INFORMAÇÕES AO PACIENTE DALACIN V

Atualizado em 28/05/2016

Dalacin® V (fosfato de clindamicina) creme vaginal é indicado no tratamento da
vaginose bacteriana (infecção1 vaginal por bactérias).
Dalacin® V creme vaginal deve ser conservado em temperatura ambiente (abaixo de
25°C). Não congelar. Manter a bisnaga devidamente tampada após o uso do
medicamento.
O prazo de validade está indicado na embalagem externa do produto. Não use
medicamento com o prazo de validade vencido, pode ser perigoso para sua saúde2.
Este medicamento deve ser usado durante o primeiro trimestre de gravidez3 apenas se
estritamente necessário, sob supervisão médica.
Informe ao seu médico a ocorrência de gravidez3 na vigência do tratamento ou após o
seu término.
Não foi determinado se a clindamicina é excretada no leite humano após o uso de
Dalacin® V creme vaginal. Portanto, deve-se avaliar cuidadosamente a relação riscobenefício
quando for considerado administrar Dalacin® V creme vaginal a uma mãe
em período de amamentação4.
Informe ao seu médico se estiver amamentando.
Dalacin® V creme vaginal deve ser administrado por via intravaginal.
Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a
duração do tratamento.
Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.
A clindamicina pode interagir com agentes bloqueadores neuromusculares.
É muito importante informar ao seu médico caso esteja utilizando outros
medicamentos antes do início ou durante o tratamento com Dalacin® V creme vaginal.
Informe ao seu médico o aparecimento de qualquer reação desagradável durante o
tratamento com Dalacin® V creme vaginal, tais como: corrimento, sangramento,
irritação, dor, inflamação5 ou infecção1 vaginal, distúrbio menstrual, dificuldade para
urinar, dor abdominal localizada e generalizada, cólica abdominal, dor de cabeça6, dor
em baixo ventre, mau hálito, dor nas costas7, dor generalizada, distensão abdominal,
inchaço8, reações alérgicas, diarréia9, náuseas10, vômitos11, constipação12 (intestino preso),
digestão13, flatulência (gases aumentados), alterações gastrintestinais, coceira
(tanto em local de aplicação quanto em outras regiões), erupção14 de pele15, vermelhidão
da pele15, tontura16, sangramento nasal, alterações do paladar17. Foram descritas, também,
as seguintes reações: infecção1 do trato urinário18, endometriose19 (presença de tecido20
uterino em outras regiões do corpo), presença de açúcar21 na urina22, proteína
aumentada na urina22, alterações no trabalho de parto, infecção1 por fungos e infecção1
por bactérias, infecção1 do trato respiratório, hipertireoidismo23 (alteração relacionada
aos hormônios produzidos pela glândula tireóide24).
Dalacin® V creme vaginal é contra-indicado a pacientes que apresentam
hipersensibilidade à clindamicina, à lincomicina ou a qualquer componente da
fórmula. É também contra-indicado a pacientes com história de enterites regionais,
colites ulcerativas ou em história de colite25 associada a antibióticos.
Evite o uso de outros produtos por via intravaginal, bem como relações sexuais
vaginais, durante o período de tratamento com este medicamento.
Dalacin® V creme vaginal contém substâncias que podem fragilizar produtos à base
de látex ou borracha, tais como preservativos (camisinha) ou diafragmas vaginais
contraceptivos. Portanto, o uso desses produtos durante o tratamento com Dalacin®
V creme vaginal não é recomendado.
Dalacin® V creme vaginal contém componentes que podem causar irritação e ardor26
dos olhos27. Portanto, no caso de contato acidental com os olhos27, lave com
quantidades abundantes de água corrente.
INSTRUÇÕES PARA APLICAÇÃO
A embalagem deste produto contém aplicadores descartáveis especialmente
produzidos para a aplicação intravaginal deste creme.
Remova a tampa da bisnaga e conecte o aplicador à bisnaga. Pressione suavemente a
bisnaga, preenchendo o aplicador com o creme. O aplicador estará cheio quando o
êmbolo28 atingir a trava na extremidade. Retire o aplicador e tampe novamente a
bisnaga. Inclinando-se sobre as costas7 e segurando firmemente o aplicador,
introduza-o na vagina29 o mais profundamente possível, sem causar desconforto.
Empurre lentamente o êmbolo28 até o final, retire cuidadosamente o aplicador e
descarte-o.
Lembre-se de usar um aplicador cheio todas as noites ao deitar-se, pelo período que
seu médico determinar, e seguindo suas recomendações.
TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.
NÃO USE MEDICAMENTOS SEM O CONHECIMENTO DE SEU MÉDICO, PODE SER
PERIGOSO PARA SUA SAÚDE2.

