Preço de PROSTAVASIN em Fairfield/SP: R$ 991,09

PROSTAVASIN

BIOSINTETICA

Atualizado em 09/12/2014

Pó liófilo injetável

Forma Farmacêutica e Apresentação de Prostavasin

Liófilo injetável. Ampolas com 20 mcg de Alprostadil. Caixa com 10 ampolas. USO ADULTO/VIA INTRAVENOSA OU INTRARTERIAL

Advertência de Prostavasin

PROSTAVASIN® (Alprostadil) só deve ser usado por médicos com experiência em angiologia, familiarizados com métodos modernos de monitorização contínua das funções cardiovasculares e que tenham acesso a equipamentos apropriados.
- COMPOSIÇÃO
Cada ampola de pó liófilo contém:
Alprostadil.................... 20 mcg
Excipientes q.s.p.................... 48,2 mg
(Alfadex e lactose1)

Informações ao Paciente de Prostavasin

Ação esperada do medicamento: Este produto está indicado para o tratamento de doença arterial oclusiva crônica nos estágios III e IV (classificação de Fontaine). Cuidados de armazenamento: : Conservar em temperatura ambiente até 25ºC e proteger da luz.
Prazo de validade: Desde que sejam observados os cuidados de armazenamento, PROSTAVASIN® (Alprostadil) apresenta prazo de validade de 24 meses a partir da data de fabricação. Não utilize o produto após o vencimento do prazo de validade.
Gravidez2 e Lactação3: PROSTAVASIN® (Alprostadil) não deve ser administrado a gestantes ou mulheres em fase de lactação3.
Informe seu médico a ocorrência de gravidez2 na vigência do tratamento ou após o seu término. Informe seu médico se está amamentando.
Cuidados de administação: PROSTAVASIN® (Alprostadil) só deve ser usado por médicos com experiência em angiologia, familiarizados com métodos modernos de monitorização contínua das funções cardiovasculares e que têm acesso a equipamentos apropriados.
"Siga a orientação do seu médico, sempre respeitando os horários doses e a duração do tratamento". "Não interrompa o tratamento sem o conhecimento de seu médico".

Reações adversas: Informe seu médico o aparecimento de reações desagradáveis.
TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.
Contra-indicações e precauções: Hipersensibilidade ao alprostadil ou aos outros componentes da fórmula. Informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início, ou durante o tratamento.
NÃO TOME MEDICAMENTO SEM O CONHECIMENTO DE SEU MÉDICO, PODE SER PERIGOSO PARA A SAÚDE4

Informações Técnicas de Prostavasin

MODO DE AÇÃO
O Alprostadil ou prostaglandina5 E1 (PGE1) é o ingrediente ativo de PROSTAVASIN® (Alprostadil). Possui alta atividade biológica e seu efeito terapêutico é decorrente do aumento do fluxo sanguíneo por vasodilatação direta; estabilização da hemostasia6 por ativação da fibrinólise7; redução da agregação plaquetária e formação de trombos8 pela inibição da ativação de plaquetas9 e sua deposição sobre as lesões10; prevenção dos efeitos danosos ao tecido11 pela inibição da ativação de neutrófilo; melhora da microcirculação e oxigenação pela modificação do eritrócito; restauração do mecanismo isquêmico12 devido à melhor utilização de oxigênio e glicose13, além de possuir efeito antiaterosclerótico.
Os resultados observados como: desaparecimento da dor de repouso, cicatrização de úlcera14, remissão para um estágio anterior de doença arterial oclusiva (diminuição da claudicação intermitente15) ainda são observados após o fim do tratamento de infusão.
Pacientes diabéticos respondem tão bem ao tratamento quanto não diabéticos.

Farmacocinética
PROSTAVASIN® (Alprostadil) é administrado via intravenosa ou intra-arterial. Ao preparar a solução reconstituída, o composto de inclusão (PGE1 - alfa-ciclodextrina) se dissocia nos componentes PGE1 e "-CD (alfa-ciclodextrina) assim, a farmacocinética de ambas as drogas são independentes. A PGE1 é uma substância endógena com uma meia-vida extremamente curta. Após infusão intravenosa de 60µg de PROSTAVASIN® (Alprostadil) /2 horas em voluntários sadios, foram medidos níveis plasmáticos máximos cerca de 5pg/ml acima dos valores basais (valor basal de 2 a 3 pg/ml). Após cessação da infusão, a concentração caiu para os valores basais em 10 segundos (estimados). Devido à curta meia-vida, as concentrações em estado estável foram alcançadas pouco tempo depois do início da infusão. A PGE1 sofre biotransformação predominantemente nos pulmões16. Durante a passagem pelos pulmões16, 60 a 90% são metabolizados, onde os principais metabólitos17 são a 15-ceto-PGE1, PGE0 e 15-ceto-PGE0. Destes, o PGE0 é equipotente ao PGE1 em vários testes biológicos. Em experimentos com animais, a PGE0 foi 14% a 41% tão potente quanto o PGE1. Os outros metabólitos17 são menos ativos. O PGE0 é encontrado no plasma18 e sua meia-vida é de 1 minuto (fase ") e 30 minutos (fase $). Após degradação oxidativa, os principais metabólitos17 são eliminados pela urina19 (88%) e fezes (12%) em 72 horas.

