OTOMICINA

MEDLEY

Atualizado em 09/12/2014

OTOMICINA®
Cloranfenicol
Cloridrato de lidocaína

Forma Farmacêutica e Apresentação da Otomicina

Solução otológica: frasco com 10 ml.

USO PEDIÁTRICO OU ADULTO

Composição da Otomicina

Cada ml contém:
Cloranfenicol    25 mg
Cloridrato de lidocaína    30 mg
Veículo q.s.p.     1 ml
(1,3 butanodiol)

Informações ao Paciente da Otomicina

Ação esperada do medicamento: OTOMICINA combate a infecção1 do ouvido e alivia a dor que acompanha a infecção1. Cuidados de armazenamento: Conservar em temperatura ambiente (entre 15 e 30 ºC) e ao abrigo da luz.
Prazo de validade: 24 meses após a data de fabricação. Não use o medicamento se o prazo de validade estiver vencido, o que pode ser verificado na embalagem externa do produto.
Gravidez2 e lactação3: Informe seu médico a ocorrência de gravidez2 na vigência do tratamento ou após o seu término e se está amamentando.
Cuidados de administração: OTOMICINA é um medicamento de uso exclusivo no ouvido, não devendo ser ingerido e nem usado nos olhos4.
Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.
Informe seu médico se não observar melhora em poucos dias.
Interrupção do tratamento: Não interromper o tratamento sem o conhecimento do seu médico.
Reações adversas: Informe seu médico o aparecimento de reações desagradáveis. As mais comuns são: irritação local com coceira ou sensação de queimação. Nesses casos, suspenda o tratamento e consulte seu médico.
TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.
Contra-indicações e Precauções: OTOMICINA é contra-indicado para pacientes5 sensíveis a qualquer um dos componentes da fórmula e naqueles com perfuração do tímpano6.
Informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início ou durante o tratamento.
NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DE SEU MÉDICO. PODE SER PERIGOSO PARA A SAÚDE7.

Informações Técnicas da Otomicina


O cloranfenicol possui amplo espectro de ação antimicrobiana, atuando contra microorganismos Gram-positivos e Gram-negativos.
Atravessa a membrana da célula8 bacteriana e liga-se reversivelmente à subunidade 50S dos ribossomos bacterianos, impedindo assim a transferência de aminoácidos às cadeias peptídicas em formação. Deste modo, inibe a formação da ligação peptídica e consequentemente a biossíntese protéica, o que acarreta o efeito antibacteriano.

O cloridrato de lidocaína, pela ação anestésica local, alivia a dor que acompanha a infecção1.

Indicações da Otomicina

Tratamento tópico9 de processos infecciosos do conduto auditivo externo, causados por germes sensíveis ao cloranfenicol.

Contra-Indicações da Otomicina

Em pacientes com antecedentes de hipersensibilidade ao cloranfenicol ou à lidocaína.
A perfuração da membrana timpânica10 é considerada contra-indicação para o uso de qualquer medicação do canal auditivo externo, visto que pode ocorrer ototoxicidade11 se o medicamento entrar em contato com o ouvido médio12.

Precauções/Advertências da Otomicina

A terapia com cloranfenicol deve ser limitada àquelas infecções13 para as quais o benefício do medicamento excede o risco das toxicidades potenciais. Quando há outras substâncias antimicrobianas disponíveis, que sejam igualmente eficazes porém menos tóxicas, estas devem ser utilizadas.Deve-se evitar a administração concomitante de cloranfenicol com outras drogas capazes de deprimir a função da medula óssea14.
O uso de antibióticos por tempo prolongado pode facilitar a proliferação de microorganismos não sensíveis, incluindo fungos. Se aparecer uma nova infecção1 durante o tratamento, a medicação deve ser suspensa e deve-se tomar as medidas adequadas.
Em casos de infecções13 graves, o uso tópico9 de cloranfenicol deve ser suplementado com medicação sistêmica adequada.
Raros casos de hipoplasia15 medular, inclusive anemia16 aplástica, foram relatados após o uso tópico9 de cloranfenicol.

Gravidez2: O cloranfenicol atravessa a placenta. No entanto, estudos em humanos não tem demonstrado que cloranfenicol otológico cause efeitos adversos no feto17.

Lactação3: Não se sabe se o cloranfenicol em preparações otológicas é excretado no leite materno. No entanto, problemas em humanos não tem sido documentados.

