Preço de Estomazil em Ashburn/SP: R$ 65,19

Estomazil

COSMED INDUSTRIA DE COSMETICOS E MEDICAMENTOS S.A.

Atualizado em 27/06/2019

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

Estomazil®
bicarbonato de sódio + carbonato de sódio + ácido cítrico
Pó efervescente

APRESENTAÇÕES

Pó efervescente - sem sabor e sabores abacaxi, laranja e guaraná.
Embalagens contendo 50 envelopes de 5g.

Pó efervescente - sem sabor e sabores laranja e guaraná.
Embalagens contendo 25 envelopes de 5g.

USO ORAL
USO ADULTO

COMPOSIÇÕES

Cada grama1 do pó efervescente sem sabor contém:
bicarbonato de sódio................ 462mg
carbonato de sódio................... 90mg
ácido cítrico.............................. 438mg
excipientes q.s.p....................... 1,00g (aspartamo)

Cada grama1 do pó efervescente sabor abacaxi contém:
bicarbonato de sódio................ 462mg
carbonato de sódio................... 90mg
ácido cítrico.............................. 438mg
excipientes q.s.p....................... 1,00g (essência de abacaxi, amarelo de tartrazina e aspartamo).

Cada grama1 do pó efervescente sabor laranja contém:
bicarbonato de sódio................ 462mg
carbonato de sódio................... 90mg
ácido cítrico.............................. 438mg
excipientes q.s.p....................... 1,00g (essência de laranja, amarelo de tartrazina, vermelho amaranto e aspartamo).

Cada grama1 do pó efervescente sabor guaraná contém:
bicarbonato de sódio................ 462mg
carbonato de sódio................... 90mg
ácido cítrico.............................. 438mg
excipientes q.s.p....................... 1,00g (corante caramelo, sacarina2 sódica e aroma de guaraná).

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

Este medicamento é indicado como antiácido3, para o tratamento da azia4 (acidez e queimação estomacal), dispepsia5 (sintomas6 de má digestão7) e mal-estar.

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

Este medicamento atua promovendo o alívio da azia4 e do mal-estar, através da neutralização do ácido gástrico8. Devido a sua rápida solubilidade, o bicarbonato de sódio tem eficácia imediata, pois é rapidamente absorvido por via oral, neutralizando a acidez do estômago9.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Por conter bicarbonato de sódio o medicamento é contraindicado para uso em pacientes com alcalose10 respiratória e metabólica (alteração dos fluidos sanguíneos) preexistentes, em pacientes com hipocloridria (baixa quantidade de ácido clorídrico11 no estômago9) e com hipocalcemia12 (baixa quantidade de cálcio no sangue13) devido ao risco de desenvolver tetania14 (contrações musculares involuntárias) induzidas pela alcalose10.

Por conter sais de sódio, o medicamento deve ser administrado com cuidado aos pacientes com problemas cardíacos, edema15 (inchaço16), insuficiência renal17, pressão alta ou aldosteronismo (doença rara ligada a elevação da pressão arterial18).

Este produto contém o corante amarelo de TARTRAZINA que pode causar reações de natureza alérgica, entre as quais asma19 brônquica, especialmente em pessoas alérgicas ao ácido acetilsalicílico (apenas para as apresentações sabor laranja e abacaxi).

Atenção fenilcetonúricos20: contém fenilalanina21 (apenas para as apresentações sem sabor, sabor abacaxi e sabor laranja).

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Este medicamento deve ser usado cuidadosamente por pacientes portadores de doenças crônicas, sob rigorosa supervisão médica. Deve-se evitar o uso prolongado de bicarbonato de sódio, a fim de se evitar o risco de hipernatremia22 (desequilíbrio na concentração de sódio no sangue13).

O uso prolongado de bicarbonato de sódio, presente neste medicamento, com cálcio ou leite pode causar a síndrome23 “Milk-alkali” caracterizada por hipercalcemia (excesso de cálcio no sangue13), acidose metabólica24 (acidez excessiva do sangue13), insuficiência renal17, confusão mental, náuseas25, vômitos26 e dor de cabeça27.

INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS

Interações medicamento-medicamento:

  • cefpodoxima: a absorção de cefpodoxima pode ser alterada pelo uso simultâneo com bicarbonato de sódio e outros sais de cálcio, alterando seus efeitos esperados.
  • cetoconazol e itraconazol: antiácidos28 podem diminuir a absorção e consequentemente os efeitos desses agentes. Recomenda-se a administração de antiácidos28 4 horas antes, ou 3 horas após o uso desses fungicidas.
  • digoxina: a absorção oral de digoxina pode ser diminuída quando administrados com antiácidos28, reduzindo sua eficácia.
  • Antimuscarínicos (atropina, escopolamina, glicopirrolato, ipratrópio), captopril, clordiazepóxido, delavirdina, indometacina, penicilina, fenitoína e fenotiazinas (principalmente clorpromazina): antiácidos28 podem inibir a absorção oral dessas drogas, diminuindo seus efeitos. Assim, a administração simultânea deve ser evitada, separando as doses em, no mínimo, 2 horas, para evitar a interação.
  • memantina: antiácidos28 podem diminuir a eliminação da memantina, resultando no acúmulo desta droga no organismo e em toxicidade29 potencial.
  • metenamina: agentes alcalinizantes (antiácidos28) podem inibir a eficácia da metenamina.
  • quinina: antiácidos28 podem aumentar o risco de intoxicação por quinina.
  • composto contendo sódio: alimentos ou medicamentos podem aumentar o risco de complicações pelo excesso de sódio, quando administrados juntamente com antiácidos28 contendo bicarbonato de sódio.
  • mefloquina: antiácidos28 podem aumentar o risco de reações adversas, especialmente em pacientes com histórico de doenças neurológicas e psiquiátricas.
  • bisacodil: antiácidos28 podem afetar a dissolução e os efeitos de comprimidos de bisacodil, por isso, deve-se manter um intervalo de 1 hora em relação ao uso de antiácidos28.
  • sucralfato: pode ter sua eficácia diminuída pelos antiácidos28. Um intervalo de no mínimo 30 minutos é necessário entre a administração dos medicamentos.
  • bisfosfonatos (alendronato, risendronato, etidronato e tiludronato): a administração simultânea com antiácidos28 pode interferir na absorção oral dos bisfosfonatos. Assim, recomenda-se um intervalo de no mínimo 2 horas para a administração entre esses dois medicamentos.
  • corticosteroides: o uso simultâneo com antiácidos28 pode induzir a um balanço negativo de cálcio, assim como a um aumento de sua eliminação renal30.
  • micofenolato de mofetila: ocorre diminuição da absorção desta droga, consequentemente uma diminuição de seus efeitos. A administração concomitante deve ser evitada.
  • fosfato de sódio: deve-se aguardar no mínimo 1 hora entre a administração de antiácidos28 e o uso de suplementos contento fosfato de sódio, para evitar uma redução da absorção/efeito deste.
  • gabapentina: recomenda-se o uso de gabapentina cerca de 2 horas após o uso de antiácidos28 para minimizar a interação e a diminuição de seus efeitos.
  • rosuvastatina: recomenda-se um intervalo de 2 horas para a administração de antiácidos28.
  • medicamentos com revestimento gastro-resistentes: com antiácidos28, estes medicamentos podem ter sua absorção e efeitos modificados, podendo ocasionar irritação gástrica ou duodenal.
  • pancrelipase: recomenda-se que estas preparações não sejam administradas juntamente com substâncias antiácidas, o resultado da interação com antiácido3 é imprevisível.
  • azitromicina, diritromicina e nitrofurantoína: antiácidos28 podem interferir na absorção/efeitos destes medicamentos. A administração de antiácidos28 deve ocorrer após um intervalo de pelo menos 2 horas.
  • lactulose: a administração com antiácidos28 deve ser evitada.
  • sotalol: recomenda-se aguardar 2 horas após a administração de sotalol para o uso de antiácidos28, a fim de se evitar uma alteração nos efeitos desta droga, resultando em perda da eficácia.
  • glipizida31 e gliburida: dados demonstram um aumento da absorção/efeito da glipizida31 e da gliburida.
  • composto com ferro: antiácidos28 podem diminuir a absorção oral desses compostos, devendo a administração simultânea ser evitada para minimizar esta interação.

