PROLEUKIN

ZODIAC

Atualizado em 09/12/2014

Composição de Proleukin

cada frasco-ampola contém: interleucina-2recombinante 18 x 106 U.I.

Posologia e Administração de Proleukin

pacientes com carcinoma1 de células2 renais metastático, a interleucina-2 recombinante (Proleukin) tem sido utilizada tanto por via endovenosa como por via subcutânea3. A interleucina-2 recombinante Proleukin, em monoterapia ou associada com outras substâncias ativas, especialmente a interferona-alfa ou outras drogas quimioterápicas como, por exemplo, a 5-fluoruracila, tem apresentado resultados favoráveis no tratamento do carcinoma1 renal4 metastático. Diferentes protocolos para a terapêutica5 do carcinoma1 renal4 têm sido adotados por inúmeros investigadores. Dois desses protocolos são sugeridos abaixo, um em que Proleukin foi utilizado por via endovenosa (protocolo I) e o outro em que o medicamento foi utilizado por via subcutânea3 (protocolo II) e ambos apresentaram importantes taxas de respostas favoráveis, 30% e 49%, respectivamente. Protocolo I (R. Figlin - J. Clin. Onc. 10(3):414-421, 1992 - Uso endovenoso). Interleucina-2 recombinante: 6 milhões U.I./m2/dia, sob infusão endovenosa contínua, nos dias 1 a 4 de cada semana de tratamento. Interferona alfa: 6 milhões U.I./m2/dia, via subcutânea3 ou intramuscular, nos dias 1 a 4 de cada semana de tratamento. Quatro semanas de tratamento completam um ciclo de terapêutica5. Deve-se observar um intervalo de duas semanas de descanso entre os ciclos. Os ciclos de tratamento devem prosseguir, exceto se houver progressão da doença ou presença de toxicidade6, até um máximo de 6 (seis) ciclos. Protocolo II (J. Atzpodien. Eur J. Cancer7 29A (Suppl 5):S6-S8, 1993 - Uso subcutâneo8). Interleucina-2 recombinante: 20 milhões U.I./m2, via subcutânea3, três vezes por semana, nas semanas 1 e 4; 5 milhões U.I./m2, via subcutânea3, três vezes por semana, nas semanas 2 e 3. Interferona alfa: 6 milhões U.I./m2, via subcutânea3, uma vez por semana, nas semanas 1 e 4; três vezes por semana, nas semanas 2 e 3. Nove (9) milhões U.I./m2, via subcutânea3, três vezes por semana, nas semanas 5 a 8. 5-fluoruracila: 750 mg/m2, por via endovenosa em bolus9 uma vez por semana, semanas 5 a 8. Esses ciclos de tratamento devem ser repetidos a cada 2 meses, exceto se houver progressão da doença. Os protocolos sugeridos acima devem ser analisados e somente empregados, após adequada avaliação do paciente. Protocolos diferentes podem ser utilizados em função do quadro clínico do paciente e/ou evolução da doença, a critério do médico assistente. - Nota: 1 mg de interleucina = 18 x 106 U.I. = 3 x 106 Unidades Cetus. Pacientes idosos: os pacientes idosos podem ser mais sensíveis aos efeitos colaterais10 da IL-2r, motivo pelo qual se recomenda cautela no tratamento destes pacientes. Crianças: ainda não foi estabelecida a segurança e eficácia da IL-2r em crianças. - Cuidados para administração: Proleukin deve ser reconstituído com 1,2 ml de água para injeção11. Injetar assepticamente a água para injeção11 no frasco-ampola. Homogeneizar levemente para evitar a formação de espuma. Não agitar. Quando reconstituído, conforme descrito cada ml contém 18 x 106 U.I. (1,1 mg) de Proleukin. A solução resultante deve ser um líquido transparente e incolor. Quando utilizada por via endovenosa, a dose total de interleucina-2 a ser administrada deve ser diluída, conforme seja necessário, até 500 ml de soro12 glicosado a 5% contendo 0,1% de albumina13 humana (até um máximo de 2% de albumina13 humana) e administrada sob infusão endovenosa contínua durante 24 horas. A albumina13 humana deve ser misturada ao soro12 glicosado, antes que se acrescente a interleucina-2. A albumina13 humana deve ser acrescentada para evitar a perda de bioatividade. Proleukin não contém preservantes. É essencial que a solução para a infusão seja preparada utilizando-se técnica asséptica. Antes e após a reconstituição e diluição de Proleukin, conservar o produto em refrigerador (2º - 8ºC). Não congelar. Administrar Proleukin em até 48 horas após a reconstituição. A solução deve alcançar a temperatura ambiente antes de ser administrada ao paciente. Proleukin não deve ser reconstituído ou diluído em água bacteriostática para injeção11 ou soro12 fisiológico14 0,9%. Não misturar Proleukin com outros medicamentos. Medicamentos de uso parenteral devem ser inspecionados visualmente quanto a partículas ou coloração estranha, antes da administração. Superdosagem: os efeitos adversos seguintes ao uso de IL-2r são relacionados à dose. Administração de doses maiores às recomendadas tem sido associada com o surgimento mais rápido de reações tóxicas. As reações adversas geralmente revertem quando a droga é suspensa, particularmente devido à meia-vida sérica ser curta. Algum sintoma15 persistente deve ser tratado com medidas de suporte. Toxicidades com risco de vida têm sido atenuadas com administração endovenosa de dexametasona que pode resultar na perda do efeito terapêutico de Proleukin. - Observação: recomenda-se a leitura da bula do produto, antes da administração de dexametasona.

