ZENAPAX

ROCHE

Atualizado em 09/12/2014
Nome do produto : ZenapaxÒ
Nome genérico : Daclizumab

Forma Farmacêutica e Apresentações de Zenapax

Caixa contendo um frasco de 25 mg de daclizumab em 5 ml de solução para infusão (5 mg/ml).USO ADULTO

Composição de Zenapax

Ingrediente ativo: daclizumab.
Excipientes: polissorbato 80, cloreto de sódio, fosfato de sódio monobásico, fosfato de sódio dibásico, ácido clorídrico1, hidróxido de sódio e água para injeção2. O conteúdo do frasco é um líquido claro e levemente opaco

Informação ao Paciente de Zenapax

Solicitamos a gentileza de ler cuidadosamente as informações abaixo. Caso não esteja seguro a respeito de determinado item, favor informar o seu médico.Ação esperada do medicamento
ZenapaxÒ (Daclizumab) é usado para evitar a rejeição pelo organismo a rins3 transplantados, sendo usado em conjunto com outras drogas imunossupressoras, incluindo ciclosporina e corticosteróides.
Daclizumab pertence a um grupo de medicamentos denominados imunossupressores. Estes medicamentos ajudam a suprimir a resposta natural de rejeição pelo seu organismo a qualquer órgão transplantado.
Daclizumab é um anticorpo4 monoclonal humanizado. Os anticorpos5 monoclonais são proteínas6 que reconhecem e se ligam a outras proteínas6 únicas do organismo, denominadas antígenos7. Daclizumab liga-se a um antígeno8 encontrado na superfície de linfócitos específicos, denominados linfócitos T. Esta atividade suprime a resposta imunológica natural do organismo que, de outra forma, poderia causar a rejeição do enxerto9.
Cuidados de Armazenamento
Armazenar os frascos dentro da embalagem original fechada, entre 2 - 8oC (no refrigerador). Não congelar.
Manter sempre este medicamento fora da incidência10 da luz.
Manter fora da visão11 e alcance das crianças.
Prazo de validade
Este medicamento possui prazo de validade a partir da data de fabricação (vide embalagem externa do produto).
Não tome o medicamento após a data de validade indicada na embalagem; pode ser prejudicial à saúde12.
Gravidez13 e lactação14
Informe seu médico a ocorrência de gravidez13 na vigência do tratamento ou após seu término. Informe ao médico se está amamentando. Não amamente durante o tratamento com ZenapaxÒ (Daclizumab), visto que não é conhecido se ZenapaxÒ (Daclizumab) é excretado no leite materno.
Caso seja uma mulher em idade fértil, use um método eficaz de contracepção15 durante a terapia com ZenapaxÒ (Daclizumab), continuando seu uso durante 4 meses adicionais, após a última dose de ZenapaxÒ (Daclizumab).
Você não deverá amamentar sua criança durante o tratamento com ZenapaxÒ (Daclizumab), visto que não é conhecido se ZenapaxÒ (Daclizumab) é excretado no leite materno.
Cuidados com a Administração
Dosagem e freqüência da administração
Um profissional da saúde12 lhe administrará uma dose adequada, na forma de infusão, durante um período de 15 minutos. A dose de ZenapaxÒ (Daclizumab) depende de seu peso corpóreo. A primeira dose será administrada dentro das 24 horas prévias ao transplante. Você receberá 4 doses subseqüentes, com intervalos de 14 dias entre as mesmas. Você receberá um total de 5 doses de ZenapaxÒ (Daclizumab), que abrangem um ciclo completo de tratamento.
Você poderá receber infusões adicionais, um dia antes ou depois da administração programada.
Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.
Método e via de administração
ZenapaxÒ (Daclizumab) é administrado na forma de infusão intravenosa.
Duração do tratamento
Normalmente, um ciclo de tratamento tem uma duração de 8 semanas.
Interrupção do tratamento
Não interrompa o tratamento sem o conhecimento de seu médico.
Reações adversas
Informe seu médico sobre o aparecimento de reações desagradáveis.
Juntamente com os efeitos benéficos, ZenapaxÒ (Daclizumab) poderá causar alguns efeitos indesejados.
Os efeitos indesejados que você poderá vir a experimentar poderão ser decorrentes de outras terapias imunossupressoras usadas além de ZenapaxÒ (Daclizumab).
Os efeitos indesejados observados com maior freqüência durante o tratamento com ZenapaxÒ (Daclizumab) são distúrbios gastrintestinais e infecções16. Os sintomas17 poderão incluir constipação18, náusea19, vômitos20, diarréia21 e dor abdominal.
Caso esteja preocupado em relação a este(s) efeito(s) ou a qualquer outro(s) efeito(s) inesperado(s), consulte seu médico ou farmacêutico.
TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.
Interação com outros medicamentos e outras formas de interação
Antes de iniciar o tratamento, certifique-se que seu médico saiba que você está tomando outros medicamentos. Isto é extremamente importante visto que o uso de mais de um medicamento simultaneamente poderá potencializar ou diminuir o efeito de todos os medicamentos que esteja tomando. Portanto, ZenapaxÒ (Daclizumab) não deverá ser usado em conjunto com outras drogas sem o consentimento de seu médico.
Contra-indicações e Precauções
Você não deverá receber administração de ZenapaxÒ (Daclizumab) caso seja alérgico ao daclizumab ou a qualquer uma das substâncias contidas no frasco. Seu médico lhe informará como proceder.
Informe seu médico antes de iniciar o tratamento com ZenapaxÒ (Daclizumab) caso:
·    já tenha sofrido qualquer reação alérgica22 a outros medicamentos imunossupressores que ajudem a suprimir o mecanismo de defesa natural do organismo;
·    esteja tomando outros medicamentos, incluindo aqueles obtidos sem prescrição.
A terapia com medicamentos que ajudam a interromper o mecanismo de defesa natural do organismo poderá aumentar o risco de desenvolvimento de malignidade ou de infecções16. Todavia, ZenapaxÒ (Daclizumab) não aumenta este risco quando administrado em complementação a outras drogas imunossupressoras.
Poderão ocorrer reações de hipersensibilidade após a administração de proteínas6. Raramente, podem ocorrer reações de hipersensibilidade graves após administração de ZenapaxÒ (Daclizumab). Na eventualidade de ocorrerem reações alérgicas, seu médico adotará o tratamento com a medicação adequada.
Não existem evidências que indiquem que ZenapaxÒ (Daclizumab) possui efeito sobre a capacidade de dirigir veículos ou de operar máquinas.
Não deve ser utilizado durante a gravidez13 e a lactação14.
Informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando , antes do início ou durante o tratamento.
NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO. PODE SER PERIGOSO PARA A SAÚDE12.
INFORMAÇÃO TÉCNICA

