TAXOFEN

BLAUSIEGEL

Atualizado em 09/12/2014

TAXOFEN®
CITRATO DE TAMOXIFENO

Apresentação de Taxofen

Comprimidos   10 mg   Cartucho contendo 3 ou 25 blisters com 10 comprimidos.                           20 mg   Cartucho contendo 3 blisters com 10 comprimidos.

USO ADULTO

Cada comprimido de 10 mg contém:
Citrato de tamoxifeno (equivalente a 10 mg de tamoxifeno)    15,2 mg
Excipiente....................q.s.p.    1 comprimido

   Componentes não ativos: amido de milho, gelatina, manitol, carboximetilcelulose cálcica, estearato de magnésio.

Cada comprimido de 20 mg contém:
Citrato de tamoxifeno (equivalente a 20 mg de tamoxifeno)    30,4 mg
Excipiente....................q.s.p.    1 comprimido

   Componentes não ativos: amido de milho, gelatina, manitol, carboximetilcelulose cálcica, estearato de magnésio.

Informações ao Paciente de Taxofen

   O TAXOFEN® possui efeito antiestrogênico que está relacionado à sua propriedade em competir com receptores de estrogênio em tecidos-alvos como o tecido1 mamário.

Cuidados de armazenamento: Conservar em temperatura ambiente e ao abrigo da luz e da umidade.

Prazo de validade: 60 meses. ATENÇÃO: Não utilize o produto após vencido o prazo de validade, sob o risco de não produzir os efeitos desejados.

O produto é contra-indicado durante a gravidez2. Informar ao médico se está amamentando.
Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.
Não interromper o tratamento sem o conhecimento de seu médico.
Informe seu médico o aparecimento de reações desagradáveis, tais como onda de calor, sangramento, corrimento e prurido3 vaginal, problemas estomacais e intestinais, tontura4, erupção5 cutânea6 e queda de cabelo7.

"TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS".

Ingestão concomitante com álcool não é aconselhável.

Contra-Indicação: em pacientes com hipersensibilidade conhecida à droga.
Informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início, ou durante o tratamento.

"NÃO TOME REMÉDIO SEM CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO, PODE SER PERIGOSO PARA SUA SAÚDE8"


- INFORMAÇÃO TÉCNICA
   O tamoxifeno corresponde à dimetiletenamina. É um agente antiestrogênico não esteróide que também possui um fraco efeito estrogênico. O mecanismo exato de sua ação antineoplásica não é conhecido, mas pode estar relacionado com seu efeito antiestrogênico; bloqueia a captação de estradiol. Pode induzir a ovulação9 em mulheres que não ovulam estimulando a liberação de hormônio10 da gonadotrofina no hipotálamo11, que por sua vez estimula a liberação das gonadotropinas na hipófise12.

Farmacocinética

Administrado por via oral, atinge níveis plasmáticos máximos em 4 a 7 horas. Sofre biotransformação hepática13, dando vários metabólitos14, o principal é o N-desmetiltamoxifeno; no estado de equilíbrio as concentrações deste metabólito15 no sangue16 são aproximadamente o dobro das do fármaco17 inalterado.
   A meia-vida de distribuição do tamoxifeno é de 7 a 14 horas, picos secundários em quatro ou mais dias podem dever-se à circulação18 entero-hepática13. A meia-vida de eliminação pode exceder 7 dias.
A resposta objetiva ocorre dentro de 4 a 7 semanas de tratamento.
O tamoxifeno é excretado lentamente pelas fezes; a maior parte da dose é eliminada na forma conjugada; menos de 30% são excretados na forma hidroxilada ou inalterada.

Indicações de Taxofen

O tamoxifeno é indicado para o tratamento do câncer19 de mama20.    

