NADERM

CRISTALIA

Atualizado em 09/12/2014

NADERM

USO PEDIÁTRICO E ADULTO

Composição de Naderm

Creme Dermatológico:Cada g de creme dermatológico contém:
Cetoconazol .................... 20 mg
Dipropionato de betametasona (equivalente a 0,5 mg de betametasona) ... 0,64 mg
Sulfato de neomicina (equivalente a 1,68 mg de neomicina) .................... 2,5 mg
Excipiente q.s.p. .................... 1 g
(Excipientes: cera emulsionante, triglicérides1 do ácido cáprico caprílico, parabenos e fenoxietanol, butil-hidroxitolueno, edetato dissódico, propilenoglicol, água purificada)
Pomada Dermatológica:
Cada g de pomada dermatológica contém:
Cetoconazol .................... 20 mg
Dipropionato de betametasona (equivalente a 0,5 mg de betametasona) ... 0,64 mg
Sulfato de neomicina (equivalente a 1,68 mg de neomicina) .................... 2,5 mg
Excipiente q.s.p. .................... 1 g
(Excipientes: gel de petrolato e polietileno, vaselina líquida)

Informação ao Paciente de Naderm

Naderm é um medicamento indicado no tratamento de afecções2 da pele3, quando se necessita de ação antimicótica, antiinflamatória e antibacteriana, causadas por germes sensíveis.

Conservar o produto em temperatura ambiente controlada, entre 15 e 25°C.

O prazo de validade do produto é de 24 meses a partir da data de fabricação, impressa na embalagem. Não utilize medicamento vencido.

Informe seu médico sobre a ocorrência de gravidez4 na vigência do tratamento ou após seu término. Informar ao seu médico se está amamentando.

Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

Não interromper o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Informe seu médico sobre o aparecimento de reações desagradáveis, como ardência, coceira, irritação, ressecamento, dermatite5 de contato, estrias, que possam ser atribuídas ao tratamento.
TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.
Evitar a ingestão de bebida alcoólica durante o tratamento.

Informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início, ou durante o tratamento. Não existe uma evidência suficiente que confirme a ocorrência de interações clinicamente relevantes, mas podem ocorrer interações medicamentosas de Naderm com alguns medicamentos, como por exemplo, antibióticos e anticoagulantes6.

O medicamento é contra-indicado para pacientes7 com histórico de hipersensibilidade aos princípios ativos e demais componentes da fórmula. O produto não deve ser utilizado por períodos prolongados, em áreas extensas e em grande quantidade.
Naderm não deve ser usado por períodos maiores que duas semanas. Em crianças menores de 12 anos, devem ser utilizadas pequenas quantidades de Naderm. Não utilizar mais que 45 gramas por semana.

Naderm não é indicado para uso oftálmico.

Os riscos e benefícios do uso de Naderm em gestantes devem ser avaliados por um médico, pois a segurança durante a gravidez4 não foi ainda estabelecida.

Recomenda-se cautela na administração à mães lactantes8.
NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DE SEU MÉDICO, PODE SER PERIGOSO PARA SUA SAÚDE9.

Informações Técnica de Naderm

Naderm é um medicamento de uso local, que possui poderosa atividade antiinflamatória, antimicótica e antibacteriana, cobrindo assim ampla variedade de dermatoses.

Cada grama10 de Naderm creme ou pomada contém 0,64 mg de dipropionato de betametasona, equivalente a 0,5 mg de betametasona, um corticosteróide sintético fluorado para uso dermatológico.

Quimicamente, o dipropionato de betametasona é 9-fluor-11-beta,17,21-triidroxi-16,beta-metilpregna-1,4-dieno-3,20-diona17,21-dipropionato.

O dipropionato de betametasona, potente corticosteróide tópico11, é eficaz no tratamento de dermatoses sensíveis a corticóides, principalmente devido a sua ação antiinflamatória, antipruriginosa e vasoconstritora. Está presente na fórmula na concentração de 0,05%.

A absorção sistêmica da betametasona, quando usada topicamente, é em torno de 12 a 14% da dose e sua meia-vida de eliminação é de 5,6 horas.