Precauções de Proleukin

a interleucina deve ser utilizada sob supervisão médica especializada no uso de agentes quimioterápicos para o tratamento do câncer7. Há necessidade de ser realizada em ambiente hospitalar, em unidade especializada com as instalações de uma unidade de tratamento intensivo para controlar os parâmetros clínicos e laboratoriais do paciente. São necessários precaução extrema e controle cuidadoso nos pacientes portadores de enfermidade cardiovascular ou respiratória grave preexistentes, alterações do estado mental ou com comprometimento da função renal4 ou hepática16. A administração de IL-2r provoca febre17 e efeitos colaterais10 gastrintestinais na maioria dos pacientes tratados nas doses recomendadas. Pode-se utilizar medicação antipirética e/ou antiulcerosa para tratar ou evitar parcialmente estes efeitos colaterais10. A administração de IL-2r determina um aumento reversível das transminases hepáticas18, das bilirrubinas19, da uréia20 e da creatinina21. Os pacientes com disfunção renal4 ou hepática16 preexistentes devem ser observados atentamente. A administração de IL-2r pode alterar o metabolismo22 renal4 ou hepático ou a excreção de drogas administradas concomitantemente. Outras drogas que têm um potencial nefrotóxico ou hepatotóxico conhecidos devem ser utilizadas com precaução. Hipotensão arterial23 pode ocorrer prontamente e pode ser mais acentuada com a administração endovenosa em bolus9 do que sob infusão endovenosa. A hipotensão24 pode ocorrer de 2 a 12 horas após a administração de IL-2r. A maioria dos pacientes necessita de tratamento com agentes vasopressores, tais como, dopamina25 ou fluidos administrados por via endovenosa. A função pulmonar deve ser controlada atentamente nos pacientes que desenvolvam estertores ou aumento da velocidade respiratória ou que se queixam de dispnéia26. Os pacientes podem sofrer alterações do estado mental, incluindo irritabilidade, confusão ou depressão enquanto recebem IL-2r. Estas alterações são normalmente reversíveis quando se interrompe o tratamento com o fármaco27. Ainda assim, as alterações do estado mental podem progredir durante vários dias antes que se inicie a recuperação. A IL-2r pode alterar a resposta do paciente a drogas psicotrópicas. A administração de IL-2r provoca extravasamento capilar28 na maioria dos pacientes o que poderia aumentar as efusões29 das serosas. Deve-se estudar a possibilidade de tratar as efusões29, antes do início da terapêutica5 com IL-2r, principalmente quando estas estão localizadas em locais anatômicos, nos quais possam provocar uma alteração da função de um órgão importante (por exemplo, efusões29 pericárdicas). Análises laboratoriais: além das análises que são exigidas normalmente para controlar o paciente com carcinoma1 metastático de células2 renais, recomendam-se as seguintes análises de laboratório para todos os pacientes submetidos à terapêutica5 com IL-2r, antes do início do tratamento e depois, periodicamente: hemograma completo, incluindo plaquetometria, eletrólitos30, função renal4 e hepática16 e radiografias do tórax31. Na avaliação dos pacientes, como complemento da história clínica e do exame físico, deve-se considerar a realização de ECG, provas da função pulmonar com gasometria arterial e avaliação objetiva para doença coronariana32, antes do início do tratamento. - Uso durante a gravidez33 e amamentação34: IL-2r não deve ser administrada a pacientes férteis de ambos os sexos que não utilizem algum tipo de método contraceptivo eficaz. Não foram realizados estudos de reprodução35 animal com IL-2r. Também não é conhecido se a IL-2r pode provocar lesões36 fetais quando administrada a mulheres grávidas ou se pode comprometer a capacidade reprodutiva. Não se dispõe de informação sobre a excreção da interleucina