Metronix 100mg -Creme Cag. 50bis x 50g

CRISTALIA

Atualizado em 09/12/2014

Metronix 100mg -Creme Cag. 50bis x 50g

METRONIX
Metronidazol 100 mg/g
Geléia Tópica Vaginal

Forma Farmacêutica e de Apresentação de Metronix

Geléia Tópica VaginalCaixa com 50 bisnagas de alumínio com 50 gramas + 10 aplicadores
USO ADULTO

Composição de Metronix

Cada grama1 contém:
Metronidazol (DCB 0842.01-X) ....................100 mg
Excipiente qsp ....................1 g
(Excipientes: monoestearato de glicerila, álcool cetílico, metilparabeno, propilparabeno, propilenoglicol, espermacete de baleia, fluilan, jelene, óleo mineral, polissorbato 80 , água purificada )

Informação ao Paciente de Metronix

O Metronix é indicado no tratamento local de vaginoses bacterianas, giardíase e tricomoníase vaginal. O produto deve ser conservado em temperatura ambiente, entre 15 e 30oC.
O prazo de validade do produto é de 24 meses, a partir da data de fabricação impressa na embalagem, sendo que após este prazo o produto pode não ter mais efeito terapêutico. Não utilize medicamento vencido, pois pode ser prejudicial à saúde2.
Informe seu médico sobre a ocorrência de gravidez3 na vigência do tratamento ou após o seu término. Informe ao médico se está amamentando.
Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.
Recomenda-se abstinência sexual durante o tratamento, com o produto, para prevenir infecções4 cruzadas, reinfecções ou diluição da dose.
Lave as mãos5 imediatamente antes e após a administração vaginal .
Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.
Informe seu médico sobre o aparecimento de reações desagradáveis, como náusea6, vômito7, diarréia8, gosto metálico, perda de apetite, urticária9, prurido10, cefaléia11, convulsões, tontura12.
TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.
O paciente deverá abster-se de bebidas alcóolicas durante o tratamento com metronidazol e por pelo menos o primeiro dia após interromper a medicação, devido à possibilidade de reação tipo dissulfiram (efeito antabuse13). O Metronix, deve ser administrado com cautela em pacientes com encefalopatia14 hepática15.
Devem ser mantidos cuidados normais de higiene, evitando-se desta forma parasitoses e reinfecções.
Continue com a terapia mesmo durante a menstruação16.
O metronidazol é contra-indicado em indivíduos com história pregressa de alergia17 ao metronidazol, durante a gravidez3 e lactação18, e em pacientes com doença ativa do sistema nervoso central19, incluindo epilepsia20.
As pacientes devem ser avisadas sobre a possibilidade de ocorrer confusão, tontura12, alucinações21 ou convulsões e aconselhadas a não dirigir ou operar máquinas caso estes sintomas22 ocorram.
NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO, PODE SER PERIGOSO PARA A SAÚDE2

Informação Técnica de Metronix

O Metronix é um antiinfeccioso de uso local, pertencente ao grupo dos 5-nitroimidazóis. O espectro antimicrobiano do metronidazol é o seguinte:
Espécies habitualmente sensíveis (MIC < (g/ml) (mais do que 90% das cepas23 da espécie sensíveis): Peptostreptococcus, Clostridium perfringens, Clostridium difficile, Clostridium sp, Bacteroides fragilis, Prevotella, Fusobacterium, Veillonella.
Espécies resistentes (no mínimo 50% das cepas23 da espécie resistentes): Propionibacterium, Actinomyces, Mobilincus.
Espécies inconstantemente sensíveis: A porcentagem de resistência adquirida é variável. A sensibilidade é imprevisível na ausência de antibiograma. Bifidobacterium, Eubacterium.
Atividade antiparasitária: Entamoeba hystolítica, Trichomonas vaginalis, Giardia intestinalis.
Farmacocinética:
Após administração por via vaginal, a passagem sistêmica é fraca. A ligação às proteínas24 plasmáticas é baixa e a meia-vida plasmática é de 8 a 10 horas. A distribuição é rápida e importante nos pulmões25, rins26, fígado27, bile28, líquor29, pele30, saliva e secreções vaginais.
O metronidazol atravessa a barreira placentária e é excretado no leite materno. Seu metabolismo31 é principalmente hepático, formando 2 metabólitos32 óxidos ativos não conjugados (atividade de 5 a 30%). O metronidazol e seus metabólitos32 óxidos, excretados principalmente através da urina33, representam aproximadamente 35 a 65% da dose absorvida.

