BROMOCRIPTINA

Instituto Farmoterápico Neovita Ltda.

Atualizado em 03/06/2015

                               BROMOCRIPTINA

- Composição

Comprimidos: Cada comprimido contém: Bromocriptina 2,5 mg.

Indicações da Bromocriptina

Galactorréia1 com ou sem  amenorréia2: Pós-parto, tumoral, idiopática3 e por fármacos (psicotrópicos4 e anticonceptivos). Amenorréia2 prolactino-dependente sem galactorréia1. Inibição da lactação5, seja para prevenir a lactação5 após o parto ou suprimi-la de imediato. Disfunção do ciclo menstrual (síndrome6 pré-menstrual),  fase lútea curta. Hipogonadismo masculino prolactino-dependente. Acromegalia7. Parkinsonismo. Como adjunto à terapia com levodopa /carbidopa no tratamento dos sinais8 e sintomas9 do parkinsonismo idiopático10 ou pós-encefálico.

Contra-Indicações da Bromocriptina

Gravidez11 diagnosticada ou presumida. Hipersensibilidade à bromocriptina ou outros alcalóides do ergot. Toxemia12 gravídica. Hipertensão arterial13 no pós-parto e puerpério14. Função hepática15 deficitária (necessária uma diminuição da dose). Distúrbios psiquiátricos (podem ser exacerbados). BROMOCRIPTINA não deve ser administrada a lactantes16, visto que o medicamento interfere na lactação5.

Reações Adversas da Bromocriptina

Os efeitos adversos da bromocriptina estão relacionados com sua atividade agonista17 dos receptores dopaminérgicos. Esses efeitos são geralmente dose-dependentes e são observados mais freqüentemente quando altas doses são utilizadas. A redução da posologia reverte os principais efeitos adversos. No início do tratamento a ocorrência de náuseas18 é a manifestação mais comum; seguida de vômitos19, vertigem20, tonteira, hipotensão21 ortostática e síncope22. O uso da bromocriptina junto com alimento reduz a ocorrência de náuseas18. Por sua ação vasoconstritora pode provocar vasoespasmo digital, induzido pelo frio e câimbras23 nas pernas, sobretudo em pacientes com antecedentes de fenômeno de Raynaud24, ou em terapêutica25 com doses elevadas (acromegalia7 e doença de Parkinson26). Outros efeitos incluem eritromelalgia, hipotensão arterial27 severa, arritmia28 e exacerbação de angina29 pectoris. Podem ocorrer cefaléia30, congestão nasal, sonolência, secura na boca31, constipação32, diarréia33 e alterações na função hepática15. Discinesia tem ocorrido em pacientes parkinsonianos. Sangramento digestivo foi relatado em pacientes acromegálicos. Psicose34 com alucinações35 visuais e auditivas e confusão mental ocorrem particularmente quando altas doses são usadas na doença de Parkinson26.

Posologia da Bromocriptina

Galactorréia1 e/ou amenorréia2 prolactino-dependente: Iniciar com 1,25 mg três vezes ao dia às refeições; se for insuficiente, aumentar gradativamente para 2,5 mg duas a três vezes ao dia. Inibição da lactação5: Iniciar com 2,5 mg duas vezes ao dia nas refeições da manhã e da tarde durante 14 dias. Síndrome6 pré-menstrual: De 1,25 a 5,0 mg ao dia, iniciando no 14o dia do ciclo menstrual com 1,25 mg ao dia e aumentando progressivamente a dose, até o aparecimento da menstruação36. Fase lútea curta: Iniciar com 1,25 mg três vezes ao dia às refeições. Hipogonadismo masculino: 1,25 a 2,5 mg três vezes ao dia por 2 a 3 meses. Acromegalia7: Iniciar com 2,5 ao dia aumentando a dose diária dentro de uma a duas semanas, chegando a 10-20 mg, considerando as necessidades individuais, a resposta clínica e a tolerância. A dose diária deverá ser dividida em 4 tomadas iguais. Parkinsonismo: Dose inicial de 1,25 mg à noite, durante a primeira semana. Elevar para 2,5 mg à noite na segunda semana. Na semana seguinte, para 2,5 mg duas vezes ao dia, passando para 2,5 mg três vezes ao dia. Dependendo da resposta, aumentar 2,5 mg semanalmente. A dosagem terapêutica25 média, tanto em monoterapia quanto em tratamento combinado, é de 10 a 40 mg de bromocriptina por dia.

Apresentação da Bromocriptina

Comprimidos de 2,5 mg: Frascos de vidro contendo 15 ou 30 comprimidos.

Instituto Farmoterápico NEOVITA Ltda.

BROMOCRIPTINA - Laboratório

Instituto Farmoterápico Neovita Ltda.
R. Dr. Rodrigues de Santana, 80 - Benfica
Rio de Janeiro/RJ - CEP: 20910-240
Tel: 021 569-0069
Fax: 021 234-7140

Ver outros medicamentos do laboratório "Instituto Farmoterápico Neovita Ltda."

