Preço de CLOB-X em Fairfield/SP: R$ 41,35

CLOB-X

Galderma

Atualizado em 08/12/2014


CLOB-X
USO ADULTO

Composições de Clob-X

CLOB-X gel Cada g contém:Propionato de clobetasol.................... 0,5 mg
Alantoína .................... 5,0 mg
Excipiente (carbopol 940, edetato dissódico, fenoxietanol com parabenos, PEG-200, hidróxido de sódio e água deionizada) ....q.s.p.....1,0 g

CLOB-X creme dermatológico Cada g contém:
Propionato de clobetasol....................0,5 mg
Alantoína .................... 10,0 mg
Excipiente (propilenoglicol, edetato dissódico, vaselina líquida dermatológica, ciclometicona, monoestearato de glicerila, álcool cetearílico, ceteareth-20, fenoxietanol com parabenos, lactato1 de miristila, carbopol 980, hidróxido de sódio e água deionizada) .........q.s.p...........1,0 g

CLOB-X pomada dermatológica Cada g contém:
Propionato de clobetasol.................... 0,5 mg
Excipiente (fenoxietanol com parabenos, plastibase)..........q.s.p............... 1,0 g

CLOB-X solução tópica (capilar2) Cada g contém:
Propionato de clobetasol.................... 0,5 mg
Veículo (propilenoglicol, álcool isopropílico, edetato dissódico di-hidratado, carbopol 980, hidróxido de sódio e água deionizada ........ q.s.p.................1,0 g

Informação ao Paciente de Clob-X

CLOB-X atua como antiinflamatório e antipruriginoso no tratamento das doenças inflamatórias da pele3.
CLOB-X deve ser mantido em temperatura ambiente (15º - 30ºC).
O prazo de validade é de 24 meses e está gravado na embalagem. Não use medicamentos com o prazo vencido.
Informe seu médico a ocorrência de gravidez4 na vigência do tratamento ou após o seu término. Informe ao médico se está amamentando. O produto não deve ser utilizado durante a gravidez4.
Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.
Não interrompa o tratamento sem o conhecimento de seu médico.
Informe seu médico o aparecimento de reações desagradáveis. Quando utilizado por longos períodos, sob curativos ou em dobras da pele3, poderá determinar alterações da pele3, tais como estrias, adelgaçamento, dilatação dos vasos capilares5 sangüíneos e desenvolvimento de infecção6 secundária.
TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.
CLOB-X está contra-indicado em crianças abaixo de 12 anos de idade e em pacientes com hipersensibilidade a qualquer dos componentes da fórmula.
CLOB-X gel, creme e pomada dermatológica estão contra-indicados em rosácea, acne7 e dermatite8 perioral; nas lesões9 cutâneas10 conseqüentes a infecções11 por vírus12 (ex.: herpes simples, varicela13), fungos (ex.: sapinho) ou bactérias (ex.: impetigo14). CLOB-X gel não deve ser usado na face15, virilha ou axilas.
CLOB-X solução tópica (capilar2) está contra-indicado em processos infecciosos do couro cabeludo. Evitar o contato com as membranas mucosas16 e os olhos17 e não utilizar a solução próximo ao fogo.
Como é comum a todos os corticosteróides, CLOB-X somente deve ser utilizado por curtos períodos e sob estrito controle médico. Não se recomenda o tratamento por período superior a 2 semanas consecutivas e a dose não deverá exceder a 50 g / semana, devido à possibilidade de inibição do eixo HPA (hipotalâmico-hipofisário-supra-renal18).
A face15, mais do que qualquer área do corpo, pode apresentar alterações após tratamento prolongado com os corticosteróides tópicos mais potentes, como é o caso do CLOB-X. Se aplicado em região periocular (pálpebra) é preciso cuidado, evitando-se o contato com os olhos17, o que poderia resultar em aumento da pressão no interior do olho19.
Recomenda-se, quando houver indício de dermatite8 infectada, a utilização concomitante de antibiótico. Qualquer evidência de disseminação da infecção6, interromper a corticoterapia tópica e instituir terapêutica20 antibiótica sistêmica adequada.
NÃO USE REMÉDIO SEM CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO, PODE SER PERIGOSO PARA SUA SAÚDE21.