Contra-Indicações de Taxofen

Gravidez2: O produto não deve ser administrado durante a gravidez2. Foi relatado um pequeno número de abortos espontâneos, defeitos de nascença e morte fetal após o uso do tamoxifeno, apesar de nenhuma relação causal ter sido estabelecida. Estudos de toxicidade21 reprodutiva em ratos, coelhos e macacos não demonstraram potencial teratogênico22. Em modelos de roedores para o desenvolvimento do trato reprodutor fetal, o tamoxifeno foi associado a alterações similares àquelas causadas por estradiol, etinilestradiol, clomifeno e dietiletilbestrol (DES). Apesar da relevância clínica dessas descobertas ser desconhecida, algumas delas, especialmente adenose vaginal, são similares àquelas observadas em mulheres jovens que foram expostas ao DES in utero23 e que apresentam risco de 1 em 1.000 de desenvolver carcinoma24 de célula25 clara de vagina26 ou cérvix. Somente um pequeno número de mulheres grávidas foi exposto ao tamoxifeno. Tal exposição não foi relatada como causadora de subseqüente adenose vaginal ou carcinoma24 de célula25 clara de vagina26 ou cérvix em mulheres jovens que foram expostas in utero23 ao tamoxifeno. As pacientes devem ser advertidas para não engravidar durante o tratamento com o tamoxifeno e devem fazer o uso de métodos contraceptivos de barreira, ou outros não hormonais, no caso de serem sexualmente ativas. As pacientes em período de pré-menopausa27 devem ser cuidadosamente examinadas antes do tratamento para excluir a gravidez2. As mulheres devem ser informadas dos riscos potenciais para o feto28 caso elas engravidem durante o tratamento com o tamoxifeno ou dentro de 2 meses após o término da terapia.

Precauções e Advertências de Taxofen

A menstruação29 é suprimida em certa proporção de mulheres na pré-menopausa27 que estejam em tratamento com o tamoxifeno para câncer19 de mama20. Foi relatado um aumento na incidência30 de alterações endometriais, incluindo hiperplasia31, pólipos32 e câncer19, associado  ao tratamento com o tamoxifeno. A incidência30 e o padrão deste aumento sugerem que seu mecanismo básico esteja relacionado às propriedades estrogênicas do tamoxifeno. Qualquer paciente recebendo tamoxifeno, ou que já tenha tomado tamoxifeno anteriormente, que relate sangramento vaginal anormal deve ser prontamente investigada. O tamoxifeno não se mostrou mutagênico em uma gama de testes de mutagenicidade in vitro e in vivo. O tamoxifeno foi genotóxico em alguns testes in vitro e em testes de genotoxicidade in vivo em roedores. Relataram-se tumores gonadais em camundongos e tumores hepáticos em ratos que receberam tamoxifeno em estudos a longo prazo. A relevância clínica dessas descobertas não foi estabelecida. Um número de tumores primários pode ocorrer secundariamente em outros locais além do endométrio33 ou da mama20 contralateral e foi relatado em ensaios clínicos34 realizados após o tratamento do câncer19 de mama20 em pacientes recebendo tamoxifeno. Nenhuma relação foi estabelecida e a significância clínica dessas observações não está clara.
Lactação35:
Não se sabe se o tamoxifeno é excretado no leite materno e, por esta razão, a droga não é recomendada durante a lactação35. A decisão entre suspender a amamentação36 ou descontinuar o uso do tamoxifeno deve levar em consideração a importância da droga para a mãe.

Efeito sobre a capacidade de dirigir autos ou operar máquinas: Não há evidências que o tamoxifeno resulte em comprometimento dessas atividades.

Interações Medicamentosas de Taxofen

Quando o tamoxifeno é usado em combinação com anticoagulantes37 do tipo cumarínico, pode ocorrer um aumento significativo do efeito anticoagulante38. Nos casos em que tal administração concomitante for iniciada, recomenda-se monitoração cuidadosa da paciente. Quando o tamoxifeno é usado em combinação com agentes citotóxicos39, há um risco aumentado de ocorrência de eventos tromboembólicos.

