Preço de VESANOID em Woodbridge/SP: R$ 1578,32

VESANOID

ROCHE

Atualizado em 09/12/2014

Vesanoid

Tretinoína

Retinóide para o tratamento de doenças hematológicas / oncológicas

Identificação do Produto de Vesanoid

Nome do Produto: Vesanoid

Nome genérico: Tretinoína

Forma Farmacêutica e Apresentação de Vesanoid

Cápsulas de 10 mg ............ caixas com 100 cápsulas

USO ADULTO E PEDIÁTRICO

Composição de Vesanoid

Vesanoid tem como princípio ativo o ácido all-trans-retinóico (tretinoína). Cada cápsula contém

10 mg de tretinoína.

Excipientes: Cera amarela, óleo de soja hidrogenado, óleo de soja parcialmente hidrogenado, óleo de soja.

Informações Aos Pacientes de Vesanoid

Solicitamos a gentileza de ler este folheto cuidadosamente pois contém informações importantes para você.
Caso deseje obter mais informações sobre este produto, ou se não estiver seguro a respeito de determinado item mencionado . no folheto, solicitamos a gentileza de informar seu médico.

Ação Esperada de Vesanoid

Vesanoid contém em sua formulaçãoma substância derivada da Vitamina1 A, a tretinoína, e deve ser usado somente para o tratamento de leucemia2 promielocítica aguda. Estudos com a tretinoína demonstraram ação sobre as células sanguíneas3, incluindo a linhagem de células4 leucêmicas mielóides humanas.

Cuidados de Armazenamento de Vesanoid

Mantenha os frascos muito bem fechados e proteja as cápsulas do calor excessivo (acima de 30° C) e da luz.
Este medicamento não deve ser usado após a data de validade impresso na embalagem externa.

Prazo de validade

A data de fabricação e o prazo de validade do Vesanoid estão impressos na embalagem externa. O uso de qualquer medicamento com prazo de validade vencido não é recomendável.

Gravidez5 e Lactação6 de Vesanoid

O Vesanoid é teratogênico7, isto é, pode ocasionar graves defeitos físicos ao feto8 quando ocorrer gravidez5 durante o seu uso ou mesmo até um mês após sua interrupção. Por este motivo, VesanoidÒ não deve ser tomado por mulheres grávidas ou que possam engravidar. Informe seu médico a ocorrência de gravidez5 na vigência do tratamento ou no mês seguinte após o seu término.

O Vesanoid pode passar para o leite materno e por este motivo, mulheres que estão amamentando devem suspender este procedimento, quando do início do tratamento com Vesanoid. Mulheres que estejam amamentando devem informar ao médico desta condição antes de iniciar o tratamento com Vesanoid.

Cuidados de Administração de Vesanoid

O Vesanoid só deve ser usado quando receitado por médico especialista com larga experiência no uso de drogas antineoplásicas. Além disso, as precauções especiais que são necessárias quando da utilização do Vesanoid requerem acompanhamento médico constante. O Vesanoid não deve ser dado a qualquer outra pessoa.

Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

Interrupção do Tratamento de Vesanoid

Somente seu médico sabe o momento ideal para suspender o tratamento. Siga suas recomendações. Não interromper o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Reações Adversas de Vesanoid

Vesanoid ocasiona, em geral, vários efeitos colaterais9, que exigem acompanhamento médico permanente.

Os efeitos indesejáveis de maior ocorrência consistem em: secura da boca10, rachaduras na pele11, edemas12,  náuseas13, vômitos14, dor nos ossos, dor de cabeça15, dor abdominal, diarréia16, prisão de ventre, aftas, desconforto estomacal, sensação de opressão no peito17, tosse, congestão nasal, falta de ar, faringite18, respiração ofegante, tontura19, estados de confusão, ansiedade e depressão, distúrbios da visão20 e da audição, febre21, calafrios22, sensação de fadiga23, alterações do peso corpóreo, dor nas costas24, dor no peito17, distúrbios de sangramento,  pneumonia25, infecção26, infecção26 generalizada, fraqueza e cansaço.

