Preço de Entresto em Ann Arbor/SP: R$ 143,00

Entresto

NOVARTIS BIOCIENCIAS S.A

Atualizado em 13/08/2019

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

Entresto
sacubitril valsartana sódica hidratada
Comprimidos revestidos

APRESENTAÇÕES

Comprimido revestido
Entresto 24mg/26mg Embalagens contendo 28 comprimidos
Entresto 49mg/51mg Embalagens contendo 28 ou 60 comprimidos
Entresto 97mg/103mg Embalagens contendo 28 ou 60 comprimidos

VIA ORAL
USO ADULTO

COMPOSIÇÃO

Cada comprimido revestido de Entresto 24 mg/26 mg contém:

sacubitril 24,3 mg
valsartana (como 56,551 mg de sacubitril valsartana sódica hidratada – equivalente a 50 mg de ácido anidro livre) 25,7 mg
excipiente q.s.p. 1 comprimido

Cada comprimido revestido de Entresto 49 mg/51 mg contém:

sacubitril 48,6 mg
valsartana (como 113,103 mg de sacubitril valsartana sódica hidratada – equivalente a 100 mg de ácido anidro livre) 51,4 mg
excipiente q.s.p. 1 comprimido

Cada comprimido revestido de Entresto 97 mg/103 mg contém:

sacubitril 97,2 mg
valsartana (como 226,206 mg de sacubitril valsartana sódica hidratada – equivalente a 200 mg de ácido anidro livre) 102,8 mg
excipiente q.s.p. 1 comprimido

Excipientes: celulose microcristalina, hiprolose, crospovidona, estearato de magnésio, talco e dióxido de silício.
Excipientes do revestimento: hipromelose, macrogol, talco, dióxido de titânio, óxido de ferro vermelho, óxido de ferro preto (para 24 mg/26 mg e 97 mg/103 mg) e óxido de ferro amarelo (para 49 mg/51 mg).

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

PARA QUÊ ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

Entresto é usado para tratar insuficiência cardíaca1 em adultos. Entresto demonstrou reduzir o risco de mortes e a necessidade de hospitalização relacionados à insuficiência cardíaca1.

Insuficiência cardíaca1 significa que o músculo cardíaco2 não consegue bombear sangue3 com força suficiente para fornecer todo o sangue3 necessário para o corpo inteiro. Os sintomas4 mais comuns de insuficiência cardíaca1 são falta de ar e inchaço5 dos pés e pernas devido ao acúmulo de líquido.

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

Entresto é um inibidor do receptor da angiotensina e neprilisina (INRA), que contém sacubitril e valsartana). Ambos ajudam a tratar a insuficiência cardíaca1.

Entresto funciona bloqueando os efeitos da neprilisina, através do sacubitril, e do receptor angiotensina II, através da valsartana. Como resultado, os vasos sanguíneos6 relaxam e menos água é retida pelo corpo, o que é benéfico para tratar a insuficiência cardíaca1.

Se você tem alguma dúvida sobre como Entresto funciona ou porque este medicamento foi prescrito para você, pergunte ao seu médico ou ao farmacêutico.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Não tome Entresto:

  • Se você já teve uma reação alérgica7 ou não habitual ao sacubitril ou a valsartana ou a qualquer outro ingrediente deste produto (vide “Quais os males que este medicamento pode me causar? ”). Se você acha que pode ser alérgico, peça orientações ao seu médico;
  • Se você está tomando outro medicamento para o tratamento de sua pressão arterial8 alta ou de insuficiência cardíaca1, conhecidos como inibidores da Enzima9 Conversora da Angiotensina (ECA, por exemplo, enalapril, lisinopril, captopril ou ramipril). Não inicie Entresto em até 36 horas após tomar a última dose deste grupo de medicamentos (vide “O que devo saber antes de usar este medicamento? - Tomando outros medicamentos”);
  • Se você ou algum membro de sua família já teve uma reação conhecida como angioedema10 (inchaço5 da face11, lábios, língua12 e/ou garganta13, dificuldade para respirar) ao tomar um inibidor da ECA (por exemplo, enalapril, lisinopril, captopril ou ramipril) ou um bloqueador do receptor da angiotensina BRA (como valsartana, telmisartana, irbesartana, losartana ou candesartana). Você não deve tomar Entresto se teve alguma dessas reações alérgicas sem causa conhecida (angioedema10 idiopático14) ou se você nasceu com este tipo de alergia15 (angioedema10 hereditário);
  • Se você tiver alguma doença grave do fígado16 (insuficiência hepática17 grave, cirrose18 biliar e colestase19);
  • História prévia de “angioedema hereditário” o que o torna propenso a desenvolver um angioedema10;
  • Se você tem diabetes Tipo 220 (nível alto de açúcar21 no sangue3) e também está em tratamento com um medicamento chamado alisquireno para reduzir sua pressão arterial8 (vide “O que devo saber antes de usar este medicamento - Tomando outros medicamentos”);
  • Se você está grávida.

