Preço de Prolia em Fairfield/SP: R$ 974,26

Prolia

AMGEN BIOTECNOLOGIA DO BRASIL LTDA.

Atualizado em 11/04/2019

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

Prolia®
denosumabe
Solução injetável

APRESENTAÇÃO

Solução injetável 60 mg/mL
Embalagem com 1 seringa1 preenchida de 1,0 mL.

USO SUBCUTÂNEO2
USO ADULTO ACIMA DE 18 ANOS

COMPOSIÇÃO

Cada 1,0 mL contém:
denosumabe........................ 60mg
Excipientes: ácido acético glacial, hidróxido de sódio, sorbitol3, polissorbato 20 e água para injetáveis

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

Seu médico fornecerá a você um cartão de lembrete do paciente, que contém informações de segurança importantes que você precisa saber antes e durante seu tratamento com PROLIA.

PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

PROLIA é indicado para tratar:

  • Osteoporose4 em mulheres na fase de pós-menopausa5. Nessas mulheres, PROLIA aumenta a densidade mineral óssea (DMO) e reduz a incidência6 de fraturas de quadril, de fraturas vertebrais e não vertebrais.
  • Perda óssea em pacientes submetidos a tratamentos de câncer7 de próstata8 ou de mama9 que causam diminuição hormonal. Nos pacientes com câncer7 de próstata8, PROLIA reduz a incidência6 de fraturas vertebrais.
  • Osteoporose4 em homens.
  • Osteoporose4 associada à terapia sistêmica com glicocorticoides recém iniciada ou sustentada, tanto em homens quanto em mulheres sob risco aumentado de fratura10.

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

PROLIA contém denosumabe, uma proteína (anticorpo11 monoclonal) que interfere na ação de outra proteína a fim de tratar a perda óssea e a osteoporose4. O tratamento com PROLIA torna o osso mais forte e menos suscetível à quebra.

O osso é um tecido12 vivo e se renova durante todo o tempo. O estrogênio ajuda a manter os ossos saudáveis. Após a menopausa5, o nível de estrogênio cai, o que pode fazer com que os ossos se tornem mais finos e frágeis. Isso pode, eventualmente, levar a uma condição chamada de osteoporose4. A osteoporose4 também pode ocorrer em homens devido a diversos fatores, incluindo a idade e/ou nível reduzido do hormônio13 masculino, a testosterona. Pode ocorrer também em pacientes recebendo corticosteroides. Muitos pacientes com osteoporose4 não apresentam sintomas14, mas ainda assim correm o risco de sofrer fraturas ósseas, especialmente na coluna, no quadril e nos punhos.

Cirurgias ou medicamentos que interrompem a produção de estrogênio ou testosterona, utilizados para tratar pacientes com câncer7 de mama9 ou de próstata8, também podem levar à perda óssea. Os ossos se tornam mais fracos e se quebram mais facilmente.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Este medicamento não deve ser utilizado caso você tenha hipocalcemia15 (baixa quantidade de cálcio no sangue16).

Este medicamento não deve ser utilizado caso você apresente hipersensibilidade clinicamente significativa à denosumabe ou qualquer componente de PROLIA.

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Fale com o seu médico ou farmacêutico antes de utilizar PROLIA.

Enquanto estiver em tratamento com PROLIA pode desenvolver uma infeção na pele17 com sintomas14 tais como inchaço18, vermelhidão na pele17, mais frequentemente na parte inferior da perna, com uma sensação de calor e dolorosa ao toque (inflamação19 dos tecidos), e possivelmente com sintomas14 de febre20. Por favor informe imediatamente o seu médico se desenvolver qualquer um destes sintomas14.

Informe o seu médico se você tem alergia21 ao látex (a tampa da agulha da seringa1 preenchida contém um derivado do látex). Você também deve tomar suplementos de cálcio e de vitamina22 D enquanto estiver em tratamento com PROLIA. O seu médico discutirá isto com você.

