LOCORTEN

NOVARTIS

Atualizado em 09/12/2014

Composição de Locorten

as formas creme e pomada contém pivalato de flumetasona a 0,02% e sulfato de neomicina a 0,5%.

Posologia e Administração de Locorten

Locorten com neomicina deve ser aplicado nas áreas afetadas, em forma de camada fina, 2 a 3 vezes ao dia, dependendo da severidade da doença. O produto pode ser aplicado com leve fricção. Não são necessários curativos protetores. Curativos oclusivos não devem ser utilizados na presença de infecção1 cutânea2. Superdosagem: não há relatos até o momento.

Precauções de Locorten

nos casos excepcionais em que Locorten com neomicina é aplicado em grandes quantidades ou em extensas áreas da pele3, o paciente deverá ser mantido sob supervisão médica regular. O tratamento em longo prazo, especialmente da pele3 do rosto, deve sempre ser evitado, não importando a idade do paciente. Se não houver melhora no decorrer de uma semana, a terapia deve ser descontinuada, sendo então aconselhável identificar os patógenos, instituindo-se o tratamento apropriado. A aplicação recorrente, o uso prolongado ou a aplicação em grandes áreas da pele3, especialmente na pele3 severamente lesada, acarretam risco acentuado de sensibilização de contato à neomicina. Reações de hipersensibilidade em decorrência do uso de neomicina podem ser mascaradas pelo corticosteróide. Durante o uso prolongado há risco adicional de complicações infecciosas (indução de microorganismos resistentes, superinfecção4, infecção1 micótica). De acordo com a experiência médica mais atualizada, não ocorre absorção demonstrável do pivalato de flumetasona através da pele3; portanto, desde que o medicamento seja administrado conforme o que se recomenda, é improvável que ocorram efeitos sistêmicos5 indesejáveis, tais como, influência clinicamente relevante sobre a função adrenocortical. De acordo com princípios médicos básicos, entretanto, este risco deve ser sempre mantido em mente, particularmente ao se utilizar o medicamento em pediatria. Locorten com neomicina não é apropriado como monoterapia em doenças bacterianas primárias da pele3. Locorten com neomicina não deve entrar em contato com a conjuntiva6. Locorten com neomicina não deve ser usado no canal auditivo externo se o tímpano7 estiver perfurado. Gravidez8 e lactação9: experimentos relevantes à avaliação da segurança dos corticosteróides conduzidos em animais, embora não tendo sido feitos especificamente com Locorten com neomicina, mostraram efeito teratogênico10 potencial e outras reações adversas no embrião e/ou no feto11. Entretanto, não há relatos sobre reações adversas com Locorten com neomicina na gravidez8 humana. Ao se utilizar Locorten com neomicina durante a gravidez8, a relação risco-benefício deverá ser cuidadosamente considerada, o que se aplica particularmente ao uso de Locorten com neomicina em grandes quantidades, em grandes áreas da pele3 ou por longos períodos de tempo. Não se sabe se as substâncias ativas de Locorten com neomicina e/ou seus metabólitos12 passam para o leite materno quando o medicamento é aplicado topicamente. Por razões de segurança, indica-se cuidado. - Interações medicamentosas: não são conhecidas até o momento.

Reações Adversas de Locorten

ocasionalmente, sinais13 de irritação no local de aplicação, tais como, sensação de queimação, prurido14 ou erupção15 cutânea2. Em casos isolados, também, foi observada atrofia16 cutânea2 leve em decorrência do uso de pivalato de flumetasona. O tratamento deve ser descontinuado se surgir irritação severa ou sensibilização. Após aplicação tópica de neomicina, especialmente em amplas áreas da pele3 ou em casos onde a pele3 foi seriamente lesada, há relatos de que a absorção do fármaco17 causa efeitos sistêmicos5 indesejáveis, tais como, ototoxicidade18 e nefrotoxicidade19. Outras reações adversas locais relatadas durante o tratamento tópico20 com glicocorticóides incluem, por exemplo, alergia21 de contato, mudanças na pigmentação da pele3 ou infecções22 secundárias. Os glicocorticóides podem também ocasionar estrias rubras de distensão, telangiectasia23, púrpura24 ou acne25 esteróide, especialmente após aplicação por períodos prolongados de tempo, em áreas extensas e na forma de curativos oclusivos ou em áreas nas quais a pele3 é muito permeável (por exemplo: face26 e axilas).