Características Químicas e Farmacológicas de Zenapax

ZenapaxÒ (Daclizumab) contém daclizumab, um anticorpo4 anti-Tac IgG1 humanizado, recombinante, que atua como antagonista23 de receptor de interleucina-2 (IL-2). Daclizumab se liga com alta especificidade às sub-unidades alfa, ou Tac, do complexo receptor de alta afinidade da IL-2 (expressado em células24 T ativadas) e inibe a ligação à IL-2 como também sua atividade biológica. A administração de ZenapaxÒ (Daclizumab) inibe a ativação da IL-2 mediada por linfócitos, um caminho crítico na resposta imunológica humana, envolvida na rejeição do aloenxerto.
Na dosagem recomendada, o daclizumab satura o receptor Tac durante aproximadamente 120 dias. Não foram detectados anticorpos5 que afetem a eficácia, segurança, níveis séricos de daclizumab e quaisquer outros parâmetros clínicos examinados.
Não foram observadas mudanças significativas na quantidade de linfócitos circulantes ou de fenótipos celulares, através da análise de classificação de células24 fluorescentes ativadas (FACS), a não ser a diminuição transitória esperada de células24 Tac positivas.
ZenapaxÒ (Daclizumab) demonstrou superioridade, estatisticamente significativa em relação ao placebo25, reduzindo a taxa de rejeição aguda do aloenxerto renal26 nos 6 meses pós-transplante, conforme confirmado através de biopsia27. Não foi observada recidiva28 de rejeição.
Em um estudo Fase III, foi observado um aumento significativo nas taxas de sobrevida29 dos pacientes nos 6 e 12 meses pós-transplante, no grupo ZenapaxÒ (Daclizumab), quando comparado ao grupo placebo25.
A função renal26, medida de acordo com as taxas de filtração glomerular (GFR), foi significativamente melhor nos grupos tratados com ZenapaxÒ (Daclizumab), quando comparada aos grupos tratados com placebo25, nos 6 meses iniciais pós-transplante.
Os pacientes do grupo ZenapaxÒ (Daclizumab) receberam terapia anti-linfocítica como tratamento da rejeição aguda em menor freqüência, quando comparados ao grupo placebo25.

