Preço de ZETRON em Woodbridge/SP: R$ 97,72

ZETRON

LIBBS

Atualizado em 09/12/2014

ZETRON

CLORIDRATO DE BUPROPIONA

USO ADULTO

Composição e Apresentação de Zetron

Cada comprimido de ZETRON contém:Cloridrato de Bupropiona ....................150 mg
Excipientes (celulose microcristalina, hidroxipropilmetilcelulose, cloridrato de cisteína, estearato de magnésio,
dióxido de silício, metacrilato de dimetilaminoetila, dióxido de titânio, polietilenoglicol, óxido de ferro amarelo
e talco......q.s.p. .................... 1 comprimido.
Cartucho contendo 2 ou 4 blisters com 15 comprimidos revestidos.

Informações ao Paciente de Zetron

ZETRON (bupropiona) é indicado para o tratamento da depressão aguda ou profi laxia de recidiva1, e para o
tratamento da dependência à nicotina.
Este medicamento deve ser conservado em local fresco e seco, à temperatura máxima de 25 °C.
O prazo de validade é de 24 meses após a data de fabricação impressa no cartucho e embalagem interna. Não
utilize o produto após o prazo de validade, sob o risco de não produzir os efeitos esperados.
Não se recomenda o uso de ZETRON (bupropiona) durante a gravidez2 e lactação3.
Informe seu médico a ocorrência de gravidez2 na vigência do tratamento ou após o seu término. Informar ao
médico se está amamentando.
Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.
Não interromper o tratamento sem o conhecimento do seu médico.
Informe seu médico o aparecimento de reações desagradáveis tais como: tontura4, agitação, ansiedade, dor de
cabeça5, insônia, boca6 seca e tremores.
TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.
ZETRON (bupropiona) é contra-indicado em pacientes com hipersensibilidade a qualquer componente da
fórmula, em pacientes com bulimia7 ou anorexia nervosa8, em pacientes com histórico de convulsões, de epilepsia9,
traumatismo10 craniano e/ou qualquer lesão11 cerebral, em pacientes utilizando inibidores da monoaminoxidade
(IMAO12) ou que interromperam o uso de IMAO12 há menos de 14 dias.
Interação com outros medicamentos: o fenobarbital, a carbamazepina, a fenitoina e outros anticonvulsivantes
podem afetar a ação de ZETRON (bupropiona).
Não ingerir álcool durante o tratamento com ZETRON (bupropiona).
Informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início, ou durante o tratamento.
Informe ao seu médico antecedentes de epilepsia9, neurocirurgia e traumatismo10 craniano. ZETRON
(bupropiona), como outros medicamentos que atuam no sistema nervoso central13, pode afetar o desempenho
em atividades que necessitem de atenção e habilidade motora.
Durante o tratamento, o paciente deve ter cuidado ao dirigir veículos ou operar máquinas, até certifi car-se
que ZETRON (bupropiona) não afeta seu desempenho.
NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO. PODE SER PERIGOSO PARA
SUA SAÚDE14.

Informações Técnicas de Zetron

A bupropiona é um inibidor seletivo da recaptação da norepinefrina e da dopamina15, com fraca ação narecaptação da serotonina, sem interferência com a monoaminoxidase. Acredita-se que seu mecanismo de
ação esteja relacionado com a inibição dos mecanismos noradrenérgicos e dopaminérgicos. A bupropiona
exibe ação antidepressiva e minimiza os sintomas16 da abstinência nicotínica.
ZETRON ( bupropiona) é rapidamente absorvido do trato gastrintestinal, alcançando o pico plasmático
em cerca de 3 horas com meia-vida de aproximadamente 21 horas ( 8 a 24 horas). Liga-se às proteínas17
plasmáticas em cerca de 84%.
A bupropiona tem 3 metabólitos18 ativos que posteriormente são metabolizados a inativos. Apenas cerca
de 0,5% da bupropiona é eliminada na forma inalterada. A bupropiona é eliminada principalmente pela
urina19 (cerca de 87%), portanto esta eliminação pode ser reduzida em pacientes com insufi ciência renal20.
A meia-vida da bupropiona e de seus metabólitos18 ativos pode ser aumentada em pacientes com insufi ciência
hepática21.

Indicações de Zetron

ZETRON (bupropiona) é indicado como antidepressivo e no tratamento da dependência à nicotina.

