou medicamentosa (causada por medicamentos como, por exemplo, o acetaminofeno). Para que uma insuficiência hepática ocorra, deve haver uma lesão de grande porção do fígado.
13 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
14 Rinite: Inflamação da mucosa nasal, produzida por uma infecção viral ou reação alérgica. Manifesta-se por secreção aquosa e obstrução das fossas nasais.
15 Coriza: Inflamação da mucosa das fossas nasais; rinite, defluxo.
16 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
17 Ardor: 1. Calor forte, intenso. 2. Mesmo que ardência. 3. Qualidade daquilo que fulge, que brilha. 4. Amor intenso, desejo concupiscente, paixão.
18 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
19 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
20 Afecções: Quaisquer alterações patológicas do corpo. Em psicologia, estado de morbidez, de anormalidade psíquica.
21 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
22 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
23 Lactente: Que ou aquele que mama, bebê. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
24 Plasma: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).
25 Psicomotor: Próprio ou referente a qualquer resposta que envolva aspectos motores e psíquicos, tais como os movimentos corporais governados pela mente.
26 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
27 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
28 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
29 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
30 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
31 Gastrite: Inflamação aguda ou crônica da mucosa do estômago. Manifesta-se por dor na região superior do abdome, acidez, ardor, náuseas, vômitos, etc. Pode ser produzida por infecções, consumo de medicamentos (aspirina), estresse, etc.
32 Exantema: Alteração difusa da coloração cutânea, caracterizada por eritema, com elevação das camadas mais superficiais da pele (pápulas), vesículas, etc. Pode ser produzido por uma infecção geralmente viral (rubéola, varicela, sarampo), por alergias a medicamentos, etc.
33 Alopécia: Redução parcial ou total de pêlos ou cabelos em uma determinada área de pele. Ela apresenta várias causas, podendo ter evolução progressiva, resolução espontânea ou ser controlada com tratamento médico. Quando afeta todos os pêlos do corpo, é chamada de alopécia universal.
34 Anafilaxia: É um tipo de reação alérgica sistêmica aguda. Esta reação ocorre quando a pessoa foi sensibilizada (ou seja, quando o sistema imune foi condicionado a reconhecer uma substância como uma ameaça ao organismo). Na segunda exposição ou nas exposições subseqüentes, ocorre uma reação alérgica. Essa reação é repentina, grave e abrange o corpo todo. O sistema imune libera anticorpos. Os tecidos liberam histamina e outras substâncias. Esse mecanismo causa contrações musculares, constrição das vias respiratórias, dificuldade respiratória, dor abdominal, cãimbras, vômitos e diarréia. A histamina leva à dilatação dos vasos sangüíneos (que abaixa a pressão sangüínea) e o vazamento de líquidos da corrente sangüínea para os tecidos (que reduzem o volume de sangue) o que provoca o choque. Ocorrem com freqüência a urticária e o angioedema - este angioedema pode resultar na obstrução das vias respiratórias. Uma anafilaxia prolongada pode causar arritmia cardíaca.
35 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
36 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
37 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
38 Sedação: 1. Ato ou efeito de sedar. 2. Aplicação de sedativo visando aliviar sensação física, por exemplo, de dor. 3. Diminuição de irritabilidade, de nervosismo, como efeito de sedativo. 4. Moderação de hiperatividade orgânica.
39 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
40 Taquicardia: Aumento da frequência cardíaca. Pode ser devido a causas fisiológicas (durante o exercício físico ou gravidez) ou por diversas doenças como sepse, hipertireoidismo e anemia. Pode ser assintomática ou provocar palpitações.
41 Sintomático: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.
42 Coadjuvante: Que ou o que coadjuva, auxilia ou concorre para um objetivo comum.
43 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
44 Êmese: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Sinônimo de vômito. Pode ser classificada como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
45 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
46 Lavagem gástrica: É a introdução, através de sonda nasogástrica, de líquido na cavidade gástrica, seguida de sua remoção.
47 Fisiológica: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
48 Intestinos: Seção do canal alimentar que vai do ESTÔMAGO até o CANAL ANAL. Inclui o INTESTINO GROSSO e o INTESTINO DELGADO.
49 Osmose: Fluxo do solvente de uma solução pouco concentrada, em direção a outra mais concentrada, que se dá através de uma membrana semipermeável.
50 Conteúdo Intestinal: Conteúdo compreendido em todo ou qualquer segmento do TRATO GASTROINTESTINAL
51 Hemodiálise: Tipo de diálise que vai promover a retirada das substâncias tóxicas, água e sais minerais do organismo através da passagem do sangue por um filtro. A hemodiálise, em geral, é realizada 3 vezes por semana, em sessões com duração média de 3 a 4 horas, com o auxílio de uma máquina, dentro de clínicas especializadas neste tratamento. Para que o sangue passe pela máquina, é necessária a colocação de um catéter ou a confecção de uma fístula, que é um procedimento realizado mais comumente nas veias do braço, para permitir que estas fiquem mais calibrosas e, desta forma, forneçam o fluxo de sangue adequado para ser filtrado.
52 Emergência: 1. Ato ou efeito de emergir. 2. Situação grave, perigosa, momento crítico ou fortuito. 3. Setor de uma instituição hospitalar onde são atendidos pacientes que requerem tratamento imediato; pronto-socorro. 4. Eclosão. 5. Qualquer excrescência especializada ou parcial em um ramo ou outro órgão, formada por tecido epidérmico (ou da camada cortical) e um ou mais estratos de tecido subepidérmico, e que pode originar nectários, acúleos, etc. ou não se desenvolver em um órgão definido.

Tem alguma dúvida sobre ATINAC?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.