Preço de Pentalac em Fairfield/SP: R$ 38,93

Pentalac

UCI FARMA

Atualizado em 09/12/2014

Pentalac
Lactulose
Xarope - Uso oral
Apresentação: Frasco com 120 ml.
USO ADULTO E PEDIÁTRICO

Composição de Pentalac

Cada ml do xarope contém: Lactulose. .................... 667 mg
Veículo* q.s.p. .................... 1 ml
(o xarope pode conter no máximo 160 mg de galactose1, 120 mg de lactose2 e 10 mg de frutose3)
*( benzoato de sódio, aroma artificial de tutti-frutti e água purificada)

Informações ao Paciente de Pentalac

· PENTALAC® é um medicamento laxante4, utilizado para amolecer e facilitar a eliminação das fezes. PENTALAC® também é indicado no tratamento da encefalopatia5 hepática6 crônica.
· PENTALAC® deve ser conservado em lugar seco, fresco (temperatura entre 15 e 30o C) e protegido da luz, na sua embalagem original até o término de seu uso.
· O número do lote, as datas de fabricação e validade estão carimbados no cartucho do produto.
· Não utilize o medicamento com prazo de validade vencido.
· A validade de PENTALAC®, mesmo após a abertura do frasco, é a informada no cartucho do produto.
· Para a utilização correta de PENTALAC®, leia atentamente o item Instruções de Uso, contido na parte final desta bula.
· PENTALAC® não deve ser utilizado por pacientes com intolerância a lactulose, galactose1, lactose2 ou a frutose3.
· Pacientes diabéticos, com apendicite7, doenças intestinais, crianças ou durante a gravidez8 somente devem utilizar PENTALAC® com recomendação médica.
· A dificuldade de eliminação das fezes (constipação9) pode ser causada pela alimentação incorreta, sedentarismo10, não possuir horário regular para o esvaziamento intestinal. Portanto, a mudança de hábitos e de dieta, como a realização de exercícios físicos regulares, aumento da ingestão de fibras vegetais na dieta (frutas, legumes, cereais) e da ingestão diária de líquidos (1,5 litros de água por dia), na maioria dos casos, são suficientes para aliviar os sintomas11 da constipação9 sem ser necessária a administração de laxantes12.
· A constipação9 também pode ser causada por doenças, como diabetes13, hipotireoidismo14, Parkinson, tumores, esclerose múltipla15; durante a gravidez8; ou devido ao uso de medicamentos, como anticolinérgicos, anticonvulsivantes, antiácidos16, diuréticos17, relaxantes musculares. Nestes casos o médico deve ser consultado para conduzir o tratamento correto.
· PENTALAC® pode causar a formação de gases intestinais, cólicas18 e diarréia19, Se esses sintomas11 forem intensos, interrompa o uso do medicamento e procure orientação médica.
· Informe imediatamente ao médico se ocorrerem reações indesejáveis.
SIGA CORRETAMENTE O MODO DE USAR. NÃO DESAPARECENDO OS SINTOMAS11, PROCURE ORIENTAÇÃO MÉDICA.
TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

Informações Técnicas de Pentalac

A lactulose é um dissacarídeo20 formado por uma molécula de galactose1 e uma de frutose3. A lactulose apresenta ação laxante4 pela atividade osmótica21.Após a administração oral, somente 3% da dose de lactulose é absorvida pelo intestino delgado22.
A lactulose é metabolizada no intestino delgado22 por bactérias, transformando o dissacarídeo20 em frutose3 e galactose1 e, posteriormente, em ácido lático e pequenas quantidades de ácido acético e fórmico. Estes metabólitos23 aumentam o poder osmótico24 da lactulose, com conseqüente acúmulo e penetração de líquido ao bolo fecal e o amolecimento das fezes. A redução do pH luminal, pelos ácidos orgânicos, estimula a motilidade e a secreção intestinal, facilitanto a eliminação das fezes.
A lactulose absorvida não é metabolizada, sendo excretada pela urina25 em, aproximadamente, 24 horas.
A lactulose é um laxante4 de ação fisiológica26, portanto o seu uso pode ser necessário em quadros clínicos que necessitam a redução do esforço excessivo, como em pacientes com doença cardiovascular, hipertensos, com hemorróidas27, no puerpério28, após cirurgias do reto29 e ânus30; ou quando a constipação9 se deve a alterações hormonais, como na gravidez8 ou durante o tratamento com determinados fármacos, como hipnoanalgésicos.
A lactulose age de forma lenta e suave, por ser um regulador fisiológico31 da atividade intestinal, restabelecendo o movimento normal do intestino. Geralmente, a ação terapêutica32 ocorre em 2 a 3 dias após o início do tratamento.
Devido o mecanismo de ação da lactulose ser fisiológico31, não ocorre o desenvolvimento de dependência do organismo ao fármaco33. Por isso, a lactulose pode ser utilizada em tratamento prolongado.
A lactulose é utilizada no tratamento da encefalopatia5 hepática6 crônica, por diminuir a concentração sangüínea de amônia (NH3). A diminuição do pH colônico ocasiona a migração da amônia do sangue34 para o cólon35, transformando-se no íon36 amônio (NH4+), o qual não é absorvido pelo intestino, sendo eliminado com as fezes. A redução da concentração sangüínea de amônia produz melhora no estado mental, no traçado eletroencefalográfico e a tolerância a proteínas37 nos pacientes com hipertensão porta38 e encefalopatia5 hepática6 associada à doença hepática6 crônica.

