MELOXIL

ATIVUS

Atualizado em 09/12/2014

Meloxil
Meloxicam

   

Formas Farmacêuticas e Apresentações de Meloxil

Comprimido de 7,5 mg - caixa com 10 comprimidos. Comprimido de 15 mg - caixa com 10 comprimidos.

Solução injetável intramuscular - caixa com 5 ampolas.

USO ADULTO

Composição de Meloxil

Comprimido de 7,5 mg _ cada comprimido contém:

Meloxicam 7,5 mg

Excipientes: Celulose Microcristalina, Amido de Milho, Estearato de Magnésio.

Comprimido de 15 mg _ cada comprimido contém:

Meloxicam 15 mg

Excipientes: Celulose Microcristalina, Amido de Milho, Estearato de Magnésio.


Solução injetável intramuscular _ cada 1,5 ml contém:

Meloxicam 15 mg

Excipientes: Meglumina, Glicofurol, Pluronic F68, Cloreto de Sódio, Glicina, Hidróxido de Sódio, Água Destilada Apirogênica q.s.p.

Informações ao Paciente de Meloxil

MELOXIL (Meloxicam) está indicado no tratamento sintomático1 da artrite reumatóide2 e das osteoartroses dolorosas.


CUIDADOS NA CONSERVAÇÃO: O medicamento deve ser conservado ao abrigo da luz, calor e umidade, em temperatura entre 15 e 30°C.


Prazo de validade: 24 meses após a data de fabricação

Verifique a data de fabricação no cartucho

Não utilize medicamentos com o prazo de validade vencido


Conduta na Gravidez3 e Lactação4: MELOXIL (Meloxicam) está contra-indicado em mulheres grávidas e amamentando. Informe ao seu médico a ocorrência de gravidez3, na vigência do tratamento ou após o seu término. Informe ao seu médico se estiver amamentando.


Cuidados na Administração: A dosagem deverá ser seguida criteriosamente, segundo a indicação do médico responsável. O medicamento deverá ser administrado nos intervalos de tempo estipulados, podendo-se fazer uso de líquidos e alimentos. MELOXIL (Meloxicam) injetável deve ser administrado, exclusivamente, por via intramuscular. Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.


NÃO INTERROMPA O TRATAMENTO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO


Reações Adversas: As reações adversas mais comuns são: "rush" cutâneo5, dispepsia6, náusea7, vômito8, dor abdominal, constipação9, flatulência, diarréia10. Informe seu médico do surgimento de reações desagradáveis.


TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.


Ingestão Concomitante com outras SubstÂncias: Foram relatados casos de interação medicamentosa entre os antiinflamatórios esteroidais, diuréticos11, antiinflamatórios não-esteroidais, ciclosporina, anticoagulantes12 orais e parenterais, anti-hipertensivos (betabloqueadores, inibidores da ECA, vasodilatadores, diuréticos11) e contraceptivos intra uterinos (DIU).


Contra-indicações e Precauções: MELOXIL (Meloxicam) está contra-indicado em pacientes com hipersensibilidade ao Meloxicam ou aos constituintes da formulação, bem como em gestantes, lactantes13 e adolescentes menores que 15 anos. MELOXIL (Meloxicam) deve ter sua prescrição avaliada em pacientes com antecedentes de úlcera gástrica14 e/ou duodenal, pacientes com doenças graves do coração15, rins16 e fígado17. Informar a seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início, ou durante o tratamento


NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO, PODE SER PERIGOSO PARA SUA SAÚDE18.