Farmacocinética de Zenapax

Em estudos clínicos envolvendo pacientes com aloenxerto renal26 tratados com 1 mg/kg de ZenapaxÒ (Daclizumab) a cada 14 dias abrangendo um total de 5 doses, a média das concentrações séricas de pico (média ± desvio padrão) aumentou entre a primeira (21 ± 14 m g/ml) e a quinta (32 ± 22 m g/ml) dose. A média ± desvio padrão das concentrações séricas de vale antes da quinta dose foi de 7,6 ± 4,0 m g/ml. São necessários níveis séricos de 5 - 10 m g/ml para a saturação completa dos receptores Tac e para bloquear as respostas dos linfócitos T ativados. Os níveis séricos que atingem a saturação do receptor Tac e mantêm a saturação durante o intervalo inter-doses são fornecidos pela dosagem recomendada de 1 mg/kg a cada 14 dias. O regime de dosagem recomendado fornece níveis séricos de saturação para os primeiros 3 meses, o período mais crítico pós-transplante.A meia-vida estimada de eliminação de daclizumab encontra-se na faixa de 279 a 919 horas (média de 480 horas), em pacientes com aloenxerto renal26, sendo equivalente àquela relatada para IgG humana, que se encontra na faixa de 432 a 552 horas (média 480 horas). Isto é atribuível a humanização da proteína.
A população da análise farmacocinética demonstrou que o clearance sistêmico30 do daclizumab foi influenciado pelo peso corpóreo total, idade, sexo, proteinúria31 e raça.
A influência identificada do peso corpóreo sobre o clearance sistêmico30 proporciona suporte para a dosagem de ZenapaxÒ (Daclizumab), baseada em mg/kg, e o regime de dosagem recomendado mantém a exposição à droga dentro de 30% da exposição de referência para os grupos de pacientes com amplas características demográficas. Não são requeridos outros ajustes da dosagem baseados em co-variáveis identificadas (sexo, proteinúria31, raça e idade) para os pacientes de aloenxerto renal26.

Indicações de Zenapax

ZenapaxÒ (Daclizumab) é indicado para a profilaxia da rejeição aguda de órgãos em pacientes que receberam transplante renal26. É usado concomitantemente com um regime imunossupressor32, incluindo ciclosporina e corticosteróide.