Informe imediatamente seu médico sobre a ocorrência de qualquer dos efeitos indesejáveis acima citados, uma vez que alguns destes efeitos podem estar associados com a denominada "Síndrome27 do ácido retinóico" que,  quando não convenientemente tratada, pode ser fatal para o paciente.


TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

Ingestão Concomitante com Outras Substâncias de Vesanoid

Drogas que afetam o sistema enzimático específico do fígado28, responsável pelo metabolismo29 de determinadas drogas, podem interagir com Vesanoid, ocasionando alteração dos seus níveis sangüíneos.

Contra-Indicações e Precauções de Vesanoid

O Vesanoid é altamente teratogênico7, isto é, pode ocasionar graves defeitos físicos ao feto;30 está portanto estritamente contra-indicado durante a gravidez5. Vesanoid não deve ser utilizado por mulheres com
potencial de engravidar a menos que a paciente utilize um método anticoncepcional ininterrupto eficaz, um mês antes, durante, e um mês após a terapêutica31 com Vesanoid.

A lactação6 deve ser interrompida ao se iniciar o tratamento com o Vesanoid .

"Síndrome27 do ácido retinóico" na leucemia2 promielocítica aguda (LPA): esta síndrome27 pode ocorrer em muitos pacientes portadores de leucemia2 promielocítica aguda (até 25% em alguns estudos clínicos) tratados com o Vesanoid e é caracterizada por febre21, dispnéia32, respiração ofegante, infiltrados pulmonares, hiperleucocitose, hipotensão33, derrame34 pleural, insuficiência hepática35, insuficiência renal36 e falência múltipla dos órgãos. Se não for tratada adequadamente, esta síndrome27 pode ser fatal. A prevenção da "Síndrome27 do ácido retinóico" pode ser obtida através da administração de quimioterapia37 com doses plenas em combinação com Vesanoid, caso se observe aumento significativo na contagem de leucócitos38.

O Vesanoid só deve ser utilizado em pacientes portadores de leucemia2 promielocítica aguda (LPA) sob a supervisão de um médico especialista, com larga experiência em doenças hematológicas e oncológicas.

Informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início, ou durante o tratamento.

VESANOID NÃO DEVE SER UTILIZADO DURANTE A GRAVIDEZ5 E LACTAÇÃO6.

NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DE SEU MÉDICO. PODE SER PERIGOSO PARA A SUA SAÚDE39.

 

Informações Técnicas de Vesanoid

Características de Vesanoid

O ácido all-trans-retinóico é um metabólito40 natural do retinol e pertence a uma classe de compostos conhecidos como retinóides, estruturalmente relacionados à vitamina1 A e seus análogos sintéticos e naturais. Estudos com o ácido all-trans-retinóico in vitro demonstraram indução de diferenciação e inibição de proliferação celular em linhagem de células4 hematopoiéticas transformadas, incluindo linhagem de células4 leucêmicas mielóides humanas. O mecanismo de ação na leucemia2 promielocítica aguda (LPA) pode ser devido a uma alteração na ligação do ácido all-trans-retinóico a um receptor do núcleo do ácido retinóico.

Farmacocinética de Vesanoid

O ácido all-trans-retinóico é um metabólito40 endógeno da vitamina1 A e normalmente, encontra-se presente no plasma41. Doses orais do ácido all-trans-retinóico são bem absorvidas e picos de concentrações plasmáticas em voluntários saudáveis, são obtidos após 3 horas. Existe uma ampla variação individual, que varia de paciente para paciente42, na absorção do ácido all-trans-retinóico. No plasma41, o ácido all-trans-retinóico liga-se extensivamente às proteínas43 plasmáticas. Após atingir o pico, as concentrações plasmáticas decrescem com uma meia-vida de eliminação média de 0,7 horas. As concentrações plasmáticas atingem níveis endógenos após dose única de 40 mg em cerca de 7 a 12 horas.

