Preço de Ácido Zoledrônico (Injetável 4 mg) em Wilmington/SP: R$ 0,00

Ácido Zoledrônico (Injetável 4 mg)

CRISTÁLIA PRODUTOS QUÍMICOS FARMACÊUTICOS LTDA.

Atualizado em 22/06/2020

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

ácido zoledrônico
Injetável 4 mg
Medicamento genérico, Lei n° 9.787 de 1999.

FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO:

liofilizado1 para solução injetável
Embalagem com 1, 4 e 10 frascos-ampola de 5 mL

USO INTRAVENOSO
USO ADULTO

COMPOSIÇÃO:

Cada frasco-ampola de ácido zoledrônico contém:

ácido zoledrônico monoidratado (equivalente a 4,0 mg de ácido zoledrônico) 4,264 mg
excipiente q.s.p. 1 frasco-ampola

Excipientes: manitol e citrato de sódio.

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

Este medicamento é usado para tratar a metástase2 óssea e reduzir a quantidade de cálcio no sangue3 de pacientes com hipercalcemia induzida por tumor4 (HIT).

Ácido Zoledrônico também é indicado para a prevenção de eventos relacionados ao esqueleto5, como fraturas de ordem patológica, compressão medular, radioterapia6 e cirurgia ortopédica ou hipercalcemia induzida por tumor4, em pacientes com câncer7 metastático ósseo.

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

Ácido Zoledrônico faz parte de uma nova classe de bisfosfonatos de alta potência com atuação específica nos ossos. Dentre os fármacos inibidores da reabsorção óssea, o Ácido Zoledrônico é um dos mais potentes conhecidos até o momento.

Devido a sua elevada afinidade pelas células8 ósseas mineralizadas, os bisfosfonatos atuam de forma seletiva nos ossos, porém o mecanismo de ação preciso que leva a inibição da atividade dos osteoclastos9 ainda é desconhecido.

O Ácido Zoledrônico apresenta diversas propriedades anti-tumorais, podendo contribuir para a eficácia global no tratamento da doença óssea metastática.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Este medicamento não deve ser usado, por pacientes alérgicos ao Ácido Zoledrônico bem como outros bisfosfonatos (grupo de substâncias do Ácido Zoledrônico ) ou a qualquer ingredientes da fórmula. Ácido Zoledrônico é contraindicado para uso em mulheres grávidas e/ou em período de amamentação10.

Ácido Zoledrônico é contraindicado para crianças.

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

ADVERTÊNCIAS 

Gravidez11 e Lactação12

Este medicamento não pode ser usado durante a gravidez11, Avise seu médico no caso de estar ou desconfiar que possa estar grávida.

Este medicamento não deve ser utilizado em período de amamentação10. Avise seu médico caso esteja amamentando. A eliminação do ativo de Ácido Zoledrônico no leite humano não é conhecida.

Uso em idosos

Pacientes idosos podem fazer o uso de Ácido Zoledrônico.

Não existem evidências de necessidade de precauções adicionais ao uso deste medicamento em pacientes idosos.

Efeitos na habilidade de dirigir e usar máquinas

Não existem estudos realizados sobre a habilidade de dirigir veículos e ou operar máquinas para pacientes13 em tratamento com Ácido Zoledrônico, é recomendado cautela para execução de atividades que necessitem de sua atenção.

PRECAUÇÕES

Antes de iniciar o tratamento com Ácido Zoledrônico é importante informar seu medico:

  • se você utiliza outro medicamento a base de Ácido Zoledrônico;
  • se você já apresentou ou apresenta problemas renais;
  • se você já apresentou ou apresenta problemas no fígado14;
  • se você já apresentou ou apresenta problemas no coração15;
  • se você faz ou pretende fazer algum tipo de tratamento odontológico;

É muito importante manter uma boa higiene oral e dos cuidados odontológicos periódicos.

Se você estiver sob tratamento odontológico avise seu dentista do seu tratamento com Ácido Zoledrônico.

Procedimentos odontológicos invasivos devem ser evitados.

Antes do uso de Ácido Zoledrônico certifique-se que você ingeriu líquido suficiente conforme orientação médica, para evitar sua desidratação16.