Contra-Indicações de Zenapax

ZenapaxÒ (Daclizumab) é contra-indicado em pacientes com hipersensibilidade conhecida ao daclizumab ou a qualquer um dos componentes do produto. Para informação sobre o uso durante a gravidez13 e sobre os requisitos de contracepção15, vide "Gravidez13 e lactação14".
Precauções e Advertências
Por tratar-se de uma proteína imunossupressora, ZenapaxÒ (Daclizumab) deverá ser administrado sob supervisão médica qualificada. Os pacientes deverão ser informados dos benefícios potenciais da terapia e dos riscos associados à administração de terapias imunossupressoras.
Foram observadas reações anafiláticas33 após a administração de proteínas6. Raramente podem ocorrer reações de hipersensibilidade graves após administração de ZenapaxÒ (Daclizumab). Portanto, deverão encontrar-se disponíveis as medicações para o tratamento de reações de hipersensibilidade aguda, para uso imediato.
Os pacientes que se encontram sob terapia imunossupressora, após o transplante, apresentam risco aumentado para o desenvolvimento de distúrbios linfo-proliferativos (LPDs) e de infecções16 oportunistas. Apesar de ZenapaxÒ (Daclizumab) ser uma droga imunossupressora, até esta data não foram observados LPDs nem infecções16 oportunistas em pacientes tratados com ZenapaxÒ (Daclizumab).
Deverão ser adotadas precauções na administração de drogas imunossupressoras à pacientes idosos.
Gravidez13 e lactação14
Não foram realizados estudos de reprodução34 animal com ZenapaxÒ (Daclizumab). Não é conhecido se ZenapaxÒ (Daclizumab) pode causar danos ao feto35 quando administrado em mulheres grávidas ou se afeta a capacidade reprodutiva. Visto ser conhecido que a IgG atravessa a barreira placentária, o risco da administração de ZenapaxÒ (Daclizumab) em mulheres férteis deverá ser considerado em oposição aos benefícios para cada caso. As mulheres em idade fértil deverão usar métodos contraceptivos para evitar a gravidez13 e continuar o uso dos mesmos durante 4 meses após a última dose de ZenapaxÒ (Daclizumab).
Não é conhecido se ZenapaxÒ (Daclizumab) é excretado no leite materno. Pelo fato de muitas drogas serem excretadas pelo leite materno e devido ao potencial de reações adversas, deverá ser tomada a decisão de descontinuar a lactação14 ou descontinuar a administração da droga, levando-se em consideração a importância da droga para a mãe.
Interações medicamentosas
As seguintes medicações foram administradas posteriormente ao transplante, em estudos clínicos com ZenapaxÒ (Daclizumab), sem aumento de nenhuma das reações adversas: ciclosporina, micofenolato mofetil, ganciclovir, aciclovir36, tacrolimus, azatioprina, globulina37 imunológica antimiocítica, muromonab-CD3 (OKT-3) e corticosteróides.
Não existe interação farmacocinética entre ZenapaxÒ (Daclizumab) e o ácido micofenólico, o metabólito38 ativo do micofenolato mofetil (CellCeptâ ).
Reações adversas/colaterais e alterações de exames laboratoriais
O perfil de segurança de ZenapaxÒ (Daclizumab) foi estudado em comparação ao placebo25, em pacientes que recebiam regimes imunossupressores concomitantes contendo ciclosporina e corticosteróides individualmente, com a adição de azatioprina ou com a adição de micofenolato mofetil.
ZenapaxÒ (Daclizumab) não apresenta toxicidade39 aparente. Comparado com placebo25, ZenapaxÒ (Daclizumab) não aumentou o perfil de toxicidade39 do regime imunossupressor32 subjacente. Os eventos adversos relatados estavam relacionados ao procedimento de transplante e às drogas do regime imunossupressor32. Consulte a informação de prescrição para ciclosporina, corticosteróides, azatioprina e micofenolato mofetil, para obter maiores informações sobre os eventos adversos associados à droga.
Foram relatados eventos adversos em 95% dos pacientes do grupo tratado com placebo25 e em 96% dos pacientes do grupo tratado com ZenapaxÒ (Daclizumab).
Foram relatados eventos adversos sérios em 44,4% dos pacientes do grupo tratado com placebo25 e em 39,9% dos pacientes do grupo tratado com ZenapaxÒ (Daclizumab).
Foram relatadas mortes cuja ocorrência foi nos primeiros 6 meses pós-transplante em 3,4% dos pacientes do grupo tratado com placebo25 e em 0,6% dos pacientes do grupo tratado com ZenapaxÒ (Daclizumab). A mortalidade40 após 12 meses foi de 4,4% no grupo placebo25 e de 1,5% no grupo ZenapaxÒ (Daclizumab).
Os eventos adversos relatados com maior freqüência foram distúrbios gastrintestinais, os quais foram relatados com freqüência semelhante para os pacientes dos grupos ZenapaxÒ (Daclizumab) (67%) e placebo25 (68%).