Interações medicamento-alimento

Deve-se observar o uso de Estomazil® com alimentos contendo altas concentrações de sódio, já que pelo fato deste medicamento conter bicarbonato de sódio, pode haver uma exacerbação dos sintomas6 associados ao excesso de sódio na corrente sanguínea.

Interações-medicamento-substância química

Recomenda-se evitar a ingestão de bebida alcoólicas durante o tratamento com Estomazil®.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião- dentista.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Conservar em temperatura ambiente (entre 15 e 30ºC). Proteger da luz e umidade.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem. 
Não use o medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Características físicas:

  • Estomazil® pó efervescente sem sabor apresenta-se como granulado homogêneo branco, inodoro, livre de partículas estranhas e grumos.
  • Estomazil® pó efervescente sabor abacaxi apresenta-se como granulado homogêneo, amarelo claro, com sabor e odor abacaxi e isento de partículas estranhas.
  • Estomazil® pó efervescente sabor laranja apresenta-se como granulado homogêneo, amarelo claro, com sabor e odor laranja e isento de partículas estranhas.
  • Estomazil® pó efervescente sabor guaraná apresenta-se como granulado homogêneo, branco a levemente caramelo, com sabor e odor de guaraná e isento de partículas estranhas.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

USO ORAL
Dissolver o conteúdo de 1 envelope (5g) em meio copo d’água. Deixar completar a efervescência e beber de uma só vez.

Para as indicações propostas de azia4 e má digestão7, a dose contida em um envelope é suficiente, podendo ser repetida após 2 horas em caso de necessidade.
Dose máxima diária recomendada: 2 envelopes (10g/dia).

Siga corretamente o modo de usar. Em caso de dúvidas sobre este medicamento, procure orientação do farmacêutico. Não desaparecendo os sintomas6, procure orientação de seu médico ou cirurgião-dentista.

O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Você deve usar o Estomazil® apenas quando os sintomas6 ocorrerem.

Não tome doses (1 envelope de 5g) com intervalo menor do que 2 horas e não exceda a dose máxima diária (2 envelopes).

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

Como ocorre com outros antiácidos28 contendo os mesmos princípios ativos de Estomazil®, espera-se algumas reações adversas, na maioria das vezes associadas ao uso excessivo ou em pacientes com alguma deficiência no sistema renal30.

Os eventos adversos de Estomazil® são apresentados em frequência decrescente a seguir:

Reação muito comum (ocorre em 10% dos pacientes que utilizam este medicamento).
Reação comum (ocorre entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento).
Reação incomum (ocorre entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento).
Reação rara (ocorre entre 0,01% e 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento).
Reação muito rara (ocorre em menos de 0,01% dos pacientes que utilizam este medicamento).

Reações comuns: retenção de líquidos ou diurese32 e desidratação33, retenção de sódio, hipersecreção gástrica, rebote ácido (reincidência34 do incômodo), flatulência (gases), distensão gástrica (soluço; refluxo), cólicas35 abdominais, náuseas25, vômitos26; constipação36 (prisão de ventre) ou diarreia37; hemorroidas38 ou fissuras39 anais (em pacientes com histórico de constipação36); eructação40 (arrotos); cálculo41 renal30 (pedra nos rins42) e/ou alcalose10 metabólica (alteração dos fluidos corporais) em pacientes predispostos.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

A ingestão de grande quantidade deste medicamento pode causar eructação40 (arrotos) e distúrbios gastrintestinais.

Pode levar à sobrecarga de sódio e à alcalose10 metabólica (excesso de bicarbonato tornando o pH do sangue13 elevado), que pode causar agitação, fraqueza, sede, diminuição da salivação, tontura43, dor de cabeça27, risco de hipotensão44 (pressão baixa) e taquicardia45 (palpitação46).

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

DIZERES LEGAIS:


Siga corretamente o modo de usar, não desaparecendo os sintomas6 procure orientação médica.
 

Registro M.S. nº 1.7817.0039
Farm. Responsável: Luciana Lopes da Costa - CRF-GO nº 2.757.