Informação Técnica de Clob-X

Como os demais corticosteróides, o propionato de clobetasol apresenta propriedades antiinflamatória, antipruriginosa, vasoconstritora e imunossupressora. O mecanismo da atividade antiinflamatória dos esteróides tópicos em geral não está esclarecido. Contudo, acredita-se que os corticosteróides atuem induzindo a síntese da lipocortina. A lipocortina é uma proteína inibidora da atividade da fosfolipase, enzima22 responsável pela liberação do ácido aracdônico da membrana celular23. Uma vez liberado, o ácido aracdônico é metabolizado, produzindo mediadores potentes da inflamação24, tais como prostaglandinas25 e leucotrienos26.O propionato de clobetasol é um corticosteróide que apresenta os efeitos farmacológicos sistêmicos27, tópicos e metabólicos característicos desta classe de drogas.
Farmacocinética
O grau de absorção percutânea dos corticosteróides tópicos, incluindo o propionato de clobetasol, é determinado por alguns fatores tais como o veículo, a integridade da barreira epidérmica e o uso de curativo oclusivo.
Como os demais corticosteróides tópicos, o propionato de clobetasol pode ser absorvido pela pele3 normal íntegra. A inflamação24 e/ou outros processos patológicos da pele3 podem aumentar a absorção percutânea. O curativo oclusivo aumenta consideravelmente a absorção percutânea dos corticosteróides tópicos.
Uma vez absorvido pela pele3, os corticosteróides tópicos apresentam farmacocinética semelhante à dos corticosteróides administrados por via sistêmica. Ligam-se em grau variável às proteínas28 plasmáticas e são metabolizados principalmente no fígado29 e então excretados pelos rins30. Alguns dos corticosteróides tópicos, inclusive o propionato de clobetasol e seus metabólitos31, são excretados também pela bile32. O propionato de clobetasol sob a forma de creme e pomada tem revelado baixar os níveis plasmáticos dos hormônios adrenocorticais após aplicação cutânea33 repetida, não oclusiva, em doenças da pele3 e em pacientes com dermatite8 eczematosa ou psoríase34. Esses efeitos têm-se revelado transitórios e reversíveis após um período de 2 semanas de tratamento.
Estudos realizados com propionato de clobetasol tópico35 comprovaram que a sua potência é mais elevada que a de outros corticosteróides tópicos.

Indicações de Clob-X

CLOB-X gel, creme e pomada dermatológica estão indicados como corticoterapia tópica no tratamento de dermatites e dermatoses resistentes à corticoterapia menos ativa, tais como:
Psoríase34 excluindo-se as formas eritrodérmica, disseminada e invertida
Eczemas36 em geral
Líquen plano e
Lúpus37 eritematoso38 discóide.
CLOB-X solução tópica (capilar2) está indicado para o tratamento de:
Psoríase34 do couro cabeludo;
Eczemas36 rebeldes a tratamento do couro cabeludo.

Contra-Indicações de Clob-X

CLOB-X está contra-indicado em crianças abaixo de 12 anos de idade e em pacientes com hipersensibilidade a qualquer dos componentes da formulação.CLOB-X gel, creme e pomada dermatológica estão contra-indicados em rosácea, acne7 e dermatite8 perioral; nas lesões9 cutâneas10 conseqüentes a infecções11 por vírus12 (ex.: herpes simples, varicela13), fungos (ex.: candidíase39, tinea) ou bactérias (ex.: impetigo14). CLOB-X gel não deve ser usado na face15, virilha ou axilas.
CLOB-X solução tópica (capilar2) está contra-indicado em processos infecciosos do couro cabeludo.

Precauções e Advertências de Clob-X

Como é comum a todos os corticosteróides, CLOB-X somente deve ser utilizado por curtos períodos e sob estrito controle médico. O produto não está recomendado em tratamento superior a 2 semanas consecutivas e a dose não deverá exceder a 50 g / semana, devido a possibilidade de inibição do eixo HPA (hipotalâmico-hipofisário-supra-renal18). Recomenda-se evitar que a solução tópica (capilar2) de CLOB-X tenha contato com as membranas mucosas16 ou olhos17 e não utilizá-la próximo ao fogo.

A face15, mais do que qualquer área do corpo, pode apresentar alterações tróficas após tratamento prolongado com os corticosteróides tópicos mais potentes, como é o caso do CLOB-X. Se aplicado em região periocular (pálpebra) é preciso cuidado, evitando-se o contato com os olhos17, o que poderia resultar em glaucoma40.

Recomenda-se, quando houver indício de dermatite8 secundariamente infectada, a utilização concomitante de antiinfeccioso. Qualquer evidência de disseminação da infecção6, interromper a corticoterapia tópica e instituir terapêutica20 antiinfecciosa sistêmica adequada.
Gravidez4
Devido à possibilidade de ocorrência de anormalidades no desenvolvimento fetal em animais, embora este achado não tenha sido estabelecido em humanos, não se recomenda o uso deste ou de qualquer outro corticosteróide tópico35, principalmente os mais potentes, durante o período da gravidez4.
Uso geriátrico
CLOB-X poderá ser usado em pacientes acima de 65 anos, desde que sejam observadas as contra-indicações e precauções comuns ao produto.