ZenapaxÒ (Daclizumab) não aumentou a freqüência dos episódios infecciosos (72% para placebo25 versus 68% para ZenapaxÒ [Daclizumab]). O tipo de infecção41 relatada foi similar em ambos os grupos, ZenapaxÒ (Daclizumab) e placebo25.
A infecção41 por citomegalovirus42 foi relatada em 16% dos pacientes do grupo tratado com placebo25 e em 13% dos pacientes do grupo tratado com ZenapaxÒ (Daclizumab).
A adição de ZenapaxÒ (Daclizumab) não aumentou a quantidade de distúrbios linfo-proliferativos pós-transplante, que ocorreram com freqüência menor que 1%, nos grupos tratados com placebo25 e ZenapaxÒ (Daclizumab).
A síndrome43 de liberação de citosina não foi observada após a administração de ZenapaxÒ (Daclizumab).
Posologia
Dosagem padrão
A dose recomendada de ZenapaxÒ (Daclizumab) é de 1 mg/kg. O volume de ZenapaxÒ (Daclizumab) contendo a dose adequada é adicionado a 50 ml de solução salina estéril a 0,9%, sendo administrado por via intravenosa durante um período de 15 minutos. Poderá ser administrado através de uma veia periférica ou central.
ZenapaxÒ (Daclizumab) deverá ser administrado inicialmente dentro das 24 horas prévias ao transplante. A próxima dose e cada dose subseqüente deverá ser administrada a intervalos de 14 dias, abrangendo o total de 5 doses. As doses subseqüentes poderão ser administradas um dia antes ou um dia depois da data programada.
Instruções especiais de dosagem
Idosos. Vide "Pacientes idosos".
Pacientes com diminuição severa da função renal26. Não são necessários ajustes de dosagem para pacientes44 com diminuição severa da função renal26.
Pacientes com diminuição severa da função hepática45. Não existem dados disponíveis de pacientes com diminuição severa da função hepática45.
Crianças. A segurança e eficácia de ZenapaxÒ (Daclizumab) não foi estabelecida em pacientes pediátricos.
Superdosagem
A dose máxima tolerada não foi determinada em pacientes e não foi possível atingir a mesma em animais que receberam ZenapaxÒ (Daclizumab). A dose de 1,5 mg/kg foi administrada a receptores de transplante de medula óssea46 sem eventos adversos associados. Em um estudo de toxicidade39 com dose única foi administrada uma dose de 125 mg/kg, por via intravenosa, para camundongos sem evidência de toxicidade39.
Pacientes idosos
As experiências com ZenapaxÒ (Daclizumab) em pacientes idosos (maiores de 65 anos) é limitada devido à quantidade limitada de pacientes idosos que são submetidos à transplante renal26 (vide "Precauções e Advertências").
Observações especiais
Incompatibilidades
Não foi observada incompatibilidade entre ZenapaxÒ (Daclizumab) e envelopes de cloreto de polivinila ou de polietileno nem em relação aos conjuntos para infusão.
Estabilidade
Armazenar entre 2 - 8oC. Não congelar.
Proteger os frascos da incidência10 da luz.
A medicação diluída é estável durante 24 horas a 2 - 8 OC ou durante 4 horas em temperatura ambiente.
Este medicamento não deverá ser usado após a data de validade indicada na embalagem.
Instruções de uso, manuseio e descarte
ZenapaxÒ (Daclizumab) NÃO é fornecido em condições de ser injetado diretamente. O mesmo deverá ser diluído em 50 ml de solução estéril de cloreto de sódio a 0,9%, antes de sua administração intravenosa aos pacientes. Durante a mistura da solução não agitar, porém inverter o frasco com cuidado, evitando a formação de espuma. Deverão ser adotadas precauções para garantir a esterilidade47 da solução preparada, visto que o produto não contém nenhum tipo de agente conservante antimicrobiano ou bacteriostático. ZenapaxÒ (Daclizumab) é uma solução incolor fornecida em frasco de uso único, sendo que a porção não usada da droga deverá ser descartada. Os produtos parenterais da droga deverão ser inspecionados visualmente quanto à existência de material particulado e descoloração, antes de sua administração. Uma vez preparada a infusão, a mesma deverá ser administrada por via intravenosa dentro de 4 horas. Caso deva ser mantida durante um período mais prolongado (até 24 horas), a mesma deverá ser refrigerada entre 2-8oC.
Não deverão ser adicionadas, nem infundidas simultaneamente outras drogas / substâncias usando o mesmo equipamento de administração intravenoso.
ESTE PRODUTO É UM NOVO MEDICAMENTO E EMBORA AS PESQUISAS TENHAM INDICADO EFICÁCIA E SEGURANÇA, QUANDO CORRETAMENTE INDICADO, PODEM OCORRER REAÇÕES ADVERSAS IMPREVISÍVEIS, AINDA NÃO DESCRITAS OU CONHECIDAS. EM CASO DE SUSPEITA DE REAÇÃO ADVERSA, O MÉDICO RESPONSÁVEL DEVE SER NOTIFICADO.

