ENAX

ATIVUS

Atualizado em 19/11/2014


-Formas farmacêuticas e apresentações
Cápsula Gelatinosa Dura de 200 mg: caixa contendo 30 cápsulas gelatinosas duras. USO ADULTO
-Composição
Cápsulas Gelatinosas Duras de 200 mg - cada cápsula contém: Extrato seco de Equinacea purpurea (L.) Moench à 3% de ácido chicórico 200 mg (equivalente à 6,0 mg de ácido chicórico) Excipientes: Cellactose, Celulose Microcristalina, Dióxido de Silício Coloidal, Estearato de Magnésio e Croscarmelose Sódica. Nomenclatura botânica e parte da planta utilizada: Equinacea purpurea (L.) Moench (Fam. Asteraceae), partes aéreas.
-Cuidados na conservação
O medicamento deve ser conservado ao abrigo do calor excessivo, da umidade, da luz e em temperatura ambiente (entre 15 e 30°C). Prazo de validade: 24 meses após a data de fabricação. Verifique a data de fabricação no cartucho. Não use medicamentos com o prazo de validade vencido.
-Gravidez1 e lactação2
Não há trabalhos que assegurem o uso de Extrato seco de Equinacea purpurea (L.) Moench em mulheres grávidas ou amamentando, logo, seu uso deve ser feito somente sob supervisão médica. Informe a seu médico a ocorrência de gravidez1 na vigência do tratamento ou após seu término.
-Cuidados na administração/interrupção no tratamento
O tratamento com ENAX (Extrato seco de Equinacea purpurea (L.) Moench) não deve ser superior a 8 semanas. Siga a orientação de seu médico respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. NÃO INTERROMPER O TRATAMENTO SEM O CONHECIMENTO DE SEU MÉDICO.
-Reações adversas
ENAX (Extrato seco de Equinacea purpurea (L.) Moench) é bem tolerado. Há relatos de aumento da salivação e reações de alergia3 cutânea4 em pacientes com antecedentes alérgicos à Equinácea. TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.
-Ingestão concominante com outras substâncias
Não há relatos de interação medicamentosa entre ENAX (Extrato seco de Equinacea purpurea (L.) Moench) e outros fármacos ou plantas.
-Contra-indicações e precauções
ENAX (Extrato seco de Equinacea purpurea (L.) Moench) está contra-indicado para pacientes5 com doenças crônicas como tuberculose6, colagenoses e portadores do vírus7 HIV8 ou com antecedentes de alergia3 à quaisquer constituinte da formulação. Informar a seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início ou durante o tratamento. NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DE SEU MÉDICO, PODE SER PERIGOSO PARA A SAÚDE9.
-Informações técnicas
ENAX (Extrato seco de Equinacea purpurea (L.) Moench é produzido com extrato padronizado da planta Equinacea purpurea (L.) Moench, contendo 3% de ácido chicórico. Seu mecanismo de ação se faz pelo estímulo da ação de macrófagos10 pelos sesquiterpenos não-voláteis, já a fração polissacáride e poliacetileno promove um estímulo na proliferação de linfócitos B. Culturas de células11 de ratos em meio com extrato de Equinácea mostraram uma maior resistência à infecção12 pelo Influenza13 e Herpes, outras atividades demonstradas pelo Extrato seco de Equinacea purpurea (L.) Moench são suas ações antiinflamatória e antiinfecciosa contra Proteus mirabilis, Escherichia coli e Staphilococcus aureus, pode ser usada como coadjuvante14 no tratamento de infecções15 repetitivas, alergias, eczemas16, psoríase17 e infecções15 do trato respiratório superior.
-Indicações
ENAX (Extrato seco de Equinacea purpurea (L.) Moench) está indicado como um imunoestimulante capaz de reduzir o desenvolvimento de infecções15 recorrentes.
-Precauções e advertências
ENAX (Extrato seco de Equinacea purpurea (L.) Moench) deve ser usado por tempo limitado, não ultrapassando 8 semanas de tratamento.
-Interações medicamentosas
Não há relatos de interação medicamentosa entre ENAX (Extrato seco de Equinacea purpurea (L.) Moench) e outros fármacos.
-Contra-indicações
ENAX (Extrato seco de Equinacea purpurea (L.) Moench) está contra-indicado em casos de hipersensibilidade à quaisquer componentes da formulação havendo relatos de quadros de dermatites. Não existem dados disponíveis a respeito da gravidez1 e lactação2, devendo ser avaliado o risco-benefício do uso nestas situações. ENAX (Extrato seco de Equinacea purpurea (L.) Moench) está contra-indicado para pacientes5 com quadros de doenças crônicas como tuberculose6, leucoses, colagenoses, esclerose múltipla18, assim como pacientes portadores do vírus7 HIV8, ou para pacientes5 em tratamento com imunossupressores.
-Reações adversas/colaterais e alterações de exames laboratoriais
ENAX (Extrato seco de Equinacea purpurea (L.) Moench) é bem tolerado. Há relatos de aumento da salivação e reações de alergia3 cutânea4 em pacientes com antecedentes alérgicos à Equinacea.
-Posologia
2 a 3 cápsulas ao dia ou à critério médico.
-Superdosagem
Não há dados de superdosagem com ENAX (Extrato seco de Equinacea purpurea (L.) Moench). Porém em caso de superdosagem aconselha-se esvaziamento gástrico, controle de função e enzimas hepáticas19.
-Pacientes idosos
Até o momento não existem relatos de reações adversas em pacientes acima de 65 anos.
-Uso pediátrico
O uso de ENAX (Extrato seco de Equinacea purpurea (L.) Moench) não é recomendado na pediatria.
-Informações ao paciente
ENAX (Extrato seco de Equinacea purpurea (L.) Moench) age como um imunoestimulante do organismo, reduzindo o risco de aparecimento de infecções15 recorrentes.