Reações Adversas de Clob-X

CLOB-X é bem tolerado, desde que a dose semanal para adultos não ultrapasse 50 g. A supressão hipofisária é rara, transitória e reversível com a suspensão da droga. O mesmo se aplica a crianças que recebem doses proporcionais.CLOB-X contém em sua formulação o propionato de clobetasol, corticosteróide muito ativo, de uso exclusivamente tópico35, e indicado para tratamentos de curtos períodos. Quando utilizado por longos períodos, ou sob forma de curativos oclusivos, ou em regiões com dobras da pele3, poderá determinar alterações tróficas da pele3, tais como estrias, adelgaçamento, dilatação dos vasos capilares5 sangüíneos (telangiectasias41) e desenvolvimento de infecção6 secundária. Em raras ocasiões, a retirada dos corticosteróides ou o tratamento da psoríase34 com esse tipo de produto pode provocar o aparecimento da forma pustulosa da doença.

Posologia de Clob-X

CLOB-X gel, creme e pomada dermatológica
Aplicar pequena quantidade na área afetada uma ou duas vezes ao dia, até que ocorra melhora. A exemplo dos demais corticosteróides tópicos de alta potência, quando a lesão42 for controlada, a terapia deve ser interrompida, o que é geralmente possível em poucos dias, nas afecções43 que respondem mais facilmente.
Se houver necessidade de um período maior de tratamento recomenda-se que o mesmo não exceda a quatro semanas, sem que a condição do paciente seja reavaliada. Para controle das exacerbações, pode-se fazer uso intermitente44 de CLOB-X por curtos períodos. Se for necessária corticoterapia contínua, deve-se usar uma preparação menos potente.
CLOB-X solução tópica (capilar2)
Aplicar pequena quantidade da solução sobre a região afetada, pela manhã e à noite. A exemplo dos demais esteróides tópicos de alta potência, a terapia deve ser descontinuada tão logo se obtenha controle do caso. Diante da necessidade de tratamento contínuo, utilizar preparações menos potentes.

Superdosagem de Clob-X

O tratamento extensivo e prolongado pode dar origem, particularmente em lactentes45 e crianças, à supressão adrenal. Por essa razão, os pacientes devem ser reavaliados periodicamente.


CLOB-X - Laboratório

Galderma
Av. Guido Caloi, 1935 - Bl. C
São Paulo/SP - CEP: 05802-140
Tel: (11 5)515-0288
Fax: (11 5)515-0546
Site: http://www.galderma.com/