ZENAPAX - Laboratório

ROCHE
Av. Engenheiro Billings, 1729 - Jaguaré
São Paulo/SP - CEP: 05321-900
Tel: 0800 7720 289
Fax: 0800 7720 292
Site: http://www.roche.com/
Estrada dos Bandeirantes, 2020
CEP: 22710-104
Rio de Janeiro - RJ

Ver outros medicamentos do laboratório "ROCHE"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Ácido clorídrico: Ácido clorídrico ou ácido muriático é uma solução aquosa, ácida e queimativa, normalmente utilizado como reagente químico. É um dos ácidos que se ioniza completamente em solução aquosa.
2 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
3 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
4 Anticorpo: Proteína circulante liberada pelos linfócitos em reação à presença no organismo de uma substância estranha (antígeno).
5 Anticorpos: Proteínas produzidas pelo organismo para se proteger de substâncias estranhas como bactérias ou vírus. As pessoas que têm diabetes tipo 1 produzem anticorpos que destroem as células beta produtoras de insulina do próprio organismo.
6 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
7 Antígenos: 1. Partículas ou moléculas capazes de deflagrar a produção de anticorpo específico. 2. Substâncias que, introduzidas no organismo, provocam a formação de anticorpo.
8 Antígeno: 1. Partícula ou molécula capaz de deflagrar a produção de anticorpo específico. 2. Substância que, introduzida no organismo, provoca a formação de anticorpo.
9 Enxerto: 1. Na agricultura, é uma operação que se caracteriza pela inserção de uma gema, broto ou ramo de um vegetal em outro vegetal, para que se desenvolva como na planta que o originou. Também é uma técnica agrícola de multiplicação assexuada de plantas florais e frutíferas, que permite associar duas plantas diferentes, mas gerações próximas, muito usada na produção de híbridos, na qual uma das plantas assegura a nutrição necessária à gema, ao broto ou ao ramo da outra, cujas características procura-se desenvolver; enxertia. 2. Na medicina, é a transferência especialmente de células ou de tecido (por exemplo, da pele) de um local para outro do corpo de um mesmo indivíduo ou de um indivíduo para outro.
10 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
11 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
12 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
13 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
14 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
15 Contracepção: Qualquer processo que evite a fertilização do óvulo ou a implantação do ovo. Os métodos de contracepção podem ser classificados de acordo com o seu objetivo em barreiras mecânicas ou químicas, impeditivas de nidação e contracepção hormonal.
16 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
17 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
18 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
19 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
20 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
21 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
22 Reação alérgica: Sensibilidade a uma substância específica, chamada de alérgeno, com a qual se entra em contato por meio da pele, pulmões, deglutição ou injeções.
23 Antagonista: 1. Opositor. 2. Adversário. 3. Em anatomia geral, que ou o que, numa mesma região anatômica ou função fisiológica, trabalha em sentido contrário (diz-se de músculo). 4. Em medicina, que realiza movimento contrário ou oposto a outro (diz-se de músculo). 5. Em farmácia, que ou o que tende a anular a ação de outro agente (diz-se de agente, medicamento etc.). Agem como bloqueadores de receptores. 6. Em odontologia, que se articula em oposição (diz-se de ou qualquer dente em relação ao da maxila oposta).
24 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
25 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
26 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