Indicações de Prostavasin

Tratamento de doença arterial oclusiva crônica nos estágios III e IV (classificação de Fontaine). O escore de Fointaine é baseado nos sintomas20 do paciente e é amplamente usado na medicina. O estagio I corresponde a pacientes assintomáticos, o estágio IIa a claudicação intermitente15 com uma distancia de caminhada limitada a 200 metros e o estágio IIb corresponde a menos de 200 metros. O estágio III descreve pacientes com DOAP (Doença Obstrutiva Arterial Periférica) severa com dor em repouso e o estágio IV descreve pacientes com lesões10 tróficas (úlceras21/necroses).

Contra-Indicações de Prostavasin

Hipersensibilidade ao alprostadil ou aos outros componentes da fórmula. PROSTAVASIN® (Alprostadil) não deve ser administrado a pacientes com uma condição cardíaca pré- existente, como por exemplo, pacientes com insuficiência cardíaca22, arritmias23 cardíacas ou doença cardíaca coronariana inadequadamente tratadas; pacientes que tenham tido um infarto24 agudo25 do miocárdio26 nos últimos seis meses ou com suspeita de edema27 ou infiltração pulmonar a partir dos resultados de exame clínico ou radiológico e pacientes com um distúrbio obstrutivo crônico28 severo de ventilação29. PROSTAVASIN® (Alprostadil) não deve ser administrado a pacientes com sinais30 de dano hepático recente (níveis elevados de transaminases ou gama-GT) ou outra doença hepática31 conhecida. Também devem ser evitados pacientes nos quais o efeito de PROSTAVASIN® (Alprostadil) possa causar hemorragias32 de complicação (p. ex., portadores de úlceras21 gastrintestinais agudas ou politraumatizados). Precauções especiais devem ser tomadas com pacientes de risco (vide "Precauções").

Precauções de Prostavasin

Pacientes que, em virtude da idade, apresentem propensão à insuficiência cardíaca22 ou doença cardíaca coronariana devem ser mantidos sob vigilância hospitalar durante e um dia após o tratamento com PROSTAVASIN® (Alprostadil). A fim de evitar sintomas20 de hiper-hidratação nesses pacientes, o volume de fluido administrado na infusão não deve exceder 50 a 100 ml/dia. Recomenda-se monitorizações freqüentes das funções cardiovasculares do paciente, incluindo, se necessário, uma medida de peso, verificação do equilíbrio de fluido, pressão venosa central ou verificações ecocardiográficas.
Pacientes com edema27 periférico e disfunção renal33 (creatinina34 sérica > 1,5 mg/dl35) devem ser monitorados da mesma forma.

Gravidez2 e Lactação3 de Prostavasin

PROSTAVASIN® (Alprostadil) não deve ser administrado a gestantes ou mulheres em fase de lactação3.

Interações Medicamentosas de Prostavasin

PROSTAVASIN® (Alprostadil) pode potencializar o efeito de agentes hipotensivos (drogas anti-hipertensivas), drogas vasodilatadoras e outras usadas para tratar doença cardíaca coronariana. Estes pacientes requerem monitoração cardiovascular intensiva. A administração concomitante de PROSTAVASIN® (Alprostadil) a pacientes que estejam recebendo drogas que retardem a coagulação36 sangüínea (anti-coagulantes, inibidores da agregação plaquetária) pode aumentar a propensão a hemorragias32 nesses pacientes.