PARTE III

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
2 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
3 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
4 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
5 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
6 Cabeça:
7 Costas:
8 Inchaço: Inchação, edema.
9 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
10 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
11 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
12 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
13 Digestão: Dá-se este nome a todo o conjunto de processos enzimáticos, motores e de transporte através dos quais os alimentos são degradados a compostos mais simples para permitir sua melhor absorção.
14 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
15 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
16 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
17 Paladar: Paladar ou sabor. Em fisiologia, é a função sensorial que permite a percepção dos sabores pela língua e sua transmissão, através do nervo gustativo ao cérebro, onde são recebidos e analisados.
18 Trato Urinário:
19 Endometriose: Doença que acomete as mulheres em idade reprodutiva e consiste na presença de endométrio em locais fora do útero. Endométrio é a camada interna do útero que é renovada mensalmente pela menstruação. Os locais mais comuns da endometriose são: Fundo de Saco de Douglas (atrás do útero), septo reto-vaginal (tecido entre a vagina e o reto ), trompas, ovários, superfície do reto, ligamentos do útero, bexiga e parede da pélvis.
20 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
21 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
22 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
23 Hipertireoidismo: Doença caracterizada por um aumento anormal da atividade dos hormônios tireoidianos. Pode ser produzido pela administração externa de hormônios tireoidianos (hipertireoidismo iatrogênico) ou pelo aumento de uma produção destes nas glândulas tireóideas. Seus sintomas, entre outros, são taquicardia, tremores finos, perda de peso, hiperatividade, exoftalmia.
24 Glândula Tireóide: Glândula endócrina altamente vascularizada, constituída por dois lobos (um em cada lado da TRAQUÉIA) unidos por um feixe de tecido delgado. Secreta os HORMÔNIOS TIREOIDIANOS (produzidos pelas células foliculares) e CALCITONINA (produzida pelas células para-foliculares), que regulam o metabolismo e o nível de CÁLCIO no sangue, respectivamente. Sinônimos: Tireóide
25 Colite: Inflamação da porção terminal do cólon (intestino grosso). Pode ser devido a infecções intestinais (a causa mais freqüente), ou a processos inflamatórios diversos (colite ulcerativa, colite isquêmica, colite por radiação, etc.).
26 Ardor: 1. Calor forte, intenso. 2. Mesmo que ardência. 3. Qualidade daquilo que fulge, que brilha. 4. Amor intenso, desejo concupiscente, paixão.
27 Olhos:
28 Êmbolo: 1. Cilindro ou disco que se move em vaivém no interior de seringas, bombas, etc. 2. Na engenharia mecânica, é um cilindro metálico deslizante que recebe um movimento de vaivém no interior de um cilindro de motor de combustão interna. 3. Em artes gráficas, é uma haste de ferro com um cilindro, articulada para comprimir e lançar o chumbo ao molde. 4. Em patologia, é um coágulo ou outro tampão trazido pela corrente sanguínea a partir de um vaso distante, que obstrui a circulação ao ser forçado contra um vaso menor. 5. Na anatomia zoológica, nas aranhas, é um prolongamento delgado no ápice do aparelho copulador masculino.
29 Vagina: Canal genital, na mulher, que se estende do ÚTERO à VULVA. (Tradução livre do original

Tem alguma dvida sobre INFORMAÇÕES AO PACIENTE DALACIN V?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta ser enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dvidas j respondidas.