Indicações de Pentalac

PENTALAC® é indicado na profilaxia e tratamento sintomático39 da constipação9 crônica.
Na prevenção e tratamento da encefalopatia5 porto-sistêmica, incluindo os estágios de pré-coma40 e coma40 hepático.

Contra-Indicações de Pentalac

Em casos de intolerância a lactulose, galactose1, lactose2, frutose3. Em pacientes com apendicite7, hemorragia41 retal não diagnosticada ou com obstrução intestinal.

Precauções de Pentalac

O xarope de lactulose possui pequenas quantidades de galactose1, lactose2 e frutose3. Portanto, pacientes intolerantes a esses açúcares ou diabéticos somente devem utilizar a lactulose com orientação médica.Os níveis séricos de eletrólitos42 (potássio, sódio, cloreto) devem ser monitorados em pacientes idosos e debilitados que estejam em tratamento com a lactulose por período superior a seis meses.
O uso de laxantes12 em crianças somente deve ser realizado com orientação médica, após o diagnóstico43 eliminar a possibilidade dos sintomas11 estarem associados a outras patologias.
No início do tratamento da encefalopatia5 hepática6 não é recomendável o uso associado da lactulose com outros laxantes12, pois a ação resultante pode induzir uma utilização de dose inadequada de lactulose.
Gravidez8: estudos realizados com a lactulose em animais não demonstraram potencial teratogênico44. No entanto, como não há estudos clínicos adequados com a utilização do fármaco33 na gestação humana, a lactulose somente deve ser administrada durante a gravidez8 se os benefícios justificarem os potenciais riscos para o feto45. O tratamento deve ser realizado sob criteriosa avaliação e estrito acompanhamento médico.
Lactação46: devido à baixa absorção da lactulose, o medicamento pode ser utilizado durante a amamentação47.
Interferência com exames laboratoriais: a administração prolongada ou de doses elevadas de lactulose pode elevar a concentração sangüínea de glicose48 e diminuir os níveis plasmáticos de potássio.

Advertências de Pentalac

Pacientes em tratamento com lactulose, que serão submetidos a eletrocauterização durante proctoscopia ou colonoscopia49, recomenda-se a lavagem colônica prévia com solução não-fermentável, devido a formação intestinal de hidrogênio gasoso pela lactulose.

Reações Adversas de Pentalac

PENTALAC® é um medicamento bem tolerado, apresentando baixa incidência50 de efeitos colaterais51. Geralmente, os efeitos adversos são leves e transitórios não causando a suspensão da terapia. Ocasionalmente, podem ocorrer flatulência, meteorismo52, cólicas18 gastrintestinais.O uso de doses elevadas de lactulose, como as utilizadas no tratamento da encefalopatia5 hepática6, pode causar flatulência, meteorismo52, distensão abdominal acompanhada de desconforto e espasmos53 abdominais, diarréia19, náusea54 e vômito55, hipocalemia56, hipernatremia57 e exacerbação da encefalopatia5 hepática6.

Interações Medicamentosas de Pentalac

Diuréticos17 poupadores de potássio ou suplementos alimentares contendo potássio: a lactulose pode provocar o aumento da eliminação de potássio, reduzindo os níveis séricos deste mineral.