Você pode ter valores de cálcio baixos no sangue16 enquanto está em tratamento com PROLIA. Por favor informe imediatamente o seu médico se notar algum dos seguintes sintomas14: espasmos23, contrações ou cãibras nos seus músculos24, e/ou dormência25 ou formigamento nos seus dedos das mãos26, dedos dos pés ou em volta de sua boca27, e/ou convulsões, confusão ou perda de consciência.

Informe o seu médico se tem ou teve problemas graves nos rins28, insuficiência renal29 ou se já precisou de diálise30, uma vez que isso pode aumentar o seu risco de ter um valor de cálcio baixo no sangue16 se não tomar suplementos de cálcio.

Problemas na sua boca27, dentes ou mandíbula31

Um efeito adverso denominado osteonecrose de mandíbula31 (ONM) (lesão32 óssea do maxilar) tem sido raramente reportado (pode afetar até 1 em 1.000 pessoas) em pacientes recebendo PROLIA para a osteoporose4. O risco de ONM está aumentado em doentes tratados por um longo período de tempo (pode afetar até 1 em 200 pessoas se tratadas durante 10 anos). ONM também pode surgir após interrupção do tratamento. É importante que tente prevenir que a ONM se desenvolva uma vez que pode ser uma situação médica dolorosa e difícil de tratar. A fim de reduzir o risco de desenvolver ONM, há algumas precauções que você deve tomar.

Antes de receber tratamento, informe o seu médico (profissional de saúde33) se você:

  • tem algum problema na sua boca27 ou dentes tais como saúde33 oral deficiente, doença nas gengivas, ou se planeja extração dentária.
  • não recebe cuidados orais de rotina ou não faz um exame geral oral há muito tempo.
  • é fumante (uma vez que isso pode aumentar o risco de ter problemas orais).
  • foi tratado anteriormente com um bifosfonato (utilizado para tratar ou prevenir doenças ósseas).
  • está tomando medicamentos denominados corticosteroides (tais como a prednisolona ou a dexametasona).
  • tem câncer7.

O seu médico pode pedir-lhe que efetue uma avaliação dentária antes de iniciar o tratamento com PROLIA.

Enquanto estiver em tratamento, deve manter uma boa higiene oral e fazer exames gerais de rotina. Se usar próteses dentárias deve assegurar-se de que estas estão ajustadas adequadamente. Se estiver em tratamento oral ou se vai realizar uma cirurgia oral (exemplo: extração dentária), informe o seu médico sobre o seu tratamento oral e diga ao seu dentista que está em tratamento com PROLIA.

Contate imediatamente o seu médico ou dentista se sentir alguns problemas na sua boca27 ou dentes, tais como dentes soltos, dor ou inchaço18, ou ferida que não cicatriza ou supuração34, uma vez que estes podem ser sinais35 de ONM.

Fraturas atípicas do osso da coxa36

Algumas pessoas podem desenvolver fraturas atípicas no osso da coxa36 enquanto estão em tratamento com PROLIA. Contate o seu médico se sentir dores novas ou atípicas em seu quadril, virilha ou coxa36.

Fraturas vertebrais múltiplas (FVM) podem ocorrer após descontinuação de tratamento com PROLIA, particularmente em pacientes com um histórico de fratura10 vertebral.

Crianças e adolescentes

PROLIA não está recomendado em crianças e adolescentes com menos de 18 anos de idade. A utilização de PROLIA não foi estudada em crianças e adolescentes.

Outros medicamentos e PROLIA

Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver tomando, tiver tomado recentemente ou se vier a tomar outros medicamentos. É especialmente importante que informe o seu médico se estiver sendo tratado com outro medicamento contendo denosumabe.

Você não deve tomar PROLIA juntamente com outro medicamento contendo denosumabe.