Registrado por:
Cosmed Indústria de Cosméticos e Medicamentos S.A.
Avenida Ceci, nº 282, Módulo I - Tamboré - Barueri - SP - CEP 06460-120
C.N.P.J.: 61.082.426/0002-07 - Indústria Brasileira

Fabricado por:
Brainfarma Indústria Química e Farmacêutica S.A.
VPR 1 - Quadra 2-A - Módulo 4 - DAIA - Anápolis - GO - CEP 75132-020


SAC 0800 97 99 900

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Grama: 1. Designação comum a diversas ervas da família das gramíneas que formam forrações espontâneas ou que são cultivadas para criar gramados em jardins e parques ou como forrageiras, em pastagens; relva. 2. Unidade de medida de massa no sistema c.g.s., equivalente a 0,001 kg . Símbolo: g.
2 Sacarina: Adoçante sem calorias e sem valor nutricional.
3 Antiácido: É uma substância que neutraliza o excesso de ácido, contrariando o seu efeito. É uma base que aumenta os valores de pH de uma solução ácida.
4 Azia: Pirose. Sensação de dor epigástrica semelhante a uma queimadura, geralmente acompanhada de regurgitação de suco gástrico para dentro do esôfago.
5 Dispepsia: Dor ou mal-estar localizado no abdome superior. O mal-estar pode caracterizar-se por saciedade precoce, sensação de plenitude, distensão ou náuseas. A dispepsia pode ser intermitente ou contínua, podendo estar relacionada com os alimentos.
6 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
7 Digestão: Dá-se este nome a todo o conjunto de processos enzimáticos, motores e de transporte através dos quais os alimentos são degradados a compostos mais simples para permitir sua melhor absorção.
8 Ácido Gástrico: Ácido clorídrico presente no SUCO GÁSTRICO.
9 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
10 Alcalose: Desequilíbrio do meio interno, produzido por uma diminuição na concentração de íons hidrogênio ou aumento da concentração de bases orgânicas nos líquidos corporais.
11 Ácido clorídrico: Ácido clorídrico ou ácido muriático é uma solução aquosa, ácida e queimativa, normalmente utilizado como reagente químico. É um dos ácidos que se ioniza completamente em solução aquosa.
12 Hipocalcemia: É a existência de uma fraca concentração de cálcio no sangue. A manifestação clínica característica da hipocalcemia aguda é a crise de tetania.
13 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
14 Tetania: Espasmos e contraturas dos músculos das mãos e pés, e menos freqüentemente dos músculos da face, da laringe (cordas vocais) e da coluna vertebral. Inicialmente, são indolores; mas tendem a tornar-se cada vez mais dolorosos. É um sintoma de alterações bioquímicas do corpo humano e não deve ser confundida com o tétano, que é uma infecção. A causa mais comum é a hipocalcemia (nível baixo de cálcio no sangue). Outras causas incluem hipocalemia (nível baixo de potássio no sangue), hiperpnéia (frequência respiratória anormalmente profunda e rápida, levando a baixos níveis de dióxido de carbono), ou mais raramente de hipoparatiroidismo (atividade diminuída das glândulas paratiróides). Recentemente, considera-se que a hipomagnesemia (nível baixo de magnésio no sangue) é também um dos fatores causais desta situação clínica.
15 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
16 Inchaço: Inchação, edema.
17 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
18 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
19 Asma: Doença das vias aéreas inferiores (brônquios), caracterizada por uma diminuição aguda do calibre bronquial em resposta a um estímulo ambiental. Isto produz obstrução e dificuldade respiratória que pode ser revertida de forma espontânea ou com tratamento médico.
20 Fenilcetonúricos: Portadores da doença fenilcetonúria.
21 Fenilalanina: É um aminoácido natural, encontrado nas proteínas vegetais e animais, essencial para a vida humana.
22 Hipernatremia: Excesso de sódio no sangue, indicativo de desidratação.
23 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