Os corticosteróides difundem-se através da membrana celular12 e formam complexos com receptores citoplasmáticos específicos. Estes complexos entram no núcleo das células13, ligam-se ao DNA (cromatina14) e estimulam a transcriação do RNA mensageiro e, subseqüentemente, a síntese protéica de várias enzimas inibitórias responsáveis pelos efeitos antiinflamatórios dos corticosteróides tópicos. Esses efeitos antiinflamatórios incluem a inibição de processos iniciais como edema15, depósito de fibrina16, dilatação capilar17, movimentação de fagócitos18 para a área e atividades fagocíticas. Processos tardios, como produção capilar17, deposição de colágeno19 e formação de quelóides, também são inibidos pelos corticosteróides. As ações dos corticosteróides tópicos são catabólicas. Os corticosteróides tópicos podem sofrer absorção sistêmica, pois atravessam o extrato córneo. A penetração no extrato córneo pode ser aumentada pela hidratação da pele3 e/ou temperatura corpórea. Aumento na absorção percutânea também ocorre quando a pele3 está esfolada ou inflamada, e com uso prolongado ou extensivo.

O cetoconazol, presente na fórmula na concentração de 2%, é uma substância antimicótica sintética de amplo espectro, que inibe in vitro o crescimento de dermatófitos20 e leveduras mais comuns, pela alteração da permeabilidade21 da membrana celular12 destes microrganismos. Apresenta ação contra os dermatófitos20: Trichophyton, Microsporum e Epidermophyton; e leveduras: Candida albicans. O cetoconazol, pertencente ao grupo químico imidazol, é um fungistático. Dependendo da concentração pode apresentar ação fungicida. O cetoconazol inibe a biossíntese do ergosterol ou de outros esteróis, danifica a célula22 fúngica23 e altera sua permeabilidade21. Como resultado, pode ocorrer a perda de elementos intracelulares essenciais. Também inibe a biossíntese de triglicerídeos e fosfolipídeos pelos fungos. Adicionalmente, inibe as atividades enzimáticas oxidativas e peroxidativas, resultando em um aumento das concentrações tóxicas de peróxido de hidrogênio, que pode contribuir para a deterioração das organelas intracelulares e a necrose24 da célula22. No tratamento da Candida albicans, o cetoconazol inibe a transformação de blastoporos em forma micelar invasiva. Nenhuma absorção sistêmica foi detectada no sangue25, em um nível de sensibilidade de 5 nanogramas por ml, após uma aplicação única no tórax26, nas costas27 e nos braços de voluntários sadios.

O sulfato de neomicina é um antibiótico aminoglicosídeo, presente na fórmula na concentração de 0,25%, que exerce ação bactericida sobre numerosos microrganismos Gram-positivos e Gram-negativos. Seu efeito bactericida é atribuído à ligação irreversível à subunidade 30S do ribossomo. A neomicina é ativamente transportada, cruza a membrana celular12 bacteriana, liga-se a um receptor específico na subunidade 30S, inibindo a síntese protéica. O DNA pode ser mal interpretado, produzindo proteínas28 não funcionais. Os polirribossomos são fragmentados e são incapazes de sintetizar proteínas28. Apesar de não ser absorvida pela pele3 íntegra, a neomicina tópica é rapidamente absorvida em grandes áreas descobertas, queimadas ou com granulomas29 da pele3. A absorção é maior e mais rápida com a neomicina na forma farmacêutica de creme que na forma farmacêutica de pomada. A aplicação tópica de sulfato de neomicina não resulta em concentrações séricas ou renais detectáveis do fármaco30, contudo sistematicamente, apresenta uma meia-vida de eliminação de 3 horas para adultos e de 3-10 horas para crianças; metabolismo31 hepático mínimo e excreção renal32 de 30 a 50% do fármaco30 não-modificado.

Indicações de Naderm

Naderm está indicado nas afecções2 da pele3, onde se exigem ações antiinflamatória, antimicótica e antibacteriana, causadas por germes sensíveis, como dermatites de contato, dermatite5 atópica, dermatite5 seborréica, intertrigo33, disidrose, neurodermatite.

