HALOG Pomada

B-MS

Atualizado em 08/12/2014

Composição de Halog Pomada

cada grama1 de pomada contém, respectivamente:halcinonida 0,25 mg e halcinonida 1,0 mg. Componentes inativos: óleo mineral pesado, gel de petrolato e polietileno, polietilenoglicol 400, polietilenoglicol 540, diestearato de polietilenoglicol 6000 e hidroxitolueno butilado.

Posologia e Administração de Halog Pomada

Halog 0,025% Pomada: aplicar uma camada fina à área afetada 2 a 3 vezes ao dia. Halog 0,1% Pomada: para terapia inicial, aplicar uma camada fina à área afetada 1 a 3 vezes ao dia. Para lesões2 psoriáticas severas, aplicar pelo menos 2 vezes ao dia. Para aquelas dermatoses, incluindo psoríase3, que foram controladas com aplicação mais freqüente, a administração 1 vez ao dia pode também ser usada como terapia de manutenção. Técnica do penso oclusivo: pensos oclusivos podem ser usados para o tratamento de psoríases ou condições recalcitrantes. Esfregar delicadamente uma pequena quantidade do produto na lesão4 até que ela desapareça. Reaplicar o produto, deixando uma leve camada sobre a lesão4, cobrindo-a com um filme flexível não poroso e vedando as bordas. Se necessário, umidade adicional pode ser providenciada, cobrindo a lesão4 com um pano de algodão limpo e umedecido, antes que o filme não poroso seja aplicado ou umedecendo levemente a área afetada com água, antes de aplicar a medicação. A freqüência de troca dos curativos é melhor determinada numa base individual. Pode ser conveniente aplicar o produto à noite sob penso oclusivo e remover o penso pela manhã (isto é, 12 horas de oclusão). Quando for utilizado o regime de oclusão de 12 horas noturna, deve-se aplicar produto adicional, sem oclusão durante o dia. A reaplicação é essencial a cada troca de curativo. Caso se desenvolva uma infecção5, o uso de pensos oclusivos deverá ser descontinuado e instituída terapia antimicrobiana apropriada. Superdosagem: corticosteróides aplicados topicamente podem ser absorvidos em quantidades suficientes para produzir efeitos sistêmicos6. Tratamento: não há antídoto7 específico disponível e o tratamento deve ser sintomático8.

Precauções de Halog Pomada

geral: a absorção sistêmica de corticosteróides tópicos tem produzido supressão reversível do eixo hipotálamo9-pituitária-adrenal (HPA), manifestações de síndrome de Cushing10, hiperglicemia11 e glicosúria12 em alguns pacientes. Condições que aumentam a absorção sistêmica incluem a aplicação de esteróides mais potentes, uso sobre extensas áreas de superfície, uso prolongado e a adição de pensos oclusivos. Portanto, pacientes recebendo grande quantidade de qualquer esteróide tópico13 potente, aplicado a uma área de grande superfície ou sob penso oclusivo devem ser avaliados periodicamente, para evidência de supressão do eixo HPA, utilizando os testes do cortisol livre na urina14 e estimulação do ACTH e para a diminuição da homeostase térmica. Se ocorrer supressão do eixo HPA ou elevação da temperatura do corpo, uma tentativa deve ser feita para retirar a droga, para reduzir a freqüência de aplicação, substituir por um esteróide menos potente ou usar aplicações sucessivas, quando for utilizada a técnica oclusiva. A recuperação da função do eixo HPA e homeostase térmica é geralmente imediata e completa após descontinuação da droga. Raras vezes podem ocorrer sinais15 e sintomas16 de dependência do esteróide, requerendo corticosteróides sistêmicos6 suplementares. Caso se desenvolva irritação cutânea17, os corticosteróides tópicos devem ser descontinuados e instituída terapia apropriada. Ocasionalmente, um paciente pode desenvolver uma reação de sensibilidade a um determinado material do penso oclusivo ou adesivo e ser necessário substituir o material. Na presença de infecções18 dermatológicas, deve ser instituído o uso de uma terapia antiinfecciosa apropriada. Se uma resposta favorável não ocorrer prontamente, o corticosteróide deverá ser descontinuado até que a infecção5 seja adequadamente controlada. Essas preparações não são para uso oftálmico. Testes de laboratório: teste de cortisol livre na urina14 e teste de estimulação do ACTH podem ser úteis na avaliação da supressão do eixo HPA. - Gravidez19: não há estudos adequados e bem controlados em mulheres grávidas sobre os efeitos teratogênicos20 de corticosteróides aplicados topicamente. Portanto, os corticosteróides tópicos devem ser usados durante a gravidez19, apenas se o benefício justificar o risco potencial para o feto21. Drogas dessa classe não devem ser extensivamente usadas em pacientes grávidas, em grandes quantidades ou por períodos prolongados de tempo. Lactantes22: é desconhecido se a administração tópica de corticosteróides pode resultar em absorção sistêmica suficiente para produzir quantidades detectáveis no leite materno. Corticosteróides administrados sistêmicamente são eliminados no leite materno em quantidades que provavelmente não causem um efeito nocivo para o lactente23. Todavia, deve-se ter cautela, quando corticosteróides tópicos são administrados a mães que amamentam. - Uso pediátrico: o uso desta medicação sobre grandes superfícies ou por períodos prolongados em pacientes pediátricos, pode resultar em absorção sistêmica, suficiente para produzir efeitos sistêmicos6. Pacientes pediátricos podem demonstrar susceptibilidade24 maior à supressão do eixo HPA e síndrome de Cushing10 corticosteróide-tópico13 induzidos do que pacientes adultos, devido à maior proporção de área de superfície de pele25 sobre peso corporal. A supressão do eixo HPA, síndrome de Cushing10 e hipertensão26 intracraniana foram relatadas em crianças recebendo corticosteróides tópicos. A administração de corticosteróides tópicos a crianças deve ser limitada à quantidade mínima compatível com um regime terapêutico efetivo. Estes pacientes devem ser estritamente monitorados com relação aos sinais15 e sintomas16 dos efeitos sistêmicos6.