Gravidez37 e amamentação38

PROLIA não foi testado em mulheres grávidas. É importante informar o seu médico se está grávida; pensa estar grávida; ou planeja engravidar. Não é recomendado utilizar PROLIA se estiver grávida.

Se ficar grávida durante o tratamento com PROLIA, por favor informe o seu médico.

Desconhece-se se PROLIA é excretado no leite materno. É importante informar o seu médico se estiver amamentando ou se planeja fazê-lo. O seu médico irá ajudá-la a decidir se deverá parar de amamentar ou se deverá parar de utilizar PROLIA, tendo em consideração o benefício da amamentação38 para o bebé e o benefício de PROLIA para a mãe.

Se você estiver amamentando durante o tratamento com PROLIA, por favor informe o seu médico. Consulte o seu médico ou farmacêutico antes de tomar qualquer medicamento.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Condução de veículos e utilização de máquinas

Os efeitos de PROLIA sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas são nulos ou desprezáveis.

PROLIA contém sorbitol3

Se o seu médico lhe disse que você tem intolerância a alguns açúcares, contate o seu médico antes de receber este medicamento, uma vez que contém sorbitol3 (E420).

PROLIA contém sódio

Este medicamento contém menos de 1 mmol de sódio (23 mg) por 60 mg, isto é, essencialmente “isento de sódio”.

ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Cuidados de conservação

O produto deve ser armazenado sob refrigeração (2°C a 8°C). Proteger da luz. Não o congelar. A seringa1 deve ser mantida em sua embalagem original até o momento de uso do produto.

Número do lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o na embalagem original.

Aspecto físico/características organolépticas

Solução transparente, incolor à ligeiramente amarelada, que pode conter resíduos de partículas proteináceas translúcidas ou brancas.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Posologia

A dose recomendada é uma seringa1 preenchida de 60 mg administrada uma vez a cada 6 meses, como uma injeção39 única sob a pele17 (subcutânea40).

Você também deve receber suplementos de cálcio e de vitamina22 D durante o tratamento com PROLIA. O médico discutirá isso com você.

Modo de usar

Os melhores locais para aplicar a injeção39 são a parte superior das coxas41 e o abdômen. A área externa da parte superior dos braços também pode ser utilizada. Cada embalagem de PROLIA contém um cartão de lembrete do paciente com adesivos que pode ser removido da caixa. Utilize os adesivos para marcar a data da próxima injeção39 em seu calendário pessoal e/ou cartão de lembrete do paciente para manter um registro da data da próxima injeção39.

O seu médico poderá decidir que é melhor para você que um cuidador aplique a injeção39 de PROLIA. O médico ou o profissional de saúde33 mostrarão a você ou ao seu cuidador como utilizar PROLIA. Para informações sobre como injetar PROLIA, leia Método de administração.

Pessoas sensíveis ao látex não devem manusear a proteção da agulha da seringa1 preenchida descartável, que contém borracha natural seca (um derivado do látex).

Antes da administração, a solução de PROLIA deve ser inspecionada para detecção de material particulado e de descoloração. A solução não deve ser usada se estiver turva ou com a coloração diferente da descrita acima (vide “ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?”).

Não agite excessivamente.

Injete lentamente todo o conteúdo da seringa1 preenchida. Descarte qualquer produto medicinal que permanecer na seringa1 preenchida.

As instruções de autoadministração por injeção subcutânea42 estão listadas a seguir.

Deve-se descartar qualquer produto não usado ou material residual, de acordo com as normas locais.

Incompatibilidades

Na ausência de estudos de compatibilidade, PROLIA não deve ser misturado com outros medicamentos.

Método de administração

Esta seção contém informações sobre como utilizar a seringa1 preenchida de PROLIA. É importante que você ou o seu cuidador não administrem a injeção39 se não tiverem recebido treinamento do médico ou profissional de saúde33. Sempre lave as mãos26 antes de cada injeção39. Em caso de dúvidas sobre como aplicar a injeção39, peça ajuda ao seu médico ou profissional de saúde33.