Reções Adversas de Taxofen

Durante o tratamento a longo prazo, os efeitos colaterais40 são menos numerosos e sérios do que com androgênios e estrogênios que também são usados para o tratamento do câncer19 de mama20. Efeitos colaterais40 relatados devido à ação antiestrogênica da droga foram: ondas de calor, sangramento vaginal, prurido3 vulvar e corrimento vaginal, e os efeitos colaterais40 gerais relatados foram: erupção5 cutânea6, intolerância gastrintestinal, tumour flare (exacerbação do quadro clínico no início do tratamento), tontura4 e, ocasionalmente, retenção de fluidos e alopécia41. Quando tais efeitos colaterais40 são intensos, pode ser possível controlá-los através da simples redução da dose sem prejuízo do controle da doença. Se os efeitos colaterais40 persistirem, pode ser necessário suspender o tratamento. Um pequeno número de pacientes com metástases42 ósseas desenvolveu hipercalcemia no início do tratamento. Diminuição na contagem de plaquetas43, normalmente apenas até 80.000   90.000 por mm3, ou ocasionalmente inferior foi relatada em pacientes em tratamento com tamoxifeno para câncer19 de mama20. Descreveram-se casos de distúrbios visuais, incluindo relatos infreqüentes de alterações corneanas, catarata44 e retinopatia em pacientes em tratamento com tamoxifeno. Foi relatado fibroma45 uterino. Tumores ovarianos císticos foram ocasionalmente observados em mulheres na pós-menopausa27 em tratamento com tamoxifeno. Foi observada leucopenia46 após a administração de tamoxifeno, algumas vezes associada à anemia47 e/ou trombocitopenia48. Em raras ocasiões foi relatada neutropenia49, que algumas vezes pode ser grave. Tem havido relatos pouco freqüentes de eventos tromboembólicos que ocorreram durante o tratamento com o tamoxifeno. Uma vez que se sabe da existência desses eventos em pacientes portadoras de doenças malignas, uma relação de causa e efeito não foi estabelecida com o tamoxifeno. Quando o tamoxifeno é usado em combinação com agentes citotóxicos39, há um risco aumentado de ocorrência de eventos tromboembólicos. O tamoxifeno tem sido associado com alterações nas taxas de enzimas hepáticas50 e, em raras ocasiões, a um espectro mais grave de anormalidades hepáticas51, incluindo gordura52 no fígado53, colestase54 e hepatite55. Quando os efeitos colaterais40 são intensos, pode ser possível controlá-los através de simples redução da dose, sem prejuízo do controle da doença. Se os efeitos colaterais40 persistirem, pode ser necessário suspender o tratamento.

Posologia de Taxofen

Adultos (inclusive idosos): A dose diária é de 20 mg, em dose única ou fracionada (dois comprimidos de 10 mg).Não ocorrendo resposta satisfatória após 1 ou 2 meses, deve-se aumentar a dose para 20 mg duas vezes ao dia.

Superdosagem de Taxofen


Teoricamente, a superdosagem pode causar um aumento da reações adversas mencionadas acima. As observações em animais demonstraram que uma acentuada superdosagem (100 -200 vezes maior que a dose diária recomendada) pode produzir efeitos estrogênicos. Não há antídoto56 específico para a superdose, devendo o tratamento ser sintomático57.
   

Uso Geriátrico de Taxofen

O produto pode ser usado por pessoas acima de 65 anos de idade, desde que observadas as precauções comuns ao medicamento.


"VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA"
Nº do Lote, Data de Fabricação e de Validade: vide cartucho.

TAXOFEN - Laboratório

BLAUSIEGEL
Rodovia Raposo Tavares km 30,5 No. 2833
Cotia/SP - CEP: 06705-030
Tel: (11) 4612-2922
Site: http://www.blausiegel.net