Contra-Indicações de Naderm

Naderm é contra-indicado para pacientes7 com histórico de hipersensibilidade aos princípios ativos ou a qualquer outro componente da formulação.

Naderm não está indicado para uso oftálmico.

Naderm não deve ser utilizado em infecções34 da pele3, tais como: varicela35, herpes simples ou zoster36, tuberculose37 cutânea38 ou sífilis39 cutânea38.

Precauções e Advertências de Naderm

O tratamento deve ser interrompido em caso de irritação ou sensibilização decorrente do uso do Naderm.

Qualquer reação adversa relatada com o uso sistêmico40 de corticosteróides, incluindo supressão supra-renal41, também pode ocorrer com o uso tópico11 dos corticosteróides, especialmente em lactentes42 e crianças. A absorção sistêmica dos corticosteróides tópicos eleva-se quando extensas áreas são tratadas ou quando se emprega a técnica oclusiva.

Recomenda-se precaução nestes casos ou quando há previsão de tratamentos prolongados, particularmente em lactentes42 e crianças.

O uso excessivo e prolongado de corticosteróides pode suprimir a função hipófise43-supra-renal41, resultando em insuficiência44 supra-renal41 secundária.

O tratamento local prolongado com a neomicina deve ser evitado, pois pode causar sensibilização da pele3.

O uso de antibacterianos tópicos pode levar à sensibilização da pele3, resultando em reações de hipersensibilidade após subseqüente aplicação tópica ou sistêmica da medicação.

Podem ocorrer nefrotoxicidade45 e ototoxicidade46 moderada a grave devido à neomicina, especialmente se a função renal32 estiver prejudicada e drogas sistêmicas nefrotóxicas e ototóxicas forem administradas concomitantemente. Se houver absorção sistêmica significativa, pode ocorrer perda auditiva. Esta perda pode evoluir para surdez mesmo com a descontinuação da droga, e pode ser permanente.

Pacientes sensíveis a algum aminoglicosídeo também podem ser sensíveis à neomicina.

Pacientes sensíveis ao miconazol ou outros imidazóis podem também ser sensíveis ao cetoconazol.

Evitar ingestão de bebida alcoólica durante o tratamento.

Naderm não deve ser usado próximo aos olhos47 e não deve entrar em contato com a conjuntiva48.

Naderm não deve ser aplicado no canal auditivo externo se a membrana do tímpano49 estiver perfurada.

Gravidez4 e Lactação50 de Naderm

A segurança da corticoterapia tópica em gestantes ainda não foi estabelecida, por isso os corticosteróides tópicos, após avaliação do benefício em relação ao risco potencial para o feto51, não devem ser usados em áreas muito extensas e por períodos prolongados.

Recomenda-se cautela na administração à mães lactantes8.

Estudos em animais demonstraram que os corticosteróides tópicos são sistemicamente absorvidos e podem causar anormalidades fetais, especialmente quando usados em grandes quantidades, com bandagens oclusivas e durante uso prolongado. Um aumento dose-relacionado na reabsorção fetal foi observado em camundongos e coelhos, nos quais foi administrado dipropionato de betametasona por via intramuscular. Estes efeitos não foram observados em ratos. Efeitos teratogênicos52 (hérnia53 umbilical, cefalocele, fissura54 palatal) foram observados em coelhos quando o dipropionato de betametasona foi administrado por via intramuscular. Estudos apropriados em humanos não foram realizados. Não se sabe se os corticosteróides tópicos são excretados no leite materno. Os corticosteróides sistêmicos55 são excretados no leite materno e podem causar efeitos indesejáveis no lactente56, como supressão do crescimento. Não aplicar o produto nas mamas57 antes da amamentação58. Recomenda-se cautela na administração a mães lactantes8.