A administração deve ser feita por uma pessoa adequadamente treinada em técnicas de injeção39.

Seu médico prescreveu uma seringa1 preenchida de PROLIA para injeção39 no tecido12 existente logo abaixo da pele17 (tecido subcutâneo43). Você tem de injetar todo o conteúdo (1 mL) da seringa1 preenchida de PROLIA, e a injeção39 deve ser aplicada uma vez a cada 6 meses, conforme as instruções do médico ou do profissional de saúde33.

Equipamento

Para aplicar uma injeção39, você precisará de:

  1. uma seringa1 preenchida nova de PROLIA;
  2. um chumaço de algodão com álcool ou produto similar.

O que fazer antes de aplicar uma injeção subcutânea42 de PROLIA

  1. Remova a seringa1 preenchida do refrigerador. NÃO pegue a seringa1 preenchida pelo êmbolo44 nem pela ponteira da agulha.
  2. NÃO aqueça a seringa1 de nenhuma outra maneira (nem no forno de micro-ondas nem em água quente). NÃO deixe a seringa1 exposta à luz direta.
  3. NÃO agite excessivamente a seringa1 preenchida.
  4. NÃO remova a ponteira da agulha da seringa1 preenchida até o momento da injeção39.
  5. Verifique o prazo de validade no rótulo da seringa1 preenchida. NÃO use o produto se a data já tiver ultrapassado o último dia do mês impresso.
  6. Verifique a aparência de PROLIA, que deve ser de uma solução transparente, incolor à ligeiramente amarelada. A solução não deve ser injetada se estiver turva ou com a coloração diferente da descrita acima.
  7. Escolha uma superfície confortável, bem iluminada e limpa, e coloque todo o equipamento ao alcance das mãos26.
  8. Lave as mãos26 cuidadosamente.

Onde aplicar a injeção39?

Os melhores locais para aplicar a injeção39 são a parte superior das coxas41 e o abdômen.

A área externa dos braços também pode ser utilizada.

Descarte de seringas usadas

  • NÃO coloque a ponteira da agulha de volta nas seringas usadas.
  • Mantenha as seringas usadas fora do alcance e da vista das crianças.

A seringa1 usada deve ser descartada de acordo com as normas locais. Pergunte ao farmacêutico como descartar medicamentos que já não são necessários. Essas medidas ajudarão a proteger o meio ambiente.

Instruções para injeção39 de PROLIA com a seringa1 preenchida equipada com proteção manual da agulha IMPORTANTE: Para reduzir o risco de ferimentos acidentais com a agulha, a seringa1 preenchida descartável de PROLIA tem uma capa de segurança verde; ative essa capa depois da aplicação da injeção39.

NÃO mova a capa de segurança verde para a frente, ao longo da agulha, antes de administrar a injeção39; o dispositivo travará e impedirá a aplicação da injeção39.

Capa Protetora (plástico verde)

 

Janela

 

Êmbolo44

 

Ponteira da Agulha (borracha cinza)

 

Empunhadura (plástico transparente)

 

Ative a capa de segurança verde (movendo-a ao longo da agulha) depois da administração da injeção39.

A ponteira cinza da agulha da seringa1 preenchida descartável contém borracha natural seca (um derivado do látex). Pessoas sensíveis ao látex não devem manusear a ponteira.

1º passo: remova a ponteira cinza da agulha.

Remova a ponteira da agulha. Você pode notar uma pequena bolha45 de ar na seringa1 preenchida. Você não precisa remover a bolha45 de ar antes da injeção39. Injetar a solução com a bolha45 de ar não é prejudicial.

2º passo: aplique a injeção39.

Insira a agulha e injete todo o líquido.

NÃO ponha a ponteira cinza de volta na agulha.

3º passo: mova imediatamente a capa de segurança verde ao longo da agulha.