Contra-Indicações de Locorten

afecções27 virais da pele3 (por exemplo: varicela28, erupções cutâneas29 após vacinação, herpes simples, herpes- zóster), doenças micóticas da pele3, sífilis30, tuberculose31 cutânea2, rosácea, dermatite32 peroral, acne25 vulgar, aplicação nos olhos33, hipersensibilidade conhecida ao pivalato de flumetasona ou a corticosteróides em geral, hipersensibilidade conhecida à neomicina ou a outros antibióticos aminoglicosídeos, bem como aos outros componentes de Locorten com neomicina.

Indicações de Locorten

tratamento inicial de doenças inflamatórias da pele3 de tipo e localização variados, responsivas a corticosteróides, nas quais tenha ocorrido infecção1 secundária por microorganismos sensíveis à neomicina. Por exemplo: eczema34 seborréico; eczema34 de contato; dermatite32 atópica (em pacientes de todas as idades); neurodermatite localizada.

Apresentação de Locorten

creme e pomada em tubos com 15 g (peso líquido).


LOCORTEN - Laboratório

NOVARTIS
Av. Prof. Vicente Rao, 90 - Brooklin
São Paulo/SP - CEP: 04706-900
Tel: 55 (011) 532-7122
Fax: 55 (011) 532-7942
Site: http://www.novartis.com/