Se algum desses casos se aplica a você, não tome Entresto e informe ao seu médico.

Este medicamento é contraindicado para uso por mulheres grávidas.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica. Informe imediatamente seu médico em caso de suspeita de gravidez22.

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Siga todas as instruções do médico cuidadosamente. As instruções podem diferir das informações gerais contidas nesta bula.

Tome cuidado especial com Entresto. Se algum dos seguintes casos se aplica a você, informe ao seu médico ou farmacêutico ou profissional de saúde23 antes de tomar Entresto:

  • Se você tem doença renal24 grave;
  • Se você tem doença hepática25;
  • Se você já teve uma reação conhecida como angioedema10 (inchaço5 da face11, lábios, língua12 e/ou garganta13, dificuldades na respiração);
  • Se você apresentar um inchaço5 da língua12 e/ou garganta13 e dificuldade para respirar, pare de tomar Entresto e contate seu médico imediatamente;
  • Se você já toma algum medicamento para tratar sua pressão arterial8 alta ou insuficiência cardíaca1, conhecidos como inibidor da ECA (por exemplo, enalapril, lisinopril, ramipril ou captopril), BRA (por exemplo, valsartana,
  • telmisartana, irbesartana, losartana e candesartana) ou alisquireno;
  • Se você tem pressão arterial8 baixa ou toma outros medicamentos que reduzem sua pressão arterial8 (por exemplo, um diurético26) ou tem vômitos27 ou diarreia28;
  • Se você toma qualquer medicamento que aumente a quantidade de potássio em seu sangue3 (ou seja, hipercalemia29).
  • Tais medicamentos incluem suplementos de potássio, substitutos de sal com potássio, medicamentos poupadores de potássio (amilorida, espironolactona) e heparina. Pode ser necessário que seu médico verifique a quantidade de potássio em seu sangue3 em intervalos regulares durante o seu tratamento com Entresto;
  • Se sua artéria renal30 está com diâmetro menor.

Tomando outros medicamentos

Antes de você tomar Entresto, informe ao seu médico ou farmacêutico ou profissional de saúde23 se você está tomando ou tomou recentemente algum outro medicamento, incluindo medicamentos obtidos sem prescrição, porque eles podem

interagir com Entresto. Estes incluem, em particular:

  • Não tome Entresto com inibidores da ECA (por exemplo, enalapril, lisinopril, ramipril ou captopril). Se você estava tomando um inibidor da ECA, espere 36 horas após tomar sua última dose de inibidor da ECA antes de começar a tomar Entresto (vide “Quando não devo usar este medicamento? ”). Se você parar de tomar Entresto, espere 36 horas após tomar sua última dose de Entresto antes de começar a tomar um inibidor da ECA;
  • Outros medicamentos usados para tratar insuficiência cardíaca1 ou reduzir a pressão arterial8 como inibidores da ECA (por exemplo, enalapril, lisinopril, ramipril ou captopril), BRAs (como valsartana, telmisartana, irbesartana, losartana e candesartana) ou alisquireno;
  • Medicamentos usados para reduzir altos níveis de colesterol31 conhecidos como ‘estatinas’ (p.ex.: atorvastatina);
  • A sildenafila, um medicamento usado no tratamento de disfunção erétil ou hipertensão32 pulmonar;
  • Medicamentos que aumentam a quantidade de potássio no sangue3. Estes incluem suplementos de potássio ou substitutos de sal com potássio e heparina. Seu médico pode desejar verificar a quantidade de potássio em seu sangue3 periodicamente;
  • Determinados tipos de analgésicos33 chamados medicamentos anti-inflamatórios não- esteroidais (AINEs) ou Inibidores Seletivos da Ciclo-oxigenase-2 (Inibidores da COX- 2). Se você está tomando algum destes, seu médico pode desejar verificar sua função renal24 ao iniciar ou modificar o tratamento;
  • O lítio, um medicamento usado para tratar alguns tipos de depressão;
  • A furosemida, medicamento conhecido como diurético26, usado para aumentar a quantidade de urina34 produzida;
  • Alguns antibióticos (grupo rifamicina), um medicamento usado para proteção contra rejeição a transplante (ciclosporina) ou um medicamento antirretroviral usado para tratar a infecção35 por HIV36/AIDS (ritonavir). Estes medicamentos podem aumentar o efeito da valsartana.