Com a ponta da agulha voltada para a direção oposta à sua, segure a seringa1 preenchida pela empunhadura de plástico transparente com uma das mãos26. Em seguida, com a outra mão46, segure a capa de segurança verde pela base e mova-a suavemente em direção à agulha até que trave com firmeza e/ou você ouça um "clique". NÃO segure a capa de segurança verde com força – ela se moverá com facilidade se você a segurar e puxar suavemente.

Segure a empunhadura.

Mova suavemente a capa de segurança verde ao longo da agulha e trave-a com firmeza no lugar. Não segure a capa com muita força ao movê-la ao longo da agulha.

Descarte imediatamente a seringa1 e a ponteira da agulha no recipiente apropriado mais próximo. NÃO ponha a ponteira da agulha de volta na seringa1 usada.

Imediatamente descarte a seringa1 e a ponteira cinza da agulha de acordo com as normas locais. NÃO ponha a ponteira cinza de volta na agulha usada.

Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

Como todos os medicamentos, este medicamento pode causar efeitos adversos, embora estes não se manifestem em todas as pessoas.

Pouco frequentemente, pacientes recebendo PROLIA podem desenvolver infeções da pele17 (predominantemente inflamação19 dos tecidos). Informe imediatamente o seu médico se desenvolver algum destes sintomas14 enquanto estiver em tratamento com PROLIA: inchaço18, vermelhidão na pele17, mais frequentemente na parte inferior da perna, com uma sensação de calor e dolorosa ao toque, e possivelmente com sintomas14 de febre20.

Raramente, pacientes recebendo PROLIA podem desenvolver dor na boca27 e/ou mandíbula31, inchaço18 ou ferida na boca27 ou mandíbula31 que não cicatriza, supuração34, dormência25 ou sensação de peso na mandíbula31, ou afrouxamento de um dente47. Estes podem ser sinais35 de lesão32 óssea no maxilar (osteonecrose). Informe imediatamente o seu médico ou dentista caso desenvolva algum destes sintomas14 enquanto está sendo tratado com PROLIA ou após ter interrompido o tratamento.

Raramente, pacientes recebendo PROLIA podem ter valores de cálcio baixos no sangue16 (hipocalcemia15).

Os sintomas14 incluem espasmos23, contrações ou cãibras dos músculos24, e/ou dormência25 ou formigueiro nos dedos das mãos26 e dos pés ou em volta de sua boca27 e/ou convulsões, confusão ou perda de consciência. Se algum destes sintomas14 se aplica a você, informe imediatamente o seu médico. Valores de cálcio baixos no sangue16 podem também originar uma alteração no ritmo do seu coração48 denominada prolongamento do intervalo QT que pode ser visto através de um eletrocardiograma49 (ECG).

Podem ocorrer raramente fraturas do osso da coxa36 em pacientes recebendo PROLIA. Contate o seu médico se sentir novas ou incomuns dores em seu quadril, virilha ou coxa36 uma vez que isso poderá ser uma indicação precoce de uma possível fratura10 do osso da coxa36.

Poderão ocorrer raramente reações alérgicas em pacientes recebendo PROLIA. Os sintomas14 incluem inchaço18 da face50, lábios, língua51, garganta52 ou outras partes do corpo; erupção53 na pele17, coceira ou urticária54 na pele17, chiado ou dificuldade em respirar. Por favor informe o seu médico se desenvolver algum destes sintomas14 enquanto está em tratamento com PROLIA.

Reações adversas muito comuns (ocorrem em mais de 10% dos pacientes que utilizam este medicamento):

  • dor no osso, articulação55 e/ou músculo que pode ser por vezes grave;
  • dor no braço ou na perna (dor nas extremidades).

Reações adversas comuns (ocorrem entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento):

  • dor ao urinar, urinar com frequência, sangue16 na urina56, incapacidade para reter a urina56;
  • infeção do trato respiratório superior;
  • dor, formigamento ou dormência25 que se estende pela perna abaixo (ciática);
  • prisão de ventre;
  • desconforto abdominal;
  • erupção53 na pele17;
  • condição da pele17 com coceira, vermelhidão e/ou ressecamento (eczema57).