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Galactorréia: Secreção mamária anormal de leite fora do período de amamentação. Pode ser produzida por distúrbios hormonais ou pela ação de medicamentos.
2 Amenorréia: É a ausência de menstruação pelo período equivalente a 3 ciclos menstruais ou 6 meses (o que ocorrer primeiro). Para períodos inferiores, utiliza-se o termo atraso menstrual.
3 Idiopática: 1. Relativo a idiopatia; que se forma ou se manifesta espontaneamente ou a partir de causas obscuras ou desconhecidas; não associado a outra doença. 2. Peculiar a um indivíduo.
4 Psicotrópicos: Que ou o que atua quimicamente sobre o psiquismo, a atividade mental, o comportamento, a percepção, etc. (diz-se de medicamento, droga, substância, etc.). Alguns psicotrópicos têm efeito sedativo, calmante ou antidepressivo; outros, especialmente se usados indevidamente, podem causar perturbações psíquicas.
5 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
6 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
7 Acromegalia: Síndrome causada pelo aumento da secreção do hormônio de crescimento (GH e IGF-I) ,quando este aumento ocorre em idade adulta. Quando ocorre na adolescência chama-se gigantismo.
8 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
9 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
10 Idiopático: 1. Relativo a idiopatia; que se forma ou se manifesta espontaneamente ou a partir de causas obscuras ou desconhecidas; não associado a outra doença. 2. Peculiar a um indivíduo.
11 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
12 Toxemia: Intoxicação resultante do acúmulo excessivo de toxinas endógenas ou exógenas no sangue, em virtude de insuficiência relativa ou absoluta dos órgãos excretores (rins, fígado, etc.).
13 Hipertensão arterial: Aumento dos valores de pressão arterial acima dos valores considerados normais, que no adulto são de 140 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 85 milímetros de pressão diastólica.
14 Puerpério: Período que decorre desde o parto até que os órgãos genitais e o estado geral da mulher voltem às condições anteriores à gestação.
15 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
16 Lactantes: Que produzem leite; que aleitam.
17 Agonista: 1. Em farmacologia, agonista refere-se às ações ou aos estímulos provocados por uma resposta, referente ao aumento (ativação) ou diminuição (inibição) da atividade celular. Sendo uma droga receptiva. 2. Lutador. Na Grécia antiga, pessoa que se dedicava à ginástica para fortalecer o físico ou como preparação para o serviço militar.
18 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
19 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
20 Vertigem: Alucinação de movimento. Pode ser devido à doença do sistema de equilíbrio, reação a drogas, etc.
21 Hipotensão: Pressão sanguínea baixa ou queda repentina na pressão sanguínea. A hipotensão pode ocorrer quando uma pessoa muda rapidamente de uma posição sentada ou deitada para a posição de pé, causando vertigem ou desmaio.
22 Síncope: Perda breve e repentina da consciência, geralmente com rápida recuperação. Comum em pessoas idosas. Suas causas são múltiplas: doença cerebrovascular, convulsões, arritmias, doença cardíaca, embolia pulmonar, hipertensão pulmonar, hipoglicemia, intoxicações, hipotensão postural, síncope situacional ou vasopressora, infecções, causas psicogênicas e desconhecidas.
23 Câimbras: Contrações involuntárias, espasmódicas e dolorosas de um ou mais músculos.
24 Fenômeno de Raynaud: O fenômeno de Raynaud (ou Raynaud secundário) ocorre subsequentemente a um grande grupo de doenças, como artrite, vasculite, esclerodermia, dentre outras. Esta forma de Raynaud pode progredir para necrose e gangrena dos dedos.
25 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
26 Doença de Parkinson: Doença degenerativa que afeta uma região específica do cérebro (gânglios da base), e caracteriza-se por tremores em repouso, rigidez ao realizar movimentos, falta de expressão facial e, em casos avançados, demência. Os sintomas podem ser aliviados por medicamentos adequados, mas ainda não se conhece, até o momento, uma cura definitiva.
27 Hipotensão arterial: Diminuição da pressão arterial abaixo dos valores normais. Estes valores normais são 90 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 50 milímetros de pressão diastólica.
28 Arritmia: Arritmia cardíaca é o nome dado a diversas perturbações que alteram a frequência ou o ritmo dos batimentos cardíacos.
29 Angina: Inflamação dos elementos linfáticos da garganta (amígdalas, úvula). Também é um termo utilizado para se referir à sensação opressiva que decorre da isquemia (falta de oxigênio) do músculo cardíaco (angina do peito).
30 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
31 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
32 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
33 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
34 Psicose: Grupo de doenças psiquiátricas caracterizadas pela incapacidade de avaliar corretamente a realidade. A pessoa psicótica reestrutura sua concepção de realidade em torno de uma idéia delirante, sem ter consciência de sua doença.
35 Alucinações: Perturbações mentais que se caracterizam pelo aparecimento de sensações (visuais, auditivas, etc.) atribuídas a causas objetivas que, na realidade, inexistem; sensações sem objeto. Impressões ou noções falsas, sem fundamento na realidade; devaneios, delírios, enganos, ilusões.
36 Menstruação: Sangramento cíclico através da vagina, que é produzido após um ciclo ovulatório normal e que corresponde à perda da camada mais superficial do endométrio uterino.

Tem alguma dúvida sobre BROMOCRIPTINA?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.