Pergunte a seu médico ou farmacêutico se você não tem certeza se seu medicamento é um dos medicamentos listados acima.

A valsartana do Entresto torna-se mais disponível no corpo que a valsartana de outras formulações de comprimidos comercializadas; 26 mg, 51 mg e 103 mg de valsartana no Entresto é equivalente a 40 mg, 80 mg, e 160 mg de valsartana nas formulações de comprimidos comercializadas, respectivamente. Se você tiver dúvidas com relação a substituição por outros produtos que contem valsartana, procure orientação do seu médico, farmacêutico ou cirurgião- dentista.

Tomando Entresto com alimentos

Entresto pode ser tomado com ou sem alimentos.

Idosos (com 65 anos ou mais)

Se você tem 65 anos ou mais, você pode usar Entresto na mesma dose de outros adultos.

Crianças e adolescentes (abaixo de 18 anos)

Entresto não deve ser usado em crianças ou adolescentes (abaixo de 18 anos).

Mulheres que podem engravidar

Mulheres que podem engravidar devem usar contracepção37 durante o tratamento e por 1 semana depois da última dose ao tomar Entresto. Se você planeja engravidar, converse com seu médico sobre as opções de tratamento.

Gravidez22 e lactação38

Você não deve tomar Entresto se você está grávida. Durante o tratamento, em casos de gravidez22, pare de tomar de Entresto e avise seu médico. A amamentação39 não é recomendada durante o tratamento com Entresto. Informe ao seu médico se você está amamentando.

Efeitos na habilidade para dirigir veículos e operar máquinas

Não foram realizados estudos sobre efeitos na habilidade de dirigir veículos. Ao dirigir veículos ou operar máquinas deve-se levar em consideração que pode ocorrer tonturas40.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento. Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde23.

ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Entresto deve ser conservado sob temperatura ambiente (entre 15 e 30°C). Proteger da umidade.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Características do produto

Entresto é um comprimido revestido, disponível em 3 concentrações diferentes de 24 mg/26 mg, 49 mg/51 mg ou 97 mg/103 mg.

  • Os comprimidos de 24 mg/26 mg são violeta-claro, ovaloides biconvexos com bordas chanfradas, não sulcados, gravados com “NVR” de um lado e “LZ” do outro lado.
  • Os comprimidos de 49 mg/51 mg são amarelo-claro, ovaloides biconvexos com bordas chanfradas, não sulcados, gravados com “NVR” de um lado e “L1” do outro lado.
  • Os comprimidos de 97 mg/103 mg são rosa-claro ovaloides biconvexos com bordas chanfradas, não sulcados, gravados com “NVR” de um lado e “L11” do outro lado.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Sempre tome este medicamento exatamente como seu médico orientou. Caso você esteja com dúvidas, verifique-as com seu médico ou farmacêutico ou profissional de saúde23.

Não exceda a dose recomendada prescrita por seu médico. Entresto é para uso oral somente.

Quanto tomar de Entresto

A dose alvo habitual recomendada é 97 mg/103 mg duas vezes ao dia (um comprimido de manhã e um comprimido à noite).