O cetoconazol atravessa a barreira placentária. Estudos adequados e bem controlados em humanos não foram realizados. Estudos em ratos, administrando dose oral de 80 mg/kg por dia (10 vezes a dose humana máxima recomendada), demonstraram teratogenicidade do cetoconazol, causando sindactilia e oligodactilia. Não se sabe se o cetoconazol, aplicado topicamente na pele3 íntegra, é absorvido sistemicamente em quantidade suficiente para ser distribuído no leite materno. Contudo, nenhuma absorção sistêmica foi detectada após uma aplicação única no tórax26, costas27 e braços de voluntários sadios. Assim, é improvável que o cetoconazol tópico11 seja distribuído no leite materno ou cause efeitos adversos no lactente56.

Não foram documentados problemas na gravidez4 relacionados com o uso da neomicina tópica. Não se sabe se a neomicina tópica distribui-se no leite materno, porém não foram documentados problemas em seres humanos.

Interações Medicamentosas de Naderm

O cetoconazol possui atividade sinérgica com a anfotericina B sobre os microrganismos Aspergillus flavus e Drechslera longirostrata.

O uso concomitante de neomicina tópica e sistêmica ou de outras drogas relacionadas não é recomendado pois podem ocorrer reações de hipersensibilidade com maior freqüência.

Não são conhecidas evidências suficientes que confirmem a existência de interações clinicamente relevantes, mas podem ocorrer as seguintes interações medicamentosas com Naderm: medicamentos hepatotóxicos, anticoagulantes6, ciclosporinas antagonistas do receptor H2 da histamina59, isoniazida, rifampicina, fenitoína, terfenadina, indinavir, saquinavir, ritonavir ou cisaprida.

Reações Adversas / Coloaterais de Naderm

Raramente foram relatadas ardência, prurido60, irritação, foliculite, ressecamento, hipertricose61, erupções acneiformes, hipopigmentação, dermatite5 perioral, dermatite5 de contato, maceração cutânea38, infecção62 secundária, atrofia63 cutânea38, estrias e miliária.

Após aplicação tópica de neomicina, especialmente em amplas áreas da pele3 ou em casos onde a pele3 foi seriamente lesada, reportou-se que a absorção do fármaco30 causa efeitos sistêmicos55 indesejáveis, tais como ototoxicidade46 e nefrotoxicidade45.

Posologia de Naderm

Aplicar uma fina camada sobre a área afetada, uma vez ao dia. Em alguns casos, pode ser necessária a aplicação duas vezes ao dia.

Naderm não deve ser utilizado por períodos maiores que duas semanas.

Em crianças menores de 12 anos, devem ser utilizadas pequenas quantidades de Naderm. Não utilizar mais que 45 gramas por semana.

Superdosagem de Naderm

O uso prolongado de corticosteróides tópicos pode suprimir a função hipófise43-supra-renal41 secundária. Neste caso, está indicado tratamento sintomático64 adequado. Os sintomas65 de hipercorticismo agudo66 são reversíveis. Tratar o desequilíbrio eletrolítico, se necessário. Em caso de toxicidade67 crônica, recomenda-se a retirada gradativa de corticosteróides.

Pacientes Idosos de Naderm

Apesar de estudos apropriados com corticosteróides tópicos não terem sido realizados na população geriátrica, problemas específicos não são esperados nessa faixa etária. Contudo, pacientes idosos apresentam maior possibilidade de apresentarem atrofia63 cutânea38 secundária preexistente relacionada com a idade. Púrpura68 e lacerações da pele3, que podem aumentar a pele3 e o tecido subcutâneo69 da fáscia profunda, podem ocorrer com mais probabilidade em pacientes idosos. Assim, os corticosteróides tópicos devem ser usados com pouca freqüência, por curtos períodos e sob supervisão médica em pacientes com evidências de atrofia63 cutânea38 preexistente.

Não são conhecidos que o cetoconazol e a neomicina, ambos aplicados topicamente em pacientes idosos, tenham efeitos diferentes dos observados na população em geral.
VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
N.º do lote, data da fabricação e prazo de validade: vide rótulo/cartucho.