ENAX - Laboratório

ATIVUS
Rua Fonte Mécia, 2050 - São Pedro
Valinhos/SP - CEP: 13270-000
Tel: (19) 3849 8600
Site: http://www.ativus.com.br/

Ver outros medicamentos do laboratório "ATIVUS"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
2 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
3 Alergia: Reação inflamatória anormal, perante substâncias (alérgenos) que habitualmente não deveriam produzi-la. Entre estas substâncias encontram-se poeiras ambientais, medicamentos, alimentos etc.
4 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
5 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
6 Tuberculose: Doença infecciosa crônica produzida pelo bacilo de Koch (Mycobacterium tuberculosis). Produz doença pulmonar, podendo disseminar-se para qualquer outro órgão. Os sintomas de tuberculose pulmonar consistem em febre, tosse, expectoração, hemoptise, acompanhada de perda de peso e queda do estado geral. Em países em desenvolvimento (como o Brasil) aconselha-se a vacinação com uma cepa atenuada desta bactéria (vacina BCG).
7 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
8 HIV: Abreviatura em inglês do vírus da imunodeficiência humana. É o agente causador da AIDS.
9 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
10 Macrófagos: É uma célula grande, derivada do monócito do sangue. Ela tem a função de englobar e destruir, por fagocitose, corpos estranhos e volumosos.
11 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
12 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
13 Influenza: Doença infecciosa, aguda, de origem viral que acomete o trato respiratório, ocorrendo em epidemias ou pandemias e frequentemente se complicando pela associação com outras infecções bacterianas.
14 Coadjuvante: Que ou o que coadjuva, auxilia ou concorre para um objetivo comum.
15 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
16 Eczemas: Afecções alérgicas da pele, elas podem ser agudas ou crônicas, caracterizadas por uma reação inflamatória com formação de vesículas, desenvolvimento de escamas e prurido.
17 Psoríase: Doença imunológica caracterizada por lesões avermelhadas com descamação aumentada da pele dos cotovelos, joelhos, couro cabeludo e costas juntamente com alterações das unhas (unhas em dedal). Evolui através do tempo com melhoras e pioras, podendo afetar também diferentes articulações.
18 Esclerose múltipla: Doença degenerativa que afeta o sistema nervoso, produzida pela alteração na camada de mielina. Caracteriza-se por alterações sensitivas e de motilidade que evoluem através do tempo produzindo dano neurológico progressivo.
19 Enzimas hepáticas: São duas categorias principais de enzimas hepáticas. A primeira inclui as enzimas transaminasas alaninoaminotransferase (ALT ou TGP) e a aspartato aminotransferase (AST ou TOG). Estas são enzimas indicadoras do dano às células hepáticas. A segunda categoria inclui certas enzimas hepáticas como a fosfatase alcalina (FA) e a gamaglutamiltranspeptidase (GGT) as quais indicam obstrução do sistema biliar, quer seja no fígado ou nos canais maiores da bile que se encontram fora deste órgão.

Tem alguma dúvida sobre ENAX?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.