Indicações de Metronix

O Metronix é indicado para o tratamento de tricomoníase.

Contra-Indicações de Metronix

O produto é contra-indicado em pacientes com história de hipersensibilidade do metronidazol, parabenos , derivados de nitroimidazol ou outros componentes da fórmula.

Precauções e Advertências de Metronix

O Metronix deve ser utilizado com cautela em pacientes com doença grave, ativa ou crônica do sistema nervoso central19 e periférico, devido ao risco de agravamento neurológico.As pacientes devem ser aconselhadas a não ingerir álcool durante no mínimo 1 dia após o tratamento com metronidazol, devido à possibilidade de reação tipo dissulfiram (efeito antabuse13).
Se o tratamento com metronidazol, excepcionalmente, durar mais do que geralmente é recomendado, deve-se realizar testes hematológicos regularmente, principalmente contagem de leucócitos34, e a paciente deve ser monitorada quanto ao aparecimento de reações adversas, tais como neuropatias centrais ou periféricas (parestesia35, ataxia36, tontura12, crises convulsivas).
O Metronix deve ser administrado com cautela em pacientes com encefalopatia14 hepática15.
As pacientes devem ser avisadas que os metabólitos32 do metronidazol podem provocar escurecimento da urina33.
As pacientes devem ser avisadas sobre a possibilidade de confusão, tontura12 alucinações21 ou convulsões e aconselhados anão dirigir ou operar máquinas caso estes sintomas22 ocorram.
Carcinogênese e Mutagênese:
O metronidazol mostrou ser carcinogênico em camundongos e ratos. Contudo, estudos semelhantes em hamsters mostraram resultados negativos e estudos epidemiológicos extensivos em humanos não mostraram nenhuma evidência de aumento do risco carcinogênico em humanos. O metronidazol mostrou ser mutagênico em bactérias in vitro. Em estudos conduzidos em células37 de mamíferos in vitro, assim como em roedores ou humanos in vivo, houve uma evidência inadequada de efeito mutagênico do metronidazol.
Gravidez3:
O uso de metronidazol durante a gravidez3 deve ser cuidadosamente avaliado, pois atravessa a barreira placentária e seus efeitos sobre a organogênese fetal humana ainda são desconhecidos.
Lactação18:
Deve-se evitar o uso de metronidazol durante o período de amamentação38, pois é excretado no leite materno.
Uso pediátrico:
Não há estudos de avaliação para os efeitos do metronidazol geléia vaginal em pacientes pediátricos.

Reações Adversas / Colaterais e Alterações de Exames Laboratoriais de Metronix

Efeitos gastrintestinais: dor epigástrica, náusea6, vômito7, diarréia8, glossite39, gosto metálico, anorexia40, casos excepcionais e reversíveis de pancreatite41.
Reações de hipersensibilidade: exantema42, prurido10, rubor, urticária9, febre43, angioedema44, excepcionalmente choque anafilático45.
Sistema nervoso central19 e periférico: neuropatia46 sensorial periférica, cefaléia11, convulsões, tontura12, ataxia36.
Alterações psiquiátricas: confusão, alucinações21.
Hematologia: foram relatados casos de agranulocitose47, neutropenia48 e trombocitopenia49.
Hepático: forma relatados raros casos de alterações reversíveis nos testes de função hepática15 e hepatite50 colestática.
Interferência em Exames Laboratoriais
Interferência com resultados nos testes laboratoriais:
Alanina aminotransferase ( ALT [SGPT] ) ,
Aspartato aminotransferase (AST [SGOT] ) ,
Hexoquinase glicose51 ,
Lactato52 desidrogenase (LDH)
Triglicérides53 ( o metronidazol tem uma alta absorbância no comprimento de onda da nicotinamida-adenina dinucleotídio [NADH] determinando, portanto, valores baixos falsos
quando estas substâncias são avaliadas por métodos de fluxo contínuo)
Pode ocorrer aumento ou diminuição da contagem de células37 sangüíneas.