MS N.º 1.0298.0296
Farm. Resp.: Dr. Joaquim A. dos Reis - CRF-SP N.º 5061
SAC (Serviço de Atendimento ao Cliente): 0800 701 19 18
CRISTÁLIA - Produtos Químicos Farmacêuticos Ltda.
Rod. Itapira-Lindóia, km 14 - Itapira-SP
CNPJ N.º 44.734.671/0001-51
Indústria Brasileira

NADERM - Laboratório

CRISTALIA
Escritório central - Unidade II: Av. Paoletti, 363 - Nova Itapira
Itapira/SP - CEP: 13970-000
Tel: (19) 3863-9500
Fax: (19) 3863-9500
Site: http://www.2cristalia.com.br/fale_conosco.php
Escritório comercial
Av. Corifeu de Azevedo Marques, 1847 - Butantã
São Paulo /SP
CEP: 05581-001
Tel./Fax: (11) 3723-6400

Unidade I
Rod. Itapira-Lindóia, Km 14 - Ponte Preta
Itapira /SP
CEP: 13970-000
Tel./Fax: (19) 3843-9500

Unidade III
Av. Nossa Senhora Assunção, 574 - Butantã
São Paulo /SP
CEP: 05359-001
Tel./Fax: (11) 3732-2250

Ver outros medicamentos do laboratório "CRISTALIA"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Triglicérides: A principal maneira de armazenar os lipídeos no tecido adiposo é sob a forma de triglicérides. São também os tipos de lipídeos mais abundantes na alimentação. Podem ser definidos como compostos formados pela união de três ácidos graxos com glicerol. Os triglicérides sólidos em temperatura ambiente são conhecidos como gorduras, enquanto os líquidos são os óleos. As gorduras geralmente possuem uma alta proporção de ácidos graxos saturados de cadeia longa, já os óleos normalmente contêm mais ácidos graxos insaturados de cadeia curta.
2 Afecções: Quaisquer alterações patológicas do corpo. Em psicologia, estado de morbidez, de anormalidade psíquica.
3 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
4 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
5 Dermatite: Inflamação das camadas superficiais da pele, que pode apresentar-se de formas variadas (dermatite seborreica, dermatite de contato...) e é produzida pela agressão direta de microorganismos, substância tóxica ou por uma resposta imunológica inadequada (alergias, doenças auto-imunes).
6 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
7 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
8 Lactantes: Que produzem leite; que aleitam.
9 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
10 Grama: 1. Designação comum a diversas ervas da família das gramíneas que formam forrações espontâneas ou que são cultivadas para criar gramados em jardins e parques ou como forrageiras, em pastagens; relva. 2. Unidade de medida de massa no sistema c.g.s., equivalente a 0,001 kg . Símbolo: g.
11 Tópico: Referente a uma área delimitada. De ação limitada à mesma. Diz-se dos medicamentos de uso local, como pomadas, loções, pós, soluções, etc.
12 Membrana Celular: Membrana seletivamente permeável (contendo lipídeos e proteínas) que envolve o citoplasma em células procarióticas e eucarióticas.
13 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
14 Cromatina: Também conhecida como cariotina. É a substância constituinte do cromossomo da célula eucarionte e composta de ADN, ARN e proteínas.
15 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
16 Fibrina: Proteína formada no plasma a partir da ação da trombina sobre o fibrinogênio. Ela é o principal componente dos coágulos sanguíneos.
17 Capilar: 1. Na medicina, diz-se de ou tubo endotelial muito fino que liga a circulação arterial à venosa. Qualquer vaso. 2. Na física, diz-se de ou tubo, em geral de vidro, cujo diâmetro interno é diminuto. 3. Relativo a cabelo, fino como fio de cabelo.
18 Fagócitos:
19 Colágeno: Principal proteína fibrilar, de função estrutural, presente no tecido conjuntivo de animais.
20 Dermatófitos: Qualquer fungo microscópico que parasita a pele, as unhas ou os pelos.
21 Permeabilidade: Qualidade dos corpos que deixam passar através de seus poros outros corpos (fluidos, líquidos, gases, etc.).
22 Célula: Unidade funcional básica de todo tecido, capaz de se duplicar (porém algumas células muito especializadas, como os neurônios, não conseguem se duplicar), trocar substâncias com o meio externo à célula, etc. Possui subestruturas (organelas) distintas como núcleo, parede celular, membrana celular, mitocôndrias, etc. que são as responsáveis pela sobrevivência da mesma.