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
2 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
3 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
4 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
5 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
6 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
7 Cabelo: Estrutura filamentosa formada por uma haste que se projeta para a superfície da PELE a partir de uma raiz (mais macia que a haste) e se aloja na cavidade de um FOLÍCULO PILOSO. É encontrado em muitas áreas do corpo.
8 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
9 Ovulação: Ovocitação, oocitação ou ovulação nos seres humanos, bem como na maioria dos mamíferos, é o processo que libera o ovócito II em metáfase II do ovário. (Em outras espécies em vez desta célula é liberado o óvulo.) Nos dias anteriores à ovocitação, o folículo secundário cresce rapidamente, sob a influência do FSH e do LH. Ao mesmo tempo que há o desenvolvimento final do folículo, há um aumento abrupto de LH, fazendo com que o ovócito I no seu interior complete a meiose I, e o folículo passe ao estágio de pré-ovocitação. A meiose II também é iniciada, mas é interrompida em metáfase II aproximadamente 3 horas antes da ovocitação, caracterizando a formação do ovócito II. A elevada concentração de LH provoca a digestão das fibras colágenas em torno do folículo, e os níveis mais altos de prostaglandinas causam contrações na parede ovariana, que provocam a extrusão do ovócito II.
10 Hormônio: Substância química produzida por uma parte do corpo e liberada no sangue para desencadear ou regular funções particulares do organismo. Por exemplo, a insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas que diz a outras células quando usar a glicose para energia. Hormônios sintéticos, usados como medicamentos, podem ser semelhantes ou diferentes daqueles produzidos pelo organismo.
11 Hipotálamo: Parte ventral do diencéfalo extendendo-se da região do quiasma óptico à borda caudal dos corpos mamilares, formando as paredes lateral e inferior do terceiro ventrículo.
12 Hipófise:
13 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
14 Metabólitos: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
15 Metabólito: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
16 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
17 Fármaco: Qualquer produto ou preparado farmacêutico; medicamento.
18 Circulação: 1. Ato ou efeito de circular. 2. Facilidade de se mover usando as vias de comunicação; giro, curso, trânsito. 3. Movimento do sangue, fluxo de sangue através dos vasos sanguíneos do corpo e do coração.
19 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
20 Mama: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
21 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
22 Teratogênico: Agente teratogênico ou teratógeno é tudo aquilo capaz de produzir dano ao embrião ou feto durante a gravidez. Estes danos podem se refletir como perda da gestação, malformações ou alterações funcionais ou ainda distúrbios neurocomportamentais, como retardo mental.
23 Útero: É o maior órgão do sistema reprodutor feminino. Sua função principal é receber o óvulo fertilizado e dar-lhe todas as condições para o seu desenvolvimento.
24 Carcinoma: Tumor maligno ou câncer, derivado do tecido epitelial.
25 Célula: Unidade funcional básica de todo tecido, capaz de se duplicar (porém algumas células muito especializadas, como os neurônios, não conseguem se duplicar), trocar substâncias com o meio externo à célula, etc. Possui subestruturas (organelas) distintas como núcleo, parede celular, membrana celular, mitocôndrias, etc. que são as responsáveis pela sobrevivência da mesma.
26 Vagina: Canal genital, na mulher, que se estende do ÚTERO à VULVA. (Tradução livre do original
27 Menopausa: Estado fisiológico caracterizado pela interrupção dos ciclos menstruais normais, acompanhada de alterações hormonais em mulheres após os 45 anos.
28 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
29 Menstruação: Sangramento cíclico através da vagina, que é produzido após um ciclo ovulatório normal e que corresponde à perda da camada mais superficial do endométrio uterino.
30 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
31 Hiperplasia: Aumento do número de células de um tecido. Pode ser conseqüência de um estímulo hormonal fisiológico ou não, anomalias genéticas no tecido de origem, etc.
32 Pólipos: 1. Em patologia, é o crescimento de tecido pediculado que se desenvolve em uma membrana mucosa (por exemplo, no nariz, bexiga, reto, etc.) em resultado da hipertrofia desta membrana ou como um tumor verdadeiro. 2. Em celenterologia, forma individual, séssil, típica dos cnidários, que se caracteriza pelo corpo formado por um tubo ou cilindro, cuja extremidade oral, dotada de boca e tentáculos, é dirigida para cima, e a extremidade oposta, ou aboral, é fixa.