Você normalmente começará tomando 24 mg/26 mg ou 49 mg/51 mg duas vezes ao dia (um comprimido de manhã e um comprimido à noite). Seu médico indicará sua dose exata de início com base nas medicações que você tomava. Seu médico então ajustará a dose dependendo de como você responde ao tratamento até que a melhor dose para você seja encontrada.

Se você estava tomando inibidores da ECA anteriormente, não tome Entresto em até 36 horas após sua última dose do inibidor da ECA. Se você está tomando um BRA atualmente, pare de tomá-lo.

Quando tomar Entresto

Tomar Entresto todos os dias na mesma hora ajudará você a se lembrar quando tomar seu medicamento.

Como tomar Entresto

Tome os comprimidos de Entresto oralmente.

O comprimido revestido não deve ser quebrado ou dividido em partes.

Por quanto tempo tomar Entresto

Continue a tomar Entresto todos os dias, pelo tempo que seu médico indicar.

Se você tem dúvidas sobre por quanto tempo tomar Entresto, converse com seu médico ou seu farmacêutico ou profissional de saúde23.

Se você parar de tomar Entresto

Parar seu tratamento com Entresto pode fazer com que sua doença piore. Não pare de tomar seu medicamento a menos que seu médico oriente você a fazê-lo.

Se o tratamento com Entresto for interrompido e você tem a prescrição de um inibidor da ECA, não comece a tomar o inibidor da ECA em até 36 horas após sua última dose de Entresto.

O limite máximo diário de administração do medicamento é 97 mg/103 mg duas vezes por dia.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Este medicamento não deve ser partido, aberto ou mastigado.

O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Se você esquecer de tomar uma dose, tome-a assim que se lembrar, e então tome o próximo comprimido no horário habitual. Se já estiver quase no horário da sua próxima dose, pule a dose esquecida e continue a tomar como habitualmente. Não tome uma dose dupla para compensar o comprimido esquecido.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

Como com todos os medicamentos, pacientes tratados com Entresto podem apresentar reações adversas, embora nem todas as pessoas as apresentem.

Algumas reações adversas podem ser graves

Pare de tomar Entresto e informe ao seu médico imediatamente se você apresentar face11, lábios, língua12 e/ou garganta13 inchadas, que podem causar dificuldades na respiração e deglutição41. Estes podem ser sinais42 de angioedema10 (uma reação adversa incomum que pode ocorrer entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento).

Se você apresentar algum evento adverso grave, pare de tomar este medicamento e fale com seu médico imediatamente.

Outras possíveis reações adversas

Se alguma das reações listadas abaixo se tornar severa, informe ao seu médico ou farmacêutico.

Muito comuns (ocorrem em mais de 10% dos pacientes que utilizam este medicamento)

  • Pressão arterial8 baixa (tontura43, leve vertigem44);
  • Alto nível de potássio no sangue3 (comprovado por um exame de sangue3);
  • Redução da função renal24 (comprometimento renal24).

Comuns (ocorrem entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento)

  • Tosse;
  • Tontura43;
  • Diarreia28;
  • Baixo nível de células45 vermelhas no sangue3 (comprovado por um exame de sangue3);
  • Cansaço;
  • Distúrbio renal24 agudo46 (insuficiência renal47 grave);
  • Baixo nível de potássio no sangue3 (comprovado por um exame de sangue3);
  • Dor de cabeça48;
  • Desmaio;
  • Fraqueza;
  • Enjoo (náusea49);
  • Pressão arterial8 baixa (tontura43, leve vertigem44) ao se levantar quando está sentado ou deitado;
  • Gastrite50 (dor estomacal, náusea49);
  • Sensação de estar girando;
  • Baixo nível de açúcar21 no sangue3 (comprovado por um exame de sangue3).

Incomuns (ocorrem entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento)

  • Reação alérgica7 com erupção51 cutânea52 e coceira;
  • Tontura43 ao se levantar quando está sentado (ou vice-versa);

Desconhecida (a frequência não pode ser estimada a partir dos dados disponíveis)

  • Dificuldade para respirar ou engolir, erupção51 cutânea52, prurido53, urticária54, tonturas40 (sinais42 de hipersensibilidade e reações anafiláticas55).