Interação medicamentosa

Avise seu médico quais os medicamentos que você use ou tenha usado, incluindo aqueles que não foram prescritos por um médico.

Seu médico deve ser informado caso você faça uso de aminoglicanos (tipo de medicamento usado para infecções17 graves), pois a combinação desse tipo de medicamento com Ácido Zoledrônico, pode fazer com que o nível de cálcio no sangue3 se torne muito baixo.

Informe ao seu médico ou cirurgião dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para sua saúde18.

ONDE E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Cuidados de conservação

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide a embalagem.

Não use medicamento com prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Ácido Zoledrônico, deve ser mantido a temperatura ambiente (entre 15–30°C). Após o preparo, manter sob refrigeração entre 2–8°C, durante no máximo 24 horas.

A solução refrigerada deve alcançar a temperatura ambiente antes da administração (entre 15–30°C).

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Ácido Zoledrônico, pode ser preparado e administrado apenas por um profissional de saúde18 com experiência na administração de bisfosfonatos intravenosos, e que esteja em ambiente hospitalar ou em clínicas com infra- estrutura adequada.

A solução contendo Ácido Zoledrônico, deve ser administrada por infusão intravenosa única em não menos que 15 minutos em um cateter separado de todas as outras drogas.

Ácido Zoledrônico, deve ser primeiramente reconstituído com 5 mL de água para injeção19, obtendo assim, uma solução de concentração de 0,8 mg/mL. O conteúdo remanescente do frasco-ampola deve ser descartado.

Imediatamente após a reconstituição a solução deve ser diluída em bolsas de 100 mL. Se uma dose menor de Ácido Zoledrônico, for necessária, retire primeiramente o volume apropriado da solução reconstituída e dilua em 100 mL de solução estéril de cloreto de sódio 0,9% ou solução de glicose20 5% para infusão.

Não misture a solução concentrada de Ácido Zoledrônico, com soluções contendo cálcio ou outro cátion bivalente como solução de Ringer lactato21.

A freqüência para você receber o Ácido Zoledrônico, deve ser decidida pelo seu médico.

Se você está sendo tratado para a prevenção de eventos relacionados ao esqueleto5, com tumor4 avançado com comprometimento ósseo a dose recomendada para o tratamento é de 4 mg de Ácido Zoledrônico, (1 dose por infusão), a cada 3 a 4 semanas.

Suplementos orais diários de cálcio 500 mg e vitamina22 D 400 UI são recomendados aos pacientes, desde o início do tratamento.

Se você está sendo tratado para HIT (hipercalcemia induzida por tumor4), a dose recomendada é de 4 mg de Ácido Zoledrônico, (1 dose por infusão). A sua adequada hidratação deve ser verificada antes do início da infusão do Ácido Zoledrônico.

O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Este medicamento é restrito para uso hospitalar, não podendo ser utilizado diretamente pelo paciente.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

Avise imediatamente seu médico sobre qualquer um dos seguintes eventos adversos:

Aumento da temperatura corpórea. Pacientes em uso de Ácido Zoledrônico têm relatado comumente dores de cabeça23 e sintomas24 e gripe25 como febre26, fadiga27, fraqueza, sonolência, calafrios28, e dores ósseas, musculares e nas juntas. Na maioria dos casos nenhum tratamento específico é necessário e os sintomas24 diminuem após algumas horas ou dias. Casos muito raros foram relatados de dores graves e ocasionalmente incapacitante nos ossos, músculos29 e/ou nas juntas.

Raramente (reação incomum), osteonecrose de mandíbula30 (dano ósseo da mandíbula30) pode ocorrer em alguns pacientes. Sintomas24 desta reação adversa podem ser: dor na boca31, nos dentes ou na mandíbula30, feridas ou inchaço32 no interior da boca31, dormência33 ou "sensação de mandíbula30 pesada" ou dente34 mole. Se você sentir qualquer um destes sintomas24, avise seu oncologista ou seu dentista imediatamente.