Contra-Indicações de Zetron

ZETRON (bupropiona) é contra-indicado para pacientes22 com:Hipersensibilidade a qualquer componente da fórmula;
Doença convulsiva;
Anorexia nervosa8;
Bulimia7.
Uso concomitante de inibidores da monoaminoxidade (IMAO12) ou que interromperam seu uso há menos
de 14 dias.

Precauções de Zetron

A segurança do uso de bupropiona durante a gestação e a amamentação23 não foi estabelecida.
A possibilidade de ocorrerem convulsões com as doses recomendadas é bastante baixa, 0,1%. No entanto,
aumentam em até 10 vezes com doses maiores (450 ou 600 mg/dia).
Pacientes com histórico de epilepsia9, traumatismo10 craniano, neoplasia24 do SNC25 ou diabetes mellitus26 devem
evitar o tratamento com bupropiona.
Os pacientes devem ser alertados a não fazerem uso concomitante de bupropiona com álcool, anoréticos ou
psicotrópicos27 ou de drogas ilícitas28. Cuidado deve ser tomado no uso concomitante de medicamentos que
diminuem o limiar convulsivo.
A bupropiona, como outros antidepressivos, pode precipitar episódios de mania em pacientes com transtorno
afetivo bipolar.
Recomenda-se que pacientes tratados com bupropiona tenham sua pressão sanguínea monitorada.

ZETRON ZET/01/B rev.2-ok 1 6/24/03, 2:43:50 PM
Pacientes com insufi ciência hepática21 ou renal20 tendem a acumular a bupropiona e metabólitos18 em nível maior que
outros pacientes. Por esta razão devem ser monitorizados e devem iniciar o tratamento com a menor dose.
Os pacientes devem ter cuidado ao operar máquinas e dirigir veículos até ter certeza que ZETRON (bupropiona)
não afete adversamente suas habilidades.
Pacientes com histórico de alcoolismo ou que estejam em tratamento com sedativos, diabéticos em tratamento
com hipoglicemiantes29 ou insulina30 e pacientes que estejam usando estimulantes ou anoréticos apresentam um
maior risco de convulsão31 e, por isso, devem ser monitorados atentamente.

Interações Medicamentosas de Zetron

Orfenadrina, ciclofosfamida e outras drogas que afetam a enzima32 CYP2B6 podem se acumular no organismoquando administradas concomitantemente com bupropiona.
A bupropiona aumenta os níveis plasmáticos de desipramina.
Como a bupropiona e a hidroxibupropiona inibem a via CYP2B6, o uso concomitante de drogas
metabolizadas por esta via tais como antiarrítmicos, SSRIs, betabloqueadores, antipsicóticos, antidepressivos
tricíclicos devem ser feitos com cautela e deve-se iniciar o tratamento com as doses mais baixas.
A teofi lina e os esteróides sistêmicos33 podem baixar o limiar da convulsão31 e, por isso, não devem ser
administrados concomitantemente com bupropiona.
Parece haver uma maior incidência34 de efeitos colaterais35 nos pacientes tratados com levodopa e bupropiona.
O uso concomitante de bupropiona e sistemas transdérmicos de nicotina pode resultar na elevação da pressão
sanguínea, devendo haver monitoração da pressão arterial36.

Reações Adversas de Zetron

Têm sido relatadas reações adversas tais como:
Hematológicas - equimose37, anemia38, leucocitose39, leucopenia40, linfadenopatia e trombocitopenia41;
Cardiovasculares - hipertensão42, hipotensão43 ortostática e arritmia44 ventricular, fogacho, síncope45, taquicardia46;
Sistema nervoso central13 - dor de cabeça5, enxaqueca47, tremor, agitação, ansiedade, delírio48 e catatonia, tontura4,
psicose49, mania (relato de um episódio de mania com dose acima do recomendado), convulsões (o risco de
convulsão31 parece estar associado com as doses e pode ser aumentado por fatores predisponentes como trauma
crânio50-encefálico, tumor51 do sistema nervoso central13, etc. ou histórico de convulsões), distúrbios do sono (insônia
e pesadelos), difi culdade de concentração, confusão, irritabilidade, hostilidade, alucinações52 e depressão;
Endócrinas/metabólicas - hipoprolactinemia, anorexia53 e perda de peso;
Gastrintestinais - vômitos54, náuseas55, dor abdominal, constipação56 e secura da boca6;
Reações alérgicas - angioedema57, prurido58, urticária59, eritema multiforme60, choque61 anafi lático, rash62 cutâneo63 e
Síndrome de Stevens-Johnson64;
Genitourinária - aumento da libido65, diminuição da função sexual e alteração de orgasmo;
Órgãos de sentido - distúrbios visuais, alterações do paladar66 e zumbido no ouvido67;
Outros - astenia68, febre69, mialgia70, dor torácica, artralgia71, etc.