Não se observou acúmulo nem retenção tissular44 após doses múltiplas do ácido all-trans-retinóico. A excreção renal45 de metabólitos46 formados por oxidação e glucoronidação é a principal via (60%) de eliminação. O ácido all-trans-retinóico é isomerizado para ácido 13-cis-retinóico e oxidado para metabólitos46 4-oxo. Estes metabólitos46
apresentam meia-vida superior ao ácido all-trans-retinóico. Durante o tratamento com doses múltiplas pode ocorrer uma acentuada diminuição na concentração plasmática, possivelmente devido à indução enzimática do citocromo P-450 que eleva o clearance e diminui a biodisponibilidade após doses orais.

Farmacocinética em Situações Especiais de Vesanoid

A necessidade de ajuste de dose em pacientes com insuficiência renal36 ou hepática47 não foi investigada.

Indicações de Vesanoid

Vesanoid deve ser utilizado para indução da remissão em leucemia2 promielocítia aguda (LPA; classificação FAB AML-M3). Pacientes não tratados anteriormente, bem como pacientes refratários48, ou que não responderam à quimioterapia37 padrão (daunomicina e citosina arabinosídeo ou tratamentos similares) podem ser tratados com ácido-all-trans-retinóico. Após remissão completa, deve ser empregada quimioterapia37 de consolidação com doses plenas. Uma perda da capacidade de resposta ao ácido all-trans-retinóico foi relatada em pacientes em esquema de manutenção com este tratamento. O tempo médio de recidiva49 para pacientes50 mantidos com o ácido all-trans-retinóico é de 4 a 6 meses.

Contra-Indicações de Vesanoid

O ácido all-trans-retinóico é altamente teratogênico7; está portanto estritamente contra-indicado durante a gravidez5. Vesanoid não deve ser utilizado por mulheres com potencial de engravidar a menos que a paciente utilize um método anticoncepcional ininterrupto eficaz, um mês antes, durante, e um mês após a terapêutica31 com Vesanoid.

A lactação6 deve ser interrompida ao se iniciar o tratamento com o ácido all-trans-retinóico.

Precauções e Advertências de Vesanoid

"Síndrome27 do ácido retinóico" na leucemia2 promielocítica aguda (LPA): esta síndrome27 pode ocorrer em muitos pacientes portadores de leucemia2 promielocítica aguda (até 25% em alguns estudos clínicos) tratados com o ácido all-trans-retinóico e é caracterizada por febre21, dispnéia32, respiração ofegante, infiltrados pulmonares, hiperleucocitose, hipotensão33, derrame34 pleural, insuficiência hepática35, insuficiência renal36 e falência múltipla dos órgãos. Se não for tratada adequadamente, esta síndrome27 pode ser fatal. A prevenção da "Síndrome27 do ácido retinóico" pode ser obtida através da administração de quimioterapia37 com doses plenas em combinação com Vesanoid , caso se observe aumento significativo na contagem de leucócitos38.
Recomenda-se o seguinte esquema terapêutico:

1. Para pacientes50 em início de tratamento com Vesanoid, que apresentem uma baixa contagem de leucócitos38 (menor que 5 x 103/mm3), a administração da quimioterapia37 com doses plenas deve ser iniciada:

No 5º dia do tratamento, quando a contagem de leucócitos38 exceder a 6 x 103/ mm3;

No 10º dia do tratamento, quando a contagem de leucócitos38 exceder a 10 x 103/ mm3;

No 15º dia do tratamento, quando a contagem de leucócitos38 exceder a 15 x 103/ mm3.

2.Para pacientes50 em início de tratamento com Vesanoid que apresentem uma elevada contagem de  leucócitos38 (maior que 10 x 103/ mm3), a quimioterapia37 deve ser iniciada imediatamente, concomitantemente com o ácido all-trans-retinóico.