Outras reações adversas são: reações gastrintestinais tais como náuseas35 e vômitos36 foram relatados, bem como perda de apetite. Ocasionalmente os eventos adversos podem também incluir reações de hipersensibilidade, pressão arterial37 alta, dificuldade respiratória, tontura38, distúrbios do sono, formigamento ou dormência33 nas mãos39 e pés, ou diarréia40. Também foram relatados ocasionalmente casos de pressão arterial37 baixa, os quais, em casos muito raros, resultaram em desmaio.

Casos de rash41 (bolinhas vermelhas na pele42), coceira e dor no peito43 foram observados. Raramente podem ocorrer batimento cardíaco lento e confusão mental.

Como com os outros bisfosfonatos (o grupo de substâncias do Ácido Zoledrônico), casos de conjuntivite44 tem sido relatados.

Foram relatados alterações na função renal45 através de exames de sangue3 (níveis mais altos de creatinina46) com o uso de Ácido Zoledrônico; tais alterações também são conhecidas por ocorrerem com outras drogas deste tipo. Adicionalmente alguns casos de doença nos rins47 têm sido reportados, mas não está claro se são causados devido ao tratamento com Ácido Zoledrônico.

Anemia48, uma condição na qual o número de células8 vermelhas sanguíneas é reduzido, foi relatada; contagem baixa de células8 brancas e de plaquetas49 foram observados em alguns casos. Os níveis de cálcio, fosfato, magnésio e potássio no sangue3 podem se tornar muito baixos sem sintomas24, seu médico deverá monitorá-los e tomar as medidas necessárias.

As reações adversas são classificadas de acordo de acordo com sua freqüência.

Alterações sanguíneas e do sistema linfático50

Comum

Anemia48

Pouco comum

Trombocitopenia51 e leucopenia52

Raro

Pancitopenia53

Alteração do sistema nervoso54

Comum

Cefaléia55

Pouco comum

Tontura38, parestesias56, alteração do paladar57, hipoestesia58, hiperestesia e tremores

Alterações psiquiátricas

Pouco comum

Ansiedade e alteração do sono

Raro

Confusão

Alterações oculares

Comum

Conjutivite

Pouco comum

Visão59 turva

Muito raro

Uveite60, epselerite

Alterações gastrintestinais

Comum

Náuseas35, vômito61, anorexia62

Pouco comum

Diarréia40, obstipação63 (constipação64), dor abdominal, dispepsia65, estomatite66 e boca31 seca

Alterações respiratórias, torácicas e do mediastino67

Pouco comum

Dispnéia68 e tosse

Alterações da pele e tecido subcutâneo69

Pouco comum

Prurido70, rash41 (erupção71 cutânea72 – incluindo rash41 eritematoso73 e muscular), hiper-hidrose

Alteração musculoesquelética, do tecido conjuntivo74 e ósseo

Comum

Dor óssea, mialgia75, artralgia76, dor generalizada

Pouco comum

Câimbras77 musculares

Alterações Cardiovasculares

Pouco comum

Hipertensão78, hipotensão79

Raro

Bradicardia80

Alterações renais e urinárias

Comum

Insuficiência renal81

Pouco comum

Insuficiência renal81 aguda, hematúria82 e proteinúria83

Alterações do sistema imunológico84

Pouco comum

Reação de hipersensibilidade

Raro

Edema angioneurótico85

Alterações gerais e do local de administração

Comum

Febre26, síndrome86 tipo gripe25 (incluindo fadiga27, arrepios, mal-estar e rubor)

Pouco comum

Astenia87, edema88 periférico, reação no local de administração (incluindo dor, irritação, tumefação89, enduração), dor torácica e aumento de peso

Alterações laboratoriais

Muito comum

Hipofosfatemia

Comum

Aumento dos níveis sanguíneos de creatinina46 e ureia90, hipocalcemia91

Pouco comum

Hipomagnesemia, hipocalemia92

Raro

Hipercalemia93, hipernatremia94

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA NESTE MEDICAMENTO?