Posologia de Zetron

Deve-se iniciar com dose única de 150 mg tomada, de preferência, pela manhã, durante três dias.A seguir aumenta-se para 150 mg, duas vezes ao dia, com intervalo mínimo entre as doses de 8 horas.
Deve-se evitar tomar o produto em horário próximo ao de dormir.
Não tomar mais que 150 mg em dose única e não ultrapassar 300 mg ao dia.
A duração do tratamento deverá ser estabelecida pelo médico. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento
do seu médico.
No tratamento da dependência a nicotina, a bupropiona deve ser iniciada enquanto o paciente ainda está fumando
e ser orientada a interrupção do tabagismo, de preferência, para a segunda semana de tratamento. O tratamento
deve ser realizado por 7 a 12 semanas, porém pode ser prolongado de acordo com a avaliação médica.
Crianças e adolescentes: A segurança e a efi cácia do uso de bupropiona em pacientes com menos de 18
anos não foram estabelecidas.

Superdosagem de Zetron

Os sinais72 de superdosagem são sonolência, agitação, alucinação73, convulsões, taquicardia46 e perda de
consciência.
Se a ingestão foi recente e o paciente está lúcido deve-se induzi-lo ao vômito74. Até cerca de 12 horas da ingestão
pode-se administrar carvão ativo. Se o paciente estiver comatoso ou convulsionando deve-se entubar as vias
aéreas, a fi m de garantir oxigenação e ventilação75, e fazer a lavagem gástrica76. Estes procedimentos são efi cazes
quando feitos até 12 horas após a superdosagem. Não se conhece antídoto77 específi co para a bupropiona.

Pacientes Idosos de Zetron

Em geral, pacientes idosos metabolizam drogas mais lentamente e são mais sensíveis a efeitos anticolinérgicos,
sedativos e cardiovasculares de drogas antidepressivas. Portanto, cuidados devem ser tomados na seleção da
dose a ser administrada, observando as contra-indicações, precauções, interações medicamentosas e reações
adversas deste medicamento.
VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA SÓ PODE SER VENDIDO COM RETENÇÃO DE RECEITA
Data de fabricação, lote e validade: vide cartucho.
Reg. MS nº 1.0033.0111
Farmacêutico Responsável:
Dr. Lupércio Calefe - CRF - SP nº 6933.
ZET/01/B
Serviço de
Atendimento LIBBS
0800-135044
LIBBS FARMACÊUTICA LTDA.
Rua Raul Pompéia, 1071 - São Paulo - SP
CEP 05025-011
CNPJ: 61.230.314/0001-75
INDÚSTRIA BRASILEIRA
ZETRON ZET/01/B rev.2-ok 2 6/24/03, 2:43:48 PM

ZETRON - Laboratório

LIBBS
Rua Raul Pompéia, 1103
São Paulo/SP - CEP: 05025-011
Tel: (11 3)676-0655
Fax: (11 )864-6150
Email: libbs@libbs.com.br
Site: http://www.libbs.com.br/
08000-135044