Informações Técnicas de Meloxil

As propriedades analgésica, antiinflamatória e antipirética de Meloxicam (um novo agente antiinflamatório não esteroidal, pertencente a classe do ácido enólico, um dos derivados de oxicam) foram investigadas em uma variedade de espécies animais e comparadas com as propriedades do piroxicam, diclofenaco, indometacina e uma variedade de outros antiinflamatórios não esteroidais. O Meloxicam inibe, preferencialmente, a ciclooxigenase - 2 (COX-2), enzima19 responsável pela produção de prostraglandinas. "In vitro", o Meloxicam é três vezes mais eficiente contra a inibição da COX-2 no cultivo de macrófagos20 de cobaias, do que contra o componente COX-1 destas células21. A maioria dos antiinflamatórios não-esteroidais (NSAIDs) apresentam-se mais eficientes contra COX-1 do que COX-2. Meloxicam mostrou uma propriedade farmacocinética favorável, que é muito similar no rato e no homem (t 1/2 homem: 20 h; rato: 16 h - ligação com proteínas22 plasmáticas no rato e no homem: 99,5-99,7%). O Meloxicam é absorvido cerca de 89% após administração oral. Dados relatados mostram que o Meloxicam difere dos NSAIDs clássicos com respeito a suas propriedades antiinflamatória, analgésica e antipirética. Mas, significantemente, a tolerância gastrintestinal em relação à potência antiinflamatória do Meloxicam é muito mais favorável do que a dos outros NSAIDs testados, devido, preferencialmente, a sua ação sobre COX-2, em relação a COX-1. Pesquisas realizadas demonstram que a inibição de COX-2 proporciona efeitos terapêuticos, enquanto a inibição de COX-1 gera efeitos colaterias gástricos e renais. A administração concomitante de Meloxicam com líquidos ou alimentos não altera a sua absorção. A taxa de ligação do Meloxicam às proteínas22 plasmáticas é superior a 99%. Doses diárias únicas proporcionam concentrações plasmáticas variando de 0,4-1,0 mcg/ml para doses de 7,5 mg e de 0,8-2,0 mcg/ml para doses de 15 mg. Meloxicam atinge cerca de 50% de seu valor nas concentrações plasmáticas. Cerca de 5% é excretado pelas fezes, de forma inalterada. Na urina23, ocorrem apenas traços de substâncias inalteradas. Sua principal via de metabolização é o radical metila da fração tiazolil. 50% dos metabólitos24 são eliminados pela urina23 e a mesma quantidade nas fezes. Os efeitos anti-exsudativos25 do Meloxicam, como medida nos testes de edema26, são típicos de um inibidor da ciclooxigenase. O Meloxicam demonstrou uma maior potência contra a artrite27 do que os outros NSAIDs.

Indicações de Meloxil

MELOXIL (Meloxicam) está indicado para o tratamento sintomático1 da artrite reumatóide2 e das osteoartroses dolorosas, tais como artroses e doenças degenerativas28 das articulações29.

Contra-Indicações de Meloxil

MELOXIL (Meloxicam) está contra-indicado em casos de hipersensibilidade à droga ou a quaisquer componentes de sua formulação. Não deve ser administrado em pacientes com úlcera péptica30 ativa, insuficiência hepática31 ou renal32 grave, bem como em pacientes que apresentaram casos de asma33, pólipos34 nasais, edema26 de Quincke ou urticária35, após a administração de Ácido Acetil Salicílico ou de outros antiinflamatórios não-esteroidais. MELOXIL (Meloxicam) não deve ser utilizado em crianças e adolescentes com idade inferior a 15 anos, bem como em gestantes e lactantes13.

Advertências de Meloxil

Conduta na gravidez3 e lactação4: Até o momento não foram relatados estudos comprovando a utilização de Meloxicam em gestantes e lactantes13, portanto, MELOXIL (Meloxicam), não deve ser utilizado nessas situações. Nefropatas: Em pacientes nefropatas, a administração de MELOXIL (Meloxicam) não deve exceder a dosagem de 7,5 mg diárias. Em casos de insuficiência renal36 severa, deve-se manter monitorização da função renal32 com determinada constância. Deve-se fazer, também, o acompanhamento dos níveis da pressão arterial37 em pacientes que estão em uso concomitante das drogas anti-hipertensivas e Meloxicam, devido à redução do efeito hipotensor dessas drogas. MELOXIL (Meloxicam) deve ter sua prescrição avaliada em pacientes com antecedentes de úlcera gástrica14 e/ou duodenal; pacientes com doenças graves do coração15, rins16 ou fígado17; e se a paciente for usuária de DIU, pois diminui o efeito do mesmo.

Interações Medicamentosas de Meloxil

Foram relatados casos de interação medicamentosa entre os antiinflamatórios esteroidais e os seguintes compostos: Diuréticos11 (devido ao risco de insuficiência renal36 em pacientes desidratados), Antiinflamatórios não-esteroidais, Ciclosporina (risco de nefrotoxicidade38), Anticoagulantes12 orais (ticlopidina, heparina) e Anticoagulantes12 parenterais (trombolíticos) ambos por eventual risco aumentado de hemorragia39, Colestiramina (aumento do tempo de eliminação do Meloxicam), Anti-hipertensivos: tem-se relatado diminuição do efeito hipotensor dessas drogas (betabloqueadores, inibidores da ECA, vasodilatadores, diuréticos11), Lítio (aumento da concentração de Lítio no sangue40), Metotrexato (aumento da toxicidade41 hematológica do metotrexato), o uso de dispositivo intra uterino (DIU), concomitantemente, com Meloxicam, pode diminuir a eficácia do DIU. Como os outros NSAIDs, Meloxicam mostra semelhantes interações com paracetamol, pirenzepina, clortalidona e tolbutamina.