Se os sintomas51 da "Síndrome27 do ácido retinóico" se tornarem aparentes, o tratamento deve ser iniciado imediatamente sob a forma de ciclos curtos (mínimo de 3 dias) de altas doses de corticosteróides, também em pacientes que não apresentem hiperleucocitose e onde se suspeite da presença de "Síndrome27 de ácido retinóico".

O ácido all-trans-retinóico só deve ser utilizado em pacientes portadores de leucemia2 promielocítica aguda (LPA) sob a supervisão de especialista com larga experiência em doenças hematológicas/oncológicas.

 

Gravidez5 de Vesanoid

O ácido all-trans-retinóico é altamente teratogênico7. É, portanto, contra-indicado não só para mulheres grávidas mas também para aquelas que possam vir a engravidar durante ou até um mês após o término do tratamento. Existe um risco extremamente alto de nascimento de uma criança deformada no caso de gravidez5, durante a administração do ácido all-trans-retinóico, em qualquer dosagem, mesmo durante curtos períodos.Todos os fetos expostos podem potencialmente ser afetados. O tratamento com o ácido all-trans-retinóico somente deve ser iniciado em mulheres que satisfaçam todas as seguintes condições:

. seja portadora de doença que represente risco de vida. A paciente deve ser informada por seu médico sobre o perigo de engravidar durante o tratamento e após um mês o término deste com o ácido all-trans-retinóico;

. seja confiável na compreensão e cumprimento das medidas anticoncepcionais obrigatórias;

. é absolutamente essencial que toda mulher com potencial para engravidar que esteja para ser submetida ao tratamento com o ácido all-trans-retinóico utilize um anticoncepcional eficaz sem interrupção, durante um mês anterior ao início do tratamento, durante o tratamento, e um mês após a interrupção do tratamento com o ácido all-trans-retinóico;

. a paciente inicie o tratamento somente no segundo ou terceiro dia do período menstrual do mês subseqüente;

. a paciente apresente um teste de gravidez5 negativo duas semanas antes de iniciar o tratamento.

Recomenda-se a repetição mensal do teste de gravidez5.

Caso ocorra gravidez5, apesar dessas precauções, na vigência do tratamento com o ácido all-trans-retinóico ou em até um mês seguinte à sua interrupção, há um grande risco de malformação52 muito severa do feto8.

Todas as medidas acima citadas devem ser consideradas em relação à severidade da doença e a urgência53 do tratamento.

Lactantes54 de Vesanoid

Uma vez iniciado o tratamento com o ácido all-trans-retinóico, a lactação6 deve ser descontinuada.

Interações de Vesanoid

Drogas que afetam o sistema enzimático do citocromo P-450 hepático podem interagir com o ácido all-trans-retinóico, ocasionando alteração dos níveis sangüíneos.

Reações Adversas de Vesanoid

Pacientes tratados com o ácido all-trans-retinóico podem apresentar, com freqüência, as seguintes reações adversas: xeroderma, secura da boca10, quelite, "rash55", edema56, náuseas13, vômitos14 e dor nos ossos. Podem ocorrer ainda cefaléia57 e elevação nos níveis séricos de triglicerídeos, colesterol58 e transaminases.

Além disso, os efeitos indesejáveis abaixo relacionados foram descritos em uma freqüência maior do que 5% nos pacientes portadores de leucemia2 promielocítica aguda (LPA) durante os estudos clínicos. Estes efeitos foram classificados pelos pesquisadores como sendo possível ou provavelmente relacionados ao tratamento com o ácido all-trans-retinóico.

. efeitos dermatológicos: eritema59, prurido60, aumento da sudorese61, celulite62, alopécia63, secura das mucosas64, esfoliação da derme65, sangramento dérmico, xeroftalmia66 e dermatite67.

. efeitos gastrintestinais: dor abdominal, diarréia16, obstipação68, bolhas na boca10, desconforto estomacal.

. efeitos cardiovasculares: arritmia69 cardíaca.

. efeitos respiratórios: tosse, derrame34 pleural, congestão nasal, dispnéia32, faringite18, insuficiência respiratória70, sibilos e respiração ofegante.