Reações Adversas da Otomicina

As mais comuns são sinais18 de irritação local, com prurido19 e sensação de queimação.
Embora raramente, erupções cutâneas20 maculares ou vesiculares ocorrem como reação de hipersensibilidade ao cloranfenicol. Febre21 pode aparecer simultaneamente ou ser a única manifestação. Angioedema22 é uma complicação rara.
Como efeito sistêmico23 podem ocorrer discrasias sangüíneas24.

Posologia e Modo de Usar da Otomicina

Instilar no ouvido doente em média, 2 a 3 gotas, 3 vezes ao dia, de acordo com o critério médico.

Superdosagem da Otomicina

Nos casos de superdosagem, o tratamento deve ser suspenso e o médico comunicado, a fim de instituir terapêutica25 adequada.

Pacientes Idosos da Otomicina

Não se dispõem de informações.


VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA

OTOMICINA - Laboratório

MEDLEY
Rua Macedo Costa, 55
Campinas/SP - CEP: 13080-180
Tel: (19 )744-8324
Fax: (019) 744-8227
Site: http://www.medley.com.br/

Ver outros medicamentos do laboratório "MEDLEY"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
2 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
3 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
4 Olhos:
5 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
6 Tímpano: Espaço e estruturas internas à MEMBRANA TIMPÂNICA e externas à orelha interna (LABIRINTO). Entre os componentes principais estão os OSSÍCULOS DA AUDIÇÃO e a TUBA AUDITIVA, que conecta a cavidade da orelha média (cavidade timpânica) à parte superior da garganta.
7 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
8 Célula: Unidade funcional básica de todo tecido, capaz de se duplicar (porém algumas células muito especializadas, como os neurônios, não conseguem se duplicar), trocar substâncias com o meio externo à célula, etc. Possui subestruturas (organelas) distintas como núcleo, parede celular, membrana celular, mitocôndrias, etc. que são as responsáveis pela sobrevivência da mesma.
9 Tópico: Referente a uma área delimitada. De ação limitada à mesma. Diz-se dos medicamentos de uso local, como pomadas, loções, pós, soluções, etc.
10 Membrana Timpânica: Membrana semi-transparente (oval), que separa da cavidade timpânica (ORELHA MÉDIA) o Meato Acústico Externo. Contém três camadas
11 Ototoxicidade: Dano causado aos sistemas coclear e/ou vestibular resultante de exposição a substâncias químicas.
12 Ouvido médio: Atualmente denominado orelha média, é constituído pela membrana timpânica, cavidade timpânica, células mastoides, antro mastoide e tuba auditiva. Separa-se da orelha externa através da membrana timpânica e se comunica com a orelha interna através das janelas oval e redonda.
13 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
14 Medula Óssea: Tecido mole que preenche as cavidades dos ossos. A medula óssea apresenta-se de dois tipos, amarela e vermelha. A medula amarela é encontrada em cavidades grandes de ossos grandes e consiste em sua grande maioria de células adiposas e umas poucas células sangüíneas primitivas. A medula vermelha é um tecido hematopoiético e é o sítio de produção de eritrócitos e leucócitos granulares. A medula óssea é constituída de um rede, em forma de treliça, de tecido conjuntivo, contendo fibras ramificadas e preenchida por células medulares.
15 Hipoplasia: Desenvolvimento defeituoso ou incompleto de tecido ou órgão, geralmente por diminuição do número de células, sendo menos grave que a aplasia.
16 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
17 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
18 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
19 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
20 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
21 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
22 Angioedema: Caracteriza-se por áreas circunscritas de edema indolor e não-pruriginoso decorrente de aumento da permeabilidade vascular. Os locais mais acometidos são a cabeça e o pescoço, incluindo os lábios, assoalho da boca, língua e laringe, mas o edema pode acometer qualquer parte do corpo. Nos casos mais avançados, o angioedema pode causar obstrução das vias aéreas. A complicação mais grave é o inchaço na garganta (edema de glote).
23 Sistêmico: 1. Relativo a sistema ou a sistemática. 2. Relativo à visão conspectiva, estrutural de um sistema; que se refere ou segue um sistema em seu conjunto. 3. Disposto de modo ordenado, metódico, coerente. 4. Em medicina, é o que envolve o organismo como um todo ou em grande parte.
24 Discrasias sangüíneas: Qualquer alteração envolvendo os elementos celulares do sangue, glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas.
25 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.

Tem alguma dúvida sobre OTOMICINA?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.