23 Fúngica: Relativa à ou produzida por fungo.
24 Necrose: Conjunto de processos irreversíveis através dos quais se produz a degeneração celular seguida de morte da célula.
25 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
26 Tórax: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original Sinônimos: Peito; Caixa Torácica
27 Costas:
28 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
29 Granulomas: Formação composta por tecido de granulação que se encontra em processos infecciosos e outras doenças. É, na maioria das vezes, reacional a algum tipo de agressão (corpo estranho, ferimentos, parasitas, etc.).
30 Fármaco: Qualquer produto ou preparado farmacêutico; medicamento.
31 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
32 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
33 Intertrigo: Infecção da pele que recobre diferentes pregas da superfície corporal. Pode ser ocasionada por fungos ou bactérias e freqüentemente localiza-se entre os dedos (pé de atleta), no sulco submamário, axilas, pregas interglúteas, etc.
34 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
35 Varicela: Doença viral freqüente na infância e caracterizada pela presença de febre e comprometimento do estado geral juntamente com a aparição característica de lesões que têm vários estágios. Primeiro são pequenas manchas avermelhadas, a seguir formam-se pequenas bolhas que finalmente rompem-se deixando uma crosta. É contagiosa, mas normalmente não traz maiores conseqüências à criança. As bolhas e suas crostas, se não sofrerem infecção secundária, não deixam cicatriz.
36 Zoster: Doença produzida pelo mesmo vírus que causa a varicela (Varicela-Zóster). Em pessoas que já tenham tido varicela, o vírus se encontra em forma latente e pode ser reativado produzindo as características manchas avermelhadas, vesículas e crostas no território de distribuição de um determinado nervo. Como seqüela pode deixar neurite, com dores importantes.
37 Tuberculose: Doença infecciosa crônica produzida pelo bacilo de Koch (Mycobacterium tuberculosis). Produz doença pulmonar, podendo disseminar-se para qualquer outro órgão. Os sintomas de tuberculose pulmonar consistem em febre, tosse, expectoração, hemoptise, acompanhada de perda de peso e queda do estado geral. Em países em desenvolvimento (como o Brasil) aconselha-se a vacinação com uma cepa atenuada desta bactéria (vacina BCG).
38 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
39 Sífilis: Doença transmitida pelo contato sexual, causada por uma bactéria de forma espiralada chamada Treponema pallidum. Produz diferentes sintomas de acordo com a etapa da doença. Primeiro surge uma úlcera na zona de contato com inflamação dos gânglios linfáticos regionais. Após um período a lesão inicial cura-se espontaneamente e aparecem lesões secundárias (rash cutâneo, goma sifilítica, etc.). Em suas fases tardias pode causar transtorno neurológico sério e irreversível, que felizmente após o advento do tratamento com antibióticos tem se tornado de ocorrência rara. Pode ser causa de infertilidade e abortos espontâneos repetidos.
40 Sistêmico: 1. Relativo a sistema ou a sistemática. 2. Relativo à visão conspectiva, estrutural de um sistema; que se refere ou segue um sistema em seu conjunto. 3. Disposto de modo ordenado, metódico, coerente. 4. Em medicina, é o que envolve o organismo como um todo ou em grande parte.
41 Supra-renal:
42 Lactentes: Que ou aqueles que mamam, bebês. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
43 Hipófise:
44 Insuficiência: Incapacidade de um órgão ou sistema para realizar adequadamente suas funções.Manifesta-se de diferentes formas segundo o órgão comprometido. Exemplos: insuficiência renal, hepática, cardíaca, respiratória.
45 Nefrotoxicidade: É um dano nos rins causado por substâncias químicas chamadas nefrotoxinas.
46 Ototoxicidade: Dano causado aos sistemas coclear e/ou vestibular resultante de exposição a substâncias químicas.
47 Olhos:
48 Conjuntiva: Membrana mucosa que reveste a superfície posterior das pálpebras e a superfície pericorneal anterior do globo ocular.
49 Tímpano: Espaço e estruturas internas à MEMBRANA TIMPÂNICA e externas à orelha interna (LABIRINTO). Entre os componentes principais estão os OSSÍCULOS DA AUDIÇÃO e a TUBA AUDITIVA, que conecta a cavidade da orelha média (cavidade timpânica) à parte superior da garganta.
50 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
51 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
52 Teratogênicos: Agente teratogênico ou teratógeno é tudo aquilo capaz de produzir dano ao embrião ou feto durante a gravidez. Estes danos podem se refletir como perda da gestação, malformações ou alterações funcionais ou ainda distúrbios neurocomportamentais, como retardo mental.
53 Hérnia: É uma massa circunscrita formada por um órgão (ou parte de um órgão) que sai por um orifício, natural ou acidental, da cavidade que o contém. Por extensão de sentido, excrescência, saliência.
54 Fissura: 1. Pequena abertura longitudinal em; fenda, rachadura, sulco. 2. Em geologia, é qualquer fratura ou fenda pouco alargada em terreno, rocha ou mesmo mineral. 3. Na medicina, é qualquer ulceração alongada e superficial. Também pode significar uma fenda profunda, sulco ou abertura nos ossos; cesura, cissura. 4. Rachadura na pele calosa das mãos ou dos pés, geralmente de pessoas que executam trabalhos rudes. 5. Na odontologia, é uma falha no esmalte de um dente. 6. No uso informal, significa apego extremo; forte inclinação; loucura, paixão, fissuração.
55 Sistêmicos: 1. Relativo a sistema ou a sistemática. 2. Relativo à visão conspectiva, estrutural de um sistema; que se refere ou segue um sistema em seu conjunto. 3. Disposto de modo ordenado, metódico, coerente. 4. Em medicina, é o que envolve o organismo como um todo ou em grande parte.
56 Lactente: Que ou aquele que mama, bebê. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
57 Mamas: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
58 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
59 Histamina: Em fisiologia, é uma amina formada a partir do aminoácido histidina e liberada pelas células do sistema imunológico durante reações alérgicas, causando dilatação e maior permeabilidade de pequenos vasos sanguíneos. Ela é a substância responsável pelos sintomas de edema e irritação presentes em alergias.
60 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
61 Hipertricose: É a transformação de pêlos velus (de textura fina e distribuídos em todo o corpo) em pêlos terminais (mais grossos e escuros). Não é causada por um aumento na produção de androgênios, podendo ser congênita ou adquirida. A hipertricose adquirida pode ser ocasionada por ingestão de medicamentos, algumas doenças metabólicas, como hipotireoidismo e porfirias, ou doenças nutricionais, como anorexia, desnutrição ou síndromes de má absorção.
62 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
63 Atrofia: 1. Em biologia, é a falta de desenvolvimento de corpo, órgão, tecido ou membro. 2. Em patologia, é a diminuição de peso e volume de órgão, tecido ou membro por nutrição insuficiente das células ou imobilização. 3. No sentido figurado, é uma debilitação ou perda de alguma faculdade mental ou de um dos sentidos, por exemplo, da memória em idosos.
64 Sintomático: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.
65 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
66 Agudo: Descreve algo que acontece repentinamente e por curto período de tempo. O oposto de crônico.
67 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
68 Púrpura: Lesão hemorrágica de cor vinhosa, que não desaparece à pressão, com diâmetro superior a um centímetro.
69 Tecido Subcutâneo: Tecido conectivo frouxo (localizado sob a DERME), que liga a PELE fracamente aos tecidos subjacentes. Pode conter uma camada (pad) de ADIPÓCITOS, que varia em número e tamanho, conforme a área do corpo e o estado nutricional, respectivamente.
Artigos relacionados

Tem alguma dúvida sobre NADERM?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.