. efeitos sobre o sistema nervoso central71: tontura19, confusão, hipertensão72 intracraniana, ansiedade e depressão.

. efeitos neuro-sensitivos: distúrbios visuais e auditivos.

. outros efeitos: febre21, calafrios22, fadiga23, alterações no peso corpóreo, dor musculo-esquelética e região dorsal, dor torácica, distúrbios de sangramento, pneumonia25, infecção26, septicemia73, fraqueza generalizada e letargia74.

Com base nas informações atualmente disponíveis, estas reações adversas não representam um risco permanente ou irreversível, porém é aconselhável interromper ou descontinuar o tratamento, dependendo das opções alternativas disponíveis para o paciente.

Foram reportados freqüentes sintomas51 da "Síndrome27 do ácido retinóico" que podem representar risco de vida para o paciente quando não tratado adequadamente.

Posologia e Administração de Vesanoid

Recomenda-se uma dose diária total de 45 mg/m2 de superfície corporal dividida em duas doses orais para pacientes50 portadores de leucemia2 promielocítica aguda, incluindo crianças e idosos. O tratamento deve ser continuado por 30 a 90 dias até que se obtenha remissão completa. Após remissão completa, um esquema padrão de quimioterapia37 de consolidação deve ser iniciado imediatamente; por exemplo, três cursos de 7 dias de daunomicina e citosina arabinosídeo, em intervalos de 5 a 6 semanas. Este procedimento esta sujeito a alterações se refletir melhora do quadro clínico.

Superdosagem de Vesanoid

Não foram reportados casos de superdosagem aguda com o ácido all-trans-retinóico. Efeitos característicos de hipervitaminose A, amplamente reversíveis, podem aparecer em casos de superdosagem. A dose recomendada é de um terço da dose máxima tolerada em pacientes portadores de tumores sólidos e abaixo da dose máxima tolerada em crianças.

 

Observações Especiais de Vesanoid

Estabilidade de Vesanoid

Este medicamento não deverá ser usado após sua data limite de validade (EXP) indicada na embalagem. O prazo de validade deste medicamento após a fabricação é de 3 anos.

Conservação de Vesanoid

Conserve os frascos bem fechados; proteja as cápsulas do calor (acima de 30° C) e da luz. Este medicamento não deverá ser usado após sua data limite de validade (EXP) indicada na embalagem.

ESTE É UM NOVO MEDICAMENTO. EMBORA AS PESQUISAS REALIZADAS TENHAM INDICADO EFICÁCIA E SEGURANÇA QUANDO CORRETAMENTE INDICADO, PODEM OCORRER REAÇÕES ADVERSAS IMPREVISÍVEIS AINDA NÃO DESCRITAS OU CONHECIDAS. EM CASO DE SUSPEITA DE REAÇÃO ADVERSA, O MÉDICO RESPONSÁVEL DEVE SER NOTIFICADO.

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA SUJEITA À RETENÇÃO.

VESANOID - Laboratório

ROCHE
Av. Engenheiro Billings, 1729 - Jaguaré
São Paulo/SP - CEP: 05321-900
Tel: 0800 7720 289
Fax: 0800 7720 292
Site: http://www.roche.com/
Estrada dos Bandeirantes, 2020
CEP: 22710-104
Rio de Janeiro - RJ