33 Endométrio: Membrana mucosa que reveste a cavidade uterina (responsável hormonalmente) durante o CICLO MENSTRUAL e GRAVIDEZ. O endométrio sofre transformações cíclicas que caracterizam a MENSTRUAÇÃO. Após FERTILIZAÇÃO bem sucedida, serve para sustentar o desenvolvimento do embrião.
34 Ensaios clínicos: Há três fases diferentes em um ensaio clínico. A Fase 1 é o primeiro teste de um tratamento em seres humanos para determinar se ele é seguro. A Fase 2 concentra-se em saber se um tratamento é eficaz. E a Fase 3 é o teste final antes da aprovação para determinar se o tratamento tem vantagens sobre os tratamentos padrões disponíveis.
35 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
36 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
37 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
38 Anticoagulante: Substância ou medicamento que evita a coagulação, especialmente do sangue.
39 Citotóxicos: Diz-se das substâncias que são tóxicas às células ou que impedem o crescimento de um tecido celular.
40 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
41 Alopécia: Redução parcial ou total de pêlos ou cabelos em uma determinada área de pele. Ela apresenta várias causas, podendo ter evolução progressiva, resolução espontânea ou ser controlada com tratamento médico. Quando afeta todos os pêlos do corpo, é chamada de alopécia universal.
42 Metástases: Formação de tecido tumoral, localizada em um lugar distante do sítio de origem. Por exemplo, pode se formar uma metástase no cérebro originário de um câncer no pulmão. Sua gravidade depende da localização e da resposta ao tratamento instaurado.
43 Plaquetas: Elemento do sangue (não é uma célula porque não apresenta núcleo) produzido na medula óssea, cuja principal função é participar da coagulação do sangue através da formação de conglomerados que tamponam o escape do sangue por uma lesão em um vaso sangüíneo.
44 Catarata: Opacificação das lentes dos olhos (opacificação do cristalino).
45 Fibroma: Neoplasia derivada do tecido fibroso. Incorretamente denominam-se assim os tumores benignos do músculo uterino, cujo nome correto seria mioma uterino.
46 Leucopenia: Redução no número de leucócitos no sangue. Os leucócitos são responsáveis pelas defesas do organismo, são os glóbulos brancos. Quando a quantidade de leucócitos no sangue é inferior a 6000 leucócitos por milímetro cúbico, diz-se que o indivíduo apresenta leucopenia.
47 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
48 Trombocitopenia: É a redução do número de plaquetas no sangue. Contrário de trombocitose. Quando a quantidade de plaquetas no sangue é inferior a 150.000/mm³, diz-se que o indivíduo apresenta trombocitopenia (ou plaquetopenia). As pessoas com trombocitopenia apresentam tendência de sofrer hemorragias.
49 Neutropenia: Queda no número de neutrófilos no sangue abaixo de 1000 por milímetro cúbico. Esta é a cifra considerada mínima para manter um sistema imunológico funcionando adequadamente contra os agentes infecciosos mais freqüentes. Quando uma pessoa neutropênica apresenta febre, constitui-se uma situação de “emergência infecciosa”.
50 Enzimas hepáticas: São duas categorias principais de enzimas hepáticas. A primeira inclui as enzimas transaminasas alaninoaminotransferase (ALT ou TGP) e a aspartato aminotransferase (AST ou TOG). Estas são enzimas indicadoras do dano às células hepáticas. A segunda categoria inclui certas enzimas hepáticas como a fosfatase alcalina (FA) e a gamaglutamiltranspeptidase (GGT) as quais indicam obstrução do sistema biliar, quer seja no fígado ou nos canais maiores da bile que se encontram fora deste órgão.
51 Hepáticas: Relativas a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
52 Gordura: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Os alimentos que fornecem gordura são: manteiga, margarina, óleos, nozes, carnes vermelhas, peixes, frango e alguns derivados do leite. O excesso de calorias é estocado no organismo na forma de gordura, fornecendo uma reserva de energia ao organismo.
53 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
54 Colestase: Retardamento ou interrupção do fluxo nos canais biliares.
55 Hepatite: Inflamação do fígado, caracterizada por coloração amarela da pele e mucosas (icterícia), dor na região superior direita do abdome, cansaço generalizado, aumento do tamanho do fígado, etc. Pode ser produzida por múltiplas causas como infecções virais, toxicidade por drogas, doenças imunológicas, etc.
56 Antídoto: Substância ou mistura que neutraliza os efeitos de um veneno. Esta ação pode reagir diretamente com o veneno ou amenizar/reverter a ação biológica causada por ele.
57 Sintomático: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.
Artigos relacionados

Tem alguma dúvida sobre TAXOFEN?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.