Se você observar quaisquer reações adversas não listadas nesta bula, informe ao seu médico, farmacêutico ou profissional de saúde23.

Atenção: este produto é um medicamento novo e, embora as pesquisas tenham indicado eficácia e segurança aceitáveis, mesmo que indicado e utilizado corretamente, podem ocorrer eventos adversos imprevisíveis ou desconhecidos. Nesse caso, informe seu médico ou cirurgião-dentista.

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

Se você acidentalmente tomou muitos comprimidos, ou se alguém tomou os seus comprimidos, converse com seu médico imediatamente. Se sentir tonturas40 graves e/ou desmaio, contate seu médico o mais rápido possível e deite-se. Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

DIZERES LEGAIS

 

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA

 

MS – 1.0068.1141
Farm. Resp.: Flavia Regina Pegorer – CRF-SP 18.150

Importado por:
Novartis Biociências S.A. Av. Prof. Vicente Rao, 90 São Paulo - SP
CNPJ: 56.994.502/0001-30
Indústria Brasileira

Fabricado por:
Novartis Pharma Stein AG, Stein, Suíça.
Embalado por:
Novartis Farma S.p.A., Torre Annunziata, Itália.

 

SAC: 0800 888 3003

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Insuficiência Cardíaca: É uma condição na qual a quantidade de sangue bombeada pelo coração a cada minuto (débito cardíaco) é insuficiente para suprir as demandas normais de oxigênio e de nutrientes do organismo. Refere-se à diminuição da capacidade do coração suportar a carga de trabalho.
2 Músculo Cardíaco: Tecido muscular do CORAÇÃO. Composto de células musculares estriadas e involuntárias (MIÓCITOS CARDÍACOS) conectadas, que formam a bomba contrátil geradora do fluxo sangüíneo.
3 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
4 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
5 Inchaço: Inchação, edema.
6 Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).
7 Reação alérgica: Sensibilidade a uma substância específica, chamada de alérgeno, com a qual se entra em contato por meio da pele, pulmões, deglutição ou injeções.
8 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
9 Enzima: Proteína produzida pelo organismo que gera uma reação química. Por exemplo, as enzimas produzidas pelo intestino que ajudam no processo digestivo.
10 Angioedema: Caracteriza-se por áreas circunscritas de edema indolor e não-pruriginoso decorrente de aumento da permeabilidade vascular. Os locais mais acometidos são a cabeça e o pescoço, incluindo os lábios, assoalho da boca, língua e laringe, mas o edema pode acometer qualquer parte do corpo. Nos casos mais avançados, o angioedema pode causar obstrução das vias aéreas. A complicação mais grave é o inchaço na garganta (edema de glote).
11 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
12 Língua:
13 Garganta: Tubo fibromuscular em forma de funil, que leva os alimentos ao ESÔFAGO e o ar à LARINGE e PULMÕES. Situa-se posteriormente à CAVIDADE NASAL, à CAVIDADE ORAL e à LARINGE, extendendo-se da BASE DO CRÂNIO à borda inferior da CARTILAGEM CRICÓIDE (anteriormente) e à borda inferior da vértebra C6 (posteriormente). É dividida em NASOFARINGE, OROFARINGE e HIPOFARINGE (laringofaringe).
14 Idiopático: 1. Relativo a idiopatia; que se forma ou se manifesta espontaneamente ou a partir de causas obscuras ou desconhecidas; não associado a outra doença. 2. Peculiar a um indivíduo.
15 Alergia: Reação inflamatória anormal, perante substâncias (alérgenos) que habitualmente não deveriam produzi-la. Entre estas substâncias encontram-se poeiras ambientais, medicamentos, alimentos etc.
16 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
17 Insuficiência hepática: Deterioração grave da função hepática. Pode ser decorrente de hepatite viral, cirrose e hepatopatia alcoólica (lesão hepática devido ao consumo de álcool) ou medicamentosa (causada por medicamentos como, por exemplo, o acetaminofeno). Para que uma insuficiência hepática ocorra, deve haver uma lesão de grande porção do fígado.
18 Cirrose: Substituição do tecido normal de um órgão (freqüentemente do fígado) por um tecido cicatricial fibroso. Deve-se a uma agressão persistente, infecciosa, tóxica ou metabólica, que produz perda progressiva das células funcionalmente ativas. Leva progressivamente à perda funcional do órgão.
19 Colestase: Retardamento ou interrupção do fluxo nos canais biliares.
20 Diabetes tipo 2: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada tanto por graus variáveis de resistência à insulina quanto por deficiência relativa na secreção de insulina. O tipo 2 se desenvolve predominantemente em pessoas na fase adulta, mas pode aparecer em jovens.