Reações adversas incomuns (ocorrem entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento):

  • febre20, vômitos58 e dor ou desconforto abdominal (diverticulite59);
  • infeção no ouvido,
  • ossos quebrados na coluna depois de parar PROLIA (fraturas vertebrais múltiplas).

Desconhecidos (a frequência não pode ser estimada a partir dos dados disponíveis):

  • Fale com o seu médico se tiver dor de ouvido, corrimento no ouvido e/ou uma infeção do ouvido. Estes podem ser sinais35 de lesão32 óssea do ouvido.

Fraturas vertebrais múltiplas (FVM) após descontinuação do tratamento com PROLIA

No programa de estudo clínico de osteoporose4, FVM foram relatadas em pacientes após a descontinuação do tratamento com PROLIA, particularmente naqueles com um histórico de fratura10 vertebral.

Atenção: este produto é um medicamento novo e, embora as pesquisas tenham indicado eficácia e segurança aceitáveis, mesmo que indicado e utilizado corretamente, podem ocorrer eventos adversos imprevisíveis ou desconhecidos. Nesse caso, informe seu médico ou cirurgião-dentista. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

Não há dados disponíveis de estudos clínicos sobre superdosagem de PROLIA.

No entanto, em estudos clínicos preliminares denosumabe foi administrado em doses maiores, de até 180 mg a cada 4 semanas (doses cumulativas de até 1.080 mg durante 6 meses), representando 18 vezes a posologia recomendada para o tratamento da osteoporose4 (60 mg a cada 6 meses).

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento se possível. Ligue para 0800 722 6001 se você precisar de mais orientações.

DIZERES LEGAIS

 

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA

 

MS: 1.0244.0008

Farm. Resp.: Monica Carolina Dantas Pedrazzi - CRF-SP 30.103

 

Importado por:

Amgen Biotecnologia do Brasil Ltda. Rua Patrícia Lúcia de Souza, 146. Taboão da Serra – SP

CNPJ: 18.774.815/0001-93

 

Fabricado por:

Amgen Manufacturing Limited Juncos - Porto Rico

 