no leite humano nem sobre seus efeitos na amamentação34, assim a IL-2r não deve ser administrada a nutrizes37. - Advertência: devido aos graves efeitos que acompanham geralmente a terapêutica5 com IL-2r nas doses recomendadas, o produto somente deve ser administrado a pacientes bem informados, em ambiente hospitalar e sob supervisão de médico experiente em tratamento com agentes quimioterápicos de câncer7. A IL-2r pode provocar a síndrome38 de extravasamento capilar28. Caso sejam administrados fluidos por via endovenosa, deve-se estar atento para os benefícios potenciais da expansão do volume intravascular39 contra os riscos de edema pulmonar40, em conseqüência do extravasamento vascular41. Alguns pacientes poderão necessitar de intubação orotraqueal42 para tratar a insuficiência respiratória43 transitória. A administração de IL-2r deverá ser suspensa em pacientes que desenvolvam letargia44 ou sonolência; caso contrário, poderá provocar coma45. A IL-2r poderá piorar os sintomas46 da patologia47 em pacientes com metástase48 do SNC49 clinicamente não reconhecida ou não tratada. Todos os pacientes deverão ser submetidos a uma avaliação e tratamento adequado das metástases50 do SNC49 antes de iniciar a terapêutica5 com interleucina. A administração de IL-2r pode estar associada com um aumento da incidência51 e agravamento das infecções52 bacterianas, principalmente, com Staphylococcus aureus. As infecções52 bacterianas preexistentes deverão ser tratadas adequadamente, antes do início do tratamento com a IL-2r. A toxicidade6 associada com a administração do fármaco27 poderá ser agravada por uma infecção53 bacteriana concomitante. - Interações medicamentosas: a IL-2r pode afetar as funções do SNC49. Portanto, podem ocorrer interações seguidas ao uso concomitante de psicofármacos (ex.: narcóticos, analgésicos54, antieméticos55, sedativos, ansiolíticos). A administração concomitante de medicamentos com efeitos nefrotóxicos (ex.: aminoglicosídeos, indometacina), mielotóxicos (ex.: quimioterapia56 citotóxica), cardiotóxicos (ex.: doxorrubicina) ou hepatotóxicos (ex.: metotrexato, asparaginase) com IL-2r pode aumentar a toxicidade6 nestes órgãos. A segurança e eficácia de Proleukin em combinação com quimioterápicos não foi estabelecida. Embora os glicocorticóides tenham apresentado atividade em reduzir os efeitos colaterais10 induzidos pela IL-2r incluindo febre17, insuficiência renal57, hiperbilirrubinemia, confusão e dispnéia26, a administração concomitante destes agentes com a IL-2r pode reduzir a eficácia antitumoral desta droga e, portanto, deve ser evitada esta associação. Os betabloqueadores e outros anti-hipertensivos podem potencializar a hipotensão24 observada, por vezes, com o uso da IL-2r.

Reações Adversas de Proleukin

a freqüência e severidade das reações adversas estão relacionadas à dose e esquema posológico empregados. A maioria das reações adversas são autolimitadas e são usualmente, mas não invariavelmente, reversíveis com 2 a 3 dias de descontinuação da terapêutica5. Exemplos de reações adversas com seqüelas permanentes incluem: infarto do miocárdio58, perfuração/infarto59 intestinal e gangrena60. As reações adversas severas mais freqüentemente relatadas incluem hipotensão24, disfunção renal4 com oligúria61/anúria62, dispnéia26 ou congestão pulmonar, e alterações no estado mental (ex.: letargia44, sonolência, confusão e agitação). Outras sérias reações tóxicas incluem isquemia63 do miocárdio64, miocardite65, gangrena60, insuficiência respiratória43 necessitando de intubação, hemorragia66 gastrintestinal requerendo cirurgia, perfuração intestinal/íleo67, coma45, convulsões, septicemia68 e comprometimento renal4 requerendo diálise69. De acordo com a severidade das reações adversas as doses de Proleukin devem ser suspensas.