21 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
22 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
23 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
24 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
25 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
26 Diurético: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.
27 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
28 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
29 Hipercalemia: É a concentração de potássio sérico maior que 5.5 mmol/L (mEq/L). Uma concentração acima de 6.5 mmol/L (mEq/L) é considerada crítica.
30 Artéria Renal: Ramo da aorta abdominal que irriga os rins, glândulas adrenais e ureteres.
31 Colesterol: Tipo de gordura produzida pelo fígado e encontrada no sangue, músculos, fígado e outros tecidos. O colesterol é usado pelo corpo para a produção de hormônios esteróides (testosterona, estrógeno, cortisol e progesterona). O excesso de colesterol pode causar depósito de gordura nos vasos sangüíneos. Seus componentes são: HDL-Colesterol: tem efeito protetor para as artérias, é considerado o bom colesterol. LDL-Colesterol: relacionado às doenças cardiovasculares, é o mau colesterol. VLDL-Colesterol: representa os triglicérides (um quinto destes).
32 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
33 Analgésicos: Grupo de medicamentos usados para aliviar a dor. As drogas analgésicas incluem os antiinflamatórios não-esteróides (AINE), tais como os salicilatos, drogas narcóticas como a morfina e drogas sintéticas com propriedades narcóticas, como o tramadol.
34 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
35 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
36 HIV: Abreviatura em inglês do vírus da imunodeficiência humana. É o agente causador da AIDS.
37 Contracepção: Qualquer processo que evite a fertilização do óvulo ou a implantação do ovo. Os métodos de contracepção podem ser classificados de acordo com o seu objetivo em barreiras mecânicas ou químicas, impeditivas de nidação e contracepção hormonal.
38 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
39 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
40 Tonturas: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
41 Deglutição: Passagem dos alimentos desde a boca até o esôfago; ação ou efeito de deglutir; engolir. É um mecanismo em parte voluntário e em parte automático (reflexo) que envolve a musculatura faríngea e o esfíncter esofágico superior.
42 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
43 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
44 Vertigem: Alucinação de movimento. Pode ser devido à doença do sistema de equilíbrio, reação a drogas, etc.
45 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
46 Agudo: Descreve algo que acontece repentinamente e por curto período de tempo. O oposto de crônico.
47 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
48 Cabeça:
49 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
50 Gastrite: Inflamação aguda ou crônica da mucosa do estômago. Manifesta-se por dor na região superior do abdome, acidez, ardor, náuseas, vômitos, etc. Pode ser produzida por infecções, consumo de medicamentos (aspirina), estresse, etc.
51 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
52 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
53 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
54 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
55 Reações anafiláticas: É um tipo de reação alérgica sistêmica aguda. Esta reação ocorre quando a pessoa foi sensibilizada (ou seja, quando o sistema imune foi condicionado a reconhecer uma substância como uma ameaça ao organismo). Na segunda exposição ou nas exposições subseqüentes, ocorre uma reação alérgica. Essa reação é repentina, grave e abrange o corpo todo. O sistema imune libera anticorpos. Os tecidos liberam histamina e outras substâncias. Esse mecanismo causa contrações musculares, constrição das vias respiratórias, dificuldade respiratória, dor abdominal, cãimbras, vômitos e diarréia. A histamina leva à dilatação dos vasos sangüíneos (que abaixa a pressão sangüínea) e o vazamento de líquidos da corrente sangüínea para os tecidos (que reduzem o volume de sangue) o que provoca o choque. Ocorrem com freqüência a urticária e o angioedema - este angioedema pode resultar na obstrução das vias respiratórias. Uma anafilaxia prolongada pode causar arritmia cardíaca.

Tem alguma dúvida sobre Entresto?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.