24 Acidose metabólica: A acidose metabólica é uma acidez excessiva do sangue caracterizada por uma concentração anormalmente baixa de bicarbonato no sangue. Quando um aumento do ácido ultrapassa o sistema tampão de amortecimento do pH do organismo, o sangue pode acidificar-se. Quando o pH do sangue diminui, a respiração torna-se mais profunda e mais rápida, porque o corpo tenta liberar o excesso de ácido diminuindo o volume do anidrido carbônico. Os rins também tentam compensá-lo por meio da excreção de uma maior quantidade de ácido na urina. Contudo, ambos os mecanismos podem ser ultrapassados se o corpo continuar a produzir excesso de ácido, o que conduz a uma acidose grave e ao coma. A gasometria arterial é essencial para o seu diagnóstico. O pH está baixo (menor que 7,35) e os níveis de bicarbonato estão diminuídos (<24 mmol/l). Devido à compensação respiratória (hiperventilação), o dióxido de carbono está diminuído e o oxigênio está aumentado.
25 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
26 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
27 Cabeça:
28 Antiácidos: É uma substância que neutraliza o excesso de ácido, contrariando o seu efeito. É uma base que aumenta os valores de pH de uma solução ácida.
29 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
30 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
31 Glipizida: Medicamento de uso oral para tratamento do diabetes tipo 2. Estimula a secreção de insulina ligando-se a um receptor específico na célula beta do pâncreas que determina fechamento dos canais de potássio (K+) dependentes de ATP (adenosina-trifosfato), resultando em despolarização da célula. Pertence à classe das sulfoniluréias.
32 Diurese: Diurese é excreção de urina, fenômeno que se dá nos rins. É impróprio usar esse termo na acepção de urina, micção, freqüência miccional ou volume urinário. Um paciente com retenção urinária aguda pode, inicialmente, ter diurese normal.
33 Desidratação: Perda de líquidos do organismo pelo aumento importante da freqüência urinária, sudorese excessiva, diarréia ou vômito.
34 Reincidência: 1. Ato ou efeito de reincidir ou repetir. 2. Obstinação, insistência, teimosia.
35 Cólicas: Dor aguda, produzida pela dilatação ou contração de uma víscera oca (intestino, vesícula biliar, ureter, etc.). Pode ser de início súbito, com exacerbações e períodos de melhora parcial ou total, nos quais o paciente pode estar sentindo-se bem ou apresentar dor leve.
36 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
37 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
38 Hemorróidas: Dilatações anormais das veias superficiais que se encontram na última porção do intestino grosso, reto e região perianal. Pode produzir sangramento junto com a defecação e dor.
39 Fissuras: 1. Pequena abertura longitudinal em; fenda, rachadura, sulco. 2. Em geologia, é qualquer fratura ou fenda pouco alargada em terreno, rocha ou mesmo mineral. 3. Na medicina, é qualquer ulceração alongada e superficial. Também pode significar uma fenda profunda, sulco ou abertura nos ossos; cesura, cissura. 4. Rachadura na pele calosa das mãos ou dos pés, geralmente de pessoas que executam trabalhos rudes. 5. Na odontologia, é uma falha no esmalte de um dente. 6. No uso informal, significa apego extremo; forte inclinação; loucura, paixão, fissuração.
40 Eructação: Ato de eructar, arroto.
41 Cálculo: Formação sólida, produto da precipitação de diferentes substâncias dissolvidas nos líquidos corporais, podendo variar em sua composição segundo diferentes condições biológicas. Podem ser produzidos no sistema biliar (cálculos biliares) e nos rins (cálculos renais) e serem formados de colesterol, ácido úrico, oxalato de cálcio, pigmentos biliares, etc.
42 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
43 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
44 Hipotensão: Pressão sanguínea baixa ou queda repentina na pressão sanguínea. A hipotensão pode ocorrer quando uma pessoa muda rapidamente de uma posição sentada ou deitada para a posição de pé, causando vertigem ou desmaio.
45 Taquicardia: Aumento da frequência cardíaca. Pode ser devido a causas fisiológicas (durante o exercício físico ou gravidez) ou por diversas doenças como sepse, hipertireoidismo e anemia. Pode ser assintomática ou provocar palpitações.
46 Palpitação: Designa a sensação de consciência do batimento do coração, que habitualmente não se sente. As palpitações são detectadas usualmente após um exercício violento, em situações de tensão ou depois de um grande susto, quando o coração bate com mais força e/ou mais rapidez que o normal.

Tem alguma dúvida sobre Estomazil?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.