Caso você tenha recebido doses maiores que a recomendada, você deve ser monitorado por um médico, nesse caso, pode ser observada, insuficiência renal81 (incluindo falência renal45) e anormalidades de eletrólitos95 séricos (incluindo cálcio, fósforo e magnésio). Uma infusão de suplemento de cálcio pode se fazer necessária.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

DIZERES LEGAIS


VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
USO RESTRITO A HOSPITAIS
VENDA PROIBIDA AO COMÉRCIO
 

MS N.º 1.0298.XXXX.
Farm. Resp.: Dr. José Carlos Módolo - CRF-SP nº 10.446

Importado e Registrado por:
Cristália Prod. Quím. Farm. Ltda.
Rodovia Itapira-Lindoia km 14 – Itapira - SP
CNPJ n.º 44.734.671/0001-51

Fabricado por:
Laboratorios IMA SAIC Palpa 2862 - Buenos Aires República Argentina


SAC 0800 7011918

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Liofilizado: Submetido à liofilização, que é a desidratação de substâncias realizada em baixas temperaturas, usada especialmente na conservação de alimentos, em medicamentos, etc.
2 Metástase: Formação de tecido tumoral, localizada em um lugar distante do sítio de origem. Por exemplo, pode se formar uma metástase no cérebro originário de um câncer no pulmão. Sua gravidade depende da localização e da resposta ao tratamento instaurado.
3 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
4 Tumor: Termo que literalmente significa massa ou formação de tecido. É utilizado em geral para referir-se a uma formação neoplásica.
5 Esqueleto:
6 Radioterapia: Método que utiliza diversos tipos de radiação ionizante para tratamento de doenças oncológicas.
7 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
8 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
9 Osteoclastos: Célula que garante a destruição do tecido ósseo.
10 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
11 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
12 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
13 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
14 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
15 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
16 Desidratação: Perda de líquidos do organismo pelo aumento importante da freqüência urinária, sudorese excessiva, diarréia ou vômito.
17 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
18 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
19 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
20 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
21 Lactato: Sal ou éster do ácido láctico ou ânion dele derivado.
22 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
23 Cabeça:
24 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
25 Gripe: Doença viral adquirida através do contágio interpessoal que se caracteriza por faringite, febre, dores musculares generalizadas, náuseas, etc. Sua duração é de aproximadamente cinco a sete dias e tem uma maior incidência nos meses frios. Em geral desaparece naturalmente sem tratamento, apenas com medidas de controle geral (repouso relativo, ingestão de líquidos, etc.). Os antibióticos não funcionam na gripe e não devem ser utilizados de rotina.
26 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
27 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
28 Calafrios: 1. Conjunto de pequenas contrações da pele e dos músculos cutâneos ao longo do corpo, muitas vezes com tremores fortes e palidez, que acompanham uma sensação de frio provocada por baixa temperatura, má condição orgânica ou ainda por medo, horror, nojo, etc. 2. Sensação de frio e tremores fortes, às vezes com bater de dentes, que precedem ou acompanham acessos de febre.
29 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
30 Mandíbula: O maior (e o mais forte) osso da FACE; constitui o maxilar inferior, que sustenta os dentes inferiores. Sinônimos: Forame Mandibular; Forame Mentoniano; Sulco Miloióideo; Maxilar Inferior
31 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
32 Inchaço: Inchação, edema.
33 Dormência: 1. Estado ou característica de quem ou do que dorme. 2. No sentido figurado, inércia com relação a se fazer alguma coisa, a se tomar uma atitude, etc., resultando numa abulia ou falta de ação; entorpecimento, estagnação, marasmo. 3. Situação de total repouso; quietação. 4. No sentido figurado, insensibilidade espiritual de um ser diante do mundo. Sensação desagradável caracterizada por perda da sensibilidade e sensação de formigamento, e que geralmente ocorre nas extremidades dos membros. 5. Em biologia, é um período longo de inatividade, com metabolismo reduzido ou suspenso, geralmente associado a condições ambientais desfavoráveis; estivação.