Ver outros medicamentos do laboratório "LIBBS"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Recidiva: 1. Em medicina, é o reaparecimento de uma doença ou de um sintoma, após período de cura mais ou menos longo; recorrência. 2. Em direito penal, significa recaída na mesma falta, no mesmo crime; reincidência.
2 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
3 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
4 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
5 Cabeça:
6 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
7 Bulimia: Ingestão compulsiva de alimentos, em geral seguida de indução do vômito ou uso abusivo de laxantes. Trata-se de uma doença psiquiátrica, que faz parte dos chamados Transtornos Alimentares, juntamente com a Anorexia Nervosa, à qual pode estar associada.
8 Anorexia nervosa: Distúrbio alimentar caracterizado por uma alteração da imagem corporal associado à anorexia.
9 Epilepsia: Alteração temporária e reversível do funcionamento cerebral, que não tenha sido causada por febre, drogas ou distúrbios metabólicos. Durante alguns segundos ou minutos, uma parte do cérebro emite sinais incorretos, que podem ficar restritos a esse local ou espalhar-se. Quando restritos, a crise será chamada crise epiléptica parcial; quando envolverem os dois hemisférios cerebrais, será uma crise epiléptica generalizada. O paciente pode ter distorções de percepção, movimentos descontrolados de uma parte do corpo, medo repentino, desconforto no estômago, ver ou ouvir de maneira diferente e até perder a consciência - neste caso é chamada de crise complexa. Depois do episódio, enquanto se recupera, a pessoa pode sentir-se confusa e ter déficits de memória. Existem outros tipos de crises epilépticas.
10 Traumatismo: Lesão produzida pela ação de um agente vulnerante físico, químico ou biológico e etc. sobre uma ou várias partes do organismo.
11 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
12 IMAO: Tipo de antidepressivo que inibe a enzima monoaminoxidase (ou MAO), hoje usado geralmente como droga de terceira linha para a depressão devido às restrições dietéticas e ao uso de certos medicamentos que seu uso impõe. Deve ser considerada droga de primeira escolha no tratamento da depressão atípica (com sensibilidade à rejeição) ou agente útil no distúrbio do pânico e na depressão refratária. Pode causar hipotensão ortostática e efeitos simpaticomiméticos tais como taquicardia, suores e tremores. Náusea, insônia (associada à intensa sonolência à tarde) e disfunção sexual são comuns. Os efeitos sobre o sistema nervoso central incluem agitação e psicoses tóxicas. O término da terapia com inibidores da MAO pode estar associado à ansiedade, agitação, desaceleração cognitiva e dor de cabeça, por isso sua retirada deve ser muito gradual e orientada por um médico psiquiatra.
13 Sistema Nervoso Central: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
14 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
15 Dopamina: É um mediador químico presente nas glândulas suprarrenais, indispensável para a atividade normal do cérebro.
16 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
17 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
18 Metabólitos: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
19 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
20 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
21 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
22 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
23 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
24 Neoplasia: Termo que denomina um conjunto de doenças caracterizadas pelo crescimento anormal e em certas situações pela invasão de órgãos à distância (metástases). As neoplasias mais frequentes são as de mama, cólon, pele e pulmões.
25 SNC: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
26 Diabetes mellitus: Distúrbio metabólico originado da incapacidade das células de incorporar glicose. De forma secundária, podem estar afetados o metabolismo de gorduras e proteínas.Este distúrbio é produzido por um déficit absoluto ou relativo de insulina. Suas principais características são aumento da glicose sangüínea (glicemia), poliúria, polidipsia (aumento da ingestão de líquidos) e polifagia (aumento da fome).
27 Psicotrópicos: Que ou o que atua quimicamente sobre o psiquismo, a atividade mental, o comportamento, a percepção, etc. (diz-se de medicamento, droga, substância, etc.). Alguns psicotrópicos têm efeito sedativo, calmante ou antidepressivo; outros, especialmente se usados indevidamente, podem causar perturbações psíquicas.
28 Ilícitas: 1. Condenadas pela lei e/ou pela moral; proibidas, ilegais. 2. Qualidade das que não são legais ou moralmente aceitáveis; ilicitude.
29 Hipoglicemiantes: Medicamentos que contribuem para manter a glicose sangüínea dentro dos limites normais, sendo capazes de diminuir níveis de glicose previamente elevados.