Ver outros medicamentos do laboratório "NOVARTIS"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
2 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
3 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
4 Superinfecção: Geralmente ocorre quando os antibióticos alteram o equilíbrio do organismo, permitindo o crescimento de agentes oportunistas, como os enterococos. A superinfecção pode ser muito difícil de tratar, porque é necessário optar por antibióticos eficazes contra todos os agentes que podem causá-la.
5 Sistêmicos: 1. Relativo a sistema ou a sistemática. 2. Relativo à visão conspectiva, estrutural de um sistema; que se refere ou segue um sistema em seu conjunto. 3. Disposto de modo ordenado, metódico, coerente. 4. Em medicina, é o que envolve o organismo como um todo ou em grande parte.
6 Conjuntiva: Membrana mucosa que reveste a superfície posterior das pálpebras e a superfície pericorneal anterior do globo ocular.
7 Tímpano: Espaço e estruturas internas à MEMBRANA TIMPÂNICA e externas à orelha interna (LABIRINTO). Entre os componentes principais estão os OSSÍCULOS DA AUDIÇÃO e a TUBA AUDITIVA, que conecta a cavidade da orelha média (cavidade timpânica) à parte superior da garganta.
8 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
9 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
10 Teratogênico: Agente teratogênico ou teratógeno é tudo aquilo capaz de produzir dano ao embrião ou feto durante a gravidez. Estes danos podem se refletir como perda da gestação, malformações ou alterações funcionais ou ainda distúrbios neurocomportamentais, como retardo mental.
11 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
12 Metabólitos: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
13 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
14 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
15 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
16 Atrofia: 1. Em biologia, é a falta de desenvolvimento de corpo, órgão, tecido ou membro. 2. Em patologia, é a diminuição de peso e volume de órgão, tecido ou membro por nutrição insuficiente das células ou imobilização. 3. No sentido figurado, é uma debilitação ou perda de alguma faculdade mental ou de um dos sentidos, por exemplo, da memória em idosos.
17 Fármaco: Qualquer produto ou preparado farmacêutico; medicamento.
18 Ototoxicidade: Dano causado aos sistemas coclear e/ou vestibular resultante de exposição a substâncias químicas.
19 Nefrotoxicidade: É um dano nos rins causado por substâncias químicas chamadas nefrotoxinas.
20 Tópico: Referente a uma área delimitada. De ação limitada à mesma. Diz-se dos medicamentos de uso local, como pomadas, loções, pós, soluções, etc.
21 Alergia: Reação inflamatória anormal, perante substâncias (alérgenos) que habitualmente não deveriam produzi-la. Entre estas substâncias encontram-se poeiras ambientais, medicamentos, alimentos etc.
22 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
23 Telangiectasia: Dilatação permanente da parede de um pequeno vaso sanguíneo localizado na derme.
24 Púrpura: Lesão hemorrágica de cor vinhosa, que não desaparece à pressão, com diâmetro superior a um centímetro.
25 Acne: Doença de predisposição genética cujas manifestações dependem da presença dos hormônios sexuais. As lesões começam a surgir na puberdade, atingindo a maioria dos jovens de ambos os sexos. Os cravos e espinhas ocorrem devido ao aumento da secreção sebácea associada ao estreitamento e obstrução da abertura do folículo pilosebáceo, dando origem aos comedões abertos (cravos pretos) e fechados (cravos brancos). Estas condições favorecem a proliferação de microorganismos que provocam a inflamação característica das espinhas, sendo o Propionibacterium acnes o agente infeccioso mais comumente envolvido.
26 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
27 Afecções: Quaisquer alterações patológicas do corpo. Em psicologia, estado de morbidez, de anormalidade psíquica.
28 Varicela: Doença viral freqüente na infância e caracterizada pela presença de febre e comprometimento do estado geral juntamente com a aparição característica de lesões que têm vários estágios. Primeiro são pequenas manchas avermelhadas, a seguir formam-se pequenas bolhas que finalmente rompem-se deixando uma crosta. É contagiosa, mas normalmente não traz maiores conseqüências à criança. As bolhas e suas crostas, se não sofrerem infecção secundária, não deixam cicatriz.
29 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
30 Sífilis: Doença transmitida pelo contato sexual, causada por uma bactéria de forma espiralada chamada Treponema pallidum. Produz diferentes sintomas de acordo com a etapa da doença. Primeiro surge uma úlcera na zona de contato com inflamação dos gânglios linfáticos regionais. Após um período a lesão inicial cura-se espontaneamente e aparecem lesões secundárias (rash cutâneo, goma sifilítica, etc.). Em suas fases tardias pode causar transtorno neurológico sério e irreversível, que felizmente após o advento do tratamento com antibióticos tem se tornado de ocorrência rara. Pode ser causa de infertilidade e abortos espontâneos repetidos.
31 Tuberculose: Doença infecciosa crônica produzida pelo bacilo de Koch (Mycobacterium tuberculosis). Produz doença pulmonar, podendo disseminar-se para qualquer outro órgão. Os sintomas de tuberculose pulmonar consistem em febre, tosse, expectoração, hemoptise, acompanhada de perda de peso e queda do estado geral. Em países em desenvolvimento (como o Brasil) aconselha-se a vacinação com uma cepa atenuada desta bactéria (vacina BCG).
32 Dermatite: Inflamação das camadas superficiais da pele, que pode apresentar-se de formas variadas (dermatite seborreica, dermatite de contato...) e é produzida pela agressão direta de microorganismos, substância tóxica ou por uma resposta imunológica inadequada (alergias, doenças auto-imunes).
33 Olhos:
34 Eczema: Afecção alérgica da pele, ela pode ser aguda ou crônica, caracterizada por uma reação inflamatória com formação de vesículas, desenvolvimento de escamas e prurido.
Artigos relacionados

Tem alguma dúvida sobre LOCORTEN?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.