SUPERDOSAGEM ACETOFEN GOTAS

Atualizado em 28/05/2016

O paracetamol em doses maciças pode causar hepatotoxicidade1 em alguns pacientes. Em casos de suspeitas de ingestão de doses elevadas de ACETOFEN deve-se procurar imediatamente um serviço médico de urgência2. A intoxicação por paracetamol em crianças parece ser menos frequente que em adultos, pois há evidência de que as crianças são menos vulneráveis em relação a hepatotoxicidade1. Isso pode ser devido a diferenças relativas à idade quanto ao metabolismo3 do paracetamol. Apesar dessas diferenças devem ser tomadas as medidas necessárias em caso de superdosagem em crianças, da mesma forma que para adultos. Os sintomas4 que se seguem a uma dose com potencial hepatotóxico podem incluir: náusea5, vômito6, diaforese7 e mal-estar geral. Os sinais8 clínicos e laboratoriais sugestivos de hepatotoxicidade1 podem não aparecer antes de decorridas 48 a 72 horas após a ingestão. As primeiras medidas a serem tomadas nos casos de superdosagem do paracetamol incluem: lavagem gástrica9 ou indução ao vômito6 com xarope de ipeca. Se houver ingestão de dose igual ou maior que 150 mg/kg ou se a dose for desconhecida, deve-se tentar obter uma dosagem de paracetamol plasmático logo que possível, porém não antes de decorridos 4 horas após ingestão. Se esses valores estiverem na faixa tóxica devem ser feitos exames para avaliação da função hepática10, repetindo-os com intervalos de 24 h até a normalização. O antídoto11 para os casos de intoxicação por paracetamol é a n-acetilcisteína12 (Fluimucil) que deve ser administrado logo que possível e dentro do período de 16 h após ingestão para que os resultados sejam ideais. A n-acetilcisteína12 a 20% deve ser administrada após diluição a 5% em suco de fruta ou refrigerante. A dose inicial de ataque recomendada é de 140 mg/kg, seguindo-se doses de 70 mg/kg a intervalos de 4 horas. Se a dose for vomitada, deverá ser repetida. Após recuperação não há sequelas13 nem alterações da função hepática10.

SIGA CORRETAMENTE O MODO DE USAR, NÃO DESAPARECENDO OS SINTOMAS4 PROCURE ORIENTAÇÃO MÉDICA.

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Hepatotoxicidade: É um dano no fígado causado por substâncias químicas chamadas hepatotoxinas.
2 Urgência: 1. Necessidade que requer solução imediata; pressa. 2. Situação crítica ou muito grave que tem prioridade sobre outras; emergência.
3 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
4 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
5 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
6 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
7 Diaforese: Sudação, transpiração intensa.
8 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
9 Lavagem gástrica: É a introdução, através de sonda nasogástrica, de líquido na cavidade gástrica, seguida de sua remoção.
10 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
11 Antídoto: Substância ou mistura que neutraliza os efeitos de um veneno. Esta ação pode reagir diretamente com o veneno ou amenizar/reverter a ação biológica causada por ele.
12 Acetilcisteína: Derivado N-acetil da cisteína. É usado como um agente mucolítico para reduzir a viscosidade das secreções mucosas.
13 Sequelas: 1. Na medicina, é a anomalia consequente a uma moléstia, da qual deriva direta ou indiretamente. 2. Ato ou efeito de seguir. 3. Grupo de pessoas que seguem o interesse de alguém; bando. 4. Efeito de uma causa; consequência, resultado. 5. Ato ou efeito de dar seguimento a algo que foi iniciado; sequência, continuação. 6. Sequência ou cadeia de fatos, coisas, objetos; série, sucessão. 7. Possibilidade de acompanhar a coisa onerada nas mãos de qualquer detentor e exercer sobre ela as prerrogativas de seu direito.

Tem alguma dúvida sobre SUPERDOSAGEM ACETOFEN GOTAS?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.