CLOFENAK

MEDLEY

Atualizado em 08/12/2014

CLOFENAKâ    
    
Diclofenaco potássico    
    
Antiinflamatório, analgésico1 e antipirético2    

Formas Farmacêuticas e Apresentações de Clofenak

Comprimido revestido: Caixa com 10 comprimidos.Gotas orais: Frasco com 20 ml.

USO ADULTO E CRIANÇAS ACIMA DE 01 ANO.

Composições de Clofenak


Cada comprimido revestido contém:
Diclofenaco potássico....................50 mg
Excipientes (Celulose microcristalina, lactose3, amido, estearato de magnésio, Eudragit, álcool isopropílico, talco, dióxido de titânio, corante, polietilenoglicol, acetona, manitol, povidona, álcool etílico e fosfato de cálcio dibásico) q.s.p....................1 comprimido

Gotas: cada ml (aproximadamente 20 gotas) contém:
Diclofenaco potássico (na forma de resinato)....................15 mg
Veículo (dióxido de silício coloidal, metilparabeno, propilparabeno, ácido cítrico anidro, sacarina4 ácida, essência e parafina líquida) q.s.p....................1 ml

Informações ao Paciente de Clofenak

·    Ação esperada do medicamento: Clofenak é utilizado no tratamento da dor e inflamação5.·    Cuidados de armazenamento: comprimidos revestidos - Conservar o produto ao abrigo da umidade, luz e calor; gotas orais - Conservar em temperatura ambiente.
·    Prazo de validade: Não use o medicamento se o prazo de validade estiver vencido, o que pode ser verificado na embalagem externa do produto.
·    Gravidez6 e lactação7: Informe seu médico a ocorrência de gravidez6 ou amamentação8 na vigência do tratamento ou após o seu término.
·    Cuidados de administração: Os comprimidos devem ser ingeridos com um pouco de líquido, de preferência antes das refeições. O frasco que contém as gotas deve ser agitado antes de usar. Durante o gotejamento o frasco deve ser mantido na posição vertical. Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.
·    Interrupção do tratamento: Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.
·    Reações adversas: Informe seu médico o aparecimento de reações desagradáveis, como náuseas9, diarréia10, gastralgia11, cefaléia12, vertigem13 e vermelhidão da pele14 ou qualquer outra que porventura possa ocorrer.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

·    Ingestão concomitante com outras substâncias: A ingestão de antiinflamatórios com álcool, aumenta o potencial de irritação gástrica. Desta forma, recomenda-se a abstenção de ingestão de álcool durante o tratamento.
·    Contra-indicações e precauções: Informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início ou durante o tratamento.

NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO. PODE SER PERIGOSO PARA A SAÚDE15.

Informações Técnicas de Clofenak

Clofenak contém uma substância não esteróide com potente ação antiinflamatória, analgésica e antipirética. O diclofenaco potássico inibe intensamente a biossíntese das prostaglandinas16, possuindo também, discreta ação inibidora da agregação plaquetária. Clofenak é pronta e completamente absorvido após administração oral, com rápida instalação do efeito analgésico1. É adequado para o tratamento dos processos inflamatórios agudos que se acompanha de dor e febre17. Nas inflamações18 de origem infecciosas, Clofenak atua como adjuvante, baixando a febre17, eliminando a dor e reduzindo a inflamação5. Está também indicado na prevenção e tratamento de inflamações18 pós-traumáticas e pós-operatórias.
Na dismenorréia19 primária, Clofenak reduz a intensidade da dor e sintomas20 associados.

Indicações de Clofenak

Clofenak está indicado no tratamento dos processos inflamatórios e dolorosos agudos. A febre17, isoladamente, não é uma indicação.

Contra-Indicações de Clofenak

Úlcera péptica21, hipersensibilidade à substância ativa. A exemplo de outros medicamentos antiinflamatórios não esteróides, Clofenak está contra-indicado a pacientes alérgicos, nos quais a crise de asma22, urticária23 ou rinite24 aguda, são desencadeados pelo uso do ácido acetilsalicílico ou por outros medicamentos inibidores da prostaglandina25-sintetase.