Ver outros medicamentos do laboratório "ROCHE"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
2 Leucemia: Doença maligna caracterizada pela proliferação anormal de elementos celulares que originam os glóbulos brancos (leucócitos). Como resultado, produz-se a substituição do tecido normal por células cancerosas, com conseqüente diminuição da capacidade imunológica, anemia, distúrbios da função plaquetária, etc.
3 Células Sanguíneas: Células encontradas no líquido corpóreo circulando por toda parte do SISTEMA CARDIOVASCULAR.
4 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
5 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
6 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
7 Teratogênico: Agente teratogênico ou teratógeno é tudo aquilo capaz de produzir dano ao embrião ou feto durante a gravidez. Estes danos podem se refletir como perda da gestação, malformações ou alterações funcionais ou ainda distúrbios neurocomportamentais, como retardo mental.
8 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
9 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
10 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
11 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
12 Edemas: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
13 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
14 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
15 Cabeça:
16 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
17 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
18 Faringite: Inflamação da mucosa faríngea em geral de causa bacteriana ou viral. Caracteriza-se por dor, dificuldade para engolir e vermelhidão da mucosa, acompanhada de exsudatos ou não.
19 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
20 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
21 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
22 Calafrios: 1. Conjunto de pequenas contrações da pele e dos músculos cutâneos ao longo do corpo, muitas vezes com tremores fortes e palidez, que acompanham uma sensação de frio provocada por baixa temperatura, má condição orgânica ou ainda por medo, horror, nojo, etc. 2. Sensação de frio e tremores fortes, às vezes com bater de dentes, que precedem ou acompanham acessos de febre.
23 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
24 Costas:
25 Pneumonia: Inflamação do parênquima pulmonar. Sua causa mais freqüente é a infecção bacteriana, apesar de que pode ser produzida por outros microorganismos. Manifesta-se por febre, tosse, expectoração e dor torácica. Em pacientes idosos ou imunodeprimidos pode ser uma doença fatal.
26 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
27 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
28 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
29 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
30 Feto;: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
31 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
32 Dispnéia: Falta de ar ou dificuldade para respirar caracterizada por respiração rápida e curta, geralmente está associada a alguma doença cardíaca ou pulmonar.
33 Hipotensão: Pressão sanguínea baixa ou queda repentina na pressão sanguínea. A hipotensão pode ocorrer quando uma pessoa muda rapidamente de uma posição sentada ou deitada para a posição de pé, causando vertigem ou desmaio.
34 Derrame: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
35 Insuficiência hepática: Deterioração grave da função hepática. Pode ser decorrente de hepatite viral, cirrose e hepatopatia alcoólica (lesão hepática devido ao consumo de álcool) ou medicamentosa (causada por medicamentos como, por exemplo, o acetaminofeno). Para que uma insuficiência hepática ocorra, deve haver uma lesão de grande porção do fígado.
36 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
37 Quimioterapia: Método que utiliza compostos químicos, chamados quimioterápicos, no tratamento de doenças causadas por agentes biológicos. Quando aplicada ao câncer, a quimioterapia é chamada de quimioterapia antineoplásica ou quimioterapia antiblástica.
38 Leucócitos: Células sangüíneas brancas. Compreendem tanto os leucócitos granulócitos (BASÓFILOS, EOSINÓFILOS e NEUTRÓFILOS) como os não granulócitos (LINFÓCITOS e MONÓCITOS). Sinônimos: Células Brancas do Sangue; Corpúsculos Sanguíneos Brancos; Corpúsculos Brancos Sanguíneos; Corpúsculos Brancos do Sangue; Células Sanguíneas Brancas
39 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
40 Metabólito: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
41 Plasma: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).
42 Para paciente: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Paciente disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
43 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
44 Tissular: Relativo a tecido orgânico.
45 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
46 Metabólitos: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
47 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