Contra-Indicações de Proleukin

pacientes com conhecida hipersensibilidade à IL-2r ou a algum componente da formulação; e em pacientes com teste de estresse com o tálio70 ou função pulmonar alterados. Pacientes transplantados também devem ser excluídos. O reínicio do tratamento com IL-2r também está contra-indicado em pacientes que apresentaram os seguintes efeitos adversos no primeiro curso de terapêutica5: taquicardia71 ventricular sustentada; distúrbios do ritmo cardíaco não controlados ou não responsivos à terapêutica5; dor torácica recorrente com alterações no eletrocardiograma72 sugestivas de angina73 ou infarto do miocárdio58; intubação requerida por mais que 72 horas; tamponamento pericárdico; insuficiência renal57 requerendo métodos dialíticos; coma45 ou psicose74 tóxica presente por mais que 48 horas; convulsões repetidas ou de difícil controle; perfuração ou isquemia63 intestinal; hemorragia66 gastrintestinal requerendo cirurgia.

Indicações de Proleukin

carcinoma1 renal4 metastático.

Apresentação de Proleukin

pó liófilo injetável 1 mg. Cartucho com 1 frasco-ampola.


PROLEUKIN - Laboratório

ZODIAC
Rua Traipu, 755
São Paulo/SP - CEP: 01235-000
Tel: (11 )263-6166
Fax: (11 3)676-0524