Interações Medicamentosas de Metronix

Álcool Deve-se ter precaução com o uso concomitante de metronidazol geléia vaginal com álcool, pois o metronidazol sistêmico54 pode interferir com a oxidação do álcool, podendo resultar em efeitos tipo dissulfiram, tais como cólicas55 abdominais, taquicardia56, náuseas57, vômitos58, dores de cabeça59 ou rubor da face60 devido ao acúmulo de acetaldeído. Mudanças no sabor de bebidas alcoólicas têm também sido relatadas durante o uso concomitante com o metronidazol.
Anticoagulantes61
Efeitos anticoagulantes61 podem ser potencializados quando estes agentes são usados concomitantemente com o metronidazol, causando a inibição do metabolismo31 enzimático dos anticoagulantes61. Determinações periódicas de tempo de protrombina62 podem ser necessárias durante a próxima terapia simultânea, para determinar o ajuste de dosagem dos anticoagulantes61, se necessário.
Cimetidina
O metabolismo31 hepático do metronidazol pode ser diminuído quando o metronidazol e a cimetidina são usados concomitantemente, possivelmente resultando na demora da eliminação e da diminuição de concentrações séricas de metronidazol.
Dissulfiram
Recomenda-se que o metronidazol não seja usado concomitantemente com dissulfiram, ou por 2 semanas seguidas em pacientes alcoólatras, pois o uso pode causar confusão e reações psicóticas, devido à toxicidade63 combinada.
Medicamentos neurotóxicos
O uso concomitante de metronidazol sistêmico54 com outros medicamentos neurotóxicos pode aumentar o potencial para neurotoxicidade.
Fenitoína
O metronidazol sistêmico54 pode prejudicar o metabolismo31 da fenitoína por inibição das enzimas microssomais e diminuição da concentração plasmática de fenitoína.
Os efeitos da fenitoína não são conhecidos com o uso do metronidazol vaginal.
Fenobarbital
Ocorre um aumento da eliminação de metronidazol, resultando em níveis plasmáticos reduzidos.
5-fluorouracil
Ocorre diminuição do clearance do fluorouracil, resultando em aumento da toxicidade63 do mesmo.
Lítio
Os níveis plasmáticos do lítio podem ser aumentados pelo metronidazol. Deve-se portanto, monitorar as concentrações plasmáticas de lítio, creatinina64 e eletrólitos65 em pacientes recebendo tratamento com lítio, enquanto durar o tratamento com o metronidazol.
Ciclosporina
Risco de aumento de níveis plasmáticos de ciclosporina. Os níveis plasmáticos de ciclosporina e creatinina64 devem ser rigorosamente monitorizados quando a administração concomitante de ciclosporina e metronidazol é necessária.
POSOLOGIA
Fazer 1 aplicação de preferência à noite, ao deitar-se, durante 10 a 20 dias. Cada aplicação (5g de geléia) contém 500 mg de metronidazol.
Uso pediátrico: segurança e eficácia não foram estabelecidas.
Modo de Aplicação:

Superdosagem de Metronix

Foram relatadas ingestões orais únicas de doses de até 12g de metronidazol em tentativas de suicídio e superdosagens acidentais. Os sintomas22 ficaram limitados à vômito7, ataxia36 e desorientação leve.
Não existe antídoto66 específico para superdosagem com metronidazol. Em caso de suspeita de superdosagem maciça, deve-se instituir tratamento sintomático67 e de suporte.

Pacientes Idosos de Metronix

Não há informações que avaliem os efeitos do metronidazol tópico68 vaginal em pacientes geriátricos. Pelo fato de provavelmente sofrerem uma diminuição da função hepática15, poderá ocorrer dificuldade na eliminação do metronidazol.