Reações Adversas de Halog Pomada

as seguintes reações adversas locais são raras vezes relatadas com corticosteróides tópicos, mas podem ocorrer com maior freqüência com o uso de pensos oclusivos (as reações são listadas numa ordem decrescente aproximada de ocorrência): queimação, prurido27, irritação, ressecamento, foliculite, hipertricose28, erupções acneiformes, hipopigmentação, dermatite29 perioral, dermatite29 alérgica de contato, maceração da pele25, infecção5 secundária, atrofia30 da pele25, estrias e miliaria. Pacientes pediátricos: manifestações de supressão adrenal em crianças incluem retardamento do crescimento linear, demora de ganho de peso, níveis baixos de cortisol no plasma31 e ausência de resposta a estímulos de ACTH. Manifestações de hipertensão26 intracraniana incluem fontanelas32 protuberantes, dores de cabeça33 e papiledema bilateral.

Contra-Indicações de Halog Pomada

corticosteróides tópicos são contra-indicados naqueles pacientes com história de hipersensibilidade a qualquer dos componentes das preparações.

Indicações de Halog Pomada

alívio das manifestações de inflamação34 e prurido27 de dermatoses corticosteróide-responsivas.

Apresentação de Halog Pomada

tubos de 30 g e tubos de 60 g.


HALOG Pomada - Laboratório

B-MS
Rua Carlos Gomes, 924
São Paulo/SP - CEP: 04743-002
Tel: 55 (011) 882-2000
Fax: 55 (011) 246-0151
Site: http://www.bristol.com.br/