Ver outros medicamentos do laboratório "ZODIAC"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Carcinoma: Tumor maligno ou câncer, derivado do tecido epitelial.
2 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
3 Subcutânea: Feita ou situada sob a pele; hipodérmica.
4 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
5 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
6 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
7 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
8 Subcutâneo: Feito ou situado sob a pele. Hipodérmico.
9 Bolus: Uma quantidade extra de insulina usada para reduzir um aumento inesperado da glicemia, freqüentemente relacionada a uma refeição rápida.
10 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
11 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
12 Soro: Chama-se assim qualquer líquido de características cristalinas e incolor.
13 Albumina: Proteína encontrada no plasma, com importantes funções, como equilíbrio osmótico, transporte de substâncias, etc.
14 Fisiológico: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
15 Sintoma: Qualquer alteração da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. O sintoma é a queixa relatada pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
16 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
17 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
18 Hepáticas: Relativas a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
19 Bilirrubinas: Pigmento amarelo que é produto da degradação da hemoglobina. Quando aumenta no sangue, acima de seus valores normais, pode produzir uma coloração amarelada da pele e mucosas, denominada icterícia. Pode estar aumentado no sangue devido a aumento da produção do mesmo (excesso de degradação de hemoglobina) ou por dificuldade de escoamento normal (por exemplo, cálculos biliares, hepatite).
20 Ureia: 1. Resíduo tóxico produzido pelo organismo, resulta da quebra de proteínas pelo fígado. É normalmente removida do organismo pelos rins e excretada na urina. 2. Substância azotada. Composto orgânico cristalino, incolor, de fórmula CO(NH2)2 (ou CH4N2O), com um ponto de fusão de 132,7 °C.
21 Creatinina: Produto residual das proteínas da dieta e dos músculos do corpo. É excretada do organismo pelos rins. Uma vez que as doenças renais progridem, o nível de creatinina aumenta no sangue.
22 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
23 Hipotensão arterial: Diminuição da pressão arterial abaixo dos valores normais. Estes valores normais são 90 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 50 milímetros de pressão diastólica.
24 Hipotensão: Pressão sanguínea baixa ou queda repentina na pressão sanguínea. A hipotensão pode ocorrer quando uma pessoa muda rapidamente de uma posição sentada ou deitada para a posição de pé, causando vertigem ou desmaio.
25 Dopamina: É um mediador químico presente nas glândulas suprarrenais, indispensável para a atividade normal do cérebro.
26 Dispnéia: Falta de ar ou dificuldade para respirar caracterizada por respiração rápida e curta, geralmente está associada a alguma doença cardíaca ou pulmonar.
27 Fármaco: Qualquer produto ou preparado farmacêutico; medicamento.
28 Capilar: 1. Na medicina, diz-se de ou tubo endotelial muito fino que liga a circulação arterial à venosa. Qualquer vaso. 2. Na física, diz-se de ou tubo, em geral de vidro, cujo diâmetro interno é diminuto. 3. Relativo a cabelo, fino como fio de cabelo.
29 Efusões: 1. Saída de algum líquido ou gás; derramamento, espalhamento. 2. No sentido figurado, manifestação expansiva de sentimentos amistosos, de afeto, de alegria. 3. Escoamento de um gás através de uma pequena abertura, causado pela agitação térmica das moléculas do gás. 4. Derramamento de lava relativamente fluida sobre a superfície terrestre.
30 Eletrólitos: Em eletricidade, é um condutor elétrico de natureza líquida ou sólida, no qual cargas são transportadas por meio de íons. Em química, é uma substância que dissolvida em água se torna condutora de corrente elétrica.
31 Tórax: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original Sinônimos: Peito; Caixa Torácica
32 Doença coronariana: Doença do coração causada por estreitamento das artérias que fornecem sangue ao coração. Se o fluxo é cortado, o resultado é um ataque cardíaco.
33 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
34 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
35 Reprodução: 1. Função pela qual se perpetua a espécie dos seres vivos. 2. Ato ou efeito de reproduzir (-se). 3. Imitação de quadro, fotografia, gravura, etc.
36 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
37 Nutrizes: Mulheres que amamentam; amas de leite; que alimentam.
38 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
39 Intravascular: Relativo ao interior dos vasos sanguíneos e linfáticos, ou que ali se situa ou ocorre.
40 Edema pulmonar: Acúmulo anormal de líquidos nos pulmões. Pode levar a dificuldades nas trocas gasosas e dificuldade respiratória.
41 Vascular: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
42 Orotraqueal: Relativo à boca e à traqueia.
43 Insuficiência respiratória: Condição clínica na qual o sistema respiratório não consegue manter os valores da pressão arterial de oxigênio (PaO2) e/ou da pressão arterial de gás carbônico (PaCO2) dentro dos limites da normalidade, para determinada demanda metabólica. Como a definição está relacionada à incapacidade do sistema respiratório em manter níveis adequados de oxigenação e gás carbônico, foram estabelecidos, para sua caracterização, pontos de corte na gasometria arterial: PaO2 50 mmHg.