Precauções de Clofenak

Pacientes com distúrbios gastrointestinais, lesões26 hepáticas27 ou renais graves, devem ser mantidos sob estrita vigilância médica. Na eventualidade rara de ocorrência de úlcera28 gastroduodenal ou hemorragia29 gastrointestinal, o tratamento com Clofenak deverá ser suspenso.
Devido à importância das prostaglandinas16 na manutenção do fluxo sanguíneo renal30, atenção especial deve ser dada ao se usar o produto em casos de comprometimento das funções cardíacas ou renal30 em pacientes tratados com diuréticos31 e naqueles em recuperação de grandes cirurgias.
Recomenda-se, em casos de tratamentos prolongados, o controle periódico do quadro hematológico, como é regra quando da administração de substâncias altamente ativas.
Gravidez6 e lactação7:
Embora não exista registro de efeitos teratogênicos32, não se recomenda a prescrição de Clofenak durante a gravidez6. Em casos de indicação estrita, o médico deve avaliar o benefício em relação ao potencial risco para o feto33. Após doses orais de 150 mg diariamente, a substância ativa foi encontrada no leite materno, todavia, em baixas concentrações.

Interações Medicamentosas de Clofenak

Quando administrados simultaneamente ao lítio ou digoxina, os antiinflamatórios não esteróides podem elevar as concentrações plasmáticas dos mesmos. O uso simultâneo do ácido acetilsalicílico reduz a concentração plasmática do diclofenaco potássico. Quando administrado simultaneamente com antidiabéticos orais34, Clofenak não interfere na atividade dos mesmos.
A administração concomitante com glicocorticóides e outros antiinflamatórios não esteróides pode propiciar o agravamento de efeitos gastrointestinais. Como com outros agentes antiinflamatórios não esteróides, diclofenaco em doses altas (200 mg) pode inibir temporariamente a agregação plaquetária. Fazer testes laboratoriais quando do uso concomitante com anticoagulante35.

Reações Adversas de Clofenak

Clofenak é geralmente bem tolerado. No início do tratamento podem ocorrer eructação36, epigastralgia37, náuseas9 e diarréias, assim como cefaléia12 e vertigem13. Estas manifestações são geralmente, de natureza benigna. De possível ocorrência são edemas38 periféricos e reações exantemáticas como prurido39 e eczema40. Foram observados alguns casos de ulceração41 gástrica ou intestinal, hemorragias42, reações de hipersensibilidade (broncoespasmo43, reações sistêmicas anafilactóides) e elevação transitória das transaminases.

Posologia de Clofenak

Adultos: a dose usual é de 75 mg a 150 mg por dia, divididos em 2 ou 3 tomadas. Por exemplo, 1 comprimido de 50 mg, 2 a 3 vezes ao dia.
No tratamento da dismenorréia19 primária, a dose diária é de 50 mg a 150 mg, a ser adaptada a cada caso. A dose inicial de 50 mg a 100 mg deve ser administrada e, se necessário, aumentada no curso de vários ciclos até o máximo de 200 mg/dia. O tratamento inicia-se com o aparecimento dos primeiros sintomas20 e, de acordo com a intensidade, prolonga-se por alguns dias.
Os comprimidos devem ser ingeridos inteiros com um pouco de líquido, de preferência, antes das refeições.
Crianças: A forma gotas é especialmente indicada para uso infantil por permitir um ajuste individual da dose em relação ao peso. A posologia diária recomendada para crianças acima de 1 ano de idade é de 0,5 mg a 2 mg por kg de peso corporal, administrada em 2 a 3 tomadas. Como antipirético2, utilizar a mesma dose. Agitar o frasco antes de usar. As gotas não são solúveis em líquidos aquosos, devendo ser administradas diretamente na boca44 ou por meio de uma colher.

Superdose de Clofenak

Devem ser adotadas medidas gerais de suporte: lavagem gástrica45 e tratamento com carvão ativado, tão cedo quanto possível após a superdose, ajudam a evitar a absorção.

CLOFENAK - Laboratório

MEDLEY
Rua Macedo Costa, 55
Campinas/SP - CEP: 13080-180
Tel: (19 )744-8324
Fax: (019) 744-8227
Site: http://www.medley.com.br/