Ver outros medicamentos do laboratório "B-MS"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Grama: 1. Designação comum a diversas ervas da família das gramíneas que formam forrações espontâneas ou que são cultivadas para criar gramados em jardins e parques ou como forrageiras, em pastagens; relva. 2. Unidade de medida de massa no sistema c.g.s., equivalente a 0,001 kg . Símbolo: g.
2 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
3 Psoríase: Doença imunológica caracterizada por lesões avermelhadas com descamação aumentada da pele dos cotovelos, joelhos, couro cabeludo e costas juntamente com alterações das unhas (unhas em dedal). Evolui através do tempo com melhoras e pioras, podendo afetar também diferentes articulações.
4 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
5 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
6 Sistêmicos: 1. Relativo a sistema ou a sistemática. 2. Relativo à visão conspectiva, estrutural de um sistema; que se refere ou segue um sistema em seu conjunto. 3. Disposto de modo ordenado, metódico, coerente. 4. Em medicina, é o que envolve o organismo como um todo ou em grande parte.
7 Antídoto: Substância ou mistura que neutraliza os efeitos de um veneno. Esta ação pode reagir diretamente com o veneno ou amenizar/reverter a ação biológica causada por ele.
8 Sintomático: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.
9 Hipotálamo: Parte ventral do diencéfalo extendendo-se da região do quiasma óptico à borda caudal dos corpos mamilares, formando as paredes lateral e inferior do terceiro ventrículo.
10 Síndrome de Cushing: A síndrome de Cushing, hipercortisolismo ou hiperadrenocortisolismo, é um conjunto de sinais e sintomas que indicam excesso de cortisona (hormônio) no sangue. Esse hormônio é liberado pela glândula adrenal (também conhecida como suprarrenal) em resposta à liberação de ACTH pela hipófise no cérebro. Níveis elevados de cortisol (ou cortisona) também podem ocorrer devido à administração de certos medicamentos, como hormônios glicocorticoides. A síndrome de Cushing e a doença de Cushing são muito parecidas, já que o que a causa de ambas é o elevado nível de cortisol no sangue. O que difere é a origem dessa elevação. A doença de Cushing diz respeito, exclusivamente, a um tumor na hipófise que passa a secretar grande quantidade de ACTH e, consequentemente, há um aumento na liberação de cortisol pelas adrenais. Já a síndrome de Cushing pode ocorrer, por exemplo, devido a um tumor presente nas glândulas suprarrenais ou pela administração excessiva de corticoides.
11 Hiperglicemia: Excesso de glicose no sangue. Hiperglicemia de jejum é o nível de glicose acima dos níveis considerados normais após jejum de 8 horas. Hiperglicemia pós-prandial acima de níveis considerados normais após 1 ou 2 horas após alimentação.
12 Glicosúria: Presença de glicose na urina.
13 Tópico: Referente a uma área delimitada. De ação limitada à mesma. Diz-se dos medicamentos de uso local, como pomadas, loções, pós, soluções, etc.
14 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
15 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
16 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
17 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
18 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
19 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
20 Teratogênicos: Agente teratogênico ou teratógeno é tudo aquilo capaz de produzir dano ao embrião ou feto durante a gravidez. Estes danos podem se refletir como perda da gestação, malformações ou alterações funcionais ou ainda distúrbios neurocomportamentais, como retardo mental.
21 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
22 Lactantes: Que produzem leite; que aleitam.
23 Lactente: Que ou aquele que mama, bebê. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
24 Susceptibilidade: 1. Ato, característica ou condição do que é suscetível. 2. Capacidade de receber as impressões que põem em exercício as ações orgânicas; sensibilidade. 3. Disposição ou tendência para se ofender e se ressentir com (algo, geralmente sem importância); delicadeza, melindre. 4. Em física, é o coeficiente de proporcionalidade entre o campo magnético aplicado a um material e a sua magnetização.
25 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
26 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
27 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
28 Hipertricose: É a transformação de pêlos velus (de textura fina e distribuídos em todo o corpo) em pêlos terminais (mais grossos e escuros). Não é causada por um aumento na produção de androgênios, podendo ser congênita ou adquirida. A hipertricose adquirida pode ser ocasionada por ingestão de medicamentos, algumas doenças metabólicas, como hipotireoidismo e porfirias, ou doenças nutricionais, como anorexia, desnutrição ou síndromes de má absorção.
29 Dermatite: Inflamação das camadas superficiais da pele, que pode apresentar-se de formas variadas (dermatite seborreica, dermatite de contato...) e é produzida pela agressão direta de microorganismos, substância tóxica ou por uma resposta imunológica inadequada (alergias, doenças auto-imunes).
30 Atrofia: 1. Em biologia, é a falta de desenvolvimento de corpo, órgão, tecido ou membro. 2. Em patologia, é a diminuição de peso e volume de órgão, tecido ou membro por nutrição insuficiente das células ou imobilização. 3. No sentido figurado, é uma debilitação ou perda de alguma faculdade mental ou de um dos sentidos, por exemplo, da memória em idosos.
31 Plasma: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).
32 Fontanelas: Na anatomia geral, são espaços membranosos entre os ossos do crânio que ainda não se encontram ossificados quando do nascimento do bebê; fontículos ou moleiras. Na anatomia zoológica, são depressões rasas e pálidas da cabeça de certos cupins; fenestras.
33 Cabeça:
34 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
Artigos relacionados

Tem alguma dúvida sobre HALOG Pomada?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.