30 Insulina: Hormônio que ajuda o organismo a usar glicose como energia. As células-beta do pâncreas produzem insulina. Quando o organismo não pode produzir insulna em quantidade suficiente, ela é usada por injeções ou bomba de insulina.
31 Convulsão: Episódio agudo caracterizado pela presença de contrações musculares espasmódicas permanentes e/ou repetitivas (tônicas, clônicas ou tônico-clônicas). Em geral está associada à perda de consciência e relaxamento dos esfíncteres. Pode ser devida a medicamentos ou doenças.
32 Enzima: Proteína produzida pelo organismo que gera uma reação química. Por exemplo, as enzimas produzidas pelo intestino que ajudam no processo digestivo.
33 Sistêmicos: 1. Relativo a sistema ou a sistemática. 2. Relativo à visão conspectiva, estrutural de um sistema; que se refere ou segue um sistema em seu conjunto. 3. Disposto de modo ordenado, metódico, coerente. 4. Em medicina, é o que envolve o organismo como um todo ou em grande parte.
34 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
35 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
36 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
37 Equimose: Mancha escura ou azulada devido à infiltração difusa de sangue no tecido subcutâneo. A maioria aparece após um traumatismo, mas pode surgir espontaneamente em pessoas que apresentam fragilidade capilar ou alguma coagulopatia. Após um período de tempo variável, a equimose desaparece passando por diferentes gradações: violácea, acastanhada, esverdeada e amarelada.
38 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
39 Leucocitose: É o aumento no número de glóbulos brancos (leucócitos) no sangue, geralmente maior que 8.000 por mm³. Ocorre em diferentes patologias como em resposta a infecções ou processos inflamatórios. Entretanto, também pode ser o resultado de uma reação normal em certas condições como a gravidez, a menstruação e o exercício muscular.
40 Leucopenia: Redução no número de leucócitos no sangue. Os leucócitos são responsáveis pelas defesas do organismo, são os glóbulos brancos. Quando a quantidade de leucócitos no sangue é inferior a 6000 leucócitos por milímetro cúbico, diz-se que o indivíduo apresenta leucopenia.
41 Trombocitopenia: É a redução do número de plaquetas no sangue. Contrário de trombocitose. Quando a quantidade de plaquetas no sangue é inferior a 150.000/mm³, diz-se que o indivíduo apresenta trombocitopenia (ou plaquetopenia). As pessoas com trombocitopenia apresentam tendência de sofrer hemorragias.
42 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
43 Hipotensão: Pressão sanguínea baixa ou queda repentina na pressão sanguínea. A hipotensão pode ocorrer quando uma pessoa muda rapidamente de uma posição sentada ou deitada para a posição de pé, causando vertigem ou desmaio.
44 Arritmia: Arritmia cardíaca é o nome dado a diversas perturbações que alteram a frequência ou o ritmo dos batimentos cardíacos.
45 Síncope: Perda breve e repentina da consciência, geralmente com rápida recuperação. Comum em pessoas idosas. Suas causas são múltiplas: doença cerebrovascular, convulsões, arritmias, doença cardíaca, embolia pulmonar, hipertensão pulmonar, hipoglicemia, intoxicações, hipotensão postural, síncope situacional ou vasopressora, infecções, causas psicogênicas e desconhecidas.
46 Taquicardia: Aumento da frequência cardíaca. Pode ser devido a causas fisiológicas (durante o exercício físico ou gravidez) ou por diversas doenças como sepse, hipertireoidismo e anemia. Pode ser assintomática ou provocar palpitações.
47 Enxaqueca: Sinônimo de migrânea. É a cefaléia cuja prevalência varia de 10 a 20% da população. Ocorre principalmente em mulheres com uma proporção homem:mulher de 1:2-3. As razões para esta preponderância feminina ainda não estão bem entendidas, mas suspeita-se de alguma relação com o hormônio feminino. Resulta da pressão exercida por vasos sangüíneos dilatados no tecido nervoso cerebral subjacente. O tratamento da enxaqueca envolve normalmente drogas vaso-constritoras para aliviar esta pressão. No entanto, esta medicamentação pode causar efeitos secundários no sistema circulatório e é desaconselhada a pessoas com problemas cardiológicos.
48 Delírio: Delirio é uma crença sem evidência, acompanhada de uma excepcional convicção irrefutável pelo argumento lógico. Ele se dá com plena lucidez de consciência e não há fatores orgânicos.
49 Psicose: Grupo de doenças psiquiátricas caracterizadas pela incapacidade de avaliar corretamente a realidade. A pessoa psicótica reestrutura sua concepção de realidade em torno de uma idéia delirante, sem ter consciência de sua doença.
50 Crânio: O ESQUELETO da CABEÇA; compreende também os OSSOS FACIAIS e os que recobrem o CÉREBRO. Sinônimos: Calvaria; Calota Craniana