Reações Adversas de Prostavasin

Dor, eritema37 e edema27 freqüentemente ocorrem no membro recebendo a infusão durante a administração intra-arterial de PROSTAVASIN® (Alprostadil). Sintomas20 similares também ocorrem com a administração intravenosa. Esses efeitos colaterais38 que são devidos à droga ou à punção, desaparecem quando a dose é reduzida ou quando a infusão é interrompida. Independentemente da via de administração, ocorrem ocasionalmente: dor de cabeça39, reações gastrintestinais adversas (p. ex., diarréia40, náusea41, vômito42), rubor e parestesia43.
Raramente ocorre queda da pressão arterial44, taquicardia45, sintomas20 de angina46, valores hepáticos elevados (transaminases), queda ou elevação na contagem de glóbulos brancos (leucopenia47 ou leucocitose48), sintomas20 articulares, estados de confusão, convulsões de origem cerebral, elevação de temperatura, sudorese49, vertigens50, febre51, reações alérgicas e alterações da proteína C reativa. O quadro retorna rapidamente à normalidade após o tratamento.
Houve relatos de hiperostose reversível dos ossos longos52 em um número muito pequeno de pacientes com mais de 4 semanas de tratamento.
Um número muito pequeno de pacientes desenvolveu edema pulmonar53 agudo25 ou insuficiência cardíaca22 global durante o tratamento com PROSTAVASIN® (Alprostadil).

Posologia de Prostavasin

A ampola já vem pré-cortada logo abaixo do ponto azul (sistema OPC - one point cut). Para quebrá-la, deve-se forçar este ponto para trás.
Terapia intra-arterial com PROSTAVASIN® (Alprostadil):
Dissolver o conteúdo de uma ampola do liófilo de PROSTAVASIN® (Alprostadil) (equivalente a 20 µg de alprostadil) em 50 ml de solução fisiológica54.
A dose recomendada para terapia intra-arterial com PROSTAVASIN® (Alprostadil) é 10 µg em 60 a 120 minutos, com o auxílio de uma bomba de infusão. Se necessário, especialmente na presença de necroses, desde que a tolerabilidade seja satisfatória, a dose pode ser ampliada para uma ampola (20 µg). A dose é geralmente uma infusão ao dia. Na infusão através de catéter de demora, recomenda-se uma dosagem de 0,1 a 0,6 ng/kg/min, administrada com bomba de infusão por 12 horas (em torno de ¼ ou 1 ½ ampola de PROSTAVASIN® (Alprostadil)).
Terapia intravenosa com PROSTAVASIN® (Alprostadil): Recomenda-se dissolver o conteúdo de 2 ampolas de PROSTAVASIN® (Alprostadil) (40mcg de Alprostadil) em 50 ml a 250 ml de soro55 fisiológico56 e administração por 2 horas. Esta dose é administrada 2 vezes ao dia e.v.
Alternativamente, pode-se administrar 3 ampolas (60 mcg de alprostadil) no volume de 50 a 250 ml, infundidos em 3 horas, 1 vez ao dia.
Pacientes com insuficiência renal57 (creatinina34 > 1,5 mg/dl35) : o tratamento intravenoso deve ser iniciado com 1 ampola de PROSTAVASIN® (Alprostadil), duas vezes ao dia. De acordo com o quadro clínico em dois a três dias a dose pode ser elevada até a dose normal recomendada.
Para pacientes58 que necessitam de restrições líquidas como portadores de insuficiência renal57 e cardiopatias, o volume deve ser restrito a 50 a 100 ml/dia e as infusões devem ser administradas com bomba de infusão.

Administração e duração do uso:
O efeito benéfico de PROSTAVASIN® (Alprostadil) ocorre geralmente após três semanas. O tratamento não deverá exceder 4 semanas. Se não se verificarem os efeitos desejados nesse período, interromper o tratamento.
Estabilidade:
A compatibilidade de PROSTAVASIN® (Alprostadil) com soluções de infusão foi investigada a 4ºC e a 23ºC usando concentrações de 0,16, 0,4 e 0,6 mcg de alprostadil/ml.
Os solventes utilizados foram: solução isotônica59 de cloreto de sódio, solução de glicose13 a 5%, solução de fructose a 5%, solução de dextrana a 4% (peso molecular médio 40.000), solução de amido de hidroxietil (HES) a 6% (peso molecular médio 200.000). A estabilidade de alprostadil nas soluções nas concentrações acima foi satisfatória por 24 horas entre 4ºC e 23ºC. A solução de infusão deve ser preparada imediatamente antes do uso. Por razões de segurança, ela deve ser usada em 12 horas. O prazo de validade de PROSTAVASIN® (Alprostadil) é de 24 meses.

Superdose
Apnéia60, bradicardia61, febre51, hipotensão62 e rubor podem ser sinais30 de superdose. Se ocorrer apnéia60 ou bradicardia61, descontinuar a infusão e providenciar tratamento médico adequado. Deve-se ter cautela ao reiniciar o tratamento. Se ocorrer hipotensão62 ou febre51, reduzir a velocidade de infusão até estes sintomas20 desaparecerem. Rubor é normalmente resultado de uma colocação intra-arterial inadequada do catéter, e este deve ser reposicionado.