Reações Adversas de Meloxil

As drogas antiinflamatórias não-esteroidais podem produzir reações de hipersensibilidade individuais, mas as mais comuns incluem: "rush" cutâneo5, urticária35, rinite42, angioedema43, broncoespasmo44 e choques anafiláticos. As reações adversas mais comuns relacionadas particularmente ao Meloxicam são: dispepsia6, náusea7, vômito8, dor abdominal, constipação9, flatulência, diarréia10, anemia45, prurido46, erupção47 cutânea48, asma33 aguda (em sua maioria com antecedentes de história de asma33 aguda após a administração de AAS ou de outros antiinflamatórios não esteroidais), tontura49, cefaléia50, edemas51 e casos de alterações dos níveis sangüíneos de creatinina52 e/ou uréia53, com comprometimento da função renal32.

Posologia de Meloxil

A dose habitual é de 15 mg ao dia, em pacientes mais sensíveis à dose deve ser reduzida a 7,5 mg/dia.

•  A forma injetável deve ser restrita aos primeiros dias de tratamento ou nos quadros de agudização dos sintomas54. Não devendo ultrapassar a dose de 15 mg ao dia.

•  Pacientes com insuficiência renal36 grave, em hemodiálise55, não devem utilizar doses acima de 7,5 mg/dia.

Superdose de Meloxil

Na superdosagem, deve-se tomar medidas de esvaziamento gástrico e de suporte geral; o uso de colestamina acelera a eliminação de Meloxicam.

Advertências e Recomendações Para Pacientes56 com Idade Superior a 65 Anos de Meloxil

Indivíduos com idade superior a 65 anos apresentam maior sensibilidade ao medicamento.


VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA

MELOXIL - Laboratório

ATIVUS
Rua Fonte Mécia, 2050 - São Pedro
Valinhos/SP - CEP: 13270-000
Tel: (19) 3849 8600
Site: http://www.ativus.com.br/