Ver outros medicamentos do laboratório "Galderma"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Lactato: Sal ou éster do ácido láctico ou ânion dele derivado.
2 Capilar: 1. Na medicina, diz-se de ou tubo endotelial muito fino que liga a circulação arterial à venosa. Qualquer vaso. 2. Na física, diz-se de ou tubo, em geral de vidro, cujo diâmetro interno é diminuto. 3. Relativo a cabelo, fino como fio de cabelo.
3 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
4 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
5 Capilares: Minúsculos vasos que conectam as arteríolas e vênulas.
6 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
7 Acne: Doença de predisposição genética cujas manifestações dependem da presença dos hormônios sexuais. As lesões começam a surgir na puberdade, atingindo a maioria dos jovens de ambos os sexos. Os cravos e espinhas ocorrem devido ao aumento da secreção sebácea associada ao estreitamento e obstrução da abertura do folículo pilosebáceo, dando origem aos comedões abertos (cravos pretos) e fechados (cravos brancos). Estas condições favorecem a proliferação de microorganismos que provocam a inflamação característica das espinhas, sendo o Propionibacterium acnes o agente infeccioso mais comumente envolvido.
8 Dermatite: Inflamação das camadas superficiais da pele, que pode apresentar-se de formas variadas (dermatite seborreica, dermatite de contato...) e é produzida pela agressão direta de microorganismos, substância tóxica ou por uma resposta imunológica inadequada (alergias, doenças auto-imunes).
9 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
10 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
11 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
12 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
13 Varicela: Doença viral freqüente na infância e caracterizada pela presença de febre e comprometimento do estado geral juntamente com a aparição característica de lesões que têm vários estágios. Primeiro são pequenas manchas avermelhadas, a seguir formam-se pequenas bolhas que finalmente rompem-se deixando uma crosta. É contagiosa, mas normalmente não traz maiores conseqüências à criança. As bolhas e suas crostas, se não sofrerem infecção secundária, não deixam cicatriz.
14 Impetigo: Infecção da pele e mucosas, produzida por uma bactéria chamada Estreptococo, e caracterizada pela presença de lesões avermelhadas, com formação posterior de bolhas que contém pus e que, ao romper-se, deixam uma crosta cor de mel. Pode ser transmitida por contato entre as pessoas, como em creches.
15 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
16 Mucosas: Tipo de membranas, umidificadas por secreções glandulares, que recobrem cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
17 Olhos:
18 Supra-renal:
19 Olho: s. m. (fr. oeil; ing. eye). Órgão da visão, constituído pelo globo ocular (V. este termo) e pelos diversos meios que este encerra. Está situado na órbita e ligado ao cérebro pelo nervo óptico. V. ocular, oftalm-. Sinônimos: Olhos
20 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
21 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
22 Enzima: Proteína produzida pelo organismo que gera uma reação química. Por exemplo, as enzimas produzidas pelo intestino que ajudam no processo digestivo.
23 Membrana Celular: Membrana seletivamente permeável (contendo lipídeos e proteínas) que envolve o citoplasma em células procarióticas e eucarióticas.
24 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
25 Prostaglandinas: É qualquer uma das várias moléculas estruturalmente relacionadas, lipossolúveis, derivadas do ácido araquidônico. Ela tem função reguladora de diversas vias metabólicas.
26 Leucotrienos: É qualquer um dos metabólitos dos ácidos graxos poli-insaturados, especialmente o ácido araquidônico, que atua como mediador em processos alérgicos e inflamatórios.
27 Sistêmicos: 1. Relativo a sistema ou a sistemática. 2. Relativo à visão conspectiva, estrutural de um sistema; que se refere ou segue um sistema em seu conjunto. 3. Disposto de modo ordenado, metódico, coerente. 4. Em medicina, é o que envolve o organismo como um todo ou em grande parte.
28 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
29 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
30 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
31 Metabólitos: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
32 Bile: Agente emulsificador produzido no FÍGADO e secretado para dentro do DUODENO. Sua composição é formada por s ÁCIDOS E SAIS BILIARES, COLESTEROL e ELETRÓLITOS. A bile auxilia a DIGESTÃO das gorduras no duodeno.
33 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
34 Psoríase: Doença imunológica caracterizada por lesões avermelhadas com descamação aumentada da pele dos cotovelos, joelhos, couro cabeludo e costas juntamente com alterações das unhas (unhas em dedal). Evolui através do tempo com melhoras e pioras, podendo afetar também diferentes articulações.
35 Tópico: Referente a uma área delimitada. De ação limitada à mesma. Diz-se dos medicamentos de uso local, como pomadas, loções, pós, soluções, etc.
36 Eczemas: Afecções alérgicas da pele, elas podem ser agudas ou crônicas, caracterizadas por uma reação inflamatória com formação de vesículas, desenvolvimento de escamas e prurido.
37 Lúpus: 1. É uma inflamação crônica da pele, caracterizada por ulcerações ou manchas, conforme o tipo específico. 2. Doença autoimune rara, mais frequente nas mulheres, provocada por um desequilíbrio do sistema imunológico. Nesta patologia, a defesa imunológica do indivíduo se vira contra os tecidos do próprio organismo como pele, articulações, fígado, coração, pulmão, rins e cérebro. Essas múltiplas formas de manifestação clínica, às vezes, podem confundir e retardar o diagnóstico. Lúpus exige tratamento cuidadoso por médicos especializados no assunto.
38 Eritematoso: Relativo a ou próprio de eritema. Que apresenta eritema. Eritema é uma vermelhidão da pele, devido à vasodilatação dos capilares cutâneos.
39 Candidíase: É o nome da infecção produzida pela Candida albicans, um fungo que produz doença em mucosas, na pele ou em órgãos profundos (candidíase sistêmica).As infecções profundas podem ser mais freqüentes em pessoas com deficiência no sistema imunológico (pacientes com câncer, SIDA, etc.).
40 Glaucoma: É quando há aumento da pressão intra-ocular e danos ao nervo óptico decorrentes desse aumento de pressão. Esses danos se expressam no exame de fundo de olho e por alterações no campo de visão.
41 Telangiectasias: Dilatações permanentes da parede de um pequeno vaso sanguíneo localizado na derme.
42 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
43 Afecções: Quaisquer alterações patológicas do corpo. Em psicologia, estado de morbidez, de anormalidade psíquica.
44 Intermitente: Nos quais ou em que ocorrem interrupções; que cessa e recomeça por intervalos; intervalado, descontínuo. Em medicina, diz-se de episódios de febre alta que se alternam com intervalos de temperatura normal ou cujas pulsações têm intervalos desiguais entre si.
45 Lactentes: Que ou aqueles que mamam, bebês. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).

Tem alguma dúvida sobre CLOB-X?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.