Ver outros medicamentos do laboratório "MEDLEY"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Analgésico: Medicamento usado para aliviar a dor. As drogas analgésicas incluem os antiinflamatórios não-esteróides (AINE), tais como os salicilatos, drogas narcóticas como a morfina e drogas sintéticas com propriedades narcóticas, como o tramadol.
2 Antipirético: Medicamento que reduz a febre, diminuindo a temperatura corporal que está acima do normal. Entretanto, ele não vai afetar a temperatura normal do corpo se uma pessoa que não tiver febre o ingerir. Os antipiréticos fazem com que o hipotálamo “ignore“ um aumento de temperatura induzido por interleucina. O corpo então irá trabalhar para baixar a temperatura e o resultado é a redução da febre.
3 Lactose: Tipo de glicídio que possui ligação glicosídica. É o açúcar encontrado no leite e seus derivados. A lactose é formada por dois carboidratos menores, chamados monossacarídeos, a glicose e a galactose, sendo, portanto, um dissacarídeo.
4 Sacarina: Adoçante sem calorias e sem valor nutricional.
5 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
6 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
7 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
8 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
9 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
10 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
11 Gastralgia: Dor no estômago; cólica gástrica, gastrodinia.
12 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
13 Vertigem: Alucinação de movimento. Pode ser devido à doença do sistema de equilíbrio, reação a drogas, etc.
14 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
15 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
16 Prostaglandinas: É qualquer uma das várias moléculas estruturalmente relacionadas, lipossolúveis, derivadas do ácido araquidônico. Ela tem função reguladora de diversas vias metabólicas.
17 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
18 Inflamações: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc. Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
19 Dismenorréia: Dor associada à menstruação. Em uma porcentagem importante de mulheres é um sintoma normal. Em alguns casos está associada a doenças ginecológicas (endometriose, etc.).
20 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
21 Úlcera péptica: Lesão na mucosa do esôfago, estômago ou duodeno. Também chamada de úlcera gástrica ou duodenal. Pode ser provocada por excesso de ácido clorídrico produzido pelo próprio estômago ou por medicamentos como antiinflamatórios ou aspirina. É uma doença infecciosa, causada pela bactéria Helicobacter pylori em quase 100% dos casos. Os principais sintomas são: dor, má digestão, enjôo, queimação (azia), sensação de estômago vazio.
22 Asma: Doença das vias aéreas inferiores (brônquios), caracterizada por uma diminuição aguda do calibre bronquial em resposta a um estímulo ambiental. Isto produz obstrução e dificuldade respiratória que pode ser revertida de forma espontânea ou com tratamento médico.
23 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
24 Rinite: Inflamação da mucosa nasal, produzida por uma infecção viral ou reação alérgica. Manifesta-se por secreção aquosa e obstrução das fossas nasais.
25 Prostaglandina: É qualquer uma das várias moléculas estruturalmente relacionadas, lipossolúveis, derivadas do ácido araquidônico. Ela tem função reguladora de diversas vias metabólicas.
26 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
27 Hepáticas: Relativas a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
28 Úlcera: Ferida superficial em tecido cutâneo ou mucoso que pode ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
29 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
30 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
31 Diuréticos: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.
32 Teratogênicos: Agente teratogênico ou teratógeno é tudo aquilo capaz de produzir dano ao embrião ou feto durante a gravidez. Estes danos podem se refletir como perda da gestação, malformações ou alterações funcionais ou ainda distúrbios neurocomportamentais, como retardo mental.
33 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
34 Antidiabéticos orais: Quaisquer medicamentos que, administrados por via oral, contribuem para manter a glicose sangüínea dentro dos limites normais. Eles podem ser um hipoglicemiante, se forem capazes de diminuir níveis de glicose previamente elevados, ou um anti-hiperglicemiante, se agirem impedindo a elevação da glicemia após uma refeição.
35 Anticoagulante: Substância ou medicamento que evita a coagulação, especialmente do sangue.
36 Eructação: Ato de eructar, arroto.
37 Epigastralgia: Dor na região epigástrica, ou seja, na parte mediana superior da parede abdominal, que corresponde em profundidade, aproximadamente, ao estômago e ao lobo esquerdo do fígado.
38 Edemas: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
39 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
40 Eczema: Afecção alérgica da pele, ela pode ser aguda ou crônica, caracterizada por uma reação inflamatória com formação de vesículas, desenvolvimento de escamas e prurido.
41 Ulceração: 1. Processo patológico de formação de uma úlcera. 2. A úlcera ou um grupo de úlceras.
42 Hemorragias: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
43 Broncoespasmo: Contração do músculo liso bronquial, capaz de produzir estreitamento das vias aéreas, manifestado por sibilos no tórax e falta de ar. É uma contração vista com freqüência na asma.
44 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
45 Lavagem gástrica: É a introdução, através de sonda nasogástrica, de líquido na cavidade gástrica, seguida de sua remoção.

Tem alguma dúvida sobre CLOFENAK?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.