Ver outros medicamentos do laboratório "ATIVUS"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Sintomático: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.
2 Artrite reumatóide: Doença auto-imune de etiologia desconhecida, caracterizada por poliartrite periférica, simétrica, que leva à deformidade e à destruição das articulações por erosão do osso e cartilagem. Afeta mulheres duas vezes mais do que os homens e sua incidência aumenta com a idade. Em geral, acomete grandes e pequenas articulações em associação com manifestações sistêmicas como rigidez matinal, fadiga e perda de peso. Quando envolve outros órgãos, a morbidade e a gravidade da doença são maiores, podendo diminuir a expectativa de vida em cinco a dez anos.
3 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
4 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
5 Cutâneo: Que diz respeito à pele, à cútis.
6 Dispepsia: Dor ou mal-estar localizado no abdome superior. O mal-estar pode caracterizar-se por saciedade precoce, sensação de plenitude, distensão ou náuseas. A dispepsia pode ser intermitente ou contínua, podendo estar relacionada com os alimentos.
7 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
8 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
9 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
10 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
11 Diuréticos: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.
12 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
13 Lactantes: Que produzem leite; que aleitam.
14 Úlcera gástrica: Lesão na mucosa do estômago. Pode ser provocada por excesso de ácido clorídrico produzido pelo próprio estômago ou por medicamentos como antiinflamatórios ou aspirina. É uma doença infecciosa, causada pela bactéria Helicobacter pylori em quase 100 % dos casos.
15 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
16 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
17 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
18 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
19 Enzima: Proteína produzida pelo organismo que gera uma reação química. Por exemplo, as enzimas produzidas pelo intestino que ajudam no processo digestivo.
20 Macrófagos: É uma célula grande, derivada do monócito do sangue. Ela tem a função de englobar e destruir, por fagocitose, corpos estranhos e volumosos.
21 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
22 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
23 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
24 Metabólitos: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
25 Exsudativos: 1. Inerente ou pertencente à exsudação. Ação de exsudar, suar, transpirar. 2. Líquido que, saindo pelos poros da superfície de um vegetal ou de um animal, torna-se espesso ou viscoso nessa superfície.
26 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
27 Artrite: Inflamação de uma articulação, caracterizada por dor, aumento da temperatura, dificuldade de movimentação, inchaço e vermelhidão da área afetada.
28 Degenerativas: Relativas a ou que provocam degeneração.
29 Articulações:
30 Úlcera péptica: Lesão na mucosa do esôfago, estômago ou duodeno. Também chamada de úlcera gástrica ou duodenal. Pode ser provocada por excesso de ácido clorídrico produzido pelo próprio estômago ou por medicamentos como antiinflamatórios ou aspirina. É uma doença infecciosa, causada pela bactéria Helicobacter pylori em quase 100% dos casos. Os principais sintomas são: dor, má digestão, enjôo, queimação (azia), sensação de estômago vazio.
31 Insuficiência hepática: Deterioração grave da função hepática. Pode ser decorrente de hepatite viral, cirrose e hepatopatia alcoólica (lesão hepática devido ao consumo de álcool) ou medicamentosa (causada por medicamentos como, por exemplo, o acetaminofeno). Para que uma insuficiência hepática ocorra, deve haver uma lesão de grande porção do fígado.
32 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
33 Asma: Doença das vias aéreas inferiores (brônquios), caracterizada por uma diminuição aguda do calibre bronquial em resposta a um estímulo ambiental. Isto produz obstrução e dificuldade respiratória que pode ser revertida de forma espontânea ou com tratamento médico.
34 Pólipos: 1. Em patologia, é o crescimento de tecido pediculado que se desenvolve em uma membrana mucosa (por exemplo, no nariz, bexiga, reto, etc.) em resultado da hipertrofia desta membrana ou como um tumor verdadeiro. 2. Em celenterologia, forma individual, séssil, típica dos cnidários, que se caracteriza pelo corpo formado por um tubo ou cilindro, cuja extremidade oral, dotada de boca e tentáculos, é dirigida para cima, e a extremidade oposta, ou aboral, é fixa.
35 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
36 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
37 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
38 Nefrotoxicidade: É um dano nos rins causado por substâncias químicas chamadas nefrotoxinas.
39 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
40 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
41 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
42 Rinite: Inflamação da mucosa nasal, produzida por uma infecção viral ou reação alérgica. Manifesta-se por secreção aquosa e obstrução das fossas nasais.
43 Angioedema: Caracteriza-se por áreas circunscritas de edema indolor e não-pruriginoso decorrente de aumento da permeabilidade vascular. Os locais mais acometidos são a cabeça e o pescoço, incluindo os lábios, assoalho da boca, língua e laringe, mas o edema pode acometer qualquer parte do corpo. Nos casos mais avançados, o angioedema pode causar obstrução das vias aéreas. A complicação mais grave é o inchaço na garganta (edema de glote).
44 Broncoespasmo: Contração do músculo liso bronquial, capaz de produzir estreitamento das vias aéreas, manifestado por sibilos no tórax e falta de ar. É uma contração vista com freqüência na asma.
45 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
46 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
47 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
48 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
49 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
50 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
51 Edemas: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
52 Creatinina: Produto residual das proteínas da dieta e dos músculos do corpo. É excretada do organismo pelos rins. Uma vez que as doenças renais progridem, o nível de creatinina aumenta no sangue.
53 Ureia: 1. Resíduo tóxico produzido pelo organismo, resulta da quebra de proteínas pelo fígado. É normalmente removida do organismo pelos rins e excretada na urina. 2. Substância azotada. Composto orgânico cristalino, incolor, de fórmula CO(NH2)2 (ou CH4N2O), com um ponto de fusão de 132,7 °C.
54 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
55 Hemodiálise: Tipo de diálise que vai promover a retirada das substâncias tóxicas, água e sais minerais do organismo através da passagem do sangue por um filtro. A hemodiálise, em geral, é realizada 3 vezes por semana, em sessões com duração média de 3 a 4 horas, com o auxílio de uma máquina, dentro de clínicas especializadas neste tratamento. Para que o sangue passe pela máquina, é necessária a colocação de um catéter ou a confecção de uma fístula, que é um procedimento realizado mais comumente nas veias do braço, para permitir que estas fiquem mais calibrosas e, desta forma, forneçam o fluxo de sangue adequado para ser filtrado.
56 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.

Tem alguma dúvida sobre MELOXIL?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.