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
Número do Lote, Data de Fabricação e Prazo de Validade: Vide Cartucho
Reg. MS N.º 1.0298.0113
Farm. Resp. : Dr. Joaquim A. dos Reis - CRF-SP N.º 5061

SAC (Serviço de Atendimento ao Cliente): 0800-7011918

Cristália Produtos Químicos Farmacêuticos Ltda.
Rodovia Itapira-Lindóia - km 14- Itapira - SP.
CNPJ N.º 44.734.671/0001-51
Indústria Brasileira

REVISADO EM 24/09/01

Metronix 100mg -Creme Cag. 50bis x 50g - Laboratório

CRISTALIA
Escritório central - Unidade II: Av. Paoletti, 363 - Nova Itapira
Itapira/SP - CEP: 13970-000
Tel: (19) 3863-9500
Fax: (19) 3863-9500
Site: http://www.2cristalia.com.br/fale_conosco.php
Escritório comercial
Av. Corifeu de Azevedo Marques, 1847 - Butantã
São Paulo /SP
CEP: 05581-001
Tel./Fax: (11) 3723-6400

Unidade I
Rod. Itapira-Lindóia, Km 14 - Ponte Preta
Itapira /SP
CEP: 13970-000
Tel./Fax: (19) 3843-9500

Unidade III
Av. Nossa Senhora Assunção, 574 - Butantã
São Paulo /SP
CEP: 05359-001
Tel./Fax: (11) 3732-2250