ESTE PRODUTO É UM NOVO MEDICAMENTO E EMBORA AS PESQUISAS TENHAM INDICADO EFICÁCIA E SEGURANÇA, QUANDO CORRETAMENTE UTILIZADO, PODEM OCORRER REAÇÕES ADVERSAS IMPREVISÍVEIS, AINDA NÃO DESCRITAS. EM CASO DE SUSPEITA DE REAÇÃO ADVERSA, O MÉDICO RESPONSÁVEL DEVE SER NOTIFICADO.
VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA

Ver informações do laboratório

PROSTAVASIN - Laboratório

BIOSINTETICA
Rua Periquito, 236 - Vl. Uberabinha
São Paulo/SP - CEP: 04514-050
Tel: 55 (011) 5561-2614
Fax: 55 (011)5561-2072
Site: http://www.biosintetica.com.br/

Ver outros medicamentos do laboratório "BIOSINTETICA"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Lactose: Tipo de glicídio que possui ligação glicosídica. É o açúcar encontrado no leite e seus derivados. A lactose é formada por dois carboidratos menores, chamados monossacarídeos, a glicose e a galactose, sendo, portanto, um dissacarídeo.
2 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
3 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
4 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
5 Prostaglandina: É qualquer uma das várias moléculas estruturalmente relacionadas, lipossolúveis, derivadas do ácido araquidônico. Ela tem função reguladora de diversas vias metabólicas.
6 Hemostasia: Ação ou efeito de estancar uma hemorragia; mesmo que hemóstase.
7 Fibrinólise: Processo de dissolução progressiva da fibrina e assim do coágulo, que posteriormente à sua formação deve ser dissolvido.
8 Trombos: Coágulo aderido à parede interna de uma veia ou artéria. Pode ocasionar a diminuição parcial ou total da luz do mesmo com sintomas de isquemia.
9 Plaquetas: Elemento do sangue (não é uma célula porque não apresenta núcleo) produzido na medula óssea, cuja principal função é participar da coagulação do sangue através da formação de conglomerados que tamponam o escape do sangue por uma lesão em um vaso sangüíneo.
10 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
11 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
12 Isquêmico: Relativo à ou provocado pela isquemia, que é a diminuição ou suspensão da irrigação sanguínea, numa parte do organismo, ocasionada por obstrução arterial ou por vasoconstrição.
13 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
14 Úlcera: Ferida superficial em tecido cutâneo ou mucoso que pode ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
15 Claudicação intermitente: Dor que aparece e desaparece nos músculos da perna. Esta dor resulta de uma falta de suprimento sanguíneo nas pernas e geralmente acontece quando a pessoa está caminhando ou se exercitando.
16 Pulmões: Órgãos do sistema respiratório situados na cavidade torácica e responsáveis pelas trocas gasosas entre o ambiente e o sangue. São em número de dois, possuem forma piramidal, têm consistência esponjosa e medem cerca de 25 cm de comprimento. Os pulmões humanos são divididos em segmentos denominados lobos. O pulmão esquerdo possui dois lobos e o direito possui três. Os pulmões são compostos de brônquios que se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares. Nos alvéolos se dão as trocas gasosas ou hematose pulmonar entre o meio ambiente e o corpo, com a entrada de oxigênio na hemoglobina do sangue (formando a oxiemoglobina) e saída do gás carbônico ou dióxido de carbono (que vem da célula como carboemoglobina) dos capilares para o alvéolo.
17 Metabólitos: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
18 Plasma: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).
19 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
20 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
21 Úlceras: Feridas superficiais em tecido cutâneo ou mucoso que podem ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
22 Insuficiência Cardíaca: É uma condição na qual a quantidade de sangue bombeada pelo coração a cada minuto (débito cardíaco) é insuficiente para suprir as demandas normais de oxigênio e de nutrientes do organismo. Refere-se à diminuição da capacidade do coração suportar a carga de trabalho.
23 Arritmias: Arritmia cardíaca é o nome dado a diversas perturbações que alteram a frequência ou o ritmo dos batimentos cardíacos.
24 Infarto: Morte de um tecido por irrigação sangüínea insuficiente. O exemplo mais conhecido é o infarto do miocárdio, no qual se produz a obstrução das artérias coronárias com conseqüente lesão irreversível do músculo cardíaco.
25 Agudo: Descreve algo que acontece repentinamente e por curto período de tempo. O oposto de crônico.
26 Miocárdio: Tecido muscular do CORAÇÃO. Composto de células musculares estriadas e involuntárias (MIÓCITOS CARDÍACOS) conectadas, que formam a bomba contrátil geradora do fluxo sangüíneo. Sinônimos: Músculo Cardíaco; Músculo do Coração