27 Biópsia: 1. Retirada de material celular ou de um fragmento de tecido de um ser vivo para determinação de um diagnóstico. 2. Exame histológico e histoquímico. 3. Por metonímia, é o próprio material retirado para exame.
28 Recidiva: 1. Em medicina, é o reaparecimento de uma doença ou de um sintoma, após período de cura mais ou menos longo; recorrência. 2. Em direito penal, significa recaída na mesma falta, no mesmo crime; reincidência.
29 Sobrevida: Prolongamento da vida além de certo limite; prolongamento da existência além da morte, vida futura.
30 Sistêmico: 1. Relativo a sistema ou a sistemática. 2. Relativo à visão conspectiva, estrutural de um sistema; que se refere ou segue um sistema em seu conjunto. 3. Disposto de modo ordenado, metódico, coerente. 4. Em medicina, é o que envolve o organismo como um todo ou em grande parte.
31 Proteinúria: Presença de proteínas na urina, indicando que os rins não estão trabalhando apropriadamente.
32 Imunossupressor: Medicamento que suprime a resposta imune natural do organismo. Os imunossupressores são dados aos pacientes transplantados para evitar a rejeição de órgãos ou para pacientes com doenças autoimunes.
33 Reações anafiláticas: É um tipo de reação alérgica sistêmica aguda. Esta reação ocorre quando a pessoa foi sensibilizada (ou seja, quando o sistema imune foi condicionado a reconhecer uma substância como uma ameaça ao organismo). Na segunda exposição ou nas exposições subseqüentes, ocorre uma reação alérgica. Essa reação é repentina, grave e abrange o corpo todo. O sistema imune libera anticorpos. Os tecidos liberam histamina e outras substâncias. Esse mecanismo causa contrações musculares, constrição das vias respiratórias, dificuldade respiratória, dor abdominal, cãimbras, vômitos e diarréia. A histamina leva à dilatação dos vasos sangüíneos (que abaixa a pressão sangüínea) e o vazamento de líquidos da corrente sangüínea para os tecidos (que reduzem o volume de sangue) o que provoca o choque. Ocorrem com freqüência a urticária e o angioedema - este angioedema pode resultar na obstrução das vias respiratórias. Uma anafilaxia prolongada pode causar arritmia cardíaca.
34 Reprodução: 1. Função pela qual se perpetua a espécie dos seres vivos. 2. Ato ou efeito de reproduzir (-se). 3. Imitação de quadro, fotografia, gravura, etc.
35 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
36 Aciclovir: Substância análoga da Guanosina, que age como um antimetabólito, à qual os vírus são especialmente susceptíveis. É usado especialmente contra o herpes.
37 Globulina: Qualquer uma das várias proteínas globulares pouco hidrossolúveis de uma mesma família que inclui os anticorpos e as proteínas envolvidas no transporte de lipídios pelo plasma.
38 Metabólito: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
39 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
40 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
41 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
42 Citomegalovírus: Citomegalovírus (CMV) é um vírus pertence à família do herpesvírus, a mesma dos vírus da catapora, herpes simples, herpes genital e do herpes zóster.
43 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
44 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
45 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
46 Medula Óssea: Tecido mole que preenche as cavidades dos ossos. A medula óssea apresenta-se de dois tipos, amarela e vermelha. A medula amarela é encontrada em cavidades grandes de ossos grandes e consiste em sua grande maioria de células adiposas e umas poucas células sangüíneas primitivas. A medula vermelha é um tecido hematopoiético e é o sítio de produção de eritrócitos e leucócitos granulares. A medula óssea é constituída de um rede, em forma de treliça, de tecido conjuntivo, contendo fibras ramificadas e preenchida por células medulares.
47 Esterilidade: Incapacidade para conceber (ficar grávida) por meios naturais. Suas causas podem ser masculinas, femininas ou do casal.

Tem alguma dúvida sobre ZENAPAX?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.