FARMACOLOGIA CLÍNICA TOBREX

Atualizado em 24/05/2016
Os estudos in vitro têm demonstrado que a tobramicina é ativa contra cepas1 sensíveis dos seguintes microrganismos:
Estafilococos, inclusive S. aureus e S. epidermidis (coagulase positivos e coagulase negativos), incluindo cepas1 resistentes à penicilina.
Estreptococos, inclusive algumas espécies do grupo A beta-hemolítico, algumas espécies não hemolíticas e algumas cepas1 de Streptococcus pneumoniae.
Pseudomonas aeruginosa, Escherichia coli, Klebsiella pneumoniae, Enterobacter aerogenes, Proteus mirabilis (indol negativo), Proteus sp indol positivas, Haemophilus influenzae, H. aegyptius, Moraxella lacunata, Acinetobacter calcoaceticus (Herellea vaginacola) e algumas Neisseria sp.
Os estudos de sensibilidade bacteriana demonstram que muitos microrganismos resistentes à gentamicina conservam a sensibilidade à tobramicina. Não surgiram bactérias em número significativo resistentes à tobramicina, o que entretanto poderá ocorrer com o seu uso prolongado.
Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Cepas: Cepa ou estirpe é um termo da biologia e da genética que se refere a um grupo de descendentes com um ancestral comum que compartilham semelhanças morfológicas e/ou fisiológicas.

Tem alguma dúvida sobre FARMACOLOGIA CLÍNICA TOBREX?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.