Posologia e Administração de Pentalac

A dose recomendada de PENTALAC® é a seguinte:Adultos e crianças acima de 12 anos.
Constipação9 intestinal crônica: 15 a 30 ml ao dia.
Encefalopatia5 hepática6: Iniciar com 60 ml ao dia.Em casos graves podem ser administrados até 150 ml ao dia.
Constipação9 intestinal crônica
Crianças de 6 a 12 anos: 10 a 15 ml ao dia.
Crianças de 1 a 5 anos: 5 a 10 ml ao dia.
Crianças menores de 1 ano:5 ml ao dia.
No tratamento da constipação9 a dose deve ser administrada, preferencialmente, em única tomada, podendo ser dividida em 2 vezes ao dia (a cada 12 horas).
No tratamento da encefalopatia5 hepática6, a dose total deve ser dividida e administrada em 3 a 4 vezes ao dia.
A posologia de PENTALAC® recomendada pode ser ajustada conforme a necessidade e o desenvolvimento do quadro clínico de cada paciente.
Nos casos de formação excessiva de gases ou ocorrência de diarréia19, a dose de PENTALAC® deve ser reduzida.
Não ocorrendo o amolecimento das fezes após 4 dias de tratamento, a dose de PENTALAC® deve ser aumentada.
Geralmente, o amolecimento das fezes ocorre em 2 a 4 dias após o início do tratamento com PENTALAC®.
Devido a lactulose não causar dependência ou efeitos adversos significativos, PENTALAC® pode ser utilizado por período prolongado.
Pacientes diabéticos somente devem utilizar PENTALAC® com recomendação médica, pois o medicamento pode elevar a concentração de glicose48 sangüínea.

Instruções de Uso de Pentalac

PENTALAC® pode ser ingerido, em jejum ou após a alimentação.
Para auxílio do tratamento, é recomendável o aumento da ingestão diária de líquidos. Para facilitar a administração a crianças, PENTALAC® pode ser misturado com suco de frutas, refrigerantes, leite, papinhas ou sopinhas e com alimentos em geral após o preparo.
Para a utilização posológica correta, as doses de PENTALAC® devem ser administradas utilizando-se o copo-medida contido na embalagem do produto.

Superdosagem de Pentalac

Os principais sintomas11 de intoxicação aguda são diarréia19, flatulência, distensão abdominal, cólicas18 gastrintestinais, náuseas58 e vômitos59.
O tratamento deve ser sintomático39 e de suporte, consistindo na realização de indução ao vômito55 ou lavagem gástrica60.
Farmacêutica Responsável: Dra. Dirce de Paula Zanetti. CRF-SP nº 7758
Registro MS nº 1.0550.0104
VENDA LIVRE DE PRESCRIÇÃO
A PERSISTIREM OS SINTOMAS11, O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO.

Pentalac - Laboratório

UCI FARMA
Rua do Cruzeiro, 374
São Bernardo do Campo/SP - CEP: 09725-310
Tel: (011)414-2022
Fax: (011)448-5253