27 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
28 Crônico: Descreve algo que existe por longo período de tempo. O oposto de agudo.
29 Ventilação: 1. Ação ou efeito de ventilar, passagem contínua de ar fresco e renovado, num espaço ou recinto. 2. Agitação ou movimentação do ar, natural ou provocada para estabelecer sua circulação dentro de um ambiente. 3. Em fisiologia, é o movimento de ar nos pulmões. Perfusão Em medicina, é a introdução de substância líquida nos tecidos por meio de injeção em vasos sanguíneos.
30 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
31 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
32 Hemorragias: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
33 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
34 Creatinina: Produto residual das proteínas da dieta e dos músculos do corpo. É excretada do organismo pelos rins. Uma vez que as doenças renais progridem, o nível de creatinina aumenta no sangue.
35 Mg/dL: Miligramas por decilitro, unidade de medida que mostra a concentração de uma substância em uma quantidade específica de fluido.
36 Coagulação: Ato ou efeito de coagular(-se), passando do estado líquido ao sólido.
37 Eritema: Vermelhidão da pele, difusa ou salpicada, que desaparece à pressão.
38 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
39 Cabeça:
40 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
41 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
42 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
43 Parestesia: Sensação cutânea subjetiva (ex.: frio, calor, formigamento, pressão, etc.) vivenciada espontaneamente na ausência de estimulação.
44 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
45 Taquicardia: Aumento da frequência cardíaca. Pode ser devido a causas fisiológicas (durante o exercício físico ou gravidez) ou por diversas doenças como sepse, hipertireoidismo e anemia. Pode ser assintomática ou provocar palpitações.
46 Angina: Inflamação dos elementos linfáticos da garganta (amígdalas, úvula). Também é um termo utilizado para se referir à sensação opressiva que decorre da isquemia (falta de oxigênio) do músculo cardíaco (angina do peito).
47 Leucopenia: Redução no número de leucócitos no sangue. Os leucócitos são responsáveis pelas defesas do organismo, são os glóbulos brancos. Quando a quantidade de leucócitos no sangue é inferior a 6000 leucócitos por milímetro cúbico, diz-se que o indivíduo apresenta leucopenia.
48 Leucocitose: É o aumento no número de glóbulos brancos (leucócitos) no sangue, geralmente maior que 8.000 por mm³. Ocorre em diferentes patologias como em resposta a infecções ou processos inflamatórios. Entretanto, também pode ser o resultado de uma reação normal em certas condições como a gravidez, a menstruação e o exercício muscular.
49 Sudorese: Suor excessivo
50 Vertigens: O termo vem do latim “vertere” e quer dizer rodar. A definição clássica de vertigem é alucinação do movimento. O indivíduo vê os objetos do ambiente rodarem ao seu redor ou seu corpo rodar em relação ao ambiente.
51 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
52 Ossos longos: Exemplo: Fêmur
53 Edema pulmonar: Acúmulo anormal de líquidos nos pulmões. Pode levar a dificuldades nas trocas gasosas e dificuldade respiratória.
54 Fisiológica: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
55 Soro: Chama-se assim qualquer líquido de características cristalinas e incolor.
56 Fisiológico: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
57 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
58 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
59 Isotônica: Relativo à ou pertencente à ação muscular que ocorre com uma contração normal. Em química, significa a igualdade de pressão entre duas soluções.
60 Apnéia: É uma parada respiratória provocada pelo colabamento total das paredes da faringe que ocorre principalmente enquanto a pessoa está dormindo e roncando. No adulto, considera-se apnéia após 10 segundos de parada respiratória. Como a criança tem uma reserva menor, às vezes, depois de dois ou três segundos, o sangue já se empobrece de oxigênio.
61 Bradicardia: Diminuição da freqüência cardíaca a menos de 60 batimentos por minuto. Pode estar associada a distúrbios da condução cardíaca, ao efeito de alguns medicamentos ou a causas fisiológicas (bradicardia do desportista).
62 Hipotensão: Pressão sanguínea baixa ou queda repentina na pressão sanguínea. A hipotensão pode ocorrer quando uma pessoa muda rapidamente de uma posição sentada ou deitada para a posição de pé, causando vertigem ou desmaio.

Tem alguma dúvida sobre PROSTAVASIN?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.