34 Dente: Uma das estruturas cônicas duras situadas nos alvéolos da maxila e mandíbula, utilizadas na mastigação e que auxiliam a articulação. O dente é uma estrutura dérmica composta de dentina e revestida por cemento na raiz anatômica e por esmalte na coroa anatômica. Consiste numa raiz mergulhada no alvéolo, um colo recoberto pela gengiva e uma coroa, a parte exposta. No centro encontra-se a cavidade bulbar preenchida com retículo de tecido conjuntivo contendo uma substância gelatinosa (polpa do dente) e vasos sangüíneos e nervos que penetram através de uma abertura ou aberturas no ápice da raiz. Os 20 dentes decíduos ou dentes primários surgem entre o sexto e o nono e o vigésimo quarto mês de vida; sofrem esfoliação e são substituídos pelos 32 dentes permanentes, que aparecem entre o quinto e sétimo e entre o décimo sétimo e vigésimo terceiro anos. Existem quatro tipos de dentes
35 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
36 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
37 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
38 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
39 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
40 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
41 Rash: Coloração avermelhada da pele como conseqüência de uma reação alérgica ou infecção.
42 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
43 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
44 Conjuntivite: Inflamação da conjuntiva ocular. Pode ser produzida por alergias, infecções virais, bacterianas, etc. Produz vermelhidão ocular, aumento da secreção e ardor.
45 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
46 Creatinina: Produto residual das proteínas da dieta e dos músculos do corpo. É excretada do organismo pelos rins. Uma vez que as doenças renais progridem, o nível de creatinina aumenta no sangue.
47 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
48 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
49 Plaquetas: Elemento do sangue (não é uma célula porque não apresenta núcleo) produzido na medula óssea, cuja principal função é participar da coagulação do sangue através da formação de conglomerados que tamponam o escape do sangue por uma lesão em um vaso sangüíneo.
50 Sistema Linfático: Um sistema de órgãos e tecidos que processa e transporta células imunes e LINFA.
51 Trombocitopenia: É a redução do número de plaquetas no sangue. Contrário de trombocitose. Quando a quantidade de plaquetas no sangue é inferior a 150.000/mm³, diz-se que o indivíduo apresenta trombocitopenia (ou plaquetopenia). As pessoas com trombocitopenia apresentam tendência de sofrer hemorragias.
52 Leucopenia: Redução no número de leucócitos no sangue. Os leucócitos são responsáveis pelas defesas do organismo, são os glóbulos brancos. Quando a quantidade de leucócitos no sangue é inferior a 6000 leucócitos por milímetro cúbico, diz-se que o indivíduo apresenta leucopenia.
53 Pancitopenia: É a diminuição global de elementos celulares do sangue (glóbulos brancos, vermelhos e plaquetas).
54 Sistema nervoso: O sistema nervoso é dividido em sistema nervoso central (SNC) e o sistema nervoso periférico (SNP). O SNC é formado pelo encéfalo e pela medula espinhal e a porção periférica está constituída pelos nervos cranianos e espinhais, pelos gânglios e pelas terminações nervosas.
55 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
56 Parestesias: São sensações cutâneas subjetivas (ex.: frio, calor, formigamento, pressão, etc.) que são vivenciadas espontaneamente na ausência de estimulação.
57 Paladar: Paladar ou sabor. Em fisiologia, é a função sensorial que permite a percepção dos sabores pela língua e sua transmissão, através do nervo gustativo ao cérebro, onde são recebidos e analisados.
58 Hipoestesia: Perda ou diminuição de sensibilidade em determinada região do organismo.
59 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
60 Uveíte: Uveíte é uma inflamação intraocular que compromete total ou parcialmente a íris, o corpo ciliar e a coroide (o conjunto dos três forma a úvea), com envolvimento frequente do vítreo, retina e vasos sanguíneos.
61 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
62 Anorexia: Perda do apetite ou do desejo de ingerir alimentos.
63 Obstipação: Prisão de ventre ou constipação rebelde.
64 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
65 Dispepsia: Dor ou mal-estar localizado no abdome superior. O mal-estar pode caracterizar-se por saciedade precoce, sensação de plenitude, distensão ou náuseas. A dispepsia pode ser intermitente ou contínua, podendo estar relacionada com os alimentos.
