Clindacne

IGEFARMA

Atualizado em 08/12/2014

Clindacne
Clindamicina 10mg/g
GEL 1%
Uso adulto
Uso externo

Apresentação de Clindacne

Embalagem contendo bisnaga com 25 g.

Composição de Clindacne

Fosfato de Clindamicina....................12 mg/g(equivalente a 10 mg de clindamicina base)
Excipiente gel q.s.p....................1 g
(Propilenoglicol, aminometilpropanol, álcool etílico, essência de camomila, isopropanol, metilparabeno, carbomer, água purificada).

Informações ao Paciente de Clindacne

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?
Clindacne® (clindamicina) é um antibiótico também eficaz contra a bactéria1 Propionibacterium acnes. Esse fato pode ser responsável pela sua utilidade em casos de acne2.
A clindamicina (sob a forma de fosfato de clindamicina) não é ativa inicialmente. Ao entrar em contato com a pele3 sofre uma reação química chamada hidrólise, tornando-se ativa.
POR QUE ESTE MEDICAMENTO FOI INDICADO?
Clindacne® gel é indicado no tratamento das infecções4 cutâneas5 sensíveis à clindamicina, especialmente na acne2 vulgar, graus II e III (moderada a intensa), caracterizada por pápulas6 e pústulas7 (lesões8 inflamadas). Clindacne® gel pode ser coadjuvante9 da terapia sistêmica.
QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE CAUSAR?
Informe ao seu médico o aparecimento de qualquer reação desagradável durante o tratamento com Clindacne® gel. A reação adversa mais comum observada com o uso de Clindacne® gel foi pele3 ressecada. Além desta, as reações adversas que também podem ocorrer com o uso de clindamicina são: dor abdominal, irritação da pele3, distúrbios (alterações) gastrintestinais, dermatite10 de contato, dor nos olhos11, foliculite (inflamação12 do folículo13) por bactérias Gram-negativas e pele3 oleosa.
O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA GRANDE QUANTIDADE DESTE MEDICAMENTO DE UMA SÓ VEZ?
A clindamicina aplicada sobre a pele3 pode ser absorvida em quantidades suficientes para produzir efeitos no organismo como um todo (vide "Advertências").
Em casos de superdose, notifique seu médico e o procure se notar o aparecimento de quaisquer sinais14 ou sintomas15.
No caso de ingestão acidental, procure imediatamente um serviço de pronto atendimento.
ONDE E COMO DEVO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?
Clindacne® gel deve ser conservado em temperatura ambiente (entre 15° e 30° C). Proteger da luz, do calor e da umidade. Manter a bisnaga bem fechada. Não congelar.
TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA

Farmacêutica Responsável:
Dra. Rosa Maria Scavarelli
CRF-SP 6.015
MS 1.0191.0240.002-0

IGEFARMA LABORATÓRIOS S.A.
Marginal Direita da Via Anchieta, km 13,5
São Bernardo do Campo - SP
CEP: 09696-005
CNPJ 61.517.397/0001-88
Indústria Brasileira

Clindacne - Laboratório

IGEFARMA
Av. Marginal Direita Via Anchieta Km 13,5 - Bairro: Rudge Ramos
São Bernardo Do Campo/SP - CEP: 09883-000
Site: http://www.grupoigefarma.com.br/

Ver outros medicamentos do laboratório "IGEFARMA"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Bactéria: Organismo unicelular, capaz de auto-reproduzir-se. Existem diferentes tipos de bactérias, classificadas segundo suas características de crescimento (aeróbicas ou anaeróbicas, etc.), sua capacidade de absorver corantes especiais (Gram positivas, Gram negativas), segundo sua forma (bacilos, cocos, espiroquetas, etc.). Algumas produzem infecções no ser humano, que podem ser bastante graves.
2 Acne: Doença de predisposição genética cujas manifestações dependem da presença dos hormônios sexuais. As lesões começam a surgir na puberdade, atingindo a maioria dos jovens de ambos os sexos. Os cravos e espinhas ocorrem devido ao aumento da secreção sebácea associada ao estreitamento e obstrução da abertura do folículo pilosebáceo, dando origem aos comedões abertos (cravos pretos) e fechados (cravos brancos). Estas condições favorecem a proliferação de microorganismos que provocam a inflamação característica das espinhas, sendo o Propionibacterium acnes o agente infeccioso mais comumente envolvido.
3 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
4 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
5 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
6 Pápulas: Lesões firmes e elevadas, com bordas nítidas e diâmetro que varia de 1 a 5 milímetros (até 1 centímetro, segundo alguns autores).
7 Pústulas: Elevações da pele contendo pus, de até um centímetro de diâmetro.
8 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
9 Coadjuvante: Que ou o que coadjuva, auxilia ou concorre para um objetivo comum.
10 Dermatite: Inflamação das camadas superficiais da pele, que pode apresentar-se de formas variadas (dermatite seborreica, dermatite de contato...) e é produzida pela agressão direta de microorganismos, substância tóxica ou por uma resposta imunológica inadequada (alergias, doenças auto-imunes).
11 Olhos:
12 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
13 Folículo: 1. Bolsa, cavidade em forma de saco. 2. Fruto simples, seco e unicarpelar, cuja deiscência se dá pela sutura que pode conter uma ou mais sementes (Ex.: fruto da magnólia).
14 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
15 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.

Tem alguma dúvida sobre Clindacne?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.