SAC 0800 246 0800

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Seringa: Dispositivo usado para injetar medicações ou outros líquidos nos tecidos do corpo. A seringa de insulina é formada por um tubo plástico com um êmbolo e uma agulha pequena na ponta.
2 Subcutâneo: Feito ou situado sob a pele. Hipodérmico.
3 Sorbitol: Adoçante com quatro calorias por grama. Substância produzida pelo organismo em pessoas com diabetes e que pode causar danos aos olhos e nervos.
4 Osteoporose: Doença óssea caracterizada pela diminuição da formação de matriz óssea que predispõe a pessoa a sofrer fraturas com traumatismos mínimos ou mesmo na ausência deles. É influenciada por hormônios, sendo comum nas mulheres pós-menopausa. A terapia de reposição hormonal, que administra estrógenos a mulheres que não mais o produzem, tem como um dos seus objetivos minimizar esta doença.
5 Menopausa: Estado fisiológico caracterizado pela interrupção dos ciclos menstruais normais, acompanhada de alterações hormonais em mulheres após os 45 anos.
6 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
7 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
8 Próstata: Glândula que (nos machos) circunda o colo da BEXIGA e da URETRA. Secreta uma substância que liquefaz o sêmem coagulado. Está situada na cavidade pélvica (atrás da parte inferior da SÍNFISE PÚBICA, acima da camada profunda do ligamento triangular) e está assentada sobre o RETO.
9 Mama: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
10 Fratura: Solução de continuidade de um osso. Em geral é produzida por um traumatismo, mesmo que possa ser produzida na ausência do mesmo (fratura patológica). Produz como sintomas dor, mobilidade anormal e ruídos (crepitação) na região afetada.
11 Anticorpo: Proteína circulante liberada pelos linfócitos em reação à presença no organismo de uma substância estranha (antígeno).
12 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
13 Hormônio: Substância química produzida por uma parte do corpo e liberada no sangue para desencadear ou regular funções particulares do organismo. Por exemplo, a insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas que diz a outras células quando usar a glicose para energia. Hormônios sintéticos, usados como medicamentos, podem ser semelhantes ou diferentes daqueles produzidos pelo organismo.
14 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
15 Hipocalcemia: É a existência de uma fraca concentração de cálcio no sangue. A manifestação clínica característica da hipocalcemia aguda é a crise de tetania.
16 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
17 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
18 Inchaço: Inchação, edema.
19 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
20 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
21 Alergia: Reação inflamatória anormal, perante substâncias (alérgenos) que habitualmente não deveriam produzi-la. Entre estas substâncias encontram-se poeiras ambientais, medicamentos, alimentos etc.
22 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
23 Espasmos: 1. Contrações involuntárias, não ritmadas, de um ou vários músculos, podendo ocorrer isolada ou continuamente, sendo dolorosas ou não. 2. Qualquer contração muscular anormal. 3. Sentido figurado: arrebatamento, exaltação, espanto.
24 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
25 Dormência: 1. Estado ou característica de quem ou do que dorme. 2. No sentido figurado, inércia com relação a se fazer alguma coisa, a se tomar uma atitude, etc., resultando numa abulia ou falta de ação; entorpecimento, estagnação, marasmo. 3. Situação de total repouso; quietação. 4. No sentido figurado, insensibilidade espiritual de um ser diante do mundo. Sensação desagradável caracterizada por perda da sensibilidade e sensação de formigamento, e que geralmente ocorre nas extremidades dos membros. 5. Em biologia, é um período longo de inatividade, com metabolismo reduzido ou suspenso, geralmente associado a condições ambientais desfavoráveis; estivação.
26 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
27 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
28 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
29 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
30 Diálise: Quando os rins estão muito doentes, eles deixam de realizar suas funções, o que pode levar a risco de vida. Nesta situação, é preciso substituir as funções dos rins de alguma maneira, o que pode ser feito realizando-se um transplante renal, ou através da diálise. A diálise é um tipo de tratamento que visa repor as funções dos rins, retirando as substâncias tóxicas e o excesso de água e sais minerais do organismo, estabelecendo assim uma nova situação de equilíbrio. Existem dois tipos de diálise: a hemodiálise e a diálise peritoneal.
31 Mandíbula: O maior (e o mais forte) osso da FACE; constitui o maxilar inferior, que sustenta os dentes inferiores. Sinônimos: Forame Mandibular; Forame Mentoniano; Sulco Miloióideo; Maxilar Inferior