44 Letargia: Em psicopatologia, é o estado de profunda e prolongada inconsciência, semelhante ao sono profundo, do qual a pessoa pode ser despertada, mas ao qual retorna logo a seguir. Por extensão de sentido, é a incapacidade de reagir e de expressar emoções; apatia, inércia e/ou desinteresse.
45 Coma: 1. Alteração do estado normal de consciência caracterizado pela falta de abertura ocular e diminuição ou ausência de resposta a estímulos externos. Pode ser reversível ou evoluir para a morte. 2. Presente do subjuntivo ou imperativo do verbo “comer.“
46 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
47 Patologia: 1. Especialidade médica que estuda as doenças e as alterações que estas provocam no organismo. 2. Qualquer desvio anatômico e/ou fisiológico, em relação à normalidade, que constitua uma doença ou caracterize determinada doença. 3. Por extensão de sentido, é o desvio em relação ao que é próprio ou adequado ou em relação ao que é considerado como o estado normal de uma coisa inanimada ou imaterial.
48 Metástase: Formação de tecido tumoral, localizada em um lugar distante do sítio de origem. Por exemplo, pode se formar uma metástase no cérebro originário de um câncer no pulmão. Sua gravidade depende da localização e da resposta ao tratamento instaurado.
49 SNC: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
50 Metástases: Formação de tecido tumoral, localizada em um lugar distante do sítio de origem. Por exemplo, pode se formar uma metástase no cérebro originário de um câncer no pulmão. Sua gravidade depende da localização e da resposta ao tratamento instaurado.
51 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
52 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
53 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
54 Analgésicos: Grupo de medicamentos usados para aliviar a dor. As drogas analgésicas incluem os antiinflamatórios não-esteróides (AINE), tais como os salicilatos, drogas narcóticas como a morfina e drogas sintéticas com propriedades narcóticas, como o tramadol.
55 Antieméticos: Substância que evita o vômito.
56 Quimioterapia: Método que utiliza compostos químicos, chamados quimioterápicos, no tratamento de doenças causadas por agentes biológicos. Quando aplicada ao câncer, a quimioterapia é chamada de quimioterapia antineoplásica ou quimioterapia antiblástica.
57 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
58 Infarto do miocárdio: Interrupção do suprimento sangüíneo para o coração por estreitamento dos vasos ou bloqueio do fluxo. Também conhecido por ataque cardíaco.
59 Infarto: Morte de um tecido por irrigação sangüínea insuficiente. O exemplo mais conhecido é o infarto do miocárdio, no qual se produz a obstrução das artérias coronárias com conseqüente lesão irreversível do músculo cardíaco.
60 Gangrena: Morte de um tecido do organismo. Na maioria dos casos é causada por ausência de fluxo sangüíneo ou infecção. Pode levar à amputação do local acometido.
61 Oligúria: Clinicamente, a oligúria é o débito urinário menor de 400 ml/24 horas ou menor de 30 ml/hora.
62 Anúria: Clinicamente, a anúria é o débito urinário menor de 400 ml/24 horas.
63 Isquemia: Insuficiência absoluta ou relativa de aporte sanguíneo a um ou vários tecidos. Suas manifestações dependem do tecido comprometido, sendo a mais frequente a isquemia cardíaca, capaz de produzir infartos, isquemia cerebral, produtora de acidentes vasculares cerebrais, etc.
64 Miocárdio: Tecido muscular do CORAÇÃO. Composto de células musculares estriadas e involuntárias (MIÓCITOS CARDÍACOS) conectadas, que formam a bomba contrátil geradora do fluxo sangüíneo. Sinônimos: Músculo Cardíaco; Músculo do Coração
65 Miocardite: 1. Inflamação das paredes musculares do coração. 2. Infecção do miocárdio causada por bactéria, vírus ou outros microrganismos.
66 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
67 Íleo: A porção distal and mais estreita do INTESTINO DELGADO, entre o JEJUNO e a VALVA ILEOCECAL do INTESTINO GROSSO. Sinônimos: Ileum
68 Septicemia: Septicemia ou sepse é uma infecção generalizada grave que ocorre devido à presença de micro-organismos patogênicos e suas toxinas na corrente sanguínea. Geralmente ela ocorre a partir de outra infecção já existente.
69 Diálise: Quando os rins estão muito doentes, eles deixam de realizar suas funções, o que pode levar a risco de vida. Nesta situação, é preciso substituir as funções dos rins de alguma maneira, o que pode ser feito realizando-se um transplante renal, ou através da diálise. A diálise é um tipo de tratamento que visa repor as funções dos rins, retirando as substâncias tóxicas e o excesso de água e sais minerais do organismo, estabelecendo assim uma nova situação de equilíbrio. Existem dois tipos de diálise: a hemodiálise e a diálise peritoneal.
70 Tálio: É o elemento químico de número atômico 81.
71 Taquicardia: Aumento da frequência cardíaca. Pode ser devido a causas fisiológicas (durante o exercício físico ou gravidez) ou por diversas doenças como sepse, hipertireoidismo e anemia. Pode ser assintomática ou provocar palpitações.
72 Eletrocardiograma: Registro da atividade elétrica produzida pelo coração através da captação e amplificação dos pequenos potenciais gerados por este durante o ciclo cardíaco.
73 Angina: Inflamação dos elementos linfáticos da garganta (amígdalas, úvula). Também é um termo utilizado para se referir à sensação opressiva que decorre da isquemia (falta de oxigênio) do músculo cardíaco (angina do peito).
74 Psicose: Grupo de doenças psiquiátricas caracterizadas pela incapacidade de avaliar corretamente a realidade. A pessoa psicótica reestrutura sua concepção de realidade em torno de uma idéia delirante, sem ter consciência de sua doença.

Tem alguma dúvida sobre PROLEUKIN?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.