66 Estomatite: Inflamação da mucosa oral produzida por infecção viral, bacteriana, micótica ou por doença auto-imune. É caracterizada por dor, ardor e vermelhidão da mucosa, podendo depositar-se sobre a mesma uma membrana brancacenta (leucoplasia), ou ser acompanhada de bolhas e vesículas.
67 Mediastino: Região anatômica do tórax onde se localizam diversas estruturas, dentre elas o coração.
68 Dispnéia: Falta de ar ou dificuldade para respirar caracterizada por respiração rápida e curta, geralmente está associada a alguma doença cardíaca ou pulmonar.
69 Pele e Tecido Subcutâneo: Revestimento externo do corpo composto por PELE, seus acessórios (CABELO, UNHAS, GLÂNDULAS SEBÁCEAS e GLÂNDULAS SUDORÍPARAS) e seus ductos.
70 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
71 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
72 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
73 Eritematoso: Relativo a ou próprio de eritema. Que apresenta eritema. Eritema é uma vermelhidão da pele, devido à vasodilatação dos capilares cutâneos.
74 Tecido conjuntivo: Tecido que sustenta e conecta outros tecidos. Consiste de CÉLULAS DO TECIDO CONJUNTIVO inseridas em uma grande quantidade de MATRIZ EXTRACELULAR.
75 Mialgia: Dor que se origina nos músculos. Pode acompanhar outros sintomas como queda no estado geral, febre e dor de cabeça nas doenças infecciosas. Também pode estar associada a diferentes doenças imunológicas.
76 Artralgia: Dor em uma articulação.
77 Câimbras: Contrações involuntárias, espasmódicas e dolorosas de um ou mais músculos.
78 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
79 Hipotensão: Pressão sanguínea baixa ou queda repentina na pressão sanguínea. A hipotensão pode ocorrer quando uma pessoa muda rapidamente de uma posição sentada ou deitada para a posição de pé, causando vertigem ou desmaio.
80 Bradicardia: Diminuição da freqüência cardíaca a menos de 60 batimentos por minuto. Pode estar associada a distúrbios da condução cardíaca, ao efeito de alguns medicamentos ou a causas fisiológicas (bradicardia do desportista).
81 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
82 Hematúria: Eliminação de sangue juntamente com a urina. Sempre é anormal e relaciona-se com infecção do trato urinário, litíase renal, tumores ou doença inflamatória dos rins.
83 Proteinúria: Presença de proteínas na urina, indicando que os rins não estão trabalhando apropriadamente.
84 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
85 Edema angioneurótico: Ataques recidivantes de edema transitório que aparecem subitamente em áreas da pele, membranas mucosas e ocasionalmente nas vísceras, geralmente associadas com dermatografismo, urticária, eritema e púrpura.
86 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
87 Astenia: Sensação de fraqueza, sem perda real da capacidade muscular.
88 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
89 Tumefação: Ato ou efeito de tumefazer-se. Em patologia, significa aumento de volume em algum tecido do corpo; tumor, intumescência, inchação.
90 Ureia: 1. Resíduo tóxico produzido pelo organismo, resulta da quebra de proteínas pelo fígado. É normalmente removida do organismo pelos rins e excretada na urina. 2. Substância azotada. Composto orgânico cristalino, incolor, de fórmula CO(NH2)2 (ou CH4N2O), com um ponto de fusão de 132,7 °C.
91 Hipocalcemia: É a existência de uma fraca concentração de cálcio no sangue. A manifestação clínica característica da hipocalcemia aguda é a crise de tetania.
92 Hipocalemia: Concentração sérica de potássio inferior a 3,5 mEq/l. Pode ocorrer por alterações na distribuição de potássio (desvio do compartimento extracelular para intracelular) ou de reduções efetivas no conteúdo corporal de potássio por uma menor ingesta ou por perda aumentada. Fraqueza muscular e arritimias cardíacas são os sinais e sintomas mais comuns, podendo haver também poliúria, polidipsia e constipação. Pode ainda ser assintomática.
93 Hipercalemia: É a concentração de potássio sérico maior que 5.5 mmol/L (mEq/L). Uma concentração acima de 6.5 mmol/L (mEq/L) é considerada crítica.
94 Hipernatremia: Excesso de sódio no sangue, indicativo de desidratação.
95 Eletrólitos: Em eletricidade, é um condutor elétrico de natureza líquida ou sólida, no qual cargas são transportadas por meio de íons. Em química, é uma substância que dissolvida em água se torna condutora de corrente elétrica.

Tem alguma dúvida sobre Ácido Zoledrônico (Injetável 4 mg)?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.