Ver outros medicamentos do laboratório "UCI FARMA"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Galactose: 1. Produção de leite pela glândula mamária. 2. Monossacarídeo usualmente encontrado em oligossacarídeos de origem vegetal e animal e em polissacarídeos, usado em síntese orgânica e, em medicina, no auxílio ao diagnóstico da função hepática.
2 Lactose: Tipo de glicídio que possui ligação glicosídica. É o açúcar encontrado no leite e seus derivados. A lactose é formada por dois carboidratos menores, chamados monossacarídeos, a glicose e a galactose, sendo, portanto, um dissacarídeo.
3 Frutose: Açúcar encontrado naturalmente em frutas e mel. A frutose encontrada em alimentos processados é derivada do milho. Contém quatro calorias por grama.
4 Laxante: Que laxa, afrouxa, dilata. Medicamento que trata da constipação intestinal; purgante, purgativo, solutivo.
5 Encefalopatia: Qualquer patologia do encéfalo. O encéfalo é um conjunto que engloba o tronco cerebral, o cerebelo e o cérebro.
6 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
7 Apendicite: Inflamação do apêndice cecal. Manifesta-se por abdome agudo, e requer tratamento cirúrgico. Sua complicação mais freqüente é a peritonite aguda.
8 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
9 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
10 Sedentarismo: Qualidade de quem ou do que é sedentário, ou de quem tem vida e/ou hábitos sedentários. Sedentário é aquele que se exercita pouco, que não se movimenta muito.
11 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
12 Laxantes: Medicamentos que tratam da constipação intestinal; purgantes, purgativos, solutivos.
13 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
14 Hipotireoidismo: Distúrbio caracterizado por uma diminuição da atividade ou concentração dos hormônios tireoidianos. Manifesta-se por engrossamento da voz, aumento de peso, diminuição da atividade, depressão.
15 Esclerose múltipla: Doença degenerativa que afeta o sistema nervoso, produzida pela alteração na camada de mielina. Caracteriza-se por alterações sensitivas e de motilidade que evoluem através do tempo produzindo dano neurológico progressivo.
16 Antiácidos: É uma substância que neutraliza o excesso de ácido, contrariando o seu efeito. É uma base que aumenta os valores de pH de uma solução ácida.
17 Diuréticos: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.
18 Cólicas: Dor aguda, produzida pela dilatação ou contração de uma víscera oca (intestino, vesícula biliar, ureter, etc.). Pode ser de início súbito, com exacerbações e períodos de melhora parcial ou total, nos quais o paciente pode estar sentindo-se bem ou apresentar dor leve.
19 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
20 Dissacarídeo: Molécula formada pela união covalente de dois monossacarídeos.
21 Osmótica: Relativo à osmose, ou seja, ao fluxo do solvente de uma solução pouco concentrada, em direção a outra mais concentrada, que se dá através de uma membrana semipermeável.
22 Intestino delgado: O intestino delgado é constituído por três partes: duodeno, jejuno e íleo. A partir do intestino delgado, o bolo alimentar é transformado em um líquido pastoso chamado quimo. Com os movimentos desta porção do intestino e com a ação dos sucos pancreático e intestinal, o quimo é transformado em quilo, que é o produto final da digestão. Depois do alimento estar transformado em quilo, os produtos úteis para o nosso organismo são absorvidos pelas vilosidades intestinais, passando para os vasos sanguíneos.
23 Metabólitos: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
24 Osmótico: Relativo à osmose, ou seja, ao fluxo do solvente de uma solução pouco concentrada, em direção a outra mais concentrada, que se dá através de uma membrana semipermeável.
25 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
26 Fisiológica: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
27 Hemorróidas: Dilatações anormais das veias superficiais que se encontram na última porção do intestino grosso, reto e região perianal. Pode produzir sangramento junto com a defecação e dor.
28 Puerpério: Período que decorre desde o parto até que os órgãos genitais e o estado geral da mulher voltem às condições anteriores à gestação.
29 Reto: Segmento distal do INTESTINO GROSSO, entre o COLO SIGMÓIDE e o CANAL ANAL.
30 Ânus: Segmento terminal do INTESTINO GROSSO, começando na ampola do RETO e terminando no ânus.
31 Fisiológico: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
32 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
33 Fármaco: Qualquer produto ou preparado farmacêutico; medicamento.
34 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
35 Cólon:
36 Íon: Átomo ou grupo atômico eletricamente carregado.
37 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
38 Hipertensão porta: É o aumento de pressão nas veias que levam o sangue dos órgãos abdominais para o fígado. Geralmente é uma doença que ocorre devido à cirrose ou à esquistossomose.
39 Sintomático: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.
40 Coma: 1. Alteração do estado normal de consciência caracterizado pela falta de abertura ocular e diminuição ou ausência de resposta a estímulos externos. Pode ser reversível ou evoluir para a morte. 2. Presente do subjuntivo ou imperativo do verbo “comer.“
41 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
42 Eletrólitos: Em eletricidade, é um condutor elétrico de natureza líquida ou sólida, no qual cargas são transportadas por meio de íons. Em química, é uma substância que dissolvida em água se torna condutora de corrente elétrica.
43 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
44 Teratogênico: Agente teratogênico ou teratógeno é tudo aquilo capaz de produzir dano ao embrião ou feto durante a gravidez. Estes danos podem se refletir como perda da gestação, malformações ou alterações funcionais ou ainda distúrbios neurocomportamentais, como retardo mental.
45 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
46 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
47 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
48 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
49 Colonoscopia: Estudo endoscópico do intestino grosso, no qual o colonoscópio é introduzido pelo ânus. A colonoscopia permite o estudo de todo o intestino grosso e porção distal do intestino delgado. É um exame realizado na investigação de sangramentos retais, pesquisa de diarreias, alterações do hábito intestinal, dores abdominais e na detecção e remoção de neoplasias.
50 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
51 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
52 Meteorismo: Acúmulo de gás no tubo digestivo. Pode produzir distensão abdominal, dor persistente, flatulência, etc.
53 Espasmos: 1. Contrações involuntárias, não ritmadas, de um ou vários músculos, podendo ocorrer isolada ou continuamente, sendo dolorosas ou não. 2. Qualquer contração muscular anormal. 3. Sentido figurado: arrebatamento, exaltação, espanto.
54 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
55 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
56 Hipocalemia: Concentração sérica de potássio inferior a 3,5 mEq/l. Pode ocorrer por alterações na distribuição de potássio (desvio do compartimento extracelular para intracelular) ou de reduções efetivas no conteúdo corporal de potássio por uma menor ingesta ou por perda aumentada. Fraqueza muscular e arritimias cardíacas são os sinais e sintomas mais comuns, podendo haver também poliúria, polidipsia e constipação. Pode ainda ser assintomática.
57 Hipernatremia: Excesso de sódio no sangue, indicativo de desidratação.
58 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
59 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
60 Lavagem gástrica: É a introdução, através de sonda nasogástrica, de líquido na cavidade gástrica, seguida de sua remoção.
Artigos relacionados

Tem alguma dúvida sobre Pentalac?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.