Ver outros medicamentos do laboratório "CRISTALIA"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Grama: 1. Designação comum a diversas ervas da família das gramíneas que formam forrações espontâneas ou que são cultivadas para criar gramados em jardins e parques ou como forrageiras, em pastagens; relva. 2. Unidade de medida de massa no sistema c.g.s., equivalente a 0,001 kg . Símbolo: g.
2 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
3 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
4 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
5 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
6 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
7 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
8 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
9 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
10 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
11 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
12 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
13 Efeito Antabuse: É um quadro conseqüente à interação de derivados imidazólicos (cetoconazol, itraconazol, miconazol, etc.) com álcool. Caracteriza-se por mal-estar, náuseas, tonturas e “gosto metálico na boca”.
14 Encefalopatia: Qualquer patologia do encéfalo. O encéfalo é um conjunto que engloba o tronco cerebral, o cerebelo e o cérebro.
15 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
16 Menstruação: Sangramento cíclico através da vagina, que é produzido após um ciclo ovulatório normal e que corresponde à perda da camada mais superficial do endométrio uterino.
17 Alergia: Reação inflamatória anormal, perante substâncias (alérgenos) que habitualmente não deveriam produzi-la. Entre estas substâncias encontram-se poeiras ambientais, medicamentos, alimentos etc.
18 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
19 Sistema Nervoso Central: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
20 Epilepsia: Alteração temporária e reversível do funcionamento cerebral, que não tenha sido causada por febre, drogas ou distúrbios metabólicos. Durante alguns segundos ou minutos, uma parte do cérebro emite sinais incorretos, que podem ficar restritos a esse local ou espalhar-se. Quando restritos, a crise será chamada crise epiléptica parcial; quando envolverem os dois hemisférios cerebrais, será uma crise epiléptica generalizada. O paciente pode ter distorções de percepção, movimentos descontrolados de uma parte do corpo, medo repentino, desconforto no estômago, ver ou ouvir de maneira diferente e até perder a consciência - neste caso é chamada de crise complexa. Depois do episódio, enquanto se recupera, a pessoa pode sentir-se confusa e ter déficits de memória. Existem outros tipos de crises epilépticas.
21 Alucinações: Perturbações mentais que se caracterizam pelo aparecimento de sensações (visuais, auditivas, etc.) atribuídas a causas objetivas que, na realidade, inexistem; sensações sem objeto. Impressões ou noções falsas, sem fundamento na realidade; devaneios, delírios, enganos, ilusões.
22 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
23 Cepas: Cepa ou estirpe é um termo da biologia e da genética que se refere a um grupo de descendentes com um ancestral comum que compartilham semelhanças morfológicas e/ou fisiológicas.
24 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
25 Pulmões: Órgãos do sistema respiratório situados na cavidade torácica e responsáveis pelas trocas gasosas entre o ambiente e o sangue. São em número de dois, possuem forma piramidal, têm consistência esponjosa e medem cerca de 25 cm de comprimento. Os pulmões humanos são divididos em segmentos denominados lobos. O pulmão esquerdo possui dois lobos e o direito possui três. Os pulmões são compostos de brônquios que se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares. Nos alvéolos se dão as trocas gasosas ou hematose pulmonar entre o meio ambiente e o corpo, com a entrada de oxigênio na hemoglobina do sangue (formando a oxiemoglobina) e saída do gás carbônico ou dióxido de carbono (que vem da célula como carboemoglobina) dos capilares para o alvéolo.
26 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
27 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
28 Bile: Agente emulsificador produzido no FÍGADO e secretado para dentro do DUODENO. Sua composição é formada por s ÁCIDOS E SAIS BILIARES, COLESTEROL e ELETRÓLITOS. A bile auxilia a DIGESTÃO das gorduras no duodeno.
29 Líquor: Líquido cefalorraquidiano (LCR), também conhecido como líquor ou fluido cérebro espinhal, é definido como um fluido corporal estéril, incolor, encontrado no espaço subaracnoideo no cérebro e na medula espinhal (entre as meninges aracnoide e pia-máter). Caracteriza-se por ser uma solução salina pura, com baixo teor de proteínas e células, atuando como um amortecedor para o córtex cerebral e a medula espinhal. Possui também a função de fornecer nutrientes para o tecido nervoso e remover resíduos metabólicos do mesmo. É sintetizado pelos plexos coroidais, epitélio ventricular e espaço subaracnoideo em uma taxa de aproximadamente 20 mL/hora. Em recém-nascidos, este líquido é encontrado em um volume que varia entre 10 a 60 mL, enquanto que no adulto fica entre 100 a 150 mL.
30 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
31 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
32 Metabólitos: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
33 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
34 Leucócitos: Células sangüíneas brancas. Compreendem tanto os leucócitos granulócitos (BASÓFILOS, EOSINÓFILOS e NEUTRÓFILOS) como os não granulócitos (LINFÓCITOS e MONÓCITOS). Sinônimos: Células Brancas do Sangue; Corpúsculos Sanguíneos Brancos; Corpúsculos Brancos Sanguíneos; Corpúsculos Brancos do Sangue; Células Sanguíneas Brancas
35 Parestesia: Sensação cutânea subjetiva (ex.: frio, calor, formigamento, pressão, etc.) vivenciada espontaneamente na ausência de estimulação.