48 Refratários: 1. Que resiste à ação física ou química. 2. Que resiste às leis ou a princípios de autoridade. 3. No sentido figurado, que não se ressente de ataques ou ações exteriores; insensível, indiferente, resistente. 4. Imune a certas doenças.
49 Recidiva: 1. Em medicina, é o reaparecimento de uma doença ou de um sintoma, após período de cura mais ou menos longo; recorrência. 2. Em direito penal, significa recaída na mesma falta, no mesmo crime; reincidência.
50 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
51 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
52 Malformação: 1. Defeito na forma ou na formação; anomalia, aberração, deformação. 2. Em patologia, é vício de conformação de uma parte do corpo, de origem congênita ou hereditária, geralmente curável por cirurgia. Ela é diferente da deformação (que é adquirida) e da monstruosidade (que é incurável).
53 Urgência: 1. Necessidade que requer solução imediata; pressa. 2. Situação crítica ou muito grave que tem prioridade sobre outras; emergência.
54 Lactantes: Que produzem leite; que aleitam.
55 Rash: Coloração avermelhada da pele como conseqüência de uma reação alérgica ou infecção.
56 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
57 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
58 Colesterol: Tipo de gordura produzida pelo fígado e encontrada no sangue, músculos, fígado e outros tecidos. O colesterol é usado pelo corpo para a produção de hormônios esteróides (testosterona, estrógeno, cortisol e progesterona). O excesso de colesterol pode causar depósito de gordura nos vasos sangüíneos. Seus componentes são: HDL-Colesterol: tem efeito protetor para as artérias, é considerado o bom colesterol. LDL-Colesterol: relacionado às doenças cardiovasculares, é o mau colesterol. VLDL-Colesterol: representa os triglicérides (um quinto destes).
59 Eritema: Vermelhidão da pele, difusa ou salpicada, que desaparece à pressão.
60 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
61 Sudorese: Suor excessivo
62 Celulite: Inflamação aguda das estruturas cutâneas, incluindo o tecido adiposo subjacente, geralmente produzida por um agente infeccioso e manifestada por dor, rubor, aumento da temperatura local, febre e mal estar geral.
63 Alopécia: Redução parcial ou total de pêlos ou cabelos em uma determinada área de pele. Ela apresenta várias causas, podendo ter evolução progressiva, resolução espontânea ou ser controlada com tratamento médico. Quando afeta todos os pêlos do corpo, é chamada de alopécia universal.
64 Mucosas: Tipo de membranas, umidificadas por secreções glandulares, que recobrem cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
65 Derme: Camada interna das duas principais camadas da pele. A derme é formada por tecido conjuntivo, vasos sanguíneos, glândulas sebáceas e sudoríparas, nervos, folículos pilosos e outras estruturas. É constituída por uma fina camada superior que é a derme papilar e uma camada mais grossa, mais baixa, que é a derme reticular.
66 Xeroftalmia: Distúrbio caracterizado pelo ressecamento excessivo das mucosas que recobrem o olho. Produz a sensação de ter um corpo estranho ou areia no mesmo, juntamente com dor e irritação ocular. Pode ser produzido por doenças locais ou que afetam também outros órgãos.
67 Dermatite: Inflamação das camadas superficiais da pele, que pode apresentar-se de formas variadas (dermatite seborreica, dermatite de contato...) e é produzida pela agressão direta de microorganismos, substância tóxica ou por uma resposta imunológica inadequada (alergias, doenças auto-imunes).
68 Obstipação: Prisão de ventre ou constipação rebelde.
69 Arritmia: Arritmia cardíaca é o nome dado a diversas perturbações que alteram a frequência ou o ritmo dos batimentos cardíacos.
70 Insuficiência respiratória: Condição clínica na qual o sistema respiratório não consegue manter os valores da pressão arterial de oxigênio (PaO2) e/ou da pressão arterial de gás carbônico (PaCO2) dentro dos limites da normalidade, para determinada demanda metabólica. Como a definição está relacionada à incapacidade do sistema respiratório em manter níveis adequados de oxigenação e gás carbônico, foram estabelecidos, para sua caracterização, pontos de corte na gasometria arterial: PaO2 50 mmHg.
71 Sistema Nervoso Central: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
72 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
73 Septicemia: Septicemia ou sepse é uma infecção generalizada grave que ocorre devido à presença de micro-organismos patogênicos e suas toxinas na corrente sanguínea. Geralmente ela ocorre a partir de outra infecção já existente.
74 Letargia: Em psicopatologia, é o estado de profunda e prolongada inconsciência, semelhante ao sono profundo, do qual a pessoa pode ser despertada, mas ao qual retorna logo a seguir. Por extensão de sentido, é a incapacidade de reagir e de expressar emoções; apatia, inércia e/ou desinteresse.
Artigos relacionados

Tem alguma dúvida sobre VESANOID?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.