51 Tumor: Termo que literalmente significa massa ou formação de tecido. É utilizado em geral para referir-se a uma formação neoplásica.
52 Alucinações: Perturbações mentais que se caracterizam pelo aparecimento de sensações (visuais, auditivas, etc.) atribuídas a causas objetivas que, na realidade, inexistem; sensações sem objeto. Impressões ou noções falsas, sem fundamento na realidade; devaneios, delírios, enganos, ilusões.
53 Anorexia: Perda do apetite ou do desejo de ingerir alimentos.
54 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
55 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
56 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
57 Angioedema: Caracteriza-se por áreas circunscritas de edema indolor e não-pruriginoso decorrente de aumento da permeabilidade vascular. Os locais mais acometidos são a cabeça e o pescoço, incluindo os lábios, assoalho da boca, língua e laringe, mas o edema pode acometer qualquer parte do corpo. Nos casos mais avançados, o angioedema pode causar obstrução das vias aéreas. A complicação mais grave é o inchaço na garganta (edema de glote).
58 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
59 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
60 Eritema multiforme: Condição aguda, auto-limitada, caracterizada pelo início abrupto de pápulas vermelhas fixas simétricas, algumas evoluindo em lesões em forma de “alvo”. A lesão alvo são zonas concêntricas de alterações de coloração com a área central púrpura ou escura e a externa vermelha. Elas irão desenvolver vesícula ou crosta na zona central após vários dias. Vinte porcento de todos os casos ocorrem na infância.O eritema multiforme geralmente é precipitado pelo vírus do herpes simples, Mycoplasma pneumoniae ou histoplasmose.
61 Choque: 1. Estado de insuficiência circulatória a nível celular, produzido por hemorragias graves, sepse, reações alérgicas graves, etc. Pode ocasionar lesão celular irreversível se a hipóxia persistir por tempo suficiente. 2. Encontro violento, com impacto ou abalo brusco, entre dois corpos. Colisão ou concussão. 3. Perturbação brusca no equilíbrio mental ou emocional. Abalo psíquico devido a uma causa externa.
62 Rash: Coloração avermelhada da pele como conseqüência de uma reação alérgica ou infecção.
63 Cutâneo: Que diz respeito à pele, à cútis.
64 Síndrome de Stevens-Johnson: Forma grave, às vezes fatal, de eritema bolhoso, que acomete a pele e as mucosas oral, genital, anal e ocular. O início é geralmente abrupto, com febre, mal-estar, dores musculares e artralgia. Pode evoluir para um quadro toxêmico com alterações do sistema gastrointestinal, sistema nervoso central, rins e coração (arritmias e pericardite). O prognóstico torna-se grave principalmente em pessoas idosas e quando ocorre infecção secundária. Pode ser desencadeado por: sulfas, analgésicos, barbitúricos, hidantoínas, penicilinas, infecções virais e bacterianas.
65 Libido: Desejo. Procura instintiva do prazer sexual.
66 Paladar: Paladar ou sabor. Em fisiologia, é a função sensorial que permite a percepção dos sabores pela língua e sua transmissão, através do nervo gustativo ao cérebro, onde são recebidos e analisados.
67 Zumbido no ouvido: Pode ser descrito como um som parecido com campainhas no ouvido ou outros barulhos dentro da cabeça que são percebidos na ausência de qualquer fonte de barulho externa.
68 Astenia: Sensação de fraqueza, sem perda real da capacidade muscular.
69 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
70 Mialgia: Dor que se origina nos músculos. Pode acompanhar outros sintomas como queda no estado geral, febre e dor de cabeça nas doenças infecciosas. Também pode estar associada a diferentes doenças imunológicas.
71 Artralgia: Dor em uma articulação.
72 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
73 Alucinação: Perturbação mental que se caracteriza pelo aparecimento de sensações (visuais, auditivas, etc.) atribuídas a causas objetivas que, na realidade, inexistem; sensação sem objeto. Impressão ou noção falsa, sem fundamento na realidade; devaneio, delírio, engano, ilusão.
74 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
75 Ventilação: 1. Ação ou efeito de ventilar, passagem contínua de ar fresco e renovado, num espaço ou recinto. 2. Agitação ou movimentação do ar, natural ou provocada para estabelecer sua circulação dentro de um ambiente. 3. Em fisiologia, é o movimento de ar nos pulmões. Perfusão Em medicina, é a introdução de substância líquida nos tecidos por meio de injeção em vasos sanguíneos.
76 Lavagem gástrica: É a introdução, através de sonda nasogástrica, de líquido na cavidade gástrica, seguida de sua remoção.
77 Antídoto: Substância ou mistura que neutraliza os efeitos de um veneno. Esta ação pode reagir diretamente com o veneno ou amenizar/reverter a ação biológica causada por ele.

Tem alguma dúvida sobre ZETRON?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.