32 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
33 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
34 Supuração: Secreção de pus. Pode significar infecção no tecido afetado.
35 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
36 Coxa: É a região situada abaixo da virilha e acima do joelho, onde está localizado o maior osso do corpo humano, o fêmur.
37 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
38 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
39 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
40 Subcutânea: Feita ou situada sob a pele; hipodérmica.
41 Coxas: É a região situada abaixo da virilha e acima do joelho, onde está localizado o maior osso do corpo humano, o fêmur.
42 Injeção subcutânea: Injetar fluido no tecido localizado abaixo da pele, o tecido celular subcutâneo, com uma agulha e seringa.
43 Tecido Subcutâneo: Tecido conectivo frouxo (localizado sob a DERME), que liga a PELE fracamente aos tecidos subjacentes. Pode conter uma camada (pad) de ADIPÓCITOS, que varia em número e tamanho, conforme a área do corpo e o estado nutricional, respectivamente.
44 Êmbolo: 1. Cilindro ou disco que se move em vaivém no interior de seringas, bombas, etc. 2. Na engenharia mecânica, é um cilindro metálico deslizante que recebe um movimento de vaivém no interior de um cilindro de motor de combustão interna. 3. Em artes gráficas, é uma haste de ferro com um cilindro, articulada para comprimir e lançar o chumbo ao molde. 4. Em patologia, é um coágulo ou outro tampão trazido pela corrente sanguínea a partir de um vaso distante, que obstrui a circulação ao ser forçado contra um vaso menor. 5. Na anatomia zoológica, nas aranhas, é um prolongamento delgado no ápice do aparelho copulador masculino.
45 Bolha: 1. Erupção cutânea globosa entre as camadas superficiais da epiderme, cheia de serosidade, líquido claro, pus ou sangue, causada por inflamação, queimadura, atrito, efeito de certas enfermidades, etc. Deve ter mais de 0,5 cm. Quando tem um tamanho menor devem ser chamadas de “vesículas”. 2. Bola ou glóbulo cheio de gás, ar ou vapor que se forma (ou se formou) em alguma substância líquida ou pastosa, especialmente ao ser agitada ou por ebulição ou fermentação. 3. Saliência oca em uma superfície.
46 Mão: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
47 Dente: Uma das estruturas cônicas duras situadas nos alvéolos da maxila e mandíbula, utilizadas na mastigação e que auxiliam a articulação. O dente é uma estrutura dérmica composta de dentina e revestida por cemento na raiz anatômica e por esmalte na coroa anatômica. Consiste numa raiz mergulhada no alvéolo, um colo recoberto pela gengiva e uma coroa, a parte exposta. No centro encontra-se a cavidade bulbar preenchida com retículo de tecido conjuntivo contendo uma substância gelatinosa (polpa do dente) e vasos sangüíneos e nervos que penetram através de uma abertura ou aberturas no ápice da raiz. Os 20 dentes decíduos ou dentes primários surgem entre o sexto e o nono e o vigésimo quarto mês de vida; sofrem esfoliação e são substituídos pelos 32 dentes permanentes, que aparecem entre o quinto e sétimo e entre o décimo sétimo e vigésimo terceiro anos. Existem quatro tipos de dentes
48 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
49 Eletrocardiograma: Registro da atividade elétrica produzida pelo coração através da captação e amplificação dos pequenos potenciais gerados por este durante o ciclo cardíaco.
50 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
51 Língua:
52 Garganta: Tubo fibromuscular em forma de funil, que leva os alimentos ao ESÔFAGO e o ar à LARINGE e PULMÕES. Situa-se posteriormente à CAVIDADE NASAL, à CAVIDADE ORAL e à LARINGE, extendendo-se da BASE DO CRÂNIO à borda inferior da CARTILAGEM CRICÓIDE (anteriormente) e à borda inferior da vértebra C6 (posteriormente). É dividida em NASOFARINGE, OROFARINGE e HIPOFARINGE (laringofaringe).
53 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
54 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
55 Articulação: 1. Ponto de contato, de junção de duas partes do corpo ou de dois ou mais ossos. 2. Ponto de conexão entre dois órgãos ou segmentos de um mesmo órgão ou estrutura, que geralmente dá flexibilidade e facilita a separação das partes. 3. Ato ou efeito de articular-se. 4. Conjunto dos movimentos dos órgãos fonadores (articuladores) para a produção dos sons da linguagem.
56 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
57 Eczema: Afecção alérgica da pele, ela pode ser aguda ou crônica, caracterizada por uma reação inflamatória com formação de vesículas, desenvolvimento de escamas e prurido.
58 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
59 Diverticulite: Inflamação aguda da parede de um divertículo colônico. Produz dor no quadrante afetado (em geral o inferior esquerdo), febre, etc.Necessita de tratamento com antibióticos por via endovenosa e raramente o tratamento é cirúrgico.

Tem alguma dúvida sobre Prolia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.