36 Ataxia: Reflete uma condição de falta de coordenação dos movimentos musculares voluntários podendo afetar a força muscular e o equilíbrio de uma pessoa. É normalmente associada a uma degeneração ou bloqueio de áreas específicas do cérebro e cerebelo. É um sintoma, não uma doença específica ou um diagnóstico.
37 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
38 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
39 Glossite: Inflamação da mucosa que reveste a língua, produzida por infecção viral, radiação, carências nutricionais, etc.
40 Anorexia: Perda do apetite ou do desejo de ingerir alimentos.
41 Pancreatite: Inflamação do pâncreas. A pancreatite aguda pode ser produzida por cálculos biliares, alcoolismo, drogas, etc. Pode ser uma doença grave e fatal. Os primeiros sintomas consistem em dor abdominal, vômitos e distensão abdominal.
42 Exantema: Alteração difusa da coloração cutânea, caracterizada por eritema, com elevação das camadas mais superficiais da pele (pápulas), vesículas, etc. Pode ser produzido por uma infecção geralmente viral (rubéola, varicela, sarampo), por alergias a medicamentos, etc.
43 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
44 Angioedema: Caracteriza-se por áreas circunscritas de edema indolor e não-pruriginoso decorrente de aumento da permeabilidade vascular. Os locais mais acometidos são a cabeça e o pescoço, incluindo os lábios, assoalho da boca, língua e laringe, mas o edema pode acometer qualquer parte do corpo. Nos casos mais avançados, o angioedema pode causar obstrução das vias aéreas. A complicação mais grave é o inchaço na garganta (edema de glote).
45 Choque anafilático: Reação alérgica grave, caracterizada pela diminuição da pressão arterial, taquicardia e distúrbios gerais da circulação, acompanhado ou não de edema de glote. Necessita de tratamento urgente. Pode surgir por exposição aos mais diversos alérgenos.
46 Neuropatia: Doença do sistema nervoso. As três principais formas de neuropatia em pessoas diabéticas são a neuropatia periférica, neuropatia autonômica e mononeuropatia. A forma mais comum é a neuropatia periférica, que afeta principalmente pernas e pés.
47 Agranulocitose: Doença causada pela falta ou número insuficiente de leucócitos granulócitos (neutrófilos, basófilos e eosinófilos), que se manifesta como ulcerações na garganta e outras mucosas, seguidas por infecções graves.
48 Neutropenia: Queda no número de neutrófilos no sangue abaixo de 1000 por milímetro cúbico. Esta é a cifra considerada mínima para manter um sistema imunológico funcionando adequadamente contra os agentes infecciosos mais freqüentes. Quando uma pessoa neutropênica apresenta febre, constitui-se uma situação de “emergência infecciosa”.
49 Trombocitopenia: É a redução do número de plaquetas no sangue. Contrário de trombocitose. Quando a quantidade de plaquetas no sangue é inferior a 150.000/mm³, diz-se que o indivíduo apresenta trombocitopenia (ou plaquetopenia). As pessoas com trombocitopenia apresentam tendência de sofrer hemorragias.
50 Hepatite: Inflamação do fígado, caracterizada por coloração amarela da pele e mucosas (icterícia), dor na região superior direita do abdome, cansaço generalizado, aumento do tamanho do fígado, etc. Pode ser produzida por múltiplas causas como infecções virais, toxicidade por drogas, doenças imunológicas, etc.
51 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
52 Lactato: Sal ou éster do ácido láctico ou ânion dele derivado.
53 Triglicérides: A principal maneira de armazenar os lipídeos no tecido adiposo é sob a forma de triglicérides. São também os tipos de lipídeos mais abundantes na alimentação. Podem ser definidos como compostos formados pela união de três ácidos graxos com glicerol. Os triglicérides sólidos em temperatura ambiente são conhecidos como gorduras, enquanto os líquidos são os óleos. As gorduras geralmente possuem uma alta proporção de ácidos graxos saturados de cadeia longa, já os óleos normalmente contêm mais ácidos graxos insaturados de cadeia curta.
54 Sistêmico: 1. Relativo a sistema ou a sistemática. 2. Relativo à visão conspectiva, estrutural de um sistema; que se refere ou segue um sistema em seu conjunto. 3. Disposto de modo ordenado, metódico, coerente. 4. Em medicina, é o que envolve o organismo como um todo ou em grande parte.
55 Cólicas: Dor aguda, produzida pela dilatação ou contração de uma víscera oca (intestino, vesícula biliar, ureter, etc.). Pode ser de início súbito, com exacerbações e períodos de melhora parcial ou total, nos quais o paciente pode estar sentindo-se bem ou apresentar dor leve.
56 Taquicardia: Aumento da frequência cardíaca. Pode ser devido a causas fisiológicas (durante o exercício físico ou gravidez) ou por diversas doenças como sepse, hipertireoidismo e anemia. Pode ser assintomática ou provocar palpitações.
57 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
58 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
59 Cabeça:
60 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
61 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
62 Protrombina: Proteína plasmática inativa, é a precursora da trombina e essencial para a coagulação sanguínea.
63 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
64 Creatinina: Produto residual das proteínas da dieta e dos músculos do corpo. É excretada do organismo pelos rins. Uma vez que as doenças renais progridem, o nível de creatinina aumenta no sangue.
65 Eletrólitos: Em eletricidade, é um condutor elétrico de natureza líquida ou sólida, no qual cargas são transportadas por meio de íons. Em química, é uma substância que dissolvida em água se torna condutora de corrente elétrica.
66 Antídoto: Substância ou mistura que neutraliza os efeitos de um veneno. Esta ação pode reagir diretamente com o veneno ou amenizar/reverter a ação biológica causada por ele.
67 Sintomático: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.
68 Tópico: Referente a uma área delimitada. De ação limitada à mesma. Diz-se dos medicamentos de uso local, como pomadas, loções, pós, soluções, etc.

Tem alguma dúvida sobre Metronix 100